No princípio criou Deus os céus e a Terra


Afinal, criacionistas tinham razão… neandertais são tão humanos como eu e tu que até tiveram relações sexuais com os nossos antepassados
Maio 11, 2010, 9:09 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Olha que há coisas… então não é que os evolucionistas acabaram de levar outra trombada do homem de neandertal?

Estudo publicado na Science afirma que os homens modernos tiveram relações sexuais com os chamados neandertais, tendo inclusive gerado descendentes vivos.

A descoberta deixou os pesquisadores surpresos (já estamos habituados). Não é nada que os criacionistas já não venham a dizer ao tempo. Afinal de contas, indivíduos que tinham gosto pela música, enterravam os seus mortos, tinham conhecimentos artísticos, controlavam o fogo, produziam supercolas, eram inovadores, maquilhavam-se, etc, não iam saber como acasalar com os restantes indivíduos do planeta?

Uma pergunta aos evolucionistas: vocês não se cansam de apanhar?

(PS: A representação neandertal à esquerda é só imaginação evolucionista. Muito provavelmente eles tinham a mesma aparência que eu e tu)


143 comentários so far
Deixe um comentário

Sabino,

Esta parte da pesquisa a gente pode “fingir” que não leu? 🙂

Neandertals, the closest evolutionary relatives of present-day humans, lived in large parts of Europe and western Asia before disappearing 30,000 years ago.

Comentar por Alexandro

Olá Alexandro, sim temos esse desaparecimento há 30000 anos documentado por testemunhas oculares e tudo.

Comentar por alogicadosabino

A parte da pesquisa que te interessa não precisa de testemunho. A parte que contradiz o criacionismo da TJ ai precisa de testemunho. Entendi, vc só usa os dados seletivamente. Tá perfeito.

Comentar por Alexandro

Olá Alexandro,

“A parte da pesquisa que te interessa não precisa de testemunho. A parte que contradiz o criacionismo da TJ ai precisa de testemunho. Entendi, vc só usa os dados seletivamente. Tá perfeito.”

Nada disso. Apenas separo as conclusões obtidas a partir de experimentação empírica daquela obtida a partir de pressupostos impossíveis de comprovar. Se os evolucionistas fizessem o mesmo escusavam de ficar constantemente surpreendidos com as descobertas.

Comentar por alogicadosabino

Sabino,

Você tem as competências técnicas necessárias para refutar parte do estudo da Science? Se não tem, quais são as fontes?

Pedido: Eu fiz uma outra postagem, ficou bloqueada. Acho que tinha muitos links. Você pode fazer a gentileza de desbloquear? Obrigado.

Comentar por Alexandro

Ô Sabino, mais um comentário meu ficou bloqueado😦

Por que acontece isso? Sabe? Você pode desbloquear? Obrigado.

Comentar por Alexandro

Sabino, já descobri o problema. Pode deletar meus comentários em span. Eu vou quebrar em blocos.

Não aprova se não vai dar duplicadade nas minhas respostas, ok?

Comentar por Alexandro

Meu caro Sabino; estou há horas lendo o texto sobre o homem de Neandertal e não consigo entender o teu desabafo:
“Uma pergunta aos evolucionistas: vocês não se cansam de apanhar”.
O que significa isso?

Comentar por jesualdo

Sabino, estou aguardando a sua resposta.

Comentar por jesualdo

Mais uma alegação do murrinhanha:

A existência de seres muito parecidos com humanos há 30.000 anos prova que o mundo só tem 6000 anos.

Segue-se a lógica dum vendedor dum negócio em pirâmide.

Dê-se a devida gargalhada e venha a próxima Sabino.

Assim nem dá gozo.

Trabalhinho…

Vá lá és capaz de melhor.

Sugestões:

A Nasa tem provas dum dia maior que o normal.

http://myblog-wanderley.blogspot.com/2009/04/biblico-nasa-comprova-que-o-sol-parou.html

Comentar por Joao Melo De Sousa

Outra sugestão:

http://www.showdalua.com/disney.html

Trata duma conjura de mensagens subliminares.

Vá lá.

Algum esforço….

Comentar por Joao Melo De Sousa

Conferência Bioeventos 2010
17 Maio Ana Sofia Rodrigues

Na próxima segunda-feira 17 de Maio terá lugar a terceira conferência do ciclo “Biodiversidade e Sociedade”, no Grande Auditório da Faculdade de Ciências, Campo Grande, edifício C3, a 10 de Maio às 18h (entrada livre). Desta vez teremos o prazer de acolher Ana Sofia Rodrigues, que nos irá falar sobre Biodiversidade e Práticas de Conservação.

Ana Rodrigues foi aluna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e tem praticado investigação em Biologia da Conservação nos centros mais prestigiosos do mundo, como a Conservation International em Washington ou a Universidade de Cambridge. Actualmente é investigadora no CNRS, em Montpellier. Apesar da sua juventude tem várias publicações na Nature, Science (7!) e em várias outras revistas de renome.

O ciclo de conferências ” Biodiversidade e Sociedade ” destina-se ao público em geral, incluindo a comunidade científica e pretende transmitir uma visão alargada do papel da Biodiversidade na nossa Sociedade, através da visão de cientistas de renome internacional. O ciclo é organizado pelos Bioeventos 2010, um conjunto de iniciativas que pretende celebrar o Ano Internacional da Biodiversidade, organizado pelo Museu Nacional de História Natural e pelo Centro de Biologia Ambiental, em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian.

Comentar por Boris

Mas espera um pouco; se o homem de Neandertal tem mais de 300.000 anos e, como você mesmo afirma a “aparência era igual a eu e tu”, como fica esse negócio de Adão e Eva, que segundo a Bíblia foram os primeiros humanos criados por Deus há 6500 anos????
Pelo amor de Deus, me tira essa dúvida da cabeça.

Comentar por franco

Olá franco,

“Mas espera um pouco; se o homem de Neandertal tem mais de 300.000 anos […] como fica esse negócio de Adão e Eva, que segundo a Bíblia foram os primeiros humanos criados por Deus há 6500 anos????
Pelo amor de Deus, me tira essa dúvida da cabeça.”

Tranquilo franco, eu tiro. O homem neandertal não tem mais de 300.000 anos. Tu deverias antes dizer: “os evolucionistas acham que o homem de neandertal tem mais de 300.000 anos. Espero que tenhas ficado esclarecido.

Comentar por alogicadosabino

Sabinão, você está me deixando confuso da cabeça aos pés.
Afinal, há quantos anos o homem de Neandertal existe sobre a Terra? Mais ou menos de 6500 anos.
Ele era humano ou não?
Abraços.
Franco

Comentar por franco

Sabino, você está fugindo da raia? Me diz aí, afinal há quantos anos o homem existe sobre a Terra? Devemos confiar na Bíblia, que diz que faz 6500 anos, ou na ciência que, segundo você mesmo, que postou o artigo, dizendo que “os evolucionistas não se cansam de apanhar”, que afirma que o homem existe há centenas de milhares de anos?
Me parece que você ficou sem saída amigão.
Aguardo manifestação.

Comentar por franco

Hum, mas que coerência interessante. Parece-me que temos “esse desaparecimento há 30000 anos” tão “documentado por testemunhas oculares e tudo” quanto o facto de Neandertais terem tido relações sexuais com humanos.

Mas força com isso, amigo. Com isto eu, pelo menos, não me importo de apanhar. Se a argumentação se mantiver por este nível, podemos deixar a refutação ao cargo dos Neandertais. Até mortos eles ripostam melhor😉

Comentar por PP

Olá PP,

“Se a argumentação se mantiver por este nível, podemos deixar a refutação ao cargo dos Neandertais. Até mortos eles ripostam melhor”

Lá isso é verdade. Mesmo mortos, os neandertais têm refutado de forma a brilhante a asseveração evolucionista de que eles eram broncos primitivos (evolucionista informado já não deve dizer isto).

Comentar por alogicadosabino

Marcos,

Para além das boutades, o Marcos não quer explicar por que é que considera que uma parte é fiável e a outra não, sabendo-se que nem uma nem outra nasceram da observação directa? Venha de lá essa honestidade😉

Comentar por PP

Hum, mas isto é uma autêntica mina. Ora vejam bem.

No texto do Telegraph lê-se que «”What I’m really interested in is, did we have children back then and did those children contribute to our variation today?” he said in an article in The Sunday Times.»

Mas o Marcos Sabino é mais peremptório do que o próprio autor do estudo. Para ele, “os homens modernos tiveram relações sexuais com os chamados neandertais, tendo inclusive gerado descendentes vivos”.

Espero que o problema seja do inglês. É que se não for…

Comentar por PP

Ainda mais genial: o artigo não está disponível. Mas mesmo assim o Marcos Sabino consegue perceber que partes são credíveis e que partes são falcatruas. É o chamado método do adepto de futebol: ainda não viu a repetição e já está a espumar da boca: “Penalty”.

É isso aí, Marcos. A evangelização não pode parar.

Comentar por PP


Ena! Olha o artigo completo! Aposto que agora vai toda a gente começar a analisar todos aqueles detalhes, não é?
😎

Comentar por leandro ribeiro

Quem tiver vontade… só não digam que não está disponível.

Comentar por JoanaPaz

Mesmo que a mutações e seleção natural gerassem órgãos novos a evolução se esbarra num problema: “As vantagens seletivas só ocorrem num estado de desenvolvimento completo: fases intermediárias não têm nenhum valor biologicamente, sendo eliminadas pela atuação da seleção estabilizadora”. Esta afirmação, consta em livros textos evolucionistas, de acordo com Adauto Lourenço em seu DVD “Criação ou Evolução”. O site Lepanto troca em miúdos dizendo que um ente intermediário entre peixes e anfíbios não sobreviveria pois não teria nem nadadeiras nem patas bem formadas portanto não pode nem nadar nem saltar. Os Órgãos em formação são inúteis ao ser vivo,e a seleção natural só favorece os plenamentes aptos. Evolução darwiniana implica em surgimento gradual de estruturas.
Quanto aos fósseis não apresentam elos entre as espécies. Em todos os níveis da chamada coluna geológica surgem espécies completas e complexas, sem ancestrais intermediários.Não procede a justificativa que o número de fósseis não é sufieciente tendo em vista o grande quantitativo achado. O artigo “No Princípio: Evidências da Criação e do Dilúvio” diz que o cientista Stephen Gould propôs a teoria do “Equilíbrio Pontuado” na qual a evolução ocorreria aos “saltos” ou seja súbita e rapidamente surgiriam espécies a partir de outras depois de um longo período sem mudanças siginificativas. Tal hipótese, o artigo continua dizendo, não foi comprovada, muito menos explicada como ocorre. Os genticista se chocaram pois esta proposta é contrária as leis da genética. Pode-se notar uma atitude desesperada de Gould de salvar a teoria da evolução frente as evidências contrárias da paleontologia.
Tudo isto faz da evolução não improvável mas impossível.
Volto a repetir:Tanto criacionismo como evolucionismo são crenças. Mas frente as evidências científicas é preciso mais fé para ser evolucionista do que criacionista.

José David Filho

Comentar por José David Filho

Mesmo que a mutações e seleção natural gerassem órgãos novos a evolução se esbarra num problema: “As vantagens seletivas só ocorrem num estado de desenvolvimento completo: fases intermediárias não têm nenhum valor biologicamente, sendo eliminadas pela atuação da seleção estabilizadora”.

Não existem fases intermediárias em biologia e “estado de desenvolvimento completo”. TODOS os seres vivos são intermediários. Vá estudar biologia antes de falar besteira

Esta afirmação, consta em livros textos evolucionistas, de acordo com Adauto Lourenço em seu DVD “Criação ou Evolução”.

1) Adauto Lourenço é Físico e não Biólogo.
2) Ele é formado na Bob Jones University. Uma universidade fundamentalista cristã [Super isenta não ? ] que no passado não aceitava nem negros.
3) Links onde Adauto é refutado:


O site Lepanto troca em miúdos dizendo que um ente intermediário entre peixes e anfíbios não sobreviveria pois não teria nem nadadeiras nem patas bem formadas portanto não pode nem nadar nem saltar.

Você poderia postar as fontes para facilitar o debate?
Por acaso o site é este?
http://www.lepanto.com.br ????
Se for é bem curioso, pois é um site católico. O próprio Vaticano aceita a teoria da evolução das espécies.

Neste site eles falam sobre as aparições de Nossa Senhora. Posso confiar nisso também???? 🙂.

Os Órgãos em formação são inúteis ao ser vivo,e a seleção natural só favorece os plenamentes aptos.
Evolução darwiniana implica em surgimento gradual de estruturas.
Quanto aos fósseis não apresentam elos entre as espécies. Em todos os níveis da chamada coluna geológica surgem espécies completas e complexas, sem ancestrais intermediários.

Aqui tem uma lista deles. Divirta-se:
http://www.holysmoke.org/tran-icr.htm

Não procede a justificativa que o número de fósseis não é sufieciente tendo em vista o grande quantitativo achado.
Concordo aqui . A quantidade de fósseis já é suficiente para provar a evolução das espécies.

O artigo “No Princípio: Evidências da Criação e do Dilúvio”
diz que o cientista Stephen Gould propôs a teoria do “Equilíbrio Pontuado” na qual a evolução ocorreria aos “saltos” ou seja súbita e rapidamente surgiriam espécies a partir de outras depois de um longo período sem mudanças siginificativas. Tal hipótese, o artigo continua dizendo, não foi comprovada, muito menos explicada como ocorre. Os genticista se chocaram pois esta proposta é contrária as leis da genética.
Eu concordo. Na minha visão, o equilíbrio pontuado é um erro.
A grande maioria dos biólogos não aceitam o equilíbrio pontuado.

http://super.abril.com.br/ciencia/biologo-stephen-jay-gould-detetive-evolucao-444431.shtml

Pode-se notar uma atitude desesperada de Gould de salvar a teoria da evolução frente as evidências contrárias da paleontologia.
Tudo isto faz da evolução não improvável mas impossível.

Não confunda a tese frustrada de Gould sobre o equilíbrio pontuado com a Teoria da Evolução das Espécies. Nem os próprios biólogos levam a sério Gould.

Pode postar as fontes de tais evidências da paleontologia contráriam a evolução?
Ao contrário, a paleontologia, a cada descoberta prova que a Terra não tem 6000 anos. Dá uma olhada nas datações da Science que deu origem a este artigo🙂

Volto a repetir:Tanto criacionismo como evolucionismo são crenças.
Mas frente as evidências científicas é preciso mais fé para ser evolucionista do que criacionista.

Biologia é uma ciência altamente complexa. Problemas encontrados a cada descoberta fóssil só vem ampliar o conhecimento atual. NENHUMA descoberta até hoje inviabilizou a Teoria da Evolução das espécies.
Os modernos exames de DNA só vem a confirmar que as espécies tem ligações genéticas.

No entanto, não existe nenhuma evidência do criacionismo, muito menos uma teoria ciêntificamente consistente que consiga explicar a variedade de espécies no planeta Terra, desta forma, o criacionismo é o único que necessita de fé

Comentar por Alexandro

Mesmo que a mutações e seleção natural gerassem órgãos novos a evolução se esbarra num problema: “As vantagens seletivas só ocorrem num estado de desenvolvimento completo: fases intermediárias não têm nenhum valor biologicamente, sendo eliminadas pela atuação da seleção estabilizadora”.

“Não existem fases intermediárias em biologia e “estado de desenvolvimento completo”. TODOS os seres vivos são intermediários. Vá estudar biologia antes de falar besteira.”
Em primeiro lugar isto é uma maneira grosseira de expressar. Eu li o assunto,não sou ignorante,opinei de forma respeitosa, sem ofender. Exijo que a réplica seja também em alto nível.
Sendo assim apresente provas científicas de órgãos novos surgindo a partir de mutações, seja por observação ou por experiência de laboratório. Apresente também provas fósseis de espécies intermediárias entre por exemplo reptéis e aves. Não listas com grandes intervalos entre uma espécie e outra. Só elos perdidos cujo espaço é preenchido por imaginação,tendo em vista que a idéia de Gould foi rejeitada pela ciência. Já que há fosséis intermediários por que Gould teve necessidade de criar uma hipótese tão contrária a genética? Isto não é desespero?
“1) Adauto Lourenço é Físico e não Biólogo.
2) Ele é formado na Bob Jones University. Uma universidade fundamentalista cristã [Super isenta não ? ] que no passado não aceitava nem negros.
“Você poderia postar as fontes para facilitar o debate?
Por acaso o site é este?
http://www.lepanto.com.br ????
Se for é bem curioso, pois é um site católico. O próprio Vaticano aceita a teoria da evolução das espécies.”
Pode ser até um fanático religioso mas se o que for dito tiver fundamentação científica é válido. Fé não é sinônimo de ignorãncia nem ateísmo sabedoria. Grandes cientistas como Newton, Kepler, Pasteur eram profundamente crentes.

Comentar por Jose David Filho

Em primeiro lugar isto é uma maneira grosseira de expressar. Eu li o assunto,não sou ignorante,opinei de forma respeitosa, sem ofender. Exijo que a réplica seja também em alto nível.
Desculpe, mas você é ignorante sim NESTE assunto. Pelo simples fato de usar o termo “fases intermediárias” já mostra que você não conhece a Teoria da Evolução. Eu espero que você vá estudar primeiro o assunto antes de fazer críticas.

Sendo assim apresente provas científicas de órgãos novos surgindo a partir de mutações, seja por observação ou por experiência de laboratório.
Com muito prazer🙂
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u580751.shtml

Apresente também provas fósseis de espécies intermediárias entre por exemplo reptéis e aves. Não listas com grandes intervalos entre uma espécie e outra.
Eu já te passei a lista. Cabe agora a você refutar.

Só elos perdidos cujo espaço é preenchido por imaginação,tendo em vista que a idéia de Gould foi rejeitada pela ciência. Já que há fosséis intermediários por que Gould teve necessidade de criar uma hipótese tão contrária a genética? Isto não é desespero?
Como eu te falei acima, Gould não é respeitado nem pelos próprios biólogos.

Pode ser até um fanático religioso mas se o que for dito tiver fundamentação científica é válido. Fé não é sinônimo de ignorãncia nem ateísmo sabedoria. Grandes cientistas como Newton, Kepler, Pasteur eram profundamente crentes
Concordo que ter fé não é sinônimo de ignorância, eu mesmo não sou ateu.
Você precisa colocar as fontes das suas conclusões. Gostaria de ver, por exemplo, quais geneticistas ficaram chocados.

Comentar por Alexandro

A “Prova” de que o Alexandre fala é de cientistas que Devolveram barbatanas a um peixe. Ou seja, o código genético que cuidava da formação desta estrutura já existia, estando apenas inativo.

Mais uma vez o evolucionista falha por mau-caratismo (em outras palavras, tentando vender gato por lebre) ou até mesmo falta de conhecimento. Mas já estamos acostumados…

Comentar por MVR

*Alexandro*

Comentar por MVR

MRV,

É facil falar que o Criacionismo aceita as Microevoluções, agora que está provado não é?

Mas só estamos falando isso porque Darwin teve coragem lá atrás, e os “evolucionistas” vem estudando desde aquele momento até agora.

Você deveria ter vergonha na cara de chamar de mau caratismo, uma vez que muitos tratamentos médicos de hoje sairam de pesquisas da TE.

Não se esqueça que muitos cristãos estudam e apoiam a TE. Meu caso.

Comentar por Alexandro

Alexandro Maio!

Aqui está uma palestra do Biologista Molecular Dr Paul Nelson,e seus estudos estão em Biologia do Desenvolvimento onde ele mostra a impossibilidade da formação de novos planos corpóreos através de mutações.Aproveite e mude de paradigma.

Comentar por jonas

Hoje li esta frase:

«Surprises in science are the best results you can get. Nothing makes scientists happier than having to turn their pencils around and use the other end.»

É a última frase deste artigo.

O problema de muito boa gente é pensar que a ciência tem de apresentar modelos completos e infalíveis à primeira – ou à segunda, ou à terceira, etc. Mais que isso: o problema de muito boa gente é pensar que a ciência tem de apresentar modelos completos e infalíveis em algum instante. Essa boa gente desata a guinchar sempre que uma nova observação vem obrigar os cientistas a “usar o outro lado do lápis”; gritam coisas como “Estão a ver? Errados outra vez!” Numa quase infantil ignorância, vêm isso como uma fraqueza (se os números estão sempre a mudar, então isto não é de fiar), quando é exactamente o seu músculo.

É, claro, muito melhor ter um modelo imutável e inatacável e não pensar mais no assunto – é mais confortável, principalmente quando assenta numa descrição suficientemente vaga da realidade que a possamos adaptar ao que quisermos quando quisermos. Essa descrição fala do Sol andar à volta da Terra?, sim, mas hoje já percebemos que é uma passagem poética; essa descrição fala que a morte entrou no mundo com o pecado do Homem?, sim, mas a morte dos animais, porque a morte das plantas sempre existiu (dizem uns), sim, a morte de todos, animais e plantas (dizem outros), sim, mas apenas a morte do Homem (dizem ainda outros). Com ginástica suficiente, podemos tirar coelhos, pardais e girafas da cartola. Isto é bom, isto é confortável, isto não me confronta com a dúvida.

Pergunto-me, Sabino: alguma vez tu – ou muitos dos que aqui andam – ficaste ansioso com a possibilidade de não teres razão? Não me parece. Ou mesmo que o tenhas feito na juventude, não me parece que o faças agora; ou estou enganado?

É exactamente por isso que nunca vos darei qualquer crédito, porque, como o disse alguém de quem não me recordo (cito de cor, portanto): confio nos que procuram a verdade, desconfio de todos os que a encontram.

Se não sois dignos de crédito e sois tão disparatados em tantas vezes, resta-me gozar-vos.
😎

Um bom resto de semana.

Comentar por leandro ribeiro

O posicionamento contemporâneo é o relativismo onde a verdade é dependente da ótica particular.O interessante é que quando evidências conduzem a “caminhos” proibidos pela cosmivisão vigente,rápidamente se saí da “acomodação” do relativismo para se assumir um posicionamento “ortodoxo” em defesa do paradigma(naturalismo).Fala-se com tom de “ciência” do processo imaginário da evolução(,descendência comum,ancestrais humanos) e depois são os criacionistas que não são dignos de crédito.En ciência cada vez a verdade de hoje é a mentira do amanhã,se até a “intocável” velocidade da luz está a se observar temerária pelas descobertas de radiações supraluminares,quanto mais as especulações evolucionárias..O “atoleiro” da evolução está cada vez maior com a revolução da biologia molecular,microbiologica e a genomônica.O universo é informação e não discursos delirantes recheados de malabarismos semânticos como a teoria da evolução.A informação complexa e especificada é a essência do “todo”,e esta não tem um “pai” naturalista.Quem viver verá.

Comentar por jonas

«En ciência cada vez a verdade de hoje é a mentira do amanhã,se até a “intocável” velocidade da luz está a se observar temerária pelas descobertas de radiações supraluminares,quanto mais as especulações evolucionárias.»
(…)
«Quem viver verá.»

Parabéns: de uma assentada tu conseguiste 1) repetir a lenga-lenga da verdade científica que é feia porque está sempre mudar e 2) apresentar-te como um homem que encontrou a verdade! Não consigo imaginar melhor 1ª resposta ao meu texto!

Obrigado :’)

Ps.: quanto a malabarismos semânticos, curte-me lá esta citação:

«O posicionamento contemporâneo é o relativismo onde a verdade é dependente da ótica particular.O interessante é que quando evidências conduzem a “caminhos” proibidos pela cosmivisão vigente,rápidamente se saí da “acomodação” do relativismo para se assumir um posicionamento “ortodoxo” em defesa do paradigma(naturalismo)»

Não é lindo? Tem a dose certa de aspas e termos fofinhos para ser confundido com algo muito complexo :’)

Comentar por leandro ribeiro

Leandro!
è dificil para um relativista como você chegar a lugar algum,pois sempre estará procurando um não sei o que em lugar algum.Esta tua posição de arrogância é só retórica vazia sem argumentação epistêmica.Leia atentamente o que escrevi e verás que é a tua cara.A ciência sempre estará a mercê do incognicível e portanto mudando teorias e conceitos e isto é será sempre assim.Se isto te incomoda procure aprofundar os teus conceitos,e quem sabe tirarás proveito dos teus estudos.

Comentar por jonas

__________
Off:

Debate no facebook do programa da RTP2 “Sociedade Civil”, sobre ‘Porque acreditamos e Deus?’

http://www.facebook.com/profile.php?id=100000632360955&v=wall&story_fbid=118766694824239

Interessante!😉
__________

Comentar por JoanaPaz

Sabino, a ciência nos mostra que o homem de neandertal tinha sim o aspecto diferente dos humanos atuais. Não eram como hoje, pois andavam mais curvados para frente e eram bem peludos bem parecidos como um macaco.
A talvez 40 ou 50 mil anos atrás é que ele começou a andar ereto, como hoje.
Promove-me o contrário usando apenas a ciência.

Comentar por márcia

Caro amigo Sabino, estou aguardando uma resposta.

Comentar por márcia

Olá,

“Não há rastro algum de uma suposta miscigenação”, resumem os autores do estudo.
Junho de 2006

“De 1% a 4% do genoma humano (2% de seus genes) provêm do homem de Neanderthal…”
Maio de 2010

A ciência está em constante evolução, é um erro dogmatizá-la.

É fundamental termos uma visão correta e madura sobre a ciência e suas limitações para não estagná-la e para não afastarmos as pessoas dela, por quaisquer que sejam suas convicções.

Vou além: se a ciência fosse apresentada da maneira correta, então uma gama muito maior de pessoas iriam querer trabalharem por ela.

[ Quem compreender as razões do que escreví acima, também vai perceber a importância da TDI. ]

Forte abraço.

Comentar por nilo

Transcrição (em inglês)das notas de uma apresentação atribuída a Brad Harrub (Ph.D. Anatomy and Neurobiology) and Bert Thompson (Ph.D. Microbiology), autores de “The Truth About Human Origins”

Texto interessante de ler porque resumido e por dar uma “geral” nas alegações evolucionistas. (tenho o livro em pdf, que me pareceu excelente, apesar de ter lido só partes dele).

http://www.slideshare.net/whittumjd/facts-about-apemen

Comentar por Darcy

Obrigado.

Comentar por nilo

Leandro Ribeiro,

O problema de muito boa gente é pensar que a ciência tem de apresentar modelos completos e infalíveis à primeira – ou à segunda, ou à terceira, etc.

Strawman will take you nowhere, young man.

Sabes bem que não é isso que nós pensamos sobre a ciência. O que nós dizemos é que a teoria da evolução recebe pancada atrás de pancada, mas “por milagre”, ela sempre consegue resistir.

Até parece que a teoria é imune aos dados científicos contraditórios.

É isso, Leandro Ribeiro?

Comentar por Mats

Mats, meu amor, qual foi a última vez que utilizaste “the pencil’s other end” na tua visão do mundo?🙂

Comentar por leandro ribeiro

Leandro Ribeiro

Mats, meu amor, qual foi a última vez que utilizaste “the pencil’s other end” na tua visão do mundo?

Provavelmente querias dizer “quando” e não “qual”, mas eu entendo.

Bem, de facto houve crenças que eu tive que eu pensava que eram Bíblicas mas que, após esclarecimento, vim a saber que não eram. A diferença é que no que toca à teoria da evolução não é a interpretação pessoal que está errada (ou imune às evidências) mas sim a própria teoria.
Eu não digo que a teoria da evolução está errada porque contradiz o que Dawkins diz. Eu digo que ela está errada devido ao que ela diz e ao que a ciência tem vindo a mostrar.

Repara:
1. A minha interpretação da algo Bíblico estava errada, mas a Bíblia estava certa.

2. A interpretação de Dawkins está errada e a teoria em si também.

Vês a diferença?

Comentar por Mats

Mats,

Qual parte da teoria da evolução você considera que está errada?

Comentar por Alexandro

“Obrigado.”
De nada, Nilo. O link do livro:

http://www.apologeticspress.org/pdfs/e-books_pdf/taho.pdf

Comentar por Darcy

Sabino,

Será que, agora, “Homo Sapiens Neanderthalensis” não seria uma classificação melhor do que apenas “Homo Neanderthalensis”?
[Welcome to the family, Homo sapiens neanderthalensis]

Interessante a conclusão do Dr Pääbo:
…”Eu os veria como uma forma de humano”, disse ele, referindo-se aos neandertais. “Um pouco mais diferentes de nós do que as pessoas são diferentes umas das outras hoje, mas não muito“…
[Em português aqui]

Abraço.

Comentar por nilo

«Repara:
1. A minha interpretação da algo Bíblico estava errada, mas a Bíblia estava certa.
»

I rest my case😎

Comentar por leandro ribeiro

Sabino:

Os Homens já tiveram relações sexuais com cães, cadelas, cavalos, éguas, porcas, etc… (grande descoberta), com uma mior compatibilidade do DNA teriam deixado descendentes também.(O ser humano não perdoa nada, vai perdoar Neandertais?)

Comentar por Clayton Luciano

Oi Luciano,

É verdade, homens fazem coisas até sozinhos…

Mas veja:

Espécie é o conjunto de indivíduos semelhantes que podem cruzar-se entre si, gerando descendentes férteis.
[Os seres vivos]

Nós temos um “pé” neandertal, não equino.

Embora, no fundo, somos feitos todos das mesmas componentes químicas.

Abraço.

Comentar por nilo

Alexandre,

Qual parte da teoria da evolução você considera que está errada?

A parte que dá poderes criativos às forças da natureza (isto é, a parte que assume que forças não inteligentes sejam capazes de gerar informação codificada).

O grande problema da teoria da evolução é a origem da nova informação genética. Baseados na nossa experiência diária, nós sabemos que informação codificada é SEMPRE o resultado de uma mente. A vida está literalmente cheia de informação codificada. A teoria da evolução erradamente afirma que não é preciso Uma Mente para criar esta informação uma vez que a natureza por si só pode fazer isto.

Esta posição está claramente errada, e isso é o maior problema da teoria.

Comentar por Mats

Mats,

Só para deixar claro, eu acredito em um modelo teísta evolutivo.

“O grande problema da teoria da evolução é a origem da nova informação genética”
Aqui voce quer dizer aqui que a informação genética não pode ser aumentado por um processo natural é isso?

“Baseados na nossa experiência diária, nós sabemos que informação codificada é SEMPRE o resultado de uma mente”
Que experiência diária é esta?🙂

Comentar por Alexandro

Alexandro Maio

“Sendo assim apresente provas científicas de órgãos novos surgindo a partir de mutações, seja por observação ou por experiência de laboratório.
Com muito prazer”
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia
O criacionismo admite que as espécies não são fixas,sofrendo modificações, donde surge novas espécies. Só que a espécie descendente é menos adaptável e perde informação. Os cães são descendentes do lobo. Um lobo pode viver na floresta, um poodle de madame depende do ser humano. Isto é microevolução ou variação (não ultrapassa o limite de gênero e de espécie). Mas macroevolução (Por exemplo,celenterado transformar-se em mamífero) exige criacão de estruturas novas (tireóide, pâncreas,fígado,etc). Isto implica em acréscimo de informação não existente. No exemplo apresentado no artigo, o ancestral tinha o órgão, este foi deletado, depois por mutação artificial, voltou a ter. Neste caso um gene X (que controla a gênese e função de determinado órgão) converteu-se em Y,o ser vivo deixou de ter aquele órgão, devido a reversão do Y para X, o órgão reaparece. Sinto muito, mas isto não é macroevolução. Reverteu uma deleção. Recuperou o que foi perdido. Voltou ao que era antes. Eu gostaria de um exemplo de mutante, cujo ancestral não tinha determinado órgão, portanto não tinha gene para aquela estrutura, por mutação surge um novo gen e daí aparece novo órgão.Deste modo a macroevolução darwiniana é possível.
Quanto ao cientista Gould era defensor árduo do evolucionismo,com este fim citava até a bíblia. Ele criou a teoria do equilíbrio pontuado porque os fósseis tinham lacunas entre as espécie ancestrais e descendentes,isto era contrário a previsão de Darwin, tendo em vista a quantidade de fósseis achados. Portanto fez isto numa tentativa de defender a evolução. Só que sua hipótese se mostrou impossível, por isso caiu em descrédito pela comunidade científica.
Respeitosamente aconselho-o também a ler a literatura criacionista, antes de taxar de “besteira”. Independente de crenças,os criacionistas fundamentam cientificamente suas afirmações.Os raciocínios são lógicos e coerentes. Mas antes, é preciso se despojar dos preconceitos, depois da leitura, podes continuar com tuas convicções de fé sejam quais forem.
Quanto a lista das espécies por ti apresentada lerei com mais calma.
Sendo de forma respeitosa, gostaria de continuar a trocar idéias contigo. Agradeço-te os artigos que apresentastes.

José David Filho

Comentar por José David Filho

José,

O criacionismo admite que as espécies não são fixas,sofrendo modificações, donde surge novas espécies.
Na verdade José, a unica coisa que basicamente “nos divide” é a escala de tempo.
O criacionismo da tj para ser verdadeiro, precisa provar que o mundo surgiu em aproximadamente 6000 anos. Você pode provar isso?

Só que a espécie descendente é menos adaptável e perde informação.
Isso vai contra a lógica. A mutação que um grupo sofreu permitiu a este grupo se adaptar melhor ao meio em que vive e não ficar menos adaptável.

Os cães são descendentes do lobo. Um lobo pode viver na floresta, um poodle de madame depende do ser humano. Isto é microevolução ou variação (não ultrapassa o limite de gênero e de espécie). Mas macroevolução (Por exemplo,celenterado transformar-se em mamífero) exige criacão de estruturas novas (tireóide, pâncreas,fígado,etc).
Olha o que disse a Professora e Criacinipsta Márcia Oliveira de Paula, Doutora em Microbiologia pela USP:

“Macroevolução:
1 – Os criacionistas empregam mal este termo, com o significado de qualquer mudança nas espécies que parece grande demais para ser plausível. Isso é muito impreciso e não é o significado costumeiro.
2 – Este termo é definido como mudança nas espécies que levam à produção de novos gêneros ou categorias superiores. Este é, provavelmente, o significado usual para o mundo. Para o nosso propósito, ele é um pouco insatisfatório, porque focaliza mais na modificação das estruturas morfológicas do que nas suas origens. ”

Pode confirmar no Google a veracidade. Como eu vou colocar outros links, preciso economizar, se não vou para o spam de novo🙂

Isto implica em acréscimo de informação não existente.
E desde quando acréscimo de informação genética é um problema? Por favor, mostre PESQUISAS que confirmam que isso é impossível acontecer por processos naturais.

No exemplo apresentado no artigo, o ancestral tinha o órgão, este foi deletado, depois por mutação artificial, voltou a ter. Neste caso um gene X (que controla a gênese e função de determinado órgão) converteu-se em Y,o ser vivo deixou de ter aquele órgão, devido a reversão do Y para X, o órgão reaparece. Sinto muito, mas isto não é macroevolução. Reverteu uma deleção. Recuperou o que foi perdido. Voltou ao que era antes. Eu gostaria de um exemplo de mutante, cujo ancestral não tinha determinado órgão, portanto não tinha gene para aquela estrutura, por mutação surge um novo gen e daí aparece novo órgão.Deste modo a macroevolução darwiniana é possível.
Macroevolução não existe como um processo natural em biologia. Repare que nem a Dra. Márcia concorda com o uso deste termo.

Mas se você quer mais exemplos, não tem problema… Isso é coisa que não falta🙂

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1540844-5603,00.html

Quanto ao cientista Gould era defensor árduo do evolucionismo,com este fim citava até a bíblia. Ele criou a teoria do equilíbrio pontuado porque os fósseis tinham lacunas entre as espécie ancestrais e descendentes,isto era contrário a previsão de Darwin, tendo em vista a quantidade de fósseis achados. Portanto fez isto numa tentativa de defender a evolução. Só que sua hipótese se mostrou impossível, por isso caiu em descrédito pela comunidade científica.
E?

Respeitosamente aconselho-o também a ler a literatura criacionista, antes de taxar de “besteira”.
Eu não disse que a literatura criacionista era besteira. Eu disse que você disse besteira ao usar termos como “estado de desenvolvimento completo”.
Este simples termo mostra que você não compreendeu a Teoria da Evolução.

Independente de crenças,os criacionistas fundamentam cientificamente suas afirmações.Os raciocínios são lógicos e coerentes.
O termo científico não pode ser aplicado.

Vou usar de novo a Dra. Márcia Oliveira de Paula:

“Particularmente eu não gosto muito do termo ciência criacionista ou criacionismo científico. A teoria da evolução é baseada na filosofia do naturalismo e não considera qualquer hipótese que envolva a intervenção divina na história do universo. O naturalismo passou a fazer parte da ciência atual. Assim, a ciência tenta explicar todos os fenômenos com base em processos naturais. Como o criacionismo aceita a presença do sobrenatural, ele não poderia ser denominado “científico”, de acordo com a definição da ciência moderna.”

Fonte: http://www.evo.bio.br/layout/drmarcia2.html

Mas antes, é preciso se despojar dos preconceitos, depois da leitura, podes continuar com tuas convicções de fé sejam quais forem.
Como você já deve ter reparado, eu já estudei bastante o assunto.

Quanto a lista das espécies por ti apresentada lerei com mais calma.
Sem problemas.

Sendo de forma respeitosa, gostaria de continuar a trocar idéias contigo. Agradeço-te os artigos que apresentastes.
Eu não sei de que lugar você é, mas pelo menos aqui no meu lugar falar que alguem disse besteira não é ofensivo. Vou tentar usar o termo equívoco doravante ok?

Comentar por Alexandro

José,

O criacionismo admite que as espécies não são fixas,sofrendo modificações, donde surge novas espécies.

Na verdade José, a unica coisa que basicamente “nos divide” é a escala de tempo.
O criacionismo da tj para ser verdadeiro, precisa provar que o mundo surgiu em aproximadamente 6000 anos. Você pode provar isso?

Só que a espécie descendente é menos adaptável e perde informação.
Isso vai contra a lógica. A mutação que um grupo sofreu permitiu a este grupo se adaptar melhor ao meio em que vive e não ficar menos adaptável.

Comentar por Alexandro

José

Os cães são descendentes do lobo. Um lobo pode viver na floresta, um poodle de madame depende do ser humano. Isto é microevolução ou variação (não ultrapassa o limite de gênero e de espécie). Mas macroevolução (Por exemplo,celenterado transformar-se em mamífero) exige criacão de estruturas novas (tireóide, pâncreas,fígado,etc).

Olha o que disse a Professora e Criacinipsta Márcia Oliveira de Paula, Doutora em Microbiologia pela USP:

“Macroevolução:

1 – Os criacionistas empregam mal este termo, com o significado de qualquer mudança nas espécies que parece grande demais para ser plausível. Isso é muito impreciso e não é o significado costumeiro.

2 – Este termo é definido como mudança nas espécies que levam à produção de novos gêneros ou categorias superiores. Este é, provavelmente, o significado usual para o mundo. Para o nosso propósito, ele é um pouco insatisfatório, porque focaliza mais na modificação das estruturas morfológicas do que nas suas origens. ”

Pode confirmar no Google a veracidade. Como eu vou colocar outros links, preciso economizar, se não vou para o spam de novo🙂

Comentar por Alexandro

A técnica do Alexandre é o escárnio.

Notem que ele não cita “Criacionistas” mas sim “CriacInistas”, com o intuito de promover tumulto.

Além de tentar aplicar a técnica “prove isso”, para então escusar-se de provar a sua própria parte.

Para desmascará-lo basta pedir a prova de que o mundo surgiu há bilhões de anos, e, quando ele apresentar, apresentar os diamantes do Zaire e a prova de que a datação radiométrica dá valores reais, visto que não é medição de tempo.

Comentar por MVR

MVR,

Não confunda erro de digitação tentativa de escárnio.

Podemos calcular a idade do Sol, analisando a quantidade de Hidrogênio e Hélio e isso dá aproximadamente 5 bilhões de anos. Como você refuta isso?

Comentar por Alexandro

José,

Isto implica em acréscimo de informação não existente.
E desde quando acréscimo de informação genética é um problema? Por favor, mostre PESQUISAS que confirmam que isso é impossível de acontecer por processos naturais.

No exemplo apresentado no artigo, o ancestral tinha o órgão, este foi deletado, depois por mutação artificial, voltou a ter. Neste caso um gene X (que controla a gênese e função de determinado órgão) converteu-se em Y,o ser vivo deixou de ter aquele órgão, devido a reversão do Y para X, o órgão reaparece. Sinto muito, mas isto não é macroevolução. Reverteu uma deleção. Recuperou o que foi perdido. Voltou ao que era antes. Eu gostaria de um exemplo de mutante, cujo ancestral não tinha determinado órgão, portanto não tinha gene para aquela estrutura, por mutação surge um novo gen e daí aparece novo órgão.Deste modo a macroevolução darwiniana é possível.

Macroevolução não existe como um processo natural em biologia. Repare que nem a Dra. Márcia concorda com este termo.

Mas se você quer mais exemplos, não tem problema… Isso é coisa que não falta🙂

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1540844-5603,00.html

Quanto ao cientista Gould era defensor árduo do evolucionismo,com este fim citava até a bíblia. Ele criou a teoria do equilíbrio pontuado porque os fósseis tinham lacunas entre as espécie ancestrais e descendentes,isto era contrário a previsão de Darwin, tendo em vista a quantidade de fósseis achados. Portanto fez isto numa tentativa de defender a evolução. Só que sua hipótese se mostrou impossível, por isso caiu em descrédito pela comunidade científica.
E?

Comentar por Alexandro

José,

Respeitosamente aconselho-o também a ler a literatura criacionista, antes de taxar de “besteira”.
Eu não disse que a literatura criacionista era besteira. Eu disse que você disse besteira ao usar termos como “estado de desenvolvimento completo”.

Este simples termo mostra que você não compreendeu a Teoria da Evolução.

Independente de crenças,os criacionistas fundamentam cientificamente suas afirmações.Os raciocínios são lógicos e coerentes.
O termo científico não pode ser aplicado.

Vou usar de novo a Dra. Márcia Oliveira de Paula:

“Particularmente eu não gosto muito do termo ciência criacionista ou criacionismo científico. A teoria da evolução é baseada na filosofia do naturalismo e não considera qualquer hipótese que envolva a intervenção divina na história do universo. O naturalismo passou a fazer parte da ciência atual. Assim, a ciência tenta explicar todos os fenômenos com base em processos naturais. Como o criacionismo aceita a presença do sobrenatural, ele não poderia ser denominado “científico”, de acordo com a definição da ciência moderna.”

Fonte: http://www.evo.bio.br/layout/drmarcia2.html

Comentar por Alexandro

José,

Mas antes, é preciso se despojar dos preconceitos, depois da leitura, podes continuar com tuas convicções de fé sejam quais forem.
Como você já deve ter reparado, eu já estudei bastante o assunto.

Quanto a lista das espécies por ti apresentada lerei com mais calma.
Sem problemas.

Sendo de forma respeitosa, gostaria de continuar a trocar idéias contigo. Agradeço-te os artigos que apresentastes.
Eu não sei de que lugar você é, mas pelo menos aqui no meu lugar falar que alguem disse besteira não é ofensivo. Vou tentar usar o termo equívoco doravante ok?

Comentar por Alexandro

Para quem quiser ver um filme de pessoas sendo queimadas vivcas no haiti, e que segundo os argumentos crentes Deus mandou terremotos por causa disto, é só me mandar um e-mail claytonfreis@yahoo.com.br

minha análise dos argumentos crentes:

Deus ficou com pregiuça de procurar e julgar os verdadeiros culpados e mandou um terremoto: “mata tudo é mais fácil”

Comentar por Clayton Luciano

Alexandro Maio

Atendendo ao seu pedido quero aqui listar as fontes nas quais fundamento minhas conclusões. Realemente muitas destas fontes são ligadas a crença. Mas como já afirmei: Pode ser um fanático religioso, mas se suas palavras estiverem fundamentadas na ciência, o argumento é válido.Quando falamos em origens nos batemos com o sobrenatural e aí entra fé. Não és ateu e certamente reconheces que até o ateu têm fé. Portanto não dá para ser completamente isento. Como cristão evangélico criacionista convicto cito as palvras de hebreus capítulo 11: “A fé é o firme fundamento das coisas que não se vêem e prova das coisas que se esperam, por ela entendemos que pela palavra de Deus os mundos foram criados.” Eis agora as fontes:

“Evolucionismo:A Farsa de Charles Darwin”
http://www.lepanto.com.br/dados/Evolucion.html
(é o site católico)

“No Princípio: “Evidências da Criação e do Dilúvio – parte 026” pibvp.org.br (este artigo fala sobre Gould e o choque dos geneticistas)

DVD “Criação ou Evolução” e livro “Como Tudo Começou” Adauto Lourenço

“Os Gigantes Estão Chegando” you tube -Palestrante Roberto Azevedo

“Evolucionismo Darwinista ou Projeto Inteligente” Augusto Pasquoto
http://www.3pinformatica.com.br/redemptor/…/Evolucionismo1.pdf

designinteligente.blogspot.com

A Caixa Preta de Darwin – Michael Behe

Se te interessar podes pesquisar na internet. O material de Adauto Lourenço pode ser comprado. Se quiseres,podes me informar teu e-mail e eu enviarei os artigos (alguns dele estão gravados em meus arquivos. Serei também grato se me enviares mais artigos sobre evolução.

José David Filho

Comentar por Jose David Filho

José,

Alexandro Maio
Meu sobrenome não é Maio hein? hahaha
Eu já respondi o comentário anterior, mas caiu no SPAM de novo, não sei porque, eu só coloquei 2 links. Vamos precisar da benevolência do Sabino.
Vou quebrar esta resposta em vários blocos.

Atendendo ao seu pedido quero aqui listar as fontes nas quais fundamento minhas conclusões. Realemente muitas destas fontes são ligadas a crença. Mas como já afirmei: Pode ser um fanático religioso, mas se suas palavras estiverem fundamentadas na ciência, o argumento é válido.Quando falamos em origens nos batemos com o sobrenatural e aí entra fé. Não és ateu e certamente reconheces que até o ateu têm fé. Portanto não dá para ser completamente isento. Como cristão evangélico criacionista convicto cito as palvras de hebreus capítulo 11: “A fé é o firme fundamento das coisas que não se vêem e prova das coisas que se esperam, por ela entendemos que pela palavra de Deus os mundos foram criados.” Eis agora as fontes:

“Evolucionismo:A Farsa de Charles Darwin
http://www.lepanto.com.br/dados/Evolucion.html
(é o site católico)

Você mesmo no comentário admitiu que as espécies não são fixas.
A Criacionista Dra.Márcia, que eu citei no comentário anterior, também confirma que a Evolução tem lógica e funciona.
O próprio Vaticano, que rege o catolicismo, aceitou publicamente as teorias de Darvin. Não entendi o posicionamento deles, eles estão mal informados em relação a própria doutrina.

Comentar por Alexandro

José,

“No Princípio: “Evidências da Criação e do Dilúvio – parte 026″ pibvp.org.br (este artigo fala sobre Gould e o choque dos geneticistas)
Custa você passar o link completo?🙂
http://pibvp.org.br/index.php?name=News&file=article&sid=102

Neste artigo também não fala quem são os geneticistas chocados. Só fala isso:
“Muitos geneticistas estão chocados com a proposta de Gould e Eldredge…”.
De qualquer forma, eu concordo com Gould não tem relevância para a Teoria da Evolução. Acho que a gente pode parar de falar nele, pois concordamos.

DVD “Criação ou Evolução” e livro “Como Tudo Começou” Adauto Lourenço
O Adauto Lourenço é Físico e não biólogo. Ele comete muitos equívocos científicos em “Como tudo começou”, inclusive em Física.
Já te passei o link que apresenta as refutações.

Comentar por Alexandro

José,

“Os Gigantes Estão Chegando” you tube -Palestrante Roberto Azevedo
Vou refutar alguns trechos ok?, pois este vídeo abrange muitos temas.

a – O Roberto afirma, utilizando uma pergunta de Asimov, que os animais estão diminuindo com o tempo, e isto é evidencia da vida estar se degenerando.
Ele usa o “baluchiterium” e as libélulas como exemplo. Eu ainda não achei a referência que ele usou de Asimov, mas isso é um equívoco científico.
O tamanho dos animais varia conforme as condições ambientais por ação da seleção natural. As condições ambientais sofreram muitos ciclos de alterações desde a formação da Terra.
Tem um estudo da National Geographic recente que refuta completamente o Roberto, mostrando que o aumento de gás carbônico esta provocando um aumento no tamanho dos crustáceos.

http://blogs.nationalgeographic.com/blogs/news/chiefeditor/2009/12/538-ocean-acidification-causes-shellfish-to-grow.html

b – Ele dá a entender que o dilúvio teria sido responsável por todo o soterramento catastrófico de todos os fósseis do planeta de uma só vez. Só que pelo jeito, ele esqueceu que o seu próprio exemplo, os Pliossauros eram animais marinhos. Eles não sofreriam soterramento nem extinção por ação de um dilúvio.

c – Ele disse que o nosso genoma era perfeito no começo, e temos hoje mais de 5000 doenças genéticas em função da degeneração, e que no futuro vamos achar fósseis para comprovar isso.
Primeiro, gostaria de ter acesso a uma pesquisa que provasse que nenhuma mutação inclui nova informação genética, apenas degeneração.
Segundo, ele não pode basear uma tese em um suposto achado futuro que nem ocorreu ainda. Isso não tem validade científica. Teses tem que ser baseadas em dados existenciais.

Comentar por Alexandro

Não refutou nada, mas se quiseres, podes continuar achando que o fez…

Comentar por MVR

MRV,

Coloca argumento ai, para não virar motivo de piada.

Alegação do Roberto:
Espécies estão diminuindo por ação da degeneração genética.

Pesquisa da National:
Crustáceos estão aumentando de tamanho devido a aumento de gás carbônico.

Manda uma carta para a National dizendo que eles estão enganados sim?

Comentar por Alexandro

José,

“Evolucionismo Darwinista ou Projeto Inteligente” Augusto Pasquoto
http://www.3pinformatica.com.br/redemptor/…/Evolucionismo1.pdf
O Link está errado, o caminho é este:
http://www.3pinformatica.com.br/redemptor/fotos/fotos/admin/imagens/revistas/pdf/Evolucionismo1.pdf

Se você é criacionista da tj me parece que este documento vai contra você:

“No período geológico conhecido como Cambriano, a 500 milhões de anos atrás”…

Comentar por Alexandro

José,

“Evolucionismo Darwinista ou Projeto Inteligente” Augusto Pasquoto
O Link está errado, o caminho é este:
http://www.3pinformatica.com.br/redemptor/fotos/fotos/admin/imagens/revistas/pdf/Evolucionismo1.pdf

Se você é criacionista da tj me parece que este documento vai contra você:

“No período geológico conhecido como Cambriano, a 500 milhões de anos atrás”…

Comentar por Alexandro

Deus, antigamente, era visto por aí, tomando a fresca da tarde, vez em quando vinha à Terra para resolver algumas pendengas, sua voz ribombava dos céus dando recados e fazendo ameaças… Hoje em dia, depois que inventamos as câmeras digitais portáteis, e depois que todo mundo tem uma filmadora conjugada ao seu telemóvel Deus nunca mais deu o ar de sua graça.

Os crentes então, uma vez que Deus parece ter sumido mesmo, têm que confiar no relato de antigos autores dizendo que ele existiu — e existe — porque não têm mais como vê-lo perambulando por aí…

Resultado, o Sabino que encontrá-lo nos locais mais inóspitos como nos erros das teorias científicas… Que tempo bom era aquele em que Deus estava mais, digamos, onipresente.

Comentar por Barros

Alexandro
Em primeiro lugar peço desculpas pelo erro no seu nome e pelos erros dos links. Tudo isto se deveu à inabilidade de manuseio no computador e erro na leitura. Grato pela sua atenção em enviar-me artigos. Mas quanto à notícia que apresentaste, ocorrido na China (criança com polidactilia) lamento informar não responder satisfatoriamente meu questionamento. No exemplo em questão se trata duplicação ou no caso aumento de número do órgão (mais dedos) isto é aceito pelo criacionismo pois é perfeitamente comprovado. Eu gostaria de um exemplo de surgimento ÓRGÃO NOVO ou seja órgão que a espécie não tinha e por mutação apareceu.É deste modo que a assim denominada macroevolução pode ocorrer. Por exemplo para um peixe se converter em anfíbio necessita de que surjam patas que o permitem nadar e saltar. Isto é estrutura NOVA. O ancestral não a possuía,passou a ter. Não simples multiplicação numérica de órgão, já existente na espécie.Portanto o referido fenômeno demanda acréscimo de informação. Se porventura souberes de algum artigo, e puderes me indicar,ou enviar mais uma vez ficarei grato.
Quanto a afirmação de que as mutações não criam órgãos novos se baseia em experiências com a mosca Drosófila que não resultaram nem em gen, nem em enzima, mutio menos órgão novo. Isto consta no DVD de Adauto Lourenço Criação ou Evolução.

Comentar por Jose David Filho

Por razões de espaço quebrei minha resposta. Quanto a afirmação de Dra.Márcia é uma questão de conceito. Design Inteligente afirma que a natureza possui indícios de se baseiar em um projeto inteligente, mas não faz referência de quem se trata. Criacionismo, atribui o projeto a um ser superior. O criacionismo cristão atribui ao Deus da bíblia os atos da criação. O criacionismo não pretende, nem jamias provará cientificamente a existência de Deus pois é impossível. Ele apenas procura demonstrar as evidências de que tudo foi criado.Quem é o criador é questão de fé Acreditar na existência de Deus é uma questão de fé. Como cristão, acredito (Isto é pessoal) que quando Jesus voltar e reinar neste mundo então cumprir-se-á a escritura: “Porque a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor como as águas cobrem o mar” Hc2,14. Estou seguindo a Cristo, anelando este dia. Neste tempo esta discusssão sobre evolução e criacionismo vai acabar, pois o Deus-encarnado (Jesus) em si mesmo têm a resposta que satisfaz a alma.

Comentar por Jose David Filho

Ainda sobre a Dra. márcia em verdade os criacionistas consideram o termo microevolução impróprio, preferindo o termo variação,pois considera que as mutações não aumentam informação genética. Usa-se o termo macroevolução para falar da tranformação de gênero para outro o que neste caso implica surgimento de órgãos novos.Para este último fenômeno eu gostaria que me apresentassem provas, sejam observadas na natureza ou produzidas em ambulatório.
Afora isto,as afirmações de Dra. Márcia são questões de semântica e de conceitos,que não fazem diferença no cerne da questão.

Comentar por José David Filho

José,

Eu usei a Dra. Marcia pois você disse que o Criacionismo é científico. Repare que ela mesma não concorda com isso e nem eu.

Eu não vejo conflito nenhum entre Deus e a Teoria da Evolução. Para mim Deus usou o processo evolutivo conforme as evidências que podemos observar.

Comentar por Alexandro

José,

Mas quanto à notícia que apresentaste, ocorrido na China (criança com polidactilia) lamento informar não responder satisfatoriamente meu questionamento. No exemplo em questão se trata duplicação ou no caso aumento de número do órgão (mais dedos) isto é aceito pelo criacionismo pois é perfeitamente comprovado.
Antes de te dar outro exemplo, eu quero que você me explique dentro da genética, porque este exemplo não te serve? Eu aproveito e deixo para o próximo exemplo o que refuta o Adauto completamente hehe. Assim eu mato dois coelhos.

Eu gostaria de um exemplo de surgimento ÓRGÃO NOVO ou seja órgão que a espécie não tinha e por mutação apareceu.É deste modo que a assim denominada macroevolução pode ocorrer. Por exemplo para um peixe se converter em anfíbio necessita de que surjam patas que o permitem nadar e saltar. Isto é estrutura NOVA. O ancestral não a possuía,passou a ter. Não simples multiplicação numérica de órgão, já existente na espécie.Portanto o referido fenômeno demanda acréscimo de informação. Se porventura souberes de algum artigo, e puderes me indicar,ou enviar mais uma vez ficarei grato.
José, Macroevolução leva a um erro conceitual em Biologia.Espero que você entenda isso e eu não gostaria de ter que escrever sobre isso de novo.

A Teoria da Evolução é apoiada em MICROEVOLUÇÃO, ou seja pequenas e sensíveis mudanças de características (que hoje sabemos que são genéticas) em longas escalas de tempo. Outro detalhe importante é que a evolução não é baseada em um unico indivíduo mas em seu grupo.

Pedir um exemplo onde um unico indivíduo nasceu com um órgão novo e inteiro e com uma nova função é atestar publicamente que não entendeu como a evolução funciona.

Vou escrever isso aqui de novo também. A Microevolução vocês já aceitam. O nosso problema reside na ESCALA DE TEMPO.

Se a Terra tem os bilhões de anos, a TE está comprovada. Se o planeta Terra for Jovem a TE esta automaticamente refutada, assim a gente economiza energia🙂 . Você pode provar que a Terra é Jovem?

Comentar por Alexandro

Para um gênero se transformar em outro têm que surgir órgãos novos,(macroevolução) do contrário é apenas variação(denominada talvez impropriamente microevolução).Seja no grupo, seja individual, o referido fenômeno não foi observado, portanto não se pode afirmar algo em ciência com algo conjectural, sem dados concretos.Fica então a evolução apenas como uma hipótese e não como fato indubitável. O própio Darwin dizia que se ficasse provado a impossibilidade de qualquer órgão surgir por pequenas e numerosas mutações sua teoria estaria fadada ao fracasso.A observações e experimentos como os da mosca drosófila (Foram mais de um indvíduo não demostraram a orgânogenese pela microevolução)

Comentar por José David Filho

Qanto á idade da Terra estudos da decomposição do campo magnético aponta que deve ter uns 10000 anos. Se a terra tivesse mais o solo estaria fervendo. Há também a evidência da quantidade de hélio que se forma a partir de decomposição radioativa de rochas da litosfera e vai para atmosfera. Cálculos indicam que se a Terra tivesse bilhôes de anos haveria mais hélio na atmosfera, pois a quantidade que escapa para o espaço é mínima. Os métodos radiométricos apresentam discrepâncias. Há problemas com a não contância das condições, contaminação da amostra. O método de carbono 14 está sendo abandonado, pois por exemplo o nível de poluição da atmosfera vêm aumentando alterando assim os valores do método. Apoiar a idade da Terra nos métodos radiométricos é estar numa base questionável.Estas informações constam no livro Criação ou Evolução de Adauto Lourenço.

Comentar por José David Filho

José,

E quanto a descrição genética do problema do chinês?🙂

Quanto a ver os vídeos do Adauto, o problema é que eles não cita as fontes. Eu não tenho como advinhar que pesquisas ele está usando. Você pode me passar as fontes?

Comentar por Alexandro

Sobre o fake evolutivo dos esgana-gatas (que não prova evolução, mas tenta), até mesmo a mídia se entrega. Basta observar o início da “reportagem”:

Os criacionistas costumam dizer que Darwin está errado porque nunca viram uma espécie se transformar em outra.

Darwin estava errado em praticamente tudo, e ainda mais, estava errado no que diz respeito ao que foi encontrado e mostrado na tal reportagem. Mas, como sempre, a religião darwinista dá o seu jeito de “contornar” isso.

Não obstante, o achado não cumpre o que promete:

1- A informação genética que continha os trechos responsáveis pelas barbatanas já existia – logo, a “inversão” não prova o aparecimento, mas sim reativamento.

2- Houve manipulação inteligente e com propósito. É como tentar provar que uma torta de morango pode aparecer do nada em qualquer lugar, porque a vizinha conseguiu fazer uma torta dia desses.

3- O achado nada tem a ver com a origem do peixe ou da informação ali encontrada. Ou seja, é apenas mau-caratismo evolucionista, misturado aos espantalhos que criam para atacar o criacionismo. Mas isso nem é novidade.

Comentar por MVR

MRV,

Já respondi esta lá em cima.

Comentar por Alexandro

Alexandro
Outro problema sério da teoria da evolução é a questão da informação. Werner Gitt, afirma que a informação é processo mental.Não há nenhuma lei natural que a produza, portanto não pode ser aleatória. Ninguém em são juizo admitirá a possibilidade de jogando-se letras ao acaso obter a enciclopédia britânica.Nem tampouco que picotando-se as letras da enciclopédia britânica e jogando-se ao acaso se obtem o Tratado de Medicina Interna do Cecil.Mudanças aleatórias da informação não a tornam mais complexas só a desorganizam. O DNA contém informação que é base para a vida. A teoria da evolução se apóia em Mutações aleatórias e sem propósito no DNA produzindo seres mais complexos. Tal coisa não é possível pois mudanças casuais não tornam informação mais complexa.Bilhões de anos não tornam o imposssível, real. Portanto a evolução casual se esbarra no nível conceitual da informação

Comentar por José David Filho

José

Você reparou que eu sempre te dou o link da minha fonte para você consultar diretamente e rapidamente?

Todas as revistas científicas colocam as suas matérias na Internet. Custa colocar o link direto da fonte?

O Adauto não tem nenhuma pesquisa assinada com o nome dele, então ele tem que usar de terceiros. Me passa diretamente as fontes dele, por favor.
Eu tentei procurar sobre Werner Gitt, aparece milhares de páginas sobre ele, e a grande maioria de site religioso.
Não consegui (por muitas opções) achar esta específica sobre o DNA. Pode me passar a publicação científica?

Comentar por Alexandro

Olá MVR!
A Biologia do Desenvolvimento diz não há macroevolução,e aqui vai os links de uma palestra do Paul Nelson.Abraços

O Paradigma evolucionista não se sustenta ante as evidências da Biologia Molecular.A Descendência Comum e a Seleção Natural se sustentam ainda pela “pressão” seletiva dos artigos que são publicados,todos apoiando uma Teoria falida desde os seus alicerces.

Comentar por jonas

jonas,

Gostei muito do vídeo. Obrigado por postar.

Mas ele não mostra que a biologia molecular inviabiliza a evolução. Ele só diz que ninguem AINDA explica satisfatóriamente como se dá o processo. Eu acredito que isso é questão de tempo, visto que a Biologia Molecular é algo muito novo e as pesquisas estão em rítimo acelerado.

Agora, você reparou que ele disse que o cambriano aconteceu a 500 milhões de anos?

Um abraço

Comentar por Alexandro

Alexandro!
O tempo sempre é e será o “tapete epistêmico” para onde se varrem todas as insuficiências da Teoria evolucionista.A questão é que mutações em fases primordiais do embrião(que são aquelas que poderiam desenvolver novos planos corporais)só trazem higidez,mal formações ou morte.Nada para que se justifique a “lenta e gradual transformação” de um sapo em príncipe.Quanto aos” 500 milhões de anos” propalados,qual a fiabilidade das datações?As rochas que datam os fósseis ou os fósseis datam as rochas??O pensamento é circular e não oferece fiabilidade empírica.Coisas de um paragigma dogmático.Abraços

Comentar por jonas

Jonas,

Foi a sua própria fonte que falou em 500 milhões de anos.
Se você usa fontes que vão contra o que você diz o que eu posso fazer?
Ou você reclama com ele ou não usa mais ele, oras bolas.

E as mutações na fase embrionária ele colocou mais no sentido de um problema a ser resolvido do que uma refutação contra a TE.

Comentar por Alexandro

Alexandro
Compreendo seu pedido e desejo atendê-lo. A questão é que a literatura que usei copiei da internet sem ter anotado o link, bem como eu não sou muito hábil em computador. Por conta destes fatores aqueles artigos que eu te enviei saíram errados. Pesquisarei também as fontes de Adauto Lourenço. Mas por favor dê-me um prazo de 01 semana pois estou muito ocupado. Desejo também com calma ler o artigo que me deste sobre os fósseis. Mais uma vez agradeço os artigos que enviaste.Como eu já tinha te falado muita desta literatura são cientistas ligados a crença, mas seus argumentos me pareceram bastante lógicos coerentes e cientificamente embassados.

Comentar por José David Filho

José,

Não tem problema o tempo de uma semana não. Isso aqui não é nenhuma discussão acadêmica🙂 . Mas eu gostaria de esticar o assunto com você até a gente chegar a uma conclusão. Este assunto é muito interessante.

Também não me importo que as suas referências sejam pessoas religiosas. Desde que os seus argumentos sejam científicos, tudo bem.

Comentar por Alexandro

Parte do que solicitaste consegui.Quanto a idade da Terra e pesquisa com a mosca Drosófila assim que eu obtiver, eu te passo. Eis as fontes na qual eu me baseio. Todas têm bibliografia.

Genética
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/11/32/

Guerra de visões de mundo-parte 92
Podem processos naturais explicar a origem da vida
http://www.pibvp.org.br/index.php?name=News&file=article&sid=277

Datação
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/17/37/

O Problema da fuga do Hélio
http://boanova.tripod.com/helio.htm

O primeiro (genética) responde a questão da perda de informação,com as mutações genéticas e seleção natural.O segundo trata da origem da vida e contém a afirmação de Werner Gitt sobre a informação. Datação fala sobre as falhas do método radiométrico. O último é sobre o problema do hélio. Outra evidência que a terra provavelmente é mais jovem do que supõe a evolução. Eu testei e creio que os links estão corretos
Será um prazer debater contigo e trocar idéias.

Comentar por José David Filho

José David:

“Nem tampouco que picotando-se as letras da enciclopédia britânica e jogando-se ao acaso se obtem o Tratado de Medicina Interna do Cecil.”

Isto já foi debatido e muito aqui, se voce jogar ao acaso as letras da enciclopédia Britânica (mutação genética) e houver um selecionador de letras (seleção natural) se chega ao Tratado de Medicina Interna do Cecil.

Conclusão: Suas dúvidas sobre a TE são de nível primário.

“Mudanças aleatórias da informação não a tornam mais complexas só a desorganizam.”

Novamente, desde que não haja um selecionador (seleção natural)

Conclusão: Suas dúvidas sobre a TE são de nível primário.

“O DNA contém informação que é base para a vida. A teoria da evolução se apóia em Mutações aleatórias e sem propósito no DNA produzindo seres mais complexos.”

Tudo depende o referencial adotado para o termo “aleatório”, pois para o referencial natural/empírico, o que é aleatório, pode não ser “sem causa” para o sobre-natural.

Conclusão: Suas dúvidas sobre a TE são de nível primário

“Tal coisa não é possível pois mudanças casuais não tornam informação mais complexa.”

Novamente, desde que não haja um selecionador (seleção natural)

Conclusão: Suas dúvidas sobre a TE são de nível primário.

“Bilhões de anos não tornam o imposssível, real. Portanto a evolução casual se esbarra no nível conceitual da informação”

Impossível para um fundamentalista religioso, porque tal fundamentalista religioso tem que ter suas conclusões sempre sem que contradiga um conjunto de mera interpretações e alegações arbitrárias criacionistas sobre os fatos (crença religiosa)
Novamente, desde que não haja um selecionador (seleção natural)

Conclusão: Suas dúvidas sobre a TE são de nível primário.

Comentar por Clayton Luciano

Oi Luciano, tudo bom?

Estava lendo sua resposta ao José e me pareceu que você confia bastante nas Mutações aleatórias, não propositais, para inaugurar complexidades genéticas e na Seleção Natural para compor habilmente os poemas da evolução da vida.

Então, para você, Mutações aleatórias (não propositais) + Seleção Natural + Tempo, são respostas suficentes para a existência de, por exemplo, o cérebro humano?

Forte abraço.

Comentar por nilo

Olá Nilo,

“Estava lendo sua resposta ao José e me pareceu que você confia bastante nas Mutações aleatórias,”

Eu não disse que confio.

“Então, para você, Mutações aleatórias (não propositais) + Seleção Natural + Tempo, são respostas suficentes para a existência de, por exemplo, o cérebro humano?”

Tem lógica e suficiência,

Agora a outra “teoria” do ser infinitamente bondoso… de estarmos pagando pela vida boa sexual de Adão,

que é bondoso mas permite que os animais se matem,

que é poderoso mas TEVE que ser pregado na cruz,

que se ressuscitou é porque é bom,

que se auto proclama, que é humilde mas “é maior do templo…”

Que se morreu e era ateu: “De Deus não se zomba…”, mas se era crente: “Deus sabe o que faz, está num bom lugar”

ou seja, não passa nem mesmo pelas regras da lógica.

Forte abraço para voce também.

Comentar por Clayton Luciano

Só que o que eu repeti não foi refutado.É fato consistentemente observado.Foi dito pelo cientista Werner Gitt. Informação não surge por acaso, pois é processo mental. Depende de alguém inteligente.Lógico que muito menos a informação aumenta de complexidade pelo simples acaso. DNA contém informação da vida. Mutação genética é aleatória,portanto não gera complexidade especificada. Seleção natural só favorece aquilo que é apto. Ambas são forças cegas. Dizer que se pode obter Tratado do Cecil por simples mudanças aleatórias da Enciclopédia Britânica é ilógico. Erro primário é não aceitar algo tão óbvio.
Quanto a ser fundamentalista. Dou graças a Deus. O termo significa que está sobre fundamento. Este fundamento(Jesus) não leva ao fanatismo e sim ao equlíbrio Ele disse: “Quem ouve as minhas palavras e as pratica é semelhante ao homem que fundou sua casa na rocha”…Mateus 7,24
Acreditas se quiseres.

Comentar por José David Filho

José David:

“Informação não surge por acaso, pois é processo mental. Depende de alguém inteligente.”

1 – Então Deus é inteligente mas desinformado, pois senão ele dependeria de alguém inteligente para informá-lo.

2 – Deus é uma prova crente que informação pode existir sem um criador para ela.

“Lógico que muito menos a informação aumenta de complexidade pelo simples acaso.”

1 – Se informação é um conjunto de bases nitrogendas no DNA

2 – e pode haver a inclusão de bases nitrogendas nele por mutações/transposons…

3 – logo, pode haver aumento de informção num processo natural.

“DNA contém informação da vida.”

e daí?

“Mutação genética é aleatória,portanto não gera complexidade especificada.”

1 – Se Transposons, etc…faz infiltrar bases nitrogendas no DNA,

2 – e base nitrogenda é a base da informação

3 – logo transposons gera informação

4 – E a seleção natural seleciona as bases que persistirão de acordo com o ambiente.

“Seleção natural só favorece aquilo que é apto. Ambas são forças cegas.”

E daí?

“Dizer que se pode obter Tratado do Cecil por simples mudanças aleatórias da Enciclopédia Britânica é ilógico.”

1 – Errou novamente, esqueceu do selecionador.

2 – Na evolução não há objetivos específicos e sim funcionalidade, a evolução não teve o bjetivo de criar o ser humano e sim aconteceu por acaso natural, assim como poderia ter surgido o “Alien” ou o “Predador”.

Sua comparação co a enciclopédia não presta em termos de TE.

“Erro primário é não aceitar algo tão óbvio.”

Enfim reconheceu seu erro.

“Este fundamento(Jesus) não leva ao fanatismo e sim ao equlíbrio”

Equilíbrio de rejeitar liminarmente uma teoria só porque contadiz um livro de controle social de 2000 anos atrás.

“Ele disse: “Quem ouve as minhas palavras e as pratica é semelhante ao homem que fundou sua casa na rocha”…Mateus 7,24
Acreditas se quiseres.”

E quem ouve as minhas está no caminho da inteligência (falar qualquer um pode)

Comentar por Clayton Luciano

Alexandro
Atendi sua solicitação em parte. As pesquisas com a mosca Drosófila e idade da terra pelo campo magnético te apresento assim que conseguir.Estes artigos têm bibliografia.Espero não ter errado os links. Será um prazer debater contigo.
Genética
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/11/32/
Guerra de visões de mundo-parte 92
Podem processos naturais explicar a origem da vida
http://www.pibvp.org.br/index.php?name=News&file=article&sid=277
Datação
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/17/37/
O Problema da fuga do Hélio
http://boanova.tripod.com/helio.htm

Comentar por José David Filho

José,

Vou responder em blocos, por tema:

1) Aumento da informação genética.

O aumento da informação genético já foi observado e estudado várias vezes pelos cientistas:

– Aumento da variabilidade genética em uma população (Lenski 1995; Lenski et al. 1991);
– Aumento de material genético (Alves et al. 2001; Brown et al. 1998; Hughes and Friedman 2003; Lynch and Conery 2000; Ohta 2003);
– Desenvolvimento de novo material genético (Knox et al. 1996; Park et al. 1996);
– Desenvolvimento de novas habilidades, reguladas geneticamente (Prijambada et al. 1995);
– Poliploidia é comum na natureza, onde o número de cromossomos aumenta dentro da célula (Newton and Pellew 1929).

Um mecanismo onde é mais comum de ocorrer aumento de informação é a duplicação genética, onde um longo pedaço de DNA é copiado, seguindo por mutações pontuais que mudam uma ou ambas as cópias. Sequenciamento genético tem mostrado vários casos onde isso fez surgir novas proteínas. Por exemplo:
– Duas enzimas na síntese da histidina foram formadas, evidências sugerem, via duplicação genética e fusão de duas seqüências ancestrais (Lang et al. 2000).
– RNASE1, um gene para uma enzima pancreática, foi duplicada, e em macacos langur uma das cópias sofreu mutação para RNASE1B, que funciona melhor no intestino mais ácido do macaco (Zhang et al. 2002);
– Levedo foi colocado em um meio com pouco açúcar. Após 450 gerações, genes que transportam hexose duplicaram várias vezes, e muitas das versões duplicadas sofreram ainda mais mutações (Brown et al. 1998).

Uma pesquisa na PubMed [http://www.ncbi.nlm.nih.gov/sites/entrez] sobre “gene duplication” retorna mais de 14.000 referências.🙂

Comentar por Alexandro

José

2) Problema da fuga do Hélio.

Repare nas datas da sua fonte? A mais nova é de 1983🙂

Muitas pesquisas foram publicadas depois disso, inclusive apoiado pelo Satélite UV Manager da Nasa, e já resolveram este problema:

http://www.agu.org/pubs/crossref/1996/95JA02208.shtml [Repare na data 1996🙂 ]

A perda de hélio ocorre após este ionizar-se na alta atmosfera. Ionizado e carregado de carga elétrica este hélio é conduzido pelas linhas de força do campo magnético terrestre concentradas nas regiões dos polos.

O resultado do escape do Hélio ionizado (bem como hidrôgenio e oxigênio) é uma esfera de plasma (Plasmasfera) formando uma “aura” azul. A plasmaera de hélio alcança uma distância de até 6 raios terrestres ao redor da Terra e então é arrastado pelos ventos solares.

Comentar por Alexandro

José,

Site da Nasa que fala sobre a Plasmasfera:

http://plasmasphere.nasa.gov/

Comentar por Alexandro

Alexandro
Eis aqui parte das fontes com suas bibliografias no rodapé. Faltam ainda as fontes de Dr Adauto sobre a mosca Drosófila e sobre a idade da terra conforme o campo magnético.Espero não ter errado os links.
Genética
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/11/32/
Guerra de visões de mundo-parte 92
Podem processos naturais explicar a origem da vida
http://www.pibvp.org.br/index.php?name=News&file=article&sid=277
Datação
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/17/37/
O Problema da fuga do Hélio
http://boanova.tripod.com/helio.htm
Será um prazer debater contigo.

Comentar por José David Filho

Alexandro
Já tenho parte dos artigos com bibliografia. Só está faltando a pesquisa com a mosca Drosófila e a idade da Terra conforme decomposição do campo magnético.Assim que obtiver posso te enviar. Tentei te mandar os links mas a rede não enviou. Nem a mensagem, nem os endereços eletrônicos apareceram na tela do site depois de clicar em DIGA-O.Mandei uma resposta ao Clayton Luciano e deu certo. Não sei o que está acontecendo.Poderias informar teu e-mail,para facilitar?

Comentar por José David Filho

Caiu no SPAM, igual aos meu comentários.

Daqui a pouco o Sabino libera e aparece.

Comentar por Alexandro

Quanto as mutações genéticas os livros de biologia dizem ser aleatória. Não admitir a aleatoriedade das mutações, nega inclusive o paradigma naturalista baseada na casualidade dos fenêmenos. George Wald,bioquímico,afirmava que só há duas alternativas para a origem da vida:Ou foi criado, ou surgiu por sorte graças a processos naturais. Não há terceira opção. Dizia também que nesta questão entrava o elemento CRER.George Wald dizia crer no evolucionismo.

Comentar por José David Filho

José,

Você precisa aprender a postar as fontes😦

A coisa não é tão simples assim. Dentro do conceito de criação, não se esqueça que podemos estar falando tambem de panspermia.

Comentar por Alexandro

Uma bactéria, comandada por uma molécula de ADN sintético, conseguiu reproduzir-se da forma mais natural. O resultado, publicado na revista Science, tem aplicações e implicações – científicas e filosóficas – ainda em grande parte desconhecidas.

http://www.publico.pt/Ciências/nasceu-a-primeira-forma-de-vida-artificial_1438170

Afinal, Deus somos nós!

Comentar por Ivan

Já há muito tempo li em um livro criacionista (não tenho acesso a bibliografia)a seguinte comparação: meu pai é engenheiro constrói uma casa, não me ensina como construir,eu estudo,pesquiso e faço uma igual,isto quer dizer que meu pai não existe e não foi o construtor da casa? Claro que não. Eu apenas o imitei. Portanto mesmo que os cientistas consigam criar vida não está provado que Deus não existe e que ele não a criou. Mesmo porque os cientistas tiveram de pesquisar como fazer. Criaram condições favoráveis não foi algo aleatório.Houve mentes inteligentes. Ao invés de afirmar o naturalismo a situação explanada nega-o. Quanto acreditar em Deus será sempre questão de fé. A ciência jamais provará que ele existe, tampouco o contrário.

Comentar por José David Filho

ALexandro
Atendendo a seu pedido mais uma vez trouxe ainda mais referências bibliográficas, sobre decaimento do campo magnético terrestre e sobre teoria da Informação e genética e evolução, na qual Adauto Lourenço se baseia. Quero lhe dizer que nem sempre e imediatamente tenho as fontes bibliográficas facilmente, tendo em vista dificuladade de tempo para achá-las. Quanto o artigo da Drosófila pesquisarei com mais calma.

Comentar por José David Filho

Quebrei a resposta por razão de espaço.Eis:
Planeta Terra
http://www.universocriacionista.com.br/content/blogcategory/18/39/
William A. Dembski, The Design Inference: Eliminating Chance Through Small Probabilities, Cambridge University Press, 1988, cap. 4 (este texto trata de teoria da informação e da complexidade especificada)
Hubert P. Yockey, Self Organization Origin of Life Scenarios and Information Theory, Journal of Theoretical Biology, 91, p. 16. (Este artigo embasa a comparação entre a linguagem humana e código do DNA, apoio a idéia de informação contida no gen)
Charles Mann no artigo Lynn Margullis: Science Unruly Earth Mother, Science, Vol.252, 19 de abril de 1991, p.379. Lee M. Spetner, Not by Chance, Shattering the Modern Theory of Evolution, Judaica Pr, 1998. (em ambos os artigos se baseia a afirmação da não criação de órgãos novos via mutações e a incapacidade das mutações acrescentarem informações)
Robert Wesson, Beyond Natural Seletion, MIT Press, Cambridge, MA,1991, p.206. Ver tembém Soren Lovtrup, Darwinism: The Refutation of a Myth, Croom Helm Ltd., Beckingham, Kent, 1987, p.422 (Neste último o autor afirma que as vantagens evolutivas só funcionam em variedades completas. Afirmação dita em outras palavras pelo site católico Lepanto, também tem o detalhe que a letra O do nome do autor é cortada por linha diagonal só que não encontrei o caráter no computador, saiu letra O normal)
Carl Sagan, F. H. C. Crick, L.M. Muchin, Communication and Extraterrestrial Intelligence (CETI) de Carl Sagan, ed. Cambridge, MA, MIT Press, p. 45-46. (neste artigo é a base para se demonstrar a improbabilidade estatística tanto da origem da vida como da evolução)
Fred Hoyle e NC Wickramashinge, Evolution from Space, J.M. Dent, London, 1981. (outro cálculo de probabilidade contra evolução)
Werner Gitt, In the Begining Was Information, Christliche Literatur-Verbreitung e.V., 1997 , p.170-205. (literatura de Dr. Gitt onde aparecem cálculos relativos à informação)

Comentar por José David Filho

Quebrando minhas respostas eu gostaria que qualquer dos comentaristas indicasse literatura científica que provasse que as mutações não são aleatórias,são algo proposital. Pois não foi isso que aprendi no meu curso colegial. Só assim o argumento de que as mutações são incapazes de aumentar a complexidade especificada do DNA,cairá por terra,tendo em vista a teoria da informação.

Comentar por José David Filho

Gostaria de acrescentar que as fontes bibiográficas de professor Adauto Lourenço estão disponíveis no rodapé das paginas do livro “Como Tudo Começou” e não no DVD. Não tive tempo de pesquisar o endereço das fontes na internet, (se é que todas encontram-se na rede). Por isso só pude informar link sobre idade da Terra e decaimento do campo magnético. Quanto a afirmação de George Wald sobre crer entre evolução e criação está no DVD de Adauto Lourenço.

Comentar por José David Filho

José,

“Quebrando minhas respostas eu gostaria que qualquer dos comentaristas indicasse literatura científica que provasse que as mutações não são aleatórias,são algo proposital. Pois não foi isso que aprendi no meu curso colegial. Só assim o argumento de que as mutações são incapazes de aumentar a complexidade especificada do DNA,cairá por terra,tendo em vista a teoria da informação.”

Eu já respondi sobre aumento da informação genética. Não deixe de pesquisar na PubMed, a quantidade de artigos científicos sobre aumento da informação genética. Passa de 14.000🙂

Agora José, você defendeu com unhas e dentes que informações genéticas não são adicionadas, mas depois pede no blog por um artigo? Isso prova que você estava defendendo uma coisa que não estava embasado😦

Comentar por Alexandro

Alexandro, finalmente consegui terminar de ler o artigo sobre fosseis transitórios que voce me havia sugerido. Eu já conhecia alguns e já sabia que sua “transitoriedade” não é unanimidade.
Vou lhe passar um link que se propõe a refutar alguns destes fósseis chamados de transitórios.

http://s.silva777.sites.uol.com.br/evol-sum.htm

Comentar por Isaias S. Oliveira

Alexandro, tem também este aqui, que fala de ciência de forma geral. Tem matérias em inglês e português.
http://pos-darwinista.blogspot.com/

Comentar por Isaias S. Oliveira

Isaias,

Eu já conhecia o site do Enézio. Repare que a formação dele é em História da Ciência. Ele não tem nenhuma publicação em Biologia e Paleontologia, segundo o currículo Lattes.

De qualquer forma, eu não vi em nenhum lugar do site dele um artigo que refute toda a lista que eu te passei. [Pode ser até que exista, mas eu desconheço]

Comentar por Alexandro

Isaias,

Eu te dou uma lista compilada por uma Bióloga da Universidade de Washington, e você me dá um site de s.silva777 ????

É piada né? Quem é este cara? Você não diz que está apoiado também em ciência?? Eu espero que você use cientistas então. Biólogos e Paleontólogos de preferência.

Alem do mais, daquela lista enorme ele só fala sobre alguns poucos. Mas mesmo assim, olha que curioso🙂

1) Sobre o seymouria SUA FONTE diz [então não reclame comigo]:
“Devido a idade do seymouria ser 35 milhões de anos mais recente que as dos primeiros répteis (Hylonomus)”
35 milhões de anos é? hahahaha

2) Sobre a evolução do cavalo, ele diz:
“Qual o mecanismo evolutivo que faz uma espécie sofrer uma série de mutações que alteram para menos o número de costelas e depois sofrer uma reversão em sentido contrário, terminando até com um número maior de costelas do que o inicial e, finalmente, retornar ao ponto de partida?”

Resposta, A mesma que causou isso:
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1540844-5603,00.html

3) Sobre o Archaeopteryx, a SUA FONTE fala [de novo não reclame comigo]:
“havendo uma lacuna de 36 milhões de anos no registro fóssil entre o Archaeopteryx e o grupo de animais mais aceito como seus supostos ancentrais”

Comentar por Alexandro

Alexandro, sua fonte pode ser o quê voce quiser: paleontólogo, biólgo e etc, mas não apresentou nenhuma prova. Só tem uma lista. E listas qualquer um pode fazer. Você parece não ter lido as fontes que foram citadas.
Sobre o menino com vários dedos, está claro que a mutação que ele sofreu é prejudicial, como quase sempre. E quando não é prejudicial, é neutra.
E acho que o tal menino não representa nenhum tipo de forma transitória. Você acha?

Comentar por Isaias S. OLiveira

Isaias,

Alexandro, sua fonte pode ser o quê voce quiser: paleontólogo, biólgo e etc, mas não apresentou nenhuma prova. Só tem uma lista. E listas qualquer um pode fazer. Você parece não ter lido as fontes que foram citadas.

Presta Atenção: você fica dizendo que não existem fósseis transicionais. A lista foi compilada por uma bióloga da Universidade de Washington.

Resumindo: Eles existem, você que não os aceita.

Eu li sim as fontes no seu site, você é que parece que não notou que se trata de outros cienttistas que TAMBÉM acreditam na evolução, mas estão discordando de alguns dados, e não da Teoria. Parace que você não reparou que algumas refutações se baseam em escalas de MILHÔES DE ANOS.

Sobre o menino com vários dedos, está claro que a mutação que ele sofreu é prejudicial, como quase sempre. E quando não é prejudicial, é neutra.
Esta alteração genética foi prejudicial com base no nosso padrão de estética, mas é uma prova que acontece.
Muitas alterações em bactérias, são positivas PARA ELAS, pois fazem elas sobreviverem aos medicamentos.

E acho que o tal menino não representa nenhum tipo de forma transitória. Você acha?
Não acho. Todas as formas de vida são transitórias.

Comentar por Alexandro

Alexandro

Mais uma vez, grato por indicar-me artigos sobre duplicação gênica. Li em outras fontes os artigos, mas lamento dizer que isto não refuta o argumento criacionista. Para tanto é preciso definir o que Os criacionistas entendem como “aumento de informação”.Vou repetir um exemplo que já te apresentei: para que réptil se transforme em ave é necessário o réptil passe a ter bico, penas, asas, sacos áeros, etc. Isto implica surgir um ou mais genes NOVOS. Genes que o ancestral (réptil) não tinha e o descendente (ave) passa a ter. Estes genes novos portam NOVA informação. Informação ausente no gênero ancestral.

Comentar por José David Filho

José

No PubMed tem mais de 14.000 artigos falando sobre acréscimo genético. Se isso não é evidencia para você, o que eu posso fazer? . Você leu pelo menos alguns?🙂 Consegue refutar alguns pelo menos?

Você tambem não me explicou até agora sobre o que causa genéticamente mais dedos 🙂

E que tal este caso aqui: 🙂

http://www.correiodosvales.com/index.php?pg=not%EDcia&id=684

Comentar por Alexandro

José

O link acima está com problemas.

Este aqui funciona:
http://opovo.uol.com.br/cidades/946711.html

Comentar por Alexandro

Quebrei resposta por razões de espaço.Portanto o sentido criacionista de “aumento de informação” é informação para criar estruturas e funções outroras inexistente na espécie. O exemplo que mostraste é de duplicação gênica.Dentro das mutações, as duplicações aumentam variedade. Mas não provocam surgimento de estruturas,nem funções novas.É o mesmo caso chinês de polidactilia que me apresentaste. Aí no caso houve multiplicação do órgãos (dedos)e não surgimento de estrturas inexistentes da espécie humana(não surgiu asas por exemplo).Se não acontecer formação de novos órgãos um gênero não se transforma em outro,a denominada,(talvez impropriamente), macroevolução darwinista não pode ocorrer. Nos artigos que apresentaste houve surgimento de variantes de uma enzima exercendo a mesma função, no mesmo organismo devido a duplicação. Os casos apontados são variações (talvez impropriamente chamada microevolução),são previstos e aceitos pelo modelo criacionista.Eis uma citação:”Por que as mutações não podem ser a causa da macroevolução? Porque as mutações embora alterem o código genético, não codificam novas estruturas e funções, e nem criam nova informação genética. Elas apenas selecionam, eliminam, duplicam,trocam ou recombinam informação genética que já existe.” Lee M.Spetner, Not by Chance, Shattering the Modern Theory of Evolution, Judaica Pr 1998.Extraído do livro “Como Tudo Começou” Adauto Lourenço. Está sendo um prazer trocar idéias contigo. Havendo novas informações e se puderes me passar serei grato.

Comentar por José David Filho

José,

Eis uma citação: Por que as mutações não podem ser a causa da macroevolução?
Já falei muito sobre isso. A Teoria da Evolução se baseia em Microevolução em grandes escalas de tempo. É só isso que nos separa.

Extraído do livro “Como Tudo Começou” Adauto Lourenço
Desculpe, você só cita este cara. Um físico que não sabe que o problemas da perda de Hélio já foi resolvido faz tempo, deveria rasgar seu diploma.

Havendo novas informações e se puderes me passar serei grato.
Para que? Você vai recusar qualquer coisa que eu traga mesmo. Não vou mais perder tempo com alguem que quer usar Adauto Lourenço como fonte para discutir Biologia.

Comentar por Alexandro

o problema da perda de Hélio

Comentar por Alexandro

O Homem de Neandertal foi tão humano quanto nós, ou tão “selvagem” quanto os aborígenes australianos. É uma questão de fé evolucionista.

Comentar por Gil do Brasil

Alexandro, Darwin não era cientista e todos disseram “amém” a ele. Creio que a questão de fama não é tão elevante assim.
Darwin fundamentou suas crenças em conceitos falidos: Geração espontânea e “simplicidade” dos microorganismos. Ambos os conceitos estão desacreditados hoje.
Acho um exagero os evolucionistas chamarem de transitórios qualquer criatura desconhecida. Mas os evolucionistas acreditam mesmo que existiram formas transitórias. Por isso, quando vêem qualquer fóssil de animal desconhecido, logo o chamam de transitório. Para os que creem no criacionismo e para os que creem no D.I, trata-se apenas de um animal desconhecido.
Você disse que todos os animais são transitórios.
Não creio que os morcegos sejam formas transitórias de mamíferos para aves, ou que o ornitorrinco seja uma forma transitória entre aves e mamíferos. É a primeira vez que vejo alguém fazer uma declaração semelhante a tua. Nem mesmo Richard Dawkins deve ter dito algo semelhante. Quando lhe pediram exemplos de mutações evolutivas ocorridas na natureza, Dawkins pensou, pensou, enrolou e não respondeu.
Segue aqui outro link. Eu ia linkar somente o que fala sobre o Archaeopteryx, mas parece que o link está com probelmas.
http://www.trueorigin.org

Comentar por Isaias S. OLiveira

Isaias,

Alexandro, Darwin não era cientista e todos disseram “amém” a ele. Creio que a questão de fama não é tão elevante assim.
Darwin fundamentou suas crenças em conceitos falidos: Geração espontânea e “simplicidade” dos microorganismos. Ambos os conceitos estão desacreditados hoje.
Todos os seres humanos cometem falhas, até Einstein falou coisas que hoje sabemos que estavam incorretas. Por isso a ciência é aberta a questionamentos por outros cientistas. Agora me mostre dentro da Teoria da Evolução aonde ela trata de geração espontânea, sim?

Acho um exagero os evolucionistas chamarem de transitórios qualquer criatura desconhecida. Mas os evolucionistas acreditam mesmo que existiram formas transitórias. Por isso, quando vêem qualquer fóssil de animal desconhecido, logo o chamam de transitório.
Você acredita ser um exagero por que não vive de ciências. Quanto mais perguntas a gente fizer sobre uma descoberta, mais repostas podemos obter, ainda que as primeiras respostas tenham que ser corrigidas no futuro, devido a falhas ou novas evidêncais.

Para os que creem no criacionismo e para os que creem no D.I, trata-se apenas de um animal desconhecido.
Claro. É mais fácil mesmo acreditar do que ir estudar para ter certeza. Por isso que o criacionismo é pseudo-ciência.

Você disse que todos os animais são transitórios.Não creio que os morcegos sejam formas transitórias de mamíferos para aves, ou que o ornitorrinco seja uma forma transitória entre aves e mamíferos.
Só vai dar para saber a que espécies estes animais vão dar origem daqui a muito tempo.

É a primeira vez que vejo alguém fazer uma declaração semelhante a tua.
Eu acredito. Você só deve ler sobre a Teoria da Evolução em sites religiosos. Que tal ler livros de biólogos e paleontólogos?

Já ouviu falar em Mário de Pinna, biólogo da USP? Ele fala isso também.

Recomendo que você assista todo o debate🙂

Nem mesmo Richard Dawkins deve ter dito algo semelhante.
Você leu o Relojoeiro Cego?

Quando lhe pediram exemplos de mutações evolutivas ocorridas na natureza, Dawkins pensou, pensou, enrolou e não respondeu.
Você nunca sofreu um lapso de memória?

Comentar por Alexandro

“Agora me mostre dentro da Teoria da Evolução aonde ela trata de geração espontânea, sim?”

…ora, como todas as formas da vida
tendem também ao aperfeiçoamento, ele (Lamark) explica a existência atual dos organismos muito simples pela geração espontânea.
(Darwin, em A Origem das espécies – Notícia histórica).

“Por isso que o criacionismo é pseudo-ciência.”

O evolucionismo também. É mais fé do que outra coisa.

“Só vai dar para saber a que espécies estes animais vão dar origem daqui a muito tempo.”

Há quanto tempo os morcegos tem a sua atual forma?

“Você leu o Relojoeiro Cego?”

Ainda não li mas já ouvi falar e pretendo ler em breve. Mas um relojoeiro deixa de existir se for cego? Conheço cegos que são exelentes profissionais. Captou?

Comentar por Isaias S. OLiveira

Isaias,

…ora, como todas as formas da vida
tendem também ao aperfeiçoamento, ele (Lamark) explica a existência atual dos organismos muito simples pela geração espontânea.
(Darwin, em A Origem das espécies – Notícia histórica).
Isaias desculpe a pergunta, mas qual é a sua escolaridade hein?
Confundir uma teoria cientifica com um livro é triste. E mais triste ainda é pegar uma citação e achar que é idéia de Darwin.

O evolucionismo também. É mais fé do que outra coisa.
Da próxima vez então que você tiver uma infecção, vai para a Igrejar orar em vez de tomar um antibiótico ok?
Não tome mais vacinas tambem, principalmente do H1N1, pois vírus não evoluem, isso tudo é invenção de pseudo-cientistas.

Há quanto tempo os morcegos tem a sua atual forma?
Paper científico sobre este assunto é coisa que não falta🙂
http://www.pnas.org/content/103/17/6581.figures-only

Ainda não li mas já ouvi falar e pretendo ler em breve. Mas um relojoeiro deixa de existir se for cego? Conheço cegos que são exelentes profissionais. Captou?
Cara, será que você não consegue entender uma linha do que eu escrevo???
Eu não estava querendo falar sobre cegos. Você afirmou que nunca tinha visto Dawkins falar sobre os seres vivos serem transitórios. Óbvio que você nunca ouviu falar, nunca leu os outros livros dele.

Comentar por Alexandro

“Se a Terra tem os bilhões de anos, a TE está comprovada. Se o planeta Terra for Jovem a TE esta automaticamente refutada”

Apenas uma contribuição para 1) indicar, porque achei pertinente, um questionamento recente do blog abaixo sobre datação; em inglês, mas nada que um google translator não possa ajudar.

2) lembrar que a premissa “Terra com bilhões de anos” não implica a conclusão “TE comprovada”, ainda mais quando não se explicita o que se quer dizer com “TE” ou “evolução”, outro assunto tratado lá (avisando que os diálogos nem sempre são amigáveis).

http://intelligentreasoning.blogspot.com/2010/05/radioactive-decay-and-age-of-earth.html

Comentar por Darcy

lembrar que a premissa “Terra com bilhões de anos” não implica a conclusão “TE comprovada”, ainda mais quando não se explicita o que se quer dizer com “TE” ou “evolução”
Um bom curso de nível médio já ensina bem a Teoria da Evolução.

Comentar por Alexandro

“lembrar que a premissa “Terra com bilhões de anos” não implica a conclusão “TE comprovada”, ainda mais quando não se explicita o que se quer dizer com “TE” ou “evolução””

“Um bom curso de nível médio já ensina bem a Teoria da Evolução.”

Mas se ensina que “Terra com bilhões de anos” implica a conclusão “TE comprovada”, então ensina muito mal (tanto Lógica, quanto “Evolução” ou Metodologia Científica).

Teoria da Evolução ou da Equivocação?

http://intelligentreasoning.blogspot.com/2010/05/equivocation-and-evolution-revisited.html

http://darwinismo.wordpress.com/2008/02/09/o-que-e-a-evolucao/

Comentar por Darcy

“Isaias desculpe a pergunta, mas qual é a sua escolaridade hein?”

A minha “escolaridade” é a mesma de Darwin: Teologia.

“Confundir uma teoria cientifica com um livro é triste. E mais triste ainda é pegar uma citação e achar que é idéia de Darwin.”

Alexandro, eu coloquei entre parenteses que Darwin cita Lamark. Você não viu? E Darwin ainda diz (você não leu?) que a (suposta) simplicidade das células é explicada pela geração espontânea.

“Da próxima vez então que você tiver uma infecção, vai para a Igrejar orar em vez de tomar um antibiótico ok?”

Alex, medicina é ciência. Não tem nenhuma relação com o evolucionismo. Aliás, a crendice evolucionista nos órgãos vestigiais (sem função) já foi desmascarada pela medicina, uma verdadeira ciência. Para disfarçar seu deslize, agora os evolucionistas passaram a dizer que um órgão vestigial pode ou não ter função.

“Eu não estava querendo falar sobre cegos.”

Eu sei. Mas se o relojoeiro é cego, não podemos dizer que ele não existiu. Assim como um relógio não pode existir sem que um relojoeiro o tenha projetado, a vida jamais poderia ter surgido sem alguém ter projetado.
Em seu livro A Caixa Preta de Darwin, Michael Behe faz uma analogia semelhante com a ratoeira. Ela não surge por acaso e não funciona sem que todas as peças estejam juntas ao mesmo tempo desde o início. Quando terminar de ler, publicarei algumas coisas aqui.
Alexandro, pretendo comprar um dos livros de Dawkins e eu tinha em mente este, O Relojoeiro Cego. Não pretendo comprar outro dele por enquanto. Você me recomendaria outro ou este está bom para começar?

Comentar por Isaias S. Oliveira

A minha “escolaridade” é a mesma de Darwin: Teologia.
Tá explicado. Darwin nasceu a 200 anos atrás, não se esqueça.

Alexandro, eu coloquei entre parenteses que Darwin cita Lamark. Você não viu? E Darwin ainda diz (você não leu?) que a (suposta) simplicidade das células é explicada pela geração espontânea.
Então você vai precisar estudar mais a Teoria da Evolução, pois você não sabe nem do que se trata.

Alex, medicina é ciência. Não tem nenhuma relação com o evolucionismo. Aliás, a crendice evolucionista nos órgãos vestigiais (sem função) já foi desmascarada pela medicina, uma verdadeira ciência. Para disfarçar seu deslize, agora os evolucionistas passaram a dizer que um órgão vestigial pode ou não ter função.
Engano seu. Os bioquímicos se apoiam em papers de biologia evolutiva para pesquisas em laboratório.
Já viu uma Urucultura? Nós deixamos as bactérias se desenvolverem em ambientes controlados para testar a sua resistência a determinados medicamentos.

Eu sei. Mas se o relojoeiro é cego, não podemos dizer que ele não existiu. Assim como um relógio não pode existir sem que um relojoeiro o tenha projetado, a vida jamais poderia ter surgido sem alguém ter projetado.
O que estava em questão não era o relojoeiro, dá para entender isso? Você afirmou que Dawkins nunca tinha falado de que todas as vidas são transitórias.

Em seu livro A Caixa Preta de Darwin, Michael Behe faz uma analogia semelhante com a ratoeira. Ela não surge por acaso e não funciona sem que todas as peças estejam juntas ao mesmo tempo desde o início. Quando terminar de ler, publicarei algumas coisas aqui.
Os argumentos dele estão para lá de refutados. Até o flagelo bacteriano já foi mostrado que é produto evolutivo. Depois que você ler o livro dele, leia sobre o julgamento em Dover nos EUA.

Alexandro, pretendo comprar um dos livros de Dawkins e eu tinha em mente este, O Relojoeiro Cego. Não pretendo comprar outro dele por enquanto. Você me recomendaria outro ou este está bom para começar?
Eu particularmente não gosto de Dawkins, pela mistura que ele fez de ciência e religião. Eu não sou ateu, e não alinho com as idéias dele. Só falei sobre este livro para te mostrar o seu equívoco.

Comentar por Alexandro

Não sei se o “oo” também comenta aqui ou não, mas fica um aviso em relação ao seu comportamento.

Comentar por Mats

“Já viu uma Urucultura? Nós deixamos as bactérias se desenvolverem em ambientes controlados para testar a sua resistência a determinados medicamentos.”

Resistencia a medicamentos não é evolucionismo. Evolucionismo não tem nenhuma relação com a medicina. Se a medicina dependesse do evolucionismo, até hoje teríamos dezenas de órgãos “vestigiais” no corpo.

Comentar por Isaias S. Oliveira

Resistencia a medicamentos não é evolucionismo. Evolucionismo não tem nenhuma relação com a medicina. Se a medicina dependesse do evolucionismo, até hoje teríamos dezenas de órgãos “vestigiais” no corpo.
Isaias, você precisa parar de afirmar coisas que você não conhece.

Dá uma olhada no site da USP:

“Disciplina de Métodos Quantitativos em Medicina (mpt-164 / edição 2003)
Evolução Darwiniana em Medicina”

http://www.dim.fm.usp.br/darwin/index.php

Comentar por Alexandro

Alexandre,
O Isaías tem razão. Não há nada na medicina que dependa do mito da evolução.

A única “medicina” que precisa da teoria da evolução é o eugenismo, e todos nós sabemos onde isso acaba.

Comentar por Mats

Mats,

O Isaías tem razão. Não há nada na medicina que dependa do mito da evolução.
Me explique porque uma bactéria se torna resistente a um determinado medicamento.
Aqui se faz necessário uma resposta cientificamente embasada, não apenas uma negativa sem fundamento.
Reparou no link da USP?🙂

A única “medicina” que precisa da teoria da evolução é o eugenismo, e todos nós sabemos onde isso acaba.
O ser humano usa ciência, tecnologia e até religião para a destruição. Os elementos em si não são ruins e sim o seu uso inapropriado.

Comentar por Alexandro

Alexandro,

“O ser humano usa ciência, tecnologia e até religião para a destruição. Os elementos em si não são ruins e sim o seu uso inapropriado.”

Cansei de falar isso neste blog e no do mats. Até escrevi alguns artigos para elucidar tal. Mas mesmo assim ele repete aquele tipo de enunciado. Desconfio de fé cega ou má fé.

Arnaldo.

Comentar por Arnaldo

Arnaldo,

Manda o link dos seus artigos.

Abraços

Comentar por Alexandro

Olá Alexandro,
No link
http://arnaldo.networkcore.eti.br/?p=557 eu exponho sobre a garantia social usada por pseudociencias e chego também naquela tese que você expos acima (que concordei) [dos elementos não serem ruins, mas o uso indevido]. Além deste artigo, deve ter alguns comentários meus espalhados em artigos do sabino e do mats.

Acho que seria interessante a sua visita também nos artigos:

http://arnaldo.networkcore.eti.br/?p=619
http://arnaldo.networkcore.eti.br/?p=600
http://arnaldo.networkcore.eti.br/?p=589

Abraços,

Arnaldo.

Comentar por Arnaldo

Há poucos dias Craig Venter mostrou ter sintetizado um genoma artificial, que foi introduzido dentro de uma célula bacteriana, e foi capaz de desencadear o movimento da vida. Bravo. Mas o código genético que utilizou não foi inventado por ele. É partilhado por todos os organismos da Terra, tem pelo menos 3,5 mil milhões de anos, e une-nos desde sempre, apesar de só termos tido consciência disso no século XIX, quando Charles Darwin se lembrou de desenhar no seu caderno de apontamentos a primeira árvore evolutiva e escreveu por cima “I think”.

O evolucionista pensou, desenhou, teorizou. Adeus criacionismo e Adão e Eva, adeus teoria da geração espontânea. Olá evolução e primos chimpanzés. Ao longo do século XIX e XX a evolução continuou a ganhar argumentos. A demonstração das características hereditárias que Gregor Mendel fez com as ervilhas, a descoberta da cadeia dupla de ADN e a conclusão de que o código genético é quase universal, ou seja, que os organismos usam o mesmo dicionário para traduzir a informação que está no ADN para as proteínas, confirmaram o que a teoria de Darwin previa.

“Todos os seres orgânicos que alguma vez viveram nesta Terra descendem de uma forma primordial”, está escrito no livro A Origem das Espécies do naturalista. Mas a estatística nunca tinha posto as probabilidades a favor da forma primordial – o antepassado comum universal. Era demasiado complexo. Há 15 dias isto mudou. Um artigo publicado na revista Nature, escrito pelo bioquímico Douglas Theobald, ofereceu à evolução a prova estatística de que há muito, muito tempo, uma população de células deu origem a toda a vida que se conhece.

Três domínios

“Todas as provas clássicas para a existência de um antepassado comum são qualitativas e estão assentes em características parecidas”, explicou o investigador que trabalha na Universidade de Brandeis, em Massachusetts, nos Estados Unidos, citado pela revista Scientific American. Apesar de se assumir que as características genéticas parecidas são fruto de uma ligação evolutiva, a natureza apresenta inúmeros casos de adaptação semelhante de espécies que estão afastadas, como plantas que desenvolvem espinhos em regiões diferentes do mundo por estarem sujeitas ao mesmo clima quente e seco. Este fenómeno pode ocorrer a um nível microscópico, como duas proteínas com estruturas semelhantes por terem a mesma função. É necessário a estatística para dar uma prova quantitativa.

Para isso o investigador teve que comparar os três domínios da vida: os eukaryota, o grupo dos organismos com células com núcleos, que inclui organismos unicelulares, plantas, fungos e animais; os bacteria, unicelulares sem núcleo, alguns causam doenças; e os archaea, o último domínio a ser descoberto, também formado por unicelulares sem núcleo, muito diferentes das bactérias e que estão mais próximos dos eukaryota.

Theobald focou-se em quatro espécies de cada domínio (12 no total). O Homem, a levedura, o bacilo da tuberculose e o Archaeoglobus fulgidus – um archaea que vive em fontes hidrotermais – foram alguns dos utilizados. O investigador escolheu 23 proteínas muito conservadas, esticou estas proteínas para identificar cada sequência de aminoácidos e comparou cada sequência entre as 12 espécies.

Por serem muito conservadas “todas estas proteínas apresentam provas de remontarem a um único antepassado”, explicou por e-mail ao P2 David Penny, co-autor de um comentário sobre a descoberta publicado na mesma revista. “Theobald comparou estatisticamente a probabilidade de haver um único antepassado versus a probabilidade de haver mais”, explicou o matemático da Nova Zelândia. O resultado foi avassalador: a existência de um antepassado comum é 10 elevado a 2860 vezes mais provável do que mais do que um.

“Nunca houve uma demonstração formal desta hipótese”, confirmou por telefone ao P2 Manuel Santos, que lidera o laboratório de biologia do ARN (ácido ribonucleico, responsável pela síntese de proteínas da célula e que funciona como um tradutor directo do ADN) na Universidade de Aveiro. Mas há mais.

A origem

Desde a década de 1980 que se descobriu um fenómeno chamado “transferência lateral de genes”: a passagem de genes de um organismo de uma espécie para outro que não pertence à mesma espécie. O fenómeno está enraizado nos unicelulares como as bactérias, foi sendo cada vez mais descrito e para alguns investigadores põe em causa a árvore da vida de Darwin.

“Os organismos evoluem a partir dos organismos pré-existentes por origem de mudanças nos genes que já existem. Se os genes começam a ser transferidos de uma espécie para a outra, o genoma torna-se numa espécie de mosaico, depois é muito difícil traçar o antepassado comum”, explica o português. Apesar da transferência lateral de genes se tornar incipiente nos organismos mais complexos, durante mais de dois mil milhões de anos só existiu vida unicelular na Terra. Mesmo assim, Theobald introduziu este fenómeno nos testes que fez e obteve um resultado ainda mais robusto que confirma a existência deste antepassado.

Como é que esta população surgiu? “Vamos supor que a vida se originou várias vezes em vários lugares. Caso tenha sido assim, a teoria explica que ocorreu um afunilamento durante a evolução, com os descendentes de uma das linhagens que surgiu independentemente a sobreviverem até ao presente”, disse em comunicado Theobald. Todas as outras linhagens terão desaparecido.

A outra hipótese é mais complexa. “Em alternativa, populações separadas podem ter-se fundido, ao trocarem genes suficientes ao longo do tempo e tornaram-se numa única espécie que acabou por ser o antepassado de todos nós.” De ambas as formas, a vida que se conhece está toda relacionada, mesmo que seja “artificial”, como a que Craig Venter produziu.

http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/as-probabilidades-estao-do-lado-de-darwin_1439057

Comentar por Ivan




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: