No princípio criou Deus os céus e a Terra


Desconstruindo um mito sobre o registo fóssil
Janeiro 18, 2009, 6:50 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Algumas pessoas têm a ideia de que no registo fóssil encontramos apenas animais antigos, isto é, ou animais que os evolucionistas dizem que são elos intermédios ou animais que já estão extintos. Há quem tenha sido levado a pensar que os animais “mais modernos” não existem em versão fóssil. Ideia incorrecta!

No registo fóssil encontramos fósseis de ursos, elefantes, pinguins, camelos, rinocerontes, cães, girafas, etc.

Em 1966, das 329 famílias vivas de vertebrados terrestres, 79% já tinha sido encontrada no registo fóssil [*1].

Independentemente disto, é só ir à página dos fósseis e ver os exemplos de “fósseis vivos”, para constatar que o registo fóssil não contém apenas animais “antigos”.
_______________________________________________

REFERÊNCIAS OU NOTAS:

[*1] – Romer, A.S., Vertebrate Paleontology, 3rd Ed., University of Chicago Press, Chicago, pp. 347–396, 1966. Cit. In. Michael Denton, Evolution: A Theory in Crisis, pág. 202

Anúncios

38 comentários so far
Deixe um comentário

Sabino,

Então estás a dizer que esses tais camelos gigantes, pinguins gigantes ou cangurus gigantes ainda existem, é isso?

Comentar por Luís

Estou a dizer que no registo fóssil não encontras apenas os animais que os evolucionistas consideram “antigos”, como tu pensavas.

Comentar por alogicadosabino

Sabino,

Acho que fizeste confusão com o que eu disse. Por “antigo” quero eu referir-me aos animais ancestrais aos que existem nos dias actuais. Os evolucionistas consideram que os dinossauros são mais antigos que os mamíferos. E os mamíferos que deste como exemplo são mais antigos do que as espécies que se encontramos hoje. Por isso a menos que encontres um fóssil de um coelhinho, por exemplo, esses fósseis não só não refutam a teoria da evolução como servem de evidências.

Comentar por Luís

Um fóssil é todo e qualquer resto directo ou vestígio indirecto de organismos do passado incorporado no registo geológico, nas rochas.

Há fósseis muito antigos (até milhares de milhões de anos) e há fósseis muito recentes (alguns anos).

Consequentemente, o registo fóssil inclui restos e vestígios de muitos dos organismos (de espécies) actuais, como não podia deixar de ser.

As espécies (consoante o grupo biológico) podem ter durações de vida variadas, mas, normalmente, medidas de alguns milhões de anos a algumas dezenas de Ma. Consequentemente, todas as espécies de vertebrados actuais devem, potencialmente, estar representadas, pelo menos, no registo fóssil holocénico (últimos 10.000 anos).

O espanto e o tom de quem “descobriu a pólvora” do post (e dos posts associados), resultam do desconhecimento mais básico do que é um fóssil e do que é o registo paleontológico.

Comentar por Spirifer

Luis,

“Acho que fizeste confusão com o que eu disse. Por “antigo” quero eu referir-me aos animais ancestrais aos que existem nos dias actuais. Os evolucionistas consideram que os dinossauros são mais antigos que os mamíferos. E os mamíferos que deste como exemplo são mais antigos do que as espécies que se encontramos hoje. Por isso a menos que encontres um fóssil de um coelhinho, por exemplo, esses fósseis não só não refutam a teoria da evolução como servem de evidências.”

1) A chamada coluna geológica foi erigida atraves dos metodos de datação. Aqueles métodos que dão idades ridiculas para coisas de idade conhecida como, por exemplo, milhares de anos a crustáceos vivos e milhões de anos a lava de dezenas de anos. Portanto, são perfeitamente credíveis.

2) Naturalmente que todos os animais do registo fóssil são mais antigos que os actuais. O que importa reter é que, maiores ou menores, mais gordos ou mais magros, continuam a ser camelos, pinguins e cangurus, caso contrário não seria possível identificá-los como tal.

3) Quanto mais se conhece a respeito dos fosseis, mais aleatória se torna a coluna geologica. Isto é visto constantemente com a re-datação de diferentes organismos. Exemplos: osgas, caranguejos, medusas, ornitorrincos, vertebrados

4) Os evolucionistas recorrem aos chamados “fósseis de idade” para determinar a idade de uma rocha. Por exemplo, rochas contendo trilobites pertencem a X periodo geologico. Rochas contendo determinados dinossauros pertencem a Y periogo geologico. Eles usam fósseis para “datar” rochas. Por essa razão é que poderás passar uma vida inteira sem ouvires dizer que foram encontrados mamiferos antes de dinossauros ou repteis antes de peixes. Se uma rocha contém peixes, então, “sabe-se” que aquela rocha tem 400 milhoes de anos. Se uma rocha contem dinossauros, então, “sabe-se” que aquela rocha pertence aos periodos da era mesozoica.

Agora vamos aos verdadeiros problemas: por que é que na base da coluna geológica não ha evidencias de evolução gradual das especies? Por que é que não existem fosseis transitorios de invertebrados marinhos e insectos, que representam 98% do registo fóssil? Por que é que os evolucionistas têm de recorrer a “explosões da vida” para explicar o subito aparecimento de praticamente todas as divisões da vida mais importantes?

Comentar por alogicadosabino

Os “métodos de datação”, nomeadamente os que usam os “fósseis de idade” que contestas são os mesmos que permitem aos geólogos encontrar o petróleo do qual a gasolina do teu carro é produzida e o carvão que alimenta as centrais termoeléctricas que geram a electricidade para o teu Ipod.

Dão idades “ridiculas” para umas coisas, mas dão as idades certas para encontrar os recursos geológicos com base no qual andam todos os carros dos criacionistas. Estranho… funcionam bem para te manter a andar de um lado para o outro e para teres energia para o teu computador, mas não funcionam para a evolução. Estranho…

Saber um pouco mais de Geologia seria útil. A menos que queiras que encontremos petróleo com base em técnicas bíblicas de prospecção geológica… com base na fé…

P.S.1 – Em 1), não é “coluna geológica” mas sim Tabela Cronostratigráfica.

P.S.2 – “(…) caso contrário não seria possível identificá-los como tal.” E os dinossáurios, que nunca ninguém viu em vida (excepto alguns criacionistas…), como foram identificados? Até meados do séc. XIX ninguém sabia o que era um dinossáurio.

P.S.3 – Não são “fósseis transitórios”, mas sim “fósseis de transição”.

P.S.4 – “Explosão de vida” é uma metáfora. Existiram várias “explosões de vida”, ou, em termos mais correctos, radiações adaptativas. Serão várias fases de criação?…

Comentar por Jonas

Jonas, obrigado pelo comentário submetido.

“Os “métodos de datação”, nomeadamente os que usam os “fósseis de idade” que contestas são os mesmos que permitem aos geólogos encontrar o petróleo do qual a gasolina do teu carro é produzida e o carvão que alimenta as centrais termoeléctricas que geram a electricidade para o teu Ipod.”

Desculpa? São os métodos de datação que permitem encontrar o petróleo? Escapou-se-me alguma coisa?

“P.S.1 – Em 1), não é “coluna geológica” mas sim Tabela Cronostratigráfica.”

Poupa-me…

“P.S.2 – “(…) caso contrário não seria possível identificá-los como tal.” E os dinossáurios, que nunca ninguém viu em vida (excepto alguns criacionistas…), como foram identificados? Até meados do séc. XIX ninguém sabia o que era um dinossáurio.”

Ninguém está a contestar isso. Tanto é que a palavra “dinossauro” foi criada, para designar esse conjunto de animais. Nada a ver com aquilo que se está a falar.

“P.S.3 – Não são “fósseis transitórios”, mas sim “fósseis de transição”.”

Poupa-me…

“P.S.4 – “Explosão de vida” é uma metáfora. Existiram várias “explosões de vida”, ou, em termos mais correctos, radiações adaptativas. Serão várias fases de criação?…”

Em vez de andares aí a divagar podias responder. por que é que na base da coluna geológica não ha evidencias de evolução gradual das especies? Por que é que não existem fosseis transitorios de invertebrados marinhos e insectos, que representam 98% do registo fóssil?

Comentar por alogicadosabino

Sabino,

O que é que aceitarias como um fóssil de transição? Um crocoduck? Gera-se aqui o problema de saber a partir de quantos cabelos um careca deixa de o ser. Se tu olhasses para um fóssil de transição entre um invertebrado marinho e um insecto verias nele um invertebrado ou um insecto e nunca ficarias satisfeito.

Comentar por Luís

Mesmo que os ancestrais dos animais do Cambriano não possuíssem partes duras, eles deveriam ter deixado fósseis de pistas, pegadas, perfurações, tubos e outros indícios de presença de animais (denominados icnofósseis).

Comentar por Fabricio Lovato

Fabricio,
Esses animais, obviamente, recusarem deixar os seus fósseis para a ciência.

Comentar por Mats

Luis,

O facto de podermos organizar as coisas por determinada ordem (menos complexo pró mais complexo, mais pequeno para o maior, etc) não quer dizer que isso tenha acontecido na realidade.

Pondo de parte a grande especulação evolucionista a respeito dos fosseis transitorios… aquilo eles nos apresentam são criaturas mosaicos, isto é, criaturas que têm caracteristicas de animais diferentes. Hoje esses animais também existem, como por exemplo o ornitorrinco, e não é nenhum fossil transitorio. O que os criacionistas pedem é uma sequencia onde se veja, de forma inequivoca, uma transição. Por exemplo, no caso da transformaçao reptil-ave… fosseis onde se veja 20% asa, 40% asa, 60% asa, 80% asa, 100% asa. O que nos vemos nos fosseis sao ou animais sem asas ou animais com asas.

Comentar por alogicadosabino

“Desculpa? São os métodos de datação que permitem encontrar o petróleo? Escapou-se-me alguma coisa?”

Sim… escapou-te muita coisa. Quando, numa plataforma petrolífera, perfuras, como sabes onde parar? Quando perfuras na horizontal ao longo de quilómetros, até chegar ao reservatório, como sabes em que estrato te deves manter? Quem analisa as lamas de perfuração e com que métodos para mater o bit da broca na direcção certa e no nível estratigráfico correcto? Quando a broca atravessa uma falha geológica e há que decidir de se fura para cima ou para baixo, quem é que o indica? Baseado em que métodos? Baseado nos métodos de datação e de posicionamento estratigráficos que tu dizes serem ridículos…

(Não, o petróleo que hoje se bombeia já não jorra dos poços como nos filmes.)

Sabino, de facto, não percebes naaaaada disto. A sorte é que há quem saiba o que anda a fazer e, por isso, tens gasolina para o teu pó-pó e gás natural para tomares um banho e… Senão ainda andarias de carroça… (sim, bem sei, os carros poluem e tu adorarias andar de carroça…).

Gostaria de ver uma equipa de geólogos e de paleontólogos criacionista, baseada em métodos bíblicos de prospecção e de datação (e muita oração, claro)e em metodologias sísmicas metafísicas encontrar uma jazigo petróleo ou de gás natural a vários quilómetros de profundidade… Aliás, encontrar o que quer que fosse de concretamente útil para a humanidade!

Palavras, leva-as o vento. É fácil denegrir o trabalho dos outros. É fácil dizer que isto ou aquilo é ridículo. É só chegar ao computador e escrever umas frases baseadas na bíblia, sendo que quando as coisas ficam negras se pode sempre dizer que “Foi a vontade de Deus”! e fica tudo resolvido… Dediquem-se a encontrar jazigos minerais e petrolíferos com esses métodos e logo verão.

Como diz o outro: “Vão mas é trabalhar, malandros!”

Comentar por Murex

Sabino, em uma discussão que tivemos em sala de aula, na aula de Biologia, eu estava a argumentar sobre a falta de fósseis intermediários, ao que um colega evolucionista respondeu:
“os criacionistas não querem é enxergar as coisas.não existem fósseis de transição, existem fósseis em transição.é só ver um leão-marinho, que está em transição para uma baleia.”

E o pior de tudo é que ele era inteligente…

Comentar por Fabricio Lovato

Mats.

Mas que bichinhos malandros né? 😀

Comentar por Fabricio Lovato

Independentemente da burrice de uns e de outros, continuamos sem métodos bíblicos de prospecção petrolífera… Aposto que os colegas da Petrobrás concordarão comigo. Usem as ideias criacionistas para encontrar petróleo e tornem-se úteis à humanidade.

Comentar por Terebratula

Murex e Terebratula (que ainda não sei se serão heterónimos da mesma pessoa),

Os metodos de datação não são precisos para nada na detecção e extracção de petróleo. Como se encontra o petróleo, A extração de petróleo.

Por muito que queiras, os metodos de datação não têm nada a ver com a extracção de petróleo. E ainda bem que assim é. Se eles fossem tão bons a identificar petróleo como são a identificar a idade das coisas, era capaz de não ter gota para o meu carro.

Comentar por alogicadosabino

Então, e que jazidas petrolíferas e de gás natural já foram encontradas por equipas de “cientistas” criacionistas com base em métodos criacionistas de prospecção?

Se a ciência criacionista funcionar, então deve dar frutos tangíveis, deve apresentar resultados úteis, ou não será assim? Ou essa “ciência” só serve para lançar a confusão?

O teu carrinho anda movido a ciência darwinista, não a “concepção inteligente” e a “arcas de noé”!

Há que ser coerente! Ou aceitas a ciência darwinista ou a rejeitas. Isso é uma opção pessoal, exclusivamente tua. Mas se a rejeitares, então — se fores coerente e honesto intelectualmente — terás de recusar os benefícios dela decorrente e andas a pé e tomas banho de água fria (só para referir dois exemplos)!

Sobre a utilidade dos fósseis e da datação biostratigráfica baseada em microfósseis para a pesquisa petrolífera ver, por exemplo:

Micropaleontologia e fósseis, sua utilidade,em

http://pt.wikipedia.org/wiki/Micropaleontologia

http://www.micropress.org/what.html

http://www.es.ucl.ac.uk/department/collections/RockRoom/micropaleo.htm

http://knol.google.com/k/alireza-salehipour/micropaleontology/162p6pqzn1n78/6#

http://www.absoluteastronomy.com/topics/Micropaleontology

etc., etc., etc…

Ou então inscreve-te num qualquer curso de Paleontologia numa universidade nacional.

Comentar por Discina

Discina, por muito que tu queiras, os métodos de datação não têm nada a ver com o descobrimento e extracção de petróleo.

“O teu carrinho anda movido a ciência darwinista, não a “concepção inteligente””

Não! O meu e o teu carro andam a concepção inteligente, na medida em que foi necessária a inteligência humana para o projectar e conceber. A fantasia darwinista contribuiu 0% para a construção do meu carro.

E já agora, não vou aceitar mais comentários da mesma pessoa com nomes diferentes. Por isso, se quiseres continuar a comentar escolhe um nome definitivo.

Comentar por alogicadosabino

Então, e o teu carro criacionista anda com o petróleo darwinista? Descoberto com base em métodos de datação que tu repudias? Que tu apelidas de ridículos e de ineficazes?

E que temes tu em relação a heterónimos? Tens alguma coisa conta o Fernando Pessoa? Seria ele darwinista? São os heterónimos que te amedrontam? Ou as nossas ideias que não consegues refutar? Que te fazem duvidar, vacilar? Que importa que me chame Jorge, Manuel ou Ismael? O nosso nome é legião!

E então, Sabino, onde estão as jazidas petrolíferas descobertas por geólogos criacionistas? E as vacinas descobertas por biólogos criacionistas? E a cura criacinista para o cancro? Para qualquer um deles! E os avanços científicos feitos por laboratórios criacionistas? Onde estão? Pois é, é só “ciência” de garganta!

É fácil argumentar na net, não é? Palavras, leva-as o cyberespaço. Quero ver resultados palpáveis, úteis para o bem-estar da humanidade vindos da investigação criacionista! Prova que a tua ciência é melhor que a que refutas: apresenta os resultados concretos!

E, se tiveres coragem para isso, deixa-te de medos de heterónimos e responde-me. Pensas que me podes calar com a tua censura prévia? Pensas que controlas o cyberspaço? É calando os adversários que fazer prevalecer as tuas ideias?…

Comentar por Lingula

Nenhum cientista credível acredita na Criação? Não é bem assim!. Eles não precisaram da fantasia darwinista para praticarem ciência, já que a fantasia darwinista não é ciência.

Comentar por alogicadosabino

fósseis de animais “que não se modificaram” do paleolítico são contra-evidencias à evolução? ao afirmar isso vc merece uma ironia como resposta

Comentar por Vilii

Não é porque, felizmente, a teoria da evolução consegue acomodar em si todos os cenários possíveis :]

Comentar por alogicadosabino

Nenhum cientista credível acredita na Criação? Não é bem assim!
Claro que é. Hoje em dia? Toda a biologia moderna parte de permissas semi-darwinistas e, curiosamente, bate certo!

Comentar por Ska

Defina essas premissas.

Comentar por H

Defina se faz favor, não sou seu criado!

Permissas tais como a evolução, mutação, selecção natural e coisas assim.

Comentar por Ska

Por motivos profissionais passei algum tempo sem visitar o nosso amigo Sabino, e nesse retorno olha o que encontro o mestre dos “magros” tentando fazer de milhares de cientistas sérios, meros “fosseis” vivos.

Comentar por kibom33

Ska,

o conceito de selecção natural foi referido por inicialmente por Edward Blyth, criacionista.

Infelizmente para ti, a crença na teoria da evolução só é necessária para a biologia evolucionista, aquela que inventa historias sobre como um sapo se transformou em príncipe, ao fim de milhoes de anos.

Comentar por alogicadosabino

Kibom,
O que é que são “cientistas sérios”? Aqueles que acreditam que o mundo biológico criou-se a si mesmo?

Comentar por Mats

Não Sabino, a verdade é que a teoria da evolução está por trás de todos os ramos da biologia, hoje em dia.

Comentar por Ska

Pena que haja biólogos que não concordam com isso.

Comentar por alogicadosabino

O que são esses biólogos? Pastores da igreja evangélica que tiraram um curso de biologia aplicada na fernando pessoa?

Comentar por Ska

Eu sei que é duro, Ska.

Comentar por alogicadosabino

A pergunta foi feita. Parvoeiras smoke n’ mirrors não têm muito efeito em mim. Se queres lançar a cagança para o ar, defende-a ao menos.

Comentar por Ska

Mas eu já linkei em cima. Tu é que fazes de conta que não vês e depois vens dizer que os biologos a que me refiro devem ser pastores evangélicos. Como já te disse, quando a pessoa com quem estou a debater ignora aquilo que lhe é apresentado e começa a disparatar ou a arranjar desculpas, eu cesso a minha participação.

Comentar por alogicadosabino

Duh! Estás a dar o exemplo de senhores que viveram… antes da teoria da evolução estar sequer difundida? E achas estranho não serem evolucionistas?

Comentar por Ska

Outro argumento falacioso…

Muitos deles viveram muitos anos depois de Darwin ter proposto que eramos primos das nésperas (ex: Pasteur).

E dizer que “só eram criacionistas porque ainda nao havia a teoria da evolução” é altamente falacioso. Muitos cientistas oposeram-se à teoria de Darwin, quando ele a propôs.

E por que é que há muitos cientistas hoje, que já conhecem a teoria de Darwin, não a subscrevem?

Ficou a tentativa vã de passar a ideia de que “só não eram evolucionistas porque Darwin ainda não tinha proposto a teoria”

Comentar por alogicadosabino

Boa.

E os que viveram antes?

E por que é que há muitos cientistas hoje, que já conhecem a teoria de Darwin, não a subscrevem?

Porque já te disse, os padres da iurd também têm o direito de tirar cursos superiores

Comentar por Ska

Mats!

Me prove que não.

Comentar por kibom33




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: