No princípio criou Deus os céus e a Terra


Estudo revela que os neandertais afinal cozinhavam e comiam legumes
Janeiro 4, 2011, 7:16 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang | Etiquetas:

O homem de Neandertal, extinto há 30 mil anos, alimentava-se de carne e de vegetais e cozinhava os alimentos, segundo um estudo publicado hoje na PNAS.

As investigações anteriores indicavam que os Neandertais eram sobretudo caçadores carnívoros, o que teria precipitado a sua extinção. Pensava-se que os primeiros homens modernos com os quais os neandertais coexistiram durante cerca de 10 mil anos teriam sobrevivido graças ao consumo de outros tipos de alimentos, como vegetais, peixes e mariscos, conforme os locais onde viviam.

O novo estudo parte da análise de partículas de alimentos contidas nas placas de tártaro dos dentes fossilizados de Neandertais descobertos em sítios arqueológicos do Iraque e da Bélgica.

(Público)
____________________________________________________________________

Sim, os neandertais alimentavam-se de carne e de vegetais, como nós, e cozinhavam os alimentos, como nós. Qual é a novidade? São seres humanos como nós. Isto só ainda é notícia porque os evolucionistas mais casmurros ainda não abandonaram as suas noções pré-humanas a respeito dos neandertais.

Ignorem as datas propostas, baseadas em métodos que não acertam nem em materiais dos quais se conhece a idade, e isto é mais uma evidência de que o homem de neandertal era apenas e só um ser humano como eu e tu, que viveu numa época diferente, sob condições ambientais diferentes, possivelmente sujeito a pressões diferentes.

Anúncios


Mito sobre o Homem de neandertal finalmente morreu?
Outubro 11, 2010, 10:00 am
Filed under: Evolução/Big-Bang | Etiquetas: ,

Se já abandonaste as carteiras da escola há algum tempo, provavelmente mostraram-te imagens como esta associada ao homem de neandertal:

Não te podiam mostrar um homem como o teu pai como ilustração de um homem que viveu há 300 mil anos e se extinguiu há uns 30 mil anos. Afinal de contas, há uma história evolutiva para manter, um cenário que deve mostrar que o ser humano moderno evoluiu de seres mais grotescos, mais primitivos, mais brutos e menos inteligentes. Em suma, menos humanos. E nada melhor para isso do que usar o poder da imagem para gravar algo na memória da criançada.

Neste processo, nem passa pela cabeça da criança que aquilo que está a ver é apenas uma representação arbitrária do tal ser humano em questão e, na maioria dos casos, longe de corresponder à verdade. Afinal de contas, é o próprio Viktor Deak, um dos mais conhecidos paleoartistas da actualidade que o afirma: Recriações desse tipo são hipóteses. Dez especialistas diferentes produzirão dez imagens diferentes.

Cartada final?

Agora, uma nova análise levada a cabo por cientistas da University of Colorado Denver mostra que os neandertais foram subestimados e, na realidade, são mais avançados do que se pensava (1). Os evolucionistas pensavam que os neandertais só conseguiam desenvolver ferramentas modernas quando em contacto com o Homo Sapiens. No entanto, segundo os autores deste novo estudo, os neandertais conseguiam adaptar-se, inovar e desenvolver tecnologia por eles próprios (algo que outros investigadores já tinham mostrado).

Julien Riel-Salvatore, coordenador do estudo, disse que o mesmo desafia meio século de sabedoria convencional que defendia que os neandertais eram homens das cavernas primitivos que foram ultrapassados por humanos mais avançados. Ele afirmou: “Basicamente, eu estou a reabilitar os neandertais“. “O facto de os neandertais conseguirem adaptar-se a novas condições e serem inovadores mostra que eles eram culturalmente semelhantes a nós“, disse.

Concluiu dizendo: “A minha investigação sugere que eles eram tipo de humano diferente, mas humano, apesar de tudo. Nós somos mais irmãos do que primos distantes“. Isto é aquilo que os criacionistas têm vindo a dizer neste último meio século. Pelos vistos estamos 50 anos à frente dos evolucionistas. Os neandertais eram diferentes, mas humanos. Tal como um romeno é diferente de um brasileiro, ou um moçambicano é diferente de um dinamarquês, ou um pigmeu é diferente de um japonês. Diferentes, mas humanos.

Neandertais também tinham sentimentos

Para além de se maquilharem, eles também tinham uma grande sentido de compaixão, uma das características tipicamente humana. Foi a conclusão de um estudo realizado por investigadores da Universidade de York (2).

CONCLUSÃO

Perante tudo isto, é difícil perceber por que razão a ScienceDaily mantém uma representação grotesca do homem de neandertal (à esquerda). À falta de evidências que corroborem o conto fantasioso da teoria da evolução, nada melhor do que continuar a usar o poder da imagem e mostrar um homem de neandertal que está longe de se adequar ao que dizem os factos científicos.