No princípio criou Deus os céus e a Terra


Páscoa = Vida
Abril 4, 2010, 4:26 pm
Filed under: Convicções / Fé, Multimédia

Nesta Páscoa voltamos a lembrar o sacrifício de Jesus Cristo por amor de todos nós, mesmo por aqueles que o negam como Salvador e até como figura histórica. Jesus Cristo, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Antes, esvaziou-se a si mesmo e tornou-se semelhante aos homens, humilhando-se e dando a sua vida para que tu e eu pudéssemos ganhar uma nova vida. (Filipenses 2:6-8)

Graças Te damos Deus Pai por aquilo que fizeste e tens feito por nós. Amén

[Youtube=http://www.youtube.com/watch?v=vMuX9f5HFYg]


62 comentários so far
Deixe um comentário

🙂
Àquele que nos amou, e no Seu sangue nos lavou dos nossos pecados, seja a glória e poder para sempre!
(ler Ap 1.5,6)

Comentar por JoanaPaz

Tudo marketing…

……1° Jesus : Criação de um mestre em marketing governamental de nome Constantino.

Comentar por Romano Lima Aros

Evolucionismo: Delírio de um teólogo.

Comentar por Isaias S. Oliveira

Os escritos dos pais da Igreja do 1º e 2º séculos mostram que os cristãos já adoravam a Jesus como Deus, muito antes de Constantino.
O Concílio de Nicéia jamais discutiu se Jesus era apenas um homem normal, e sim se Ele era Deus pleno, ou se Ele fora criado por Deus Pai em algum momento da eternidade.

Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53.5

Comentar por Fabricio Lovato

Romano
Jesus é personagem histórico. Até Voltaire anti-cristão convicto afirma em seu livro “Deus e Os Homens” que se escreveu contra a a favor dele logo ele existiu. Há fartos testemunhos tanto nos evangelhos como escritos fora deles. Cristo não é lenda. os evangelhos não são lendas porque lendas levam séculos para aparecer, o evangelho de João foi escrito no ano de 96 DC por uma testemunha ocular. Sobre a ressurreição de Cristo mais de 500 pessoas (os apóstolos) são testemunhas. São personagens reais, históricos que deram suas vidas em prol de Jesus. Quem estuda direito sabe que testemunhos vários podem servir de prova do crime. E muito antes de Constantino o cristianismo existia debaixo de forte perseguição.Constantino só fez dar liberdade ao cristianismo de existir. Portanto historicamente falando, Jesus foi comprovadamente personagem real.

Comentar por José David Filho

José David:

“Sobre a ressurreição de Cristo mais de 500 pessoas (os apóstolos) são testemunhas. São personagens reais, históricos que deram suas vidas em prol de Jesus”

A)

1 – Milhões de pessoas são testemunhas de Jesus aparecendo para as pessoas nas igrejas evangélicas,

2 – Provar a reessurreição com estas tesmunhas e provar Jesus aparecendo aqui para os evangélicos da praticamente na mesma.

3 – logo voce tem a prova que Jesus existe, tente ir à ciência obter este reconhecimento.

B) – Ressurreição não prova filiação.

“Quem estuda direito sabe que testemunhos vários podem servir de prova do crime.

Hoje jamais se reconheceria na justiça uma ressurreição de alguém por provas exclusivamente testemunhais.

Para voce ter uma idéia, no cível, em regra, as provas exclusivamente testemunhais são cabíveis para o negócios de até o décuplo do maior salário mínimo vigente no país ao tempo do negócio (CC, art.227).

A questão não é só provar que Jesus existiu, deve-se provar também os milagres, provar Deus e a relação dos milagres com Deus (para afastar a possibilidade do “Cavalo de Tróia”).

Comentar por Clayton Luciano

Vc esta pendindo provas cientificas de um evento historico?
Vc quer provas cientificas que DEUS pode ressusitar os mortos?
Se ressureição não prova oque provari filiação? exame de DNA?

Comentar por Adim

Romano, eu concordo plenamente com você.

O que eu não entendo, é porque você gasta tanta energia aqui, se ninguem vai dar ouvidos mesmo, visto que eles não aceitam em nada que contradiza a bíblia? hahahaha

Comentar por Icarus

Alguém me sabe responder a duas coisas que sempre me intrigaram nesta história?

1) Porque Deus teria de descer à terra e ser morto para salvar a humanidade do castigo que ele próprio infligiu sobre ela?

2) O que raio mudou com a morte de Cristo? De que forma fomos salvos? (Sem contar com o facto de ter originado uma nova religião e o logótipo para esta)

Comentar por gnomo

Interessante. Isto pode ser comparado a um pai rico chefe de família que vê seu filho se afogando numa piscina e ele mesmo pula lá e salva seu filho.Está escrito:”Todos pecaram”… Portanto são merecedores do castigo. Quanto a humanidade não mudar é porque rejeita a Cristo. Cristo disse: “vós não quereis vir a mim para terdes vida”. Então se você quer ser salvo precisa aceitar a Cristo. Precisa confessá-lo como Senhor e salvador. Está escrito: “se com tua boca confessares ao Senhor Jesus e em seu coração creres que ele ressucitou dos mortos serás salvo” Rm 10,9

Comentar por José David Filho

José David,

É mais como um pai que se atira para a piscina para se afogar com o filho. É muito tocante mas faz um sacrifício que não serve para nada.
E então antes de Cristo não havia salvação? Ou Deus tinha tanta gente na linha de atendimento SOS que teve de criar um novo salvador para reduzir as filas e o tempo de espera?
Além disso Cristo fez batota e ressuscitou.

Comentar por gnomo

“Está escrito:”Todos pecaram”… Portanto são merecedores do castigo”

Ou seja… continua tudo na mesma. Só que agora é mais fácil pecar. Antes bastava aceitar Deus, e agora tem de se aceitar Deus e Cristo (ou seja, os Judeus por exemplo passaram a estar condenados por definição)

Comentar por gnomo

Legal Gnomo, são boas perguntas.

As respostas só serão igualmente boas se brotarem dentro do seu coração, e não em comentários de um blog.

Então não vou escrever respostas, mas colocar alguns elementos para você pensar, e concluir o que quiser:

1º) Assista este vídeo:

2º) Leia estas notícias:

http://oglobo.globo.com/economia/mat/2006/12/05/286900968.asp

http://aeiou.expresso.pt/agua-poluida-mata-mais-do-que-guerras=f572447

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/03/31/onu-diz-que-promessas-de-acordo-de-copenhague-sao-fracas-916218905.asp

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ambiente/ult10007u654609.shtml

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100331/not_imp531603,0.php

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u658005.shtml

3º) Leia esta passagem:

“A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus.

Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora.

E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.
(Romanos 8)

4º) Descubra você mesmo o que a Escritura diz sobre Jesus

Te recomendo começar pelos relatos deixados por São João.

Não é um documento muito grande, tem apenas 21 capítulos, mas contém informações muito valiosas.

Forte abraço.

Comentar por nilo

Ual, só agora apareceu esta mensagem?!

Enviei ontem e não apareceu no blog, então reeditei a mensagem procurando erros de tags e a enviei novamente e apareceu no mesmo momento – vejam abaixo.

Mas agora a mensagem anterior apareceu também, um dia depois. Hahaha, que coisa maluca.

Comentar por nilo

Olá Gnomo, são boas perguntas.

As respostas só serão igualmente boas se brotarem dentro do seu coração, e não em comentários de um blog.

Então não vou escrever respostas, mas colocar alguns elementos para você pensar, e concluir o que quiser:

1º) Assista este vídeo:
Clique aqui

2º) Leia estas notícias:

Notícia 1

Notícia 2

Notícia 3

Notícia 4

Notícia 5

Notícia 6

3º) Leia esta passagem:

“A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus.

Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.

Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora.

E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.
(Romanos 8)

4º) Descubra você mesmo o que a Escritura diz sobre Jesus

Te recomendo começar pelos relatos deixados por São João.

Não é um documento muito grande, tem apenas 21 capítulos, mas contém informações muito valiosas.

Forte abraço.

Comentar por nilo

“As respostas só serão igualmente boas se brotarem dentro do seu coração, e não em comentários de um blog”
..

….Taí…

..O ser humano que deseja algo com muita perseverança, vontade e fé, e não à alcança aumenta em 90% suas chances de disturbios e depressões..
..A muito era pensado que o ser humano usava apenas 10% de seu cerebro, so que hoje com os diversos meios que possibilitam estudos detalhados sabemos que usamos 100% da massa encefalica so que não temos controle sobre sua real capacidade seria como tivessemos uma FERRARI que faz de 0 a 100 em 2seg e chega á 400km/h e so damos voltinhas à 50km/h com ela…
..Logo somando tamanha capacidade e total falta de controle quando com vontades exorbitantes, desejos impossiveis e fé cega, causamos um surto em nossas sinapses quimicas e eletricas causando assim alucinações e outros disturbios PODENDO chegar até á uma esquizofrenia e seus sub-tipos paranóide, hebefrênico e catatônico além das formas atípicas, que são conhecidas há décadas. Atenção ! Não estu dizendo que ter fé e ser religioso é ser esquizofrenico mais digo que a falta de manutenção e a má manutenção DAS IDEIAS são fatores agravantes em individuos ja fragilizados podendo causar alucinações e se agravando o caso por falta de tratamento (quando se acha que o problema é espiritual) pode leva-lo à diversos males neurobiologicos !
….
……LOGO para as perguntas de GNOMO so á respostas para quem CRÊ na FÉ !
.
..Fé (do grego: pistia e do latim: Fides ) é a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém.

Comentar por Romano Lima Aros

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. – Hebreus 11:1

Comentar por Romano Lima Aros

Oi Romano, tudo bem?

Eu não coloquei respostas não por não poder fazê-lo, mas por achar isto pouco produtivo.

Melhor é uma resposta que nós mesmos chegamos, estudando os fatos, do que algo que recebemos “mastigado”.

Por exemplo, pense no aprendizado de matemática, química, física…

Que é melhor? Decorar fórmulas sem entendê-las, ou entender os raciocínios que as produziram e deduzí-las?

Que é melhor? um professor que “joga” a matéria na lousa, ou outro que leva os alunos a pensarem?

Aqueles links que passei, aquelas notícias sobre relatórios da ONU e tudo mais, tem este objetivo: permitir uma reflexão mais profunda sobre o tema.

Abraço.

Comentar por nilo

Aliás, vou adicionar mais uma notícia no 2º item:

Notícia 7

Comentar por nilo

Suas noticias não são um bom argumento a favor de Deus não !
..
…Milhares de mortes agora é a prova que Deus existe?
..
..
….Não tem o que concluir sobre essas noticias é a velha discussão…
..
….de quem é a culpa?
..
…Do povo que mesmo sabendo que não há estrutura num terreno para construir e ao invés de protestar na porta da Alerj ou aprender a votar, prefere se acomodar no primeiro terreno baldio?

….A culpa é do governo, que mesmo vendo que isso é inevitavel e ocorre todo ano não toma atitudes !
..
…Ou a culpa é de Deus que não teve misericordia de ninguem ou fez como castigo pela passividade politica desse povo ???????
..
….Ta vendo meu querido Rio Egipcio…
..todos temos uma parcela de culpa…
….e todos como de custume…
…se exime dessa parcela!
..
….E seu Deus lidera essa lista !

Comentar por Romano Lima Aros

..argumento a favor de Deus não !

Nem se quer são argumentos.

Coloquei 7 notícias para o Gnomo refletir sobre a atual e real situação humana – o que é uma chave para a compreensão da missão de Cristo.

Você também pode tirar suas próprias conclusões sobre os fatos. Mas lembre-se: enquanto filosofamos a vida humana esta cada vez mais insustentável.

Precisamos de solução para o problema humano e não discuções inúteis.

Enquanto a ciência servir aos interesses econômicos de minorias, ela jamais será solução. Na verdade a própria ciência se tornou a ferramenta para exploração/controle das massas e fomentação de um capitalismo auto-destrutivo.

Por outro lado, a solução não está na religião dos homens, por ser hipócrita (os pedófilos que o digam) e servirem a inescrupulosos enganadores.

Para que as coisas mudem é preciso que o homem mude, isto diz respeito a você e eu.

A salvação que Jesus veio produzir, não é “o fim”, o objetivo. Antes é o “meio”, o caminho.. a porta de entrada. Jesus veio para transformar radicalmente o ser humano e trazê-lo a um relacionamento com Deus, e isto começa na salvação, mas não para ai.

Eu sou um dos piores crentes que conheço, porém todos os dias vejo o Senhor me ensiando, me disciplinando, me transformando pela renovação do meu entendimento através do estudo das Escrituras e prática dos princípios bíblicos.

Sim, já aprendí sobre a conversão e a salvação, mas há muito mais para se aprender nas Escrituras, e eu já estou no Caminho e já entrei pela Porta, algum dia minhas vaidades e maus costumes serão vencidos, sem que nada disso tenha a ver com capacidade e/ou merecimento, mas com a graça do Criador.

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.”
Rm 12

Comentar por nilo

Uma Feliz e Abençoada Páscoa para ti Sabino e para tua família!

Grande abraço!
Eclypse

Comentar por eclypse

Tudo na Paz Sabino?

Interessante esta montagem do video.

Yeshua é a prova de que o Criador é um ser pessoal, que vem até nós por se importar conosco e que deseja resgatar aqueles que se perderam.

Abraço!

Comentar por nilo

José: “Quem estuda direito sabe que testemunhos vários podem servir de prova do crime.”

Clayton: “Hoje jamais se reconheceria na justiça uma ressurreição de alguém por provas exclusivamente testemunhais.”

Quando um cristão utiliza a “analogia” da validade dos testemunhos num processo judicial, é quase certa a contrapartida dos céticos em minimizar a importância da prova testemunhal, mesmo havendo quem a considere a mais importante prova admitida.

A questão, no entanto, quanto a reconhecer ou aceitar a ressurreição ou não, não é judicial, mas pessoal, e para mim, o relato simples dos evangelistas tem as marcas da autenticidade.

Ainda na área do direito, a observação de Malatesta sobre nossa fé no testemunho alheio:

“O fundamento, portanto, da afirmação de pessoa em geral, e do testemunho em especial, é a presunção de que os homens percebam e narrem a verdade, presunção fundada, por sua vez, na experiência geral da humanidade, a qual mostra com na realidade e no maior número dos casos, o homem é verídico; verídico, pela tendência natural da inteligência, que encontra na verdade, mais facilmente que na mentira, a satisfação de um bem ingênito; verídico, pela tendência natural da vontade, a quem a verdade aparece como um bem e a mentira como um mal; verídico, enfim, porque esta tendência natural da inteligência e vontade é fortificada no homem social não só pelo desprezo da sociedade para com o mentiroso, mas também pelas penas religiosas e penas civis que se erguem ameaçadoras sobre sua cabeça.
…A maior parte das ações humanas, da infância à velhice, não tem por guia senão a fé nas afirmações alheias. Quanto ao primeiro período da existência, pode se dizer que toda a vida é uma crença contínua nos outros; do bem que não conhecemos e que não procuramos alcançar, do mal que não conhecemos e que procuramos evitar, sempre sob a fé da palavra alheia. E esta fé, que guia e regula as ações, não nos abandona com o passar dos anos, tornando-se, antes cada vez mais cautelosa e racional. São tão poucas as coisas e pessoas que podemos conhecer por nossa observação direta e pessoal, que a vida se tornaria absolutamente impossível, se não prestássemos fé às observações alheias para regular as nossas ações, relativamente a todas as coisas e pessoas que não conhecemos diretamente.
…Suponhamos que um homem não tenha fé alguma nos outros; vendo em todo semelhante um inimigo, não saberá mais como viver no consórcio civil e, tornando-se um selvagem pela suspeita e pelo ódio, refugiar-se-á na solidão de uma floresta.” Malatesta, Nicola. A Lógica das Provas em Matéria Criminal p. 320/321.

Comentar por Darcy

Darcy:

“Quando um cristão utiliza a “analogia” da validade dos testemunhos num processo judicial, é quase certa a contrapartida dos céticos em minimizar a importância da prova testemunhal, mesmo havendo quem a considere a mais importante prova admitida.”

Leia Código Processo Civil, art 405, &3ª, IV – Sãos suspeitas as testemunhas que tiverem interesse no litígio.

“e para mim, o relato simples dos evangelistas tem as marcas da autenticidade.”

Sua avaliação é tendenciosa.

“Ainda na área do direito, a observação de Malatesta sobre nossa fé no testemunho alheio:

“O fundamento, portanto, da afirmação de pessoa em geral, e do testemunho em especial, é a presunção de que os homens percebam e narrem a verdade, presunção fundada, por sua vez, na experiência geral da humanidade, a qual mostra com na realidade e no maior número dos casos, o homem é verídico; verídico, pela tendência natural da inteligência, que encontra na verdade, mais facilmente que na mentira, a satisfação de um bem ingênito; verídico, pela tendência natural da vontade, a quem a verdade aparece como um bem e a mentira como um mal; verídico, enfim, porque esta tendência natural da inteligência e vontade é fortificada no homem social não só pelo desprezo da sociedade para com o mentiroso, mas também pelas penas religiosas e penas civis que se erguem ameaçadoras sobre sua cabeça.
…A maior parte das ações humanas, da infância à velhice, não tem por guia senão a fé nas afirmações alheias. Quanto ao primeiro período da existência, pode se dizer que toda a vida é uma crença contínua nos outros; do bem que não conhecemos e que não procuramos alcançar, do mal que não conhecemos e que procuramos evitar, sempre sob a fé da palavra alheia. E esta fé, que guia e regula as ações, não nos abandona com o passar dos anos, tornando-se, antes cada vez mais cautelosa e racional. São tão poucas as coisas e pessoas que podemos conhecer por nossa observação direta e pessoal, que a vida se tornaria absolutamente impossível, se não prestássemos fé às observações alheias para regular as nossas ações, relativamente a todas as coisas e pessoas que não conhecemos diretamente.
…Suponhamos que um homem não tenha fé alguma nos outros; vendo em todo semelhante um inimigo, não saberá mais como viver no consórcio civil e, tornando-se um selvagem pela suspeita e pelo ódio, refugiar-se-á na solidão de uma floresta.” Malatesta, Nicola. A Lógica das Provas em Matéria Criminal p. 320/321.

1 – Voce percebeu a palavra “PRESUNÇÃO” no texto? Pesquisa o que é “juris tantum” e “juri et de jure”.

2 – (de novo) Só que o CPC art. 405 & 3º – diz sobre a suspeição da testemunha, e uma das provas da inconfiabilidade das provas exclusivamente testemunhais também está no art 227 do código civil que limita valores dos negócios que podem ser declarados como eficazes.

Comentar por Clayton Luciano

“1 – Voce percebeu a palavra “PRESUNÇÃO” no texto? Pesquisa o que é “juris tantum” e “juri et de jure”.”

Não tenha dúvida: eu digitei presunção, e o Malatesta quis dizer presunção. O comentário dele é sobre o fundamento dessa presunção: “presunção fundada, por sua vez, na experiência geral da humanidade…” Latinismos classificatórios jurídicos (bem conhecidos pelo próprio Malatesta) em nada contrariam a observação primeira que ele faz.

“Sua avaliação é tendenciosa.”

Como disse antes, sendo eu o juiz, é a minha avaliação. E esta sua declaração? Não se iluda com idéia de que a sua ou a do “Gezuiz’s Seminar”, por exemplo, seja neutra.

“2 – (de novo) Só que o CPC art. 405 & 3º – diz sobre a suspeição da testemunha, e uma das provas da inconfiabilidade das provas exclusivamente testemunhais também está no art 227 do código civil que limita valores dos negócios que podem ser declarados como eficazes.”

E…? O Malatesta também não deixa de comentar vários outros casos particulares. Mas com isso, ele não desfaz o que constrói como comentário sobre a “regra geral”: “a experiência geral da humanidade” como fundamento da presunção. O hiperceticismo não é o padrão da civilização. Como ele mesmo ilustra acima, o que um comportamento nessa linha pode fazer por alguém é torná-lo um “selvagem…na solidão da floresta”.

Mais dois pensamentos:

“A atestação dos homens é a prova universal de todos os fatos humanos.” José da Cunha Narravo Paiva

“O número de fatos sujeitos à percepção imediata de cada indivíduo não é senão uma gota de água lançada no vaso, em paralelo daqueles de que somos informados pela referência de outrem.” Bentham (citado pelo próprio Paiva em seu livro Tratado Teórico e Prático das Provas no Processo Penal)

Comentar por Darcy

Darcy
O resumo disto é que precisamos de fé até para a vida secular.Até o ateu tem fé. Fé é a base do relacionamento com Deus. Crer na ressurreição de Jesus é um passo de fé que tem como evidências o testemunho dos apóstolos. Testemunharam de Cristo sem obter nenhum lucro material e ainda por cima foram martirizados.Ninguém dá sua vida por algo que sabe que é mentira e o pior quando o próprio mártir inventou a mentira. Isto prova a sinceridade das testemunhas. Depois alucinações, cientificamente falando não ocorrem com pessoas diferentes, em tempos e lugares diferentes como se supõe em relação aos apóstolos.Isto é considerado impossível. Portanto há fortes razões para se acreditar em Cristo.

Comentar por José David Filho

José David:

Análise formal,

“Crer na ressurreição de Jesus é um passo de fé que tem como evidências o testemunho dos apóstolos.”

Só que ressurreição, mesmo que acontecido, não prova filiação, como já explicadom o porque inúmeras vezes aqui.

“Testemunharam de Cristo sem obter nenhum lucro material e ainda por cima foram martirizados.Ninguém dá sua vida por algo que sabe que é mentira e o pior quando o próprio mártir inventou a mentira.”
Se isto pode provar sua tese,
Isto prova a tese dos homens-bomba.

“Isto prova a sinceridade das testemunhas.”

Isto prova a tese dos homens-bomba.

“Depois alucinações, cientificamente falando não ocorrem com pessoas diferentes, em tempos e lugares diferentes como se supõe em relação aos apóstolos.Isto é considerado impossível.”

Milhões de pessoas veem Jesus e conversam com ele, ao mesmo tempo, em igrejas evangélicas espalhadas pelo mundo, isto leva a uma grande possibilidade da ressurreição ter se dado nos mesmos moldes.

“Portanto há fortes razões para se acreditar em Cristo.”

Conversa com um mulçumano para voce ver que sempre há fortes razões para acreditar em qualquer religião.

Comentar por Clayton Luciano

Adim:

“Vc esta pendindo provas cientificas de um evento historico?”

Sim.

“Vc quer provas cientificas que DEUS pode ressusitar os mortos?”

Duas provas:

1 – Que deus pode ressuscitar dos mortos,

2 – E que SÓ Deus pode ressuscitar dos mortos

“Se ressureição não prova oque provari filiação? exame de DNA”

Não é o que quero, a questão é provar que Lúcifer não teria o poder de ressucitar.

Comentar por Clayton Luciano

Gnomo
“É mais como um pai que se atira para a piscina para se afogar com o filho. É muito tocante mas faz um sacrifício que não serve para nada.”

Não foi vão. Muitos se convertem.

“E então antes de Cristo não havia salvação? Ou Deus tinha tanta gente na linha de atendimento SOS que teve de criar um novo salvador para reduzir as filas e o tempo de espera?
Além disso Cristo fez batota e ressuscitou.”

Deus não se vê em situação de aperto pois tudo pode. Houve com certeza salvação antes de Cristo. Da mesma forma que hoje é salvo aquele que crê no Cristo que veio, foram salvos aquelas pessoas que creram na promessa de Deus (que não pode mentir) que ele enviaria o Cristo. Se você quer mais respostas sobre isto leia hebreus 11.Assemelha-se aos mártires do cristianismo. Mas como eu disse a maioria da humanidade não é salva porque ama o pecado e não quer vir a Cristo. Não siga o triste exemplo da maioria das pessoas. Aceite a Cristo e terá vida eterna. Vais te ver livre do castigo eterno(o inferno). Verás que não é vão.

Comentar por José David Filho

‘“Testemunharam de Cristo sem obter nenhum lucro material e ainda por cima foram martirizados.Ninguém dá sua vida por algo que sabe que é mentira e o pior quando o próprio mártir inventou a mentira.”

Se isto pode provar sua tese,
Isto prova a tese dos homens-bomba.’

O que foi dito é que ninguém sofre e morre por uma coisa que sabe que é mentira. Podem estar enganados, o que não acontece no caso do Cristianismo. Repara:

– Se os discípulos de Jesus não eram mentirosos, mas tiveram uma ‘alucinação’ qualquer (embora altamente improvável pelas razões que já apresentaram aqui), então onde estava o corpo? Os judeus seriam os primeiros a atirar-lhes isso à cara,😛.

– Os discípulos estavam escondidos, com medo, quando receberam relatos da ressurreição; nem acreditaram muito à primeira… Ou seja, eles não teriam visto o que queriam ver, o que estavam à espera. Estavam tão incrédulos como tu.

– Há ainda quem alegue que Jesus não ressuscitou porque não morreu, -.-‘ Perante o simpático tratamento dos romanos, mesmo que ele tivesse sobrevivido (que já seria um milagre :P), não aguentaria 3 dias num sepulcro frio e húmido, e com certeza teria um aspecto muito pouco saudável (e portanto não seria reconhecido como Senhor e Deus)

Um abraço Luciano!*

Comentar por JoanaPaz

Joana:

“Se os discípulos de Jesus não eram mentirosos,”

Se…

“mas tiveram uma ‘alucinação’ qualquer (embora altamente improvável pelas razões que já apresentaram aqui),”

Como é improvável supostas alucinações de evangélicos conversando com Cristo ao mesmo tempo em todas as igrejas (rs)

“então onde estava o corpo? Os judeus seriam os primeiros a atirar-lhes isso à cara,”

Onde está o corpo de Hitler?

Comentar por Clayton Luciano

Gnomo,
Embora já tenhas óptimas respostas aqui, quero também deixar o meu comentário😉.

1) Porque Deus teria de descer à terra e ser morto para salvar a humanidade do castigo que ele próprio infligiu sobre ela?
Porque ama. Em Deus há um equilíbrio perfeito entre justiça e amor. Se o homem escolhe pecar, merece por isso castigo (justiça). Por outro lado, Deus não quer que esse castigo lhe seja inflingido e dá Ele próprio uma solução (amor).
Jesus, não tendo pecado (e por isso não merecendo justamente o castigo – morte), ofereceu-se como substituto e foi morto.

2) O que raio mudou com a morte de Cristo? De que forma fomos salvos? (Sem contar com o facto de ter originado uma nova religião e o logótipo para esta)
Somos salvos porque ao reconhecermos que merecemos o castigo por sermos pecadores perante um Deus Santo e ao aceitar o Seu domínio nas nossas vidas, somos tornados justos aos olhos de Deus. Os pecados são apagados e assim já não merecemos castigo, pela graça dEle.

É isso. Não pretendo convencer-te, queria apenas esclarecer as tuas dúvidas se são sinceras🙂.

Um abraço!*

Comentar por JoanaPaz

JoanaPaz,

Em primeiro lugar devo dizer que, apesar do meu comum tom de gozo, a dúvida é sincera.

Mas todos as respostas que me dão são um apelo a emoções pelo sofrimento ou pela promessa de vida eterna/ameaça de sofrimento eterno. Contudo, tudo isto é assente em nada. Zero. A última, não só porque nem sequer à provas de que sejam verdade, como mesmo que fossem não passavam de uma forma de manipulação barata para levar outras a fazer o que outra alguém quiser. E o apelo ao sofrimento de Cristo porque não existe nenhuma razão lógica por trás disso. Vou exemplificar com a tua resposta:

“Jesus, não tendo pecado (e por isso não merecendo justamente o castigo – morte), ofereceu-se como substituto e foi morto.”

Substituto a quê? Qual é a ameaça e de onde ela vem? Quem está por trás dessa ameaça?

“Somos salvos porque ao reconhecermos que merecemos o castigo por sermos pecadores perante um Deus Santo e ao aceitar o Seu domínio nas nossas vidas, somos tornados justos aos olhos de Deus. Os pecados são apagados e assim já não merecemos castigo, pela graça dEle.”

Mais uma vez parece que vais buscar um clichê qualquer e estampas isso na resposta. Mas onde entra Cristo aqui no meio? A tua resposta podia ter sido escrita por um judeu.

Comentar por gnomo

Gnomo
Eu vou repetir o que enviei linhas acima: “Se com tua boca confessares a Jesus como Senhor e em teu coração creres que Deus o ressucitou dos mortos serás salvo” Rm 10,9 Agora, daqui para frente você decide.Se aceita ou rejeita.Se crê ou desacredita.Mas o texto sagrado diz que quem não tem o filho(Jesus) não têm a vida,mas a ira de Deus sobre ele permanece. A Bíblia diz que rejeitar a Cristo é se condenar ao inferno.Compete a ti decidir.

Comentar por José David Filho

Ah, que bom que a dúvida é sincera! Para mim uma pergunta só faz sentido quando pretendemos de facto saber a resposta. Acho uma tolice pessoas que se dão ao trabalho de perder tempo a perguntar coisas que nem querem saber.

Bem, o sofrimento de Cristo não funciona como apelo emocional, não tem que ser visto assim.
Quanto à vida/morte eterna, se a Bíblia for verdadeira, são realidades para as quais temos que estar alertados. Não é apelo também.

’Substituto a quê? Qual é a ameaça e de onde ela vem? Quem está por trás dessa ameaça?’
Meu substituto. Eu peco, eu mereço castigo. Ele substituiu-me nesse castigo.
E não é ameaça, é justiça.
Deus diz: ‘Sou Justo. Arrepende-te ou vou ter que fazer justiça.’ Isto não e uma ameaça, é um aviso de amor (uma vez que Ele dá imensas oportunidades de escapar ao castigo que o meu pecado merece). Ele não se agrada na morte do ímpio, mas sim que ele se converta e viva (ler Ez.33)

‘Mais uma vez parece que vais buscar um clichê qualquer e estampas isso na resposta. Mas onde entra Cristo aqui no meio? A tua resposta podia ter sido escrita por um judeu’
Hum, parece mas não é,😛. Como não entra? Então:
– Cristo oferece-se para pagar o meu castigo
– Eu aceito isso
– Deus já não castiga o meu pecado em mim, porque fê-lo em Cristo. Sou feita justa aos seus olhos (porque agora Ele vê-me através de Cristo)

Comentar por JoanaPaz

Darcy:

1 – Esqueceu de comentar o art. 405, CPC.

2 – Presunção juris tantum é que pode ser afastada.

3 – As prova testemunhal só é válida se preenchidos os requisitos legais, por exemplo, de não ser suspeita (art. 405 CPC). E o seu texto trata é das testemunhas válidas.

4 – Se pode provar tese cristã apenas com depoimentos de cristãos, pode-se provar tese mulçumana apenas com depoimento de mulçumanos.

Comentar por Clayton Luciano

“1 – Esqueceu de comentar o art. 405, CPC.”

Não esqueci. As “analogias” assim como as parábolas têm seus limites contextuais.
O artigo em nada altera o fato de que a “regra” na experiência humana – veracidade no dia-a-dia – é o fundamento do próprio instituto da presunção (é essa realidade que deve ser considerada na “analogia”, já que se trata de análise de um fato histórico, e não de um julgamento, embora essa realidade tenha fundamentado a presunção, usada nos procedimentos processuais).

“2 – Presunção juris tantum é que pode ser afastada.”

E a presunção juris et de jure é a que decorre da lei . Ambas não afastam o fato de que a “regra geral” para o cotidiano da sociedade é a confiança e não o ceticismo, e essa “regra” é o fundamento do próprio instituto da presunção. A manifestação pseudo-padrão hiperceticista é anti-natural e anti-civilizatória.
Mas se quiser levar a “analogia” arbitrariamente a extremos, é sua opção. Para cada associação arbitrária que queira “colar” ao testemunho dos evangelistas, posso apontar outra associação em relação ao teu hiperceticismo anti-civilizatório. Não vão me faltar exemplos nem na doutrina e nem na jurisprudência.

“3 – As prova testemunhal só é válida se preenchidos os requisitos legais, por exemplo, de não ser suspeita (art. 405 CPC).”

Um fato ocorrido não o deixa de ser em razão de ter sido preenchido ou não preenchido qualquer requisito legal por qualquer testemunha.
E as exceções são “criticadas” desde a década de 40, seja por doutrina seja por jurisprudência:
Um exemplo (e recente) para os dois casos:

São suspeitos:
“b) O que, por seus costumes, não for digno de fé.
O dispositivo é de evidente conteúdo preconceituoso, e de duvidosa constitucionalidade. Primeiro, porque não se trata de um critério objetivo de avaliação, pois os costumes se referem à vida da pessoa, e não a seu comportamento enquanto testemunha. Será a prostituta indigna de fé para testemunhar sobre a colisão de veículos, ou o ébrio contumaz que, no momento dos fatos, estava sóbrio? Segundo, porque é discriminatório e vexatório rechaçar o depoimento de uma testemunha por ser indigna de fé. Em verdade, o critério para aferição da sinceridade do depoimento há de ser objetivo, verificando-se se, na causa em exame, a testemunha disse ou não a verdade, independentemente de sua vida ou costumes.”
Curso Avançado de Processo Civil – Luiz Rodrigues Wambier (p. 472)

“E o seu texto trata é das testemunhas válidas.”

Trata das testemunhas válidas e das razões porque a prova é válida e praticamente universal (e estou usando “praticamente” apenas por cautela).

“4 – Se pode provar tese cristã apenas com depoimentos de cristãos, pode-se provar tese mulçumana apenas com depoimento de mulçumano.”

Sei que é fácil trocar muçulmano por “mulçumano”. Mas tratando-se de religião, de vez em quando também é bom variar os exemplos: “se se pode provar tese muçulmana apenas com depoimento de muçulmanos, pode-se provar a tese evoilusionista apenas com depoimentos dos crentes evoilusionistas hipercéticos seletivos ao cristianismo.”

Então, seguindo a tua lógica, apenas quando o Sabino e todos os outros não-evoilusionistas “depuserem” a favor da regilião naturalista, ela passará a ser “provada” (Vamos esperar).

A “tese” cristã (dependendo do que se considere “tese” aqui) é histórica, foi e é aberta a investigação pública, a cristãos e não-cristãos, sendo o verdadeiro “tribunal” a mente (e o coração) de cada um:

“Porque o rei, diante de quem falo com ousadia, sabe estas coisas, pois não creio que nada disto lhe é oculto; porque isto não se fez em qualquer canto. ” Atos 26:26 (Discurso de Paulo ao Rei Agripa e a Festo)

Comentar por Darcy

Darcy:

Vou fazer uma demonstração prática do valor de uma prova testemunhal suspeita:

A ressurreição é algo atualmente tido com impossível de acontecer e voce quer provar uma ressurreição com depoimentos de cristãos que tem interesse que a ressurreição fique provada.

Então por testemunhas cristãs voce quer afastar uma atual certeza científica de que a ressurreição é impossível de acontecer.

Seria o mesmo que tentar afastar uma certeza provada por vários meios de que uma pessoa é traficante utilizando SOMENTE depoimentos dos comparsas deste traficante que afirmam que tal suposto traficante não trafica drogas.

1 – Nos dois casos tem-se uma certeza contrária ao que quer se provar,

2 – Nos dois casos há imensa probabilidade das testemunhas terem interesse no resultado da investigação.

“O artigo em nada altera o fato de que a “regra” na experiência humana – veracidade no dia-a-dia – é o fundamento do próprio instituto da presunção (é essa realidade que deve ser considerada na “analogia”, já que se trata de análise de um fato histórico, e não de um julgamento, embora essa realidade tenha fundamentado a presunção, usada nos procedimentos processuais).”

O que o art.405 demonstra é que há limites na confiabilidade da prova testemunhal, por isso ele institui de forma indireta os requisitos para que uma prova testemunhal seja válida.

“Um fato ocorrido não o deixa de ser em razão de ter sido preenchido ou não preenchido qualquer requisito legal por qualquer testemunha.”

A questão não é se o fato ocorreu ou não e sim o reconhecimento de que o fato ocorreu ou não. As fadas podem ter criado o mundo, só que isto não será reconhecido tão cedo.

“Trata das testemunhas válidas e das razões porque a prova é válida e praticamente universal (e estou usando “praticamente” apenas por cautela).”

Suas testemunhas não são válidas, é como provar o empirismo atual de Jesus somente com pastores que tem interesse no resultado da demanda.

“Sei que é fácil trocar muçulmano por “mulçumano”. Mas tratando-se de religião, de vez em quando também é bom variar os exemplos: “se se pode provar tese muçulmana apenas com depoimento de muçulmanos, pode-se provar a tese evoilusionista apenas com depoimentos dos crentes evoilusionistas”

A discussão é sobre a ressurreição e do mais a TE está ampoarada pelo método científico.

“Então, seguindo a tua lógica, apenas quando o Sabino e todos os outros não-evoilusionistas “depuserem” a favor da regilião naturalista, ela passará a ser “provada” (Vamos esperar).”

O método científico serve para afastar religião da ciência. Se pelo método científico os cristãos provarem a ressurreição, ela será aceita.

“A “tese” cristã (dependendo do que se considere “tese” aqui) é histórica, foi e é aberta a investigação pública, a cristãos e não-cristãos, sendo o verdadeiro “tribunal” a mente (e o coração) de cada um:”

Uma coisa é existência de Jesus e outra é a ressurreição.

Comentar por Clayton Luciano

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. – Hebreus 11:1
Comentário por Romano Lima Aros Abril 8, 2010 @ 1:07 am

E isto inclui:
Big Bang, abiogênese, peixes-anfíbios, anfíbios-répteis, répteis-aves, répteis-mamíferos, homens-macacos, ratos-baleias e outras demonstrações de fé igualmente fervorosas.

Comentar por Isaias S. OLiveira

Sabino, uma sugestão para um artigo:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u688225.shtml

Comentar por MVR

Luciano,

“Se…”
O que foi dito é que ninguém sofre e morre só por uma coisa que sabe de antemão que é mentira. O que é que ganhavam com isso?

“Como é improvável supostas alucinações de evangélicos conversando com Cristo ao mesmo tempo em todas as igrejas (rs)”
– Alucinações não são experimentadas por grupos (e ‘conversar’ e ‘ver’ é diferente). Mesmo que quisesses assumir inúmeras alucinações, continuavas com o problema de ‘onde estava o corpo?’.
– Continuas a agarrar-te apenas a este ponto, também seria interessante refutares todos os outros =).

Os discípulos são mentirosos e todos eles aceitaram alegremente morrer por essa mentira? (Por alguma razão inexplicável resolveram esconder o corpo para eles próprios serem brutalmente agredidos, desprezados e mortos?)
Então, foram enganados?
Jesus não morreu? Só tinha desmaiado?

Onde está o corpo de Hitler
Onde estão as testemunhas que o viram vivo??

Comentar por JoanaPaz

Joana:

“O que foi dito é que ninguém sofre e morre só por uma coisa que sabe de antemão que é mentira. O que é que ganhavam com isso?”

O mesmo que os homens-bomba ganham.

“Alucinações não são experimentadas por grupos (e ‘conversar’ e ‘ver’ é diferente).”

Aqui na minha cidade eles dizem que veem mesmo (empírico), logo há grandes chances de ser o mesmo caso.

“Mesmo que quisesses assumir inúmeras alucinações, continuavas com o problema de ‘onde estava o corpo?’.”

1 – Se ele existiu,

2 – Coisa mais fácil que existe e fazer desaparecer um corpo,

3 – Está junto do corpo de Hitler.

“Continuas a agarrar-te apenas a este ponto, também seria interessante refutares todos os outros”

Que outros?

“Os discípulos são mentirosos e todos eles aceitaram alegremente morrer por essa mentira?”

Os evangélicos da minha cidade, se preciso, morrem para afirmar que Cristo aparece para eles,

“(Por alguma razão inexplicável resolveram esconder o corpo para eles próprios serem brutalmente agredidos, desprezados e mortos?)”

Não invertas as coisas querida, esta da ressurreição é justamente para provar a tese cristã e não para causar a morte de cristãos.

“Então, foram enganados?”

Quem sabe,

“Jesus não morreu? Só tinha desmaiado?”

1 – Ou nem existiu,

2 – Ou consumiram o corpo dele para provar a tese,

3 – Ou nem morreu desta forma, pois, nem eu e voce estavamos lá.

“Onde está o corpo de Hitler
Onde estão as testemunhas que o viram vivo??”

1 – No mesmo lugar das testemunhas do corpo de Jesus,

2 – Isto que te expus, não foi para te dizer que Hitler ressuscitou gracinha, foi para te dizer que nem todo mundo que morre, se tem o corpo.

Comentar por Clayton Luciano

Repara, Luciano
Os homens-bomba para quem apelas, ou os ‘evangélicos da tua cidade’, fazem o que fazem por acreditarem no que acreditam. Os cristãos do I século morreram, não por serem mentirosos, mas por acreditarem que Jesus tinha ressuscitado. Então, a tua dúvida só pode ser se eles contaram o que acreditavam ser verdade ou o que foi de facto verdade (e nota também que os cristãos do I século eram mortos, não se suicidavam). Confundes enganados com enganadores.

Bem, o “se ele existiu” deixo contigo pesquisares sobre o assunto. Há material suficiente, ajudinha do sabino.

Como já disse, o “fazer desaparecer o corpo” implicaria serem mentirosos.

“Que outros?”
Os que apresentei imediatamente abaixo.

‘ “(Por alguma razão inexplicável resolveram esconder o corpo para eles próprios serem brutalmente agredidos, desprezados e mortos?)”
Não invertas as coisas querida, esta da ressurreição é justamente para provar a tese cristã e não para causar a morte de cristãos. ’

Hum?
E eles foram mortos porquê? Porque acreditavam. E acreditavam porquê? Ou porque foram enganados ou porque foi verdade.

‘ “Então, foram enganados?”
Quem sabe, ’

Se foram enganados [não eram enganadores] quem roubou o corpo? Onde ele estava? Ninguém mais tinha proveito em roubá-lo. Se não foram eles (visto não serem mentirosos)… Então?

“2 – Isto que te expus, não foi para te dizer que Hitler ressuscitou gracinha, foi para te dizer que nem todo mundo que morre, se tem o corpo.”
Eheh, e eu disse isso?😛
Era o que faltava, qualquer corpo que desaparecesse significava que tinha ressuscitado… xD

Comentar por JoanaPaz

Joana:

“Os homens-bomba para quem apelas, ou os ‘evangélicos da tua cidade’, fazem o que fazem por acreditarem no que acreditam.”

Voce está acreditando nos cristãos de dois mil anos atráz e desacreditando nos de hoje, os evangélicos daqui veem empíricamente Jesus, então está provado, pelos seus moldes, que Jesus já retornou.

“Os cristãos do I século morreram, não por serem mentirosos, mas por acreditarem que Jesus tinha ressuscitado.”

Em todas as religiões pessoas morreram para defender sua fé. Isto não é um diferencial para sua religião.

“Então, a tua dúvida só pode ser se eles contaram o que acreditavam ser verdade ou o que foi de facto verdade (e nota também que os cristãos do I século eram mortos, não se suicidavam). Confundes enganados com enganadores.”

Nos dois casos, homens bomba e cristãos do século I, há a perda da vida pela religião.

“Bem, o “se ele existiu” deixo contigo pesquisares sobre o assunto. Há material suficiente, ajudinha do sabino.”

Se existiu e foi apenas um político não há motivos para tanta dúvida, pois antes religião e política eram praticamente fundidas.

“Como já disse, o “fazer desaparecer o corpo” implicaria serem mentirosos.”

Para um corpo desaparecer não precisa de que todos sejam mentirosos, os cristãos já tem interesse na prova da ressurreição, basta uma pessoa fazer o corpo desaparecer e a ressurreição estará provada para os Cristãos.

“E eles foram mortos porquê? Porque acreditavam. E acreditavam porquê? Ou porque foram enganados ou porque foi verdade.”

Pegunta isto aos homens-bombas, a resposta é a mesma.

“Eheh, e eu disse isso?
Era o que faltava, qualquer corpo que desaparecesse significava que tinha ressuscitado… xD”

Se o de Jesus desaparece foi ressurreição, se o de Hitler desaparece não foi ressurreição (é arbitrário).

Comentar por Clayton Luciano

“Milhões de pessoas veem Jesus e conversam com ele, ao mesmo tempo, em igrejas evangélicas espalhadas pelo mundo, isto leva a uma grande possibilidade da ressurreição ter se dado nos mesmos moldes.”

Científicamente falando estas pessoas podem ter visto Jesus simplesmente porque estavam por sua idéia pré-concebida pela crença desejosos em vê-lo. Neste caso há um sentimento de excitação. No caso dos apóstolos havia um sentimento de tristeza e decepção resultando em incredulidade. Isto não gera a alucinação.Também está científicamente provado que alucinações não mudam a maneira de ser do índivíduo como ocorreu com os apóstolos. Pessoas com distúrbio mental quando confrontadas sobre sua alucinação acabam negando a sua veracidade.
Além do luto, ainda havia a perseguição das autoridades judaicas.Tomaram precaução de providenciar que o corpo de Jesus fosse guardado. Se os discípulos tentassem roubá-lo seriam mortos. Não tinham condição nem material, física ou psicológica de enfrentar os soldados.

“Se o de Jesus desaparece foi ressurreição, se o de Hitler desaparece não foi ressurreição (é arbitrário).”
Quanto ao exemplo de Hitler ninguém diz tê-lo visto,não há testemunhos como é o caso de Jesus.
Contudo tais coisas permanecem no campo da fé. Acredita quem quiser.

Comentar por José David Filho

José David:

“Científicamente falando estas pessoas podem ter visto Jesus simplesmente porque estavam por sua idéia pré-concebida pela crença desejosos em vê-lo.”

Quando alguém morre as pessoas que gostam dele tem desejo de ver esta pessoa em vida novamente,

“Neste caso há um sentimento de excitação. No caso dos apóstolos havia um sentimento de tristeza e decepção resultando em incredulidade.”

incredulidade porque se o próprio Jesus disse que ele iria voltar. Nada do que aconteceu seria motivo de incredulidade, pois não foi uma surpresa.

“Também está científicamente provado que alucinações não mudam a maneira de ser do índivíduo como ocorreu com os apóstolos.”

Onde está isto na Bíblia?

“Pessoas com distúrbio mental quando confrontadas sobre sua alucinação acabam negando a sua veracidade.”

Quando não se está previsto, ou está fora do que se espera.

“Além do luto, ainda havia a perseguição das autoridades judaicas.Tomaram precaução de providenciar que o corpo de Jesus fosse guardado. Se os discípulos tentassem roubá-lo seriam mortos. Não tinham condição nem material, física ou psicológica de enfrentar os soldados.”

1 – Guardar bem um corpo que os romanos tinham como de um simples criminoso?

2 – O cristianismo serviu para controle social pelo governo, só este fato traz incredibilidade para qualquer coisa que se alegue sobre religião.

“Quanto ao exemplo de Hitler ninguém diz tê-lo visto,não há testemunhos como é o caso de Jesus.”

Eu o vi (Hitler) e mais cem amigos meus o viram aqui outro dia, logo ele ressuscitou.

Comentar por Clayton Luciano

Luciano,

É interessante acompanhar os teus debates. Enquanto lemos os teus comentários vamo-nos perguntando: “Será que ele acredita mesmo no que está a dizer”?.

Quando alguém morre as pessoas que gostam dele tem desejo de ver esta pessoa em vida novamente,”
Estranho, porém, que aches que de um ponto de vista histórico o “desejo por ver alguem de novo vivo” seria o suficiente para causar o boom cristão no 1º e 2º séculos, apesar de os cristãos estarem debaixo da espada, perseguição, tortura e morte. O “desejo de o ver novamente vivo” é dificil de encaixar nas pessoas que eram anti-Jesus, como Saulo de Tarso, que não desejavam ve-lo novamente. Mas o grande Luciano o diz, é porque deve ser.

“1 – Guardar bem um corpo que os romanos tinham como de um simples criminoso?”

Jesus não era um simples criminoso. Pensa um bocadinho (faz um desenho à medida que fores lendo isto, se ajudar). Pensa como um romano: aqueles fanáticos seguidores de Jesus estavam mortinhos para que chegasse o 3º dia e eles pudessem anunciar que Jesus estava vivo novamente. Logo, o que é que um governador romano iria fazer? Assegurar-se que ninguém roubava o corpo de Jesus para depois os fanáticos poderem dizer que ele tinha ressuscitado. Se um soldado romano destacado para guardar um corpo (e logo o de Jesus, aquele que reuniu muitos fanáticos loucos) que cometesse algum tipo de negligência, o mais certo era pagar com a vida e a sua familia também poderia pagar com a vida (isto está registado em livros que abordem o tópico do direito penal romano).

A pergunta que tens de fazer é: por que não exumaram o corpo e acabaram com os delírios dos fanáticos? Não havia corpo porque, ignorando o que foi dito sobre a guarda romana, foi roubado? E já conheceste alguém (vá, alguns milhares de pessoas) que se dispos a ser queimada, comido vivo por leões, apredejado, etc, por algo que SABE SER MENTIRA?

“2 – O cristianismo serviu para controle social pelo governo, só este fato traz incredibilidade para qualquer coisa que se alegue sobre religião”

O Luciano não se cansa de escamotear a sua ignorância. Em que documentos históricos clássicos se encontram registadas estas alegações (lamento, zeitgest não é documento histórico)?

“Eu o vi (Hitler) e mais cem amigos meus o viram aqui outro dia, logo ele ressuscitou.”

Por que será que em plena era Youtube, Televisao, radio, twitter, facebook, não ouvi tamanha noticia anunciada? Tenho para mim que o Luciano e os mais 100 amigos que julgaram que as substancias psicotropicas eram água.

Não se ganha muito em discutir contigo. Os teus argumentos ainda são de ateu básico ou ateu nível 1. Não dá pica. No entanto, convém fazê-lo de vez em quando para quem aparece por aqui pela 1ª vez não pensar, erradamente, que és um grande erudito.

Melhores cumprimentos

Comentar por alogicadosabino

Sabino:

“Estranho, porém, que aches que de um ponto de vista histórico o “desejo por ver alguem de novo vivo” seria o suficiente para causar o boom cristão no 1º e 2º séculos, apesar de os cristãos estarem debaixo da espada, perseguição, tortura e morte. O “desejo de o ver novamente vivo” é dificil de encaixar nas pessoas que eram anti-Jesus, como Saulo de Tarso, que não desejavam ve-lo novamente. Mas o grande Luciano o diz, é porque deve ser.”

Quantas pessoas entraram numa igreja evangélica e se converteu porque viu/sentiu/ouviu Cristo? Paulo pode ter sido só mais um.

“Jesus não era um simples criminoso. Pensa um bocadinho (faz um desenho à medida que fores lendo isto, se ajudar). Pensa como um romano: aqueles fanáticos seguidores de Jesus estavam mortinhos para que chegasse o 3º dia e eles pudessem anunciar que Jesus estava vivo novamente. Logo, o que é que um governador romano iria fazer? Assegurar-se que ninguém roubava o corpo de Jesus para depois os fanáticos poderem dizer que ele tinha ressuscitado.”

1 – Só que esta ressurreição se tivesse acontecido, estaria excessivamente destacada por todos os histotiadores da época. Nem mesmo a contagem dos séculos começou com a morte de Jesus, o que veio a ser adotado séculos mais tarde.

2 – O governador teria assegurado a guarda do corpo se ele tivesse o cristianismo como uma grande ameaça. Esta ameaça só veio a ocorrer após a morte de Cristo, quando ele morreu, o cristianismo não era ainda uma ameaça de peso.

3 – Para que ressuscitar e sair correndo pro céu? Ele poderia ter ressuscitado e ficado um tempão aqui p todo mundo ve-lo. Esta estória/história é igual a de naves alenígenas, que só aparecem onde não tem quase ninguém.

“Se um soldado romano destacado para guardar um corpo (e logo o de Jesus, aquele que reuniu muitos fanáticos loucos) que cometesse algum tipo de negligência, o mais certo era pagar com a vida e a sua familia também poderia pagar com a vida (isto está registado em livros que abordem o tópico do direito penal romano).”

O dinheiro sempre comprou tudo, e além do mais na época não tinham motivos nenhum para guardar o corpo de Jesus com tanta segurança.

“O Luciano não se cansa de escamotear a sua ignorância. Em que documentos históricos clássicos se encontram registadas estas alegações (lamento, zeitgest não é documento histórico)?”

1 – Desenvolvido para controle é diferente de ser criado para controle.

2 – Se a Igreja católica estava no poder controlando o mundo ocidental ela usou o que? o islã?

“Por que será que em plena era Youtube, Televisao, radio, twitter, facebook, não ouvi tamanha noticia anunciada? Tenho para mim que o Luciano e os mais 100 amigos que julgaram que as substancias psicotropicas eram água.”

Hitler nos pediu segredo.

Comentar por Clayton Luciano

”Em todas as religiões pessoas morreram para defender sua fé. Isto não é um diferencial para sua religião.”
Óbvio, Luciano. Repito: as pessoas podem sofrer e morrer para defender uma mentira que eles acreditam ser uma verdade ou para defender uma verdade que é de facto verdade (foi só para não repetir o ‘ninguém sofre e morre por algo que sabe ser mentira. Quanto muito pode ter sido enganado’).

Não vejo sentido em continuar a repetir as mesmas respostas… mas pela última vez deixo os pontos principais que já desenvolvi:
1– Os discípulos eram mentirosos?
~ Sim: há que explicar porque sofreriam e morreriam por algo que sabiam ser mentira. Com que objectivo? “Por alguma razão inexplicável resolveram esconder o corpo para eles próprios serem brutalmente agredidos, desprezados e mortos.”
~ Não: então, ou foram enganados (e aquilo que contaram era mentira), ou não (e o que contaram aconteceu de verdade).

2– Os discípulos foram enganados?
~ Sim: como?
~~ Tiveram alucinações? (alucinações não são experimentadas em grupo, mas individualmente; Jesus foi visto e tocado, por um período de 40 dias, por várias pessoas em simultâneo ou não, em vários locais; não havia corpo)
~~ Enganaram-se no túmulo? (os judeus tratavam de os relembrar, até porque o túmulo pertencia a um deles; e como se explicam as apresentações de Jesus vivo?)
~~ Jesus não tinha morrido? (os romanos declararam-no morto; Jesus foi embalsamado; com o tratamento recebido antes e na cruz, mesmo que acontecesse o milagre de se sobreviver, Jesus nunca surgiria com ‘bom aspecto’, a ponto de ser reconhecido como Senhor e Deus)
~~ Os discípulos roubaram o corpo? (não, isso implicava que eram mentirosos; como passariam pela guarda romana?; como se explicam as apresentações de Jesus vivo?)
~~ A fé dos discípulos levou-os a crer na ressurreição? (não, eles também não acreditaram antes de o ver; se não tivessem plena certeza do que afirmavam não iam sofrer horrores e morrer por isso)
~ Não: então, Jesus de facto ressuscitou.

Um dia faço um esquema😀.

Qualquer coisa, email me,
Um abraço!**

Comentar por JoanaPaz

Joana:

Eu também não vejo sentido em continuar a repetir as mesmas respostas… mas pela última vez deixo os pontos principais que já desenvolvi:

1 – Alguém que estava lá na suposta ressurreição escreveu algum livro? Não, quem escreveu foi a testemunha da suposta testemunha. Então a Bíblia reflete os comentários da época.

2 – O povo aumenta? Sim. Se uma pessoa conversou com Jesus da forma que conversam nas igrejas evangélicas, como chegaria a anfirmação do outro lado da cidade? Que Jesus ressuscitou.

3 – A alegação da ressurreição foi para causar mortes em cristãos? Não, foi para impedir estas mortes que estavam em andamento.

4 – O mais importante, se esta ressurreição fosse verídica e tão verdadeira como voce alega, por que as própiros judeus não acreditam nela. Dois mil anos depois voce tem certeza de que esta ressurreição aconteceu e a grande parcela dos judeus que viveram na época não acreditaram nela.

Comentar por Clayton Luciano

“Alguém que estava lá na suposta ressurreição escreveu algum livro? Não, quem escreveu foi a testemunha da suposta testemunha. Então a Bíblia reflete os comentários da época.”
“O povo aumenta? Sim. Se uma pessoa conversou com Jesus da forma que conversam nas igrejas evangélicas, como chegaria a afirmação do outro lado da cidade? Que Jesus ressuscitou.”

O ditado: “Quem conta um conto aumenta um ponto” não se aplica aqui.Isto se aplica em caso de fofoca, maledicência
Os evangelhos foram escritos com base em relatos e sob supervisão de testemunhas oculares.Foram mais de 500. Era toda uma comunidade pronta para corrigir qualquer erro.O objetivo era preservar a fé e a doutrina, coisa séria. Estudos sobre culturas antigas apontam que esta forma de preservar tradições e conhecimento era muito eficaz. Memorizar e registrar sob supervisão de uma comunidade de testemunhas oculares.
O caso das Igrejas evangélicas é experiência no campo subjetivo, pessoas isoladas em diferentes contextos. Os discípulos viram e tocaram em Cristo. Isto tanto em reuniões como em particular. Este ver e tocar é algo físico e não místico ou espiritual.

“A alegação da ressurreição foi para causar mortes em cristãos? Não, foi para impedir estas mortes que estavam em andamento”
Ou com alegação de ressurreição ou não os judeus odiavam a Jesus e seus seguidores e estavam dispostos a acabar com eles. O martírio dos apóstolos atesta suas honestidades.

“O mais importante, se esta ressurreição fosse verídica e tão verdadeira como você alega, por que as própiros judeus não acreditam nela. Dois mil anos depois você tem certeza de que esta ressurreição aconteceu e a grande parcela dos judeus que viveram na época não acreditaram nela.”

A razão dos demais judeus não crerem em Jesus são as mesmas da maioria dos demais seres humanos.Sobre isto Jesus disse:” A condenação é esta: Veio a luz ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz,porque as suas obras eram más. Todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para luz para que suas más obras não sejam reprovadas. Jo 3,19-20

Comentar por José David Filho

Luciano:

Repetindo: as analogias têm seus limites. O Direito é muito amplo e as tuas associações arbitrárias dão ocasião para iguais divagações com todo tipo de relações e arbitrariedades (quem representa o juiz, quem ou o que está sendo julgado, quem são as testemunhas, quem é suspeito, quem não é etc). Mas não vou muito longe.

“Vou fazer uma demonstração prática do valor de uma prova testemunhal suspeita”

Acho que já aprendeu muito sobre o valor da prova testemunhal, mas vamos ver onde chegamos com o acréscimo da palavra “suspeita”.

“A ressurreição é algo atualmente tido com impossível de acontecer”

Somente para quem assinou o contrato de adesão com o naturalismo/materialismo e está proibido de pensar de outra forma.

Eu não assinei. Portanto, sou livre para examinar as evidências do passado ou as que vierem a ser apresentadas no futuro. A questão não é se PODE acontecer, mas se aconteceu?

“voce quer provar uma ressurreição com depoimentos de cristãos que tem interesse que a ressurreição fique provada.”

E você quer desacreditar o depoimento de cristãos não se sabe com o quê porque tem também interesse ( e que interesse!) em que a ressurreição não seja “provada”. (As “provas” já estão produzidas. Eu sou o juiz).

“Então por testemunhas cristãs voce quer afastar uma atual certeza científica de que a ressurreição é impossível de acontecer.”

O teu contrato de adesão te obriga a dizer cada uma. É sintomático que um hipercético encontre agora uma certeza ( e científica!!) quando o interesse é negar a ressurreição. Certeza científica aplicada à ressurreição como “impossível” de acontecer é uma heresia. Heresia científica, porque a ciência não tem o “poder” para te garantir isso, e teológica: “Por que se julga incrível entre vós que Deus ressucite mortos? Atos 26:8.

Independentemente disso, os que testemunharam os eventos (porque são vários) relacionados com a ressurreição tiveram a certeza de que ela ocorreu de fato, certeza adquirida à parte de métodos científicos formais, mas nem por isso menos certeza.

“Seria o mesmo que tentar afastar uma certeza provada por vários meios de que uma pessoa é traficante utilizando SOMENTE depoimentos dos comparsas deste traficante que afirmam que tal suposto traficante não trafica drogas.”

Seria o mesmo que tentar afastar uma certeza afirmada por várias testemunhas de que Cristo ressucitou utilizando SOMENTE depoimentos (vazios) dos comparsas daqueles que não querem que a ressurreição seja verdadeira.

“1 – Nos dois casos tem-se uma certeza contrária ao que quer se provar,”

Originalmente, a ressurreição é uma certeza contrária aos que querem provar, sem sucesso, que ela não aconteceu.

“2 – Nos dois casos há imensa probabilidade das testemunhas terem interesse no resultado da investigação.

Catalogando mais esse ingênuo argumento “me-engana-que-eu-gosto” de que São Luciano e os que querem desesperadamente negar a ressurreição não têm interesse no resultado da investigação.

Eu:“O artigo em nada altera o fato de que a “regra” na experiência humana – veracidade no dia-a-dia – é o fundamento do próprio instituto da presunção (é essa realidade que deve ser considerada na “analogia”, já que se trata de análise de um fato histórico, e não de um julgamento, embora essa realidade tenha fundamentado a presunção, usada nos procedimentos processuais).”

Luciano: “O que o art.405 demonstra é que há limites na confiabilidade da prova testemunhal, por isso ele institui de forma indireta os requisitos para que uma prova testemunhal seja válida.”

A regra geral é a confiabiliade e vale para todos. As restrições, que em nada afetam o fundamento da regra geral, também valem para todos. Não se iluda: os cristãos não são chamados de “suspeitos” pela lei e os não-cristãos de “santos desinteressados”. É o teu enorme “interesse na causa” que arbitrária, grosseira e escandalosamente (nem digo sutilmente) quer rotular os evangelistas como suspeitos por padrão.

“A questão não é se o fato ocorreu ou não e sim o reconhecimento de que o fato ocorreu ou não. As fadas podem ter criado o mundo, só que isto não será reconhecido tão cedo.”

Fadas combinam com transformação de sapos em príncipes (“evoilusionismo”). História, geografia, arqueologia, documentos e testemunhos valiosos do passado estão abertos ao exame dos que queiram investigar as evidências dos fatos sem “enterrar a cabeça na areia”.

Eu: “Trata das testemunhas válidas e das razões porque a prova é válida e praticamente universal (e estou usando “praticamente” apenas por cautela).”

Luciano: “Suas testemunhas não são válidas, é como provar o empirismo atual de Jesus somente com pastores que tem interesse no resultado da demanda.”

Minhas testemunhas são minhas testemuhas, são válidas e respondem só por elas. E repetindo: Catalogando mais esse ingênuo argumento “me-engana-que-eu-gosto” de que São Luciano e os que querem desesperadamente negar a ressurreição não têm interesse no processo.

Eu: “Sei que é fácil trocar muçulmano por “mulçumano”. Mas tratando-se de religião, de vez em quando também é bom variar os exemplos: “se se pode provar tese muçulmana apenas com depoimento de muçulmanos, pode-se provar a tese evoilusionista apenas com depoimentos dos crentes evoilusionistas”

Luciano: “A discussão é sobre a ressurreição e do mais a TE está ampoarada pelo método científico.”

O Michael Ruse também não gostou quando o feitiço se voltou contra o feiticeiro, mas depois admitiu: “a evolução é uma religião”. Enquanto a ciência vai utilizando o método para investigar, o “evoilusionismo” não precisa do método científico para montar suas historinhas, precisa apenas para se “amparar”/”encostar” nele e “usá-lo” como recurso retórico “me-engana-que-eu-gosto”.

Eu: “Então, seguindo a tua lógica, apenas quando o Sabino e todos os outros não-evoilusionistas “depuserem” a favor da regilião naturalista, ela passará a ser “provada” (Vamos esperar).”

Luciano: “O método científico serve para afastar religião da ciência. Se pelo método científico os cristãos provarem a ressurreição, ela será aceita.”

Errado, como qualquer pessoa bem informada pode saber. O método científico serve para fazer ciência. E os que o desenvolveram não endossam essa tua ilusão. Muito menos a de que a ressurreição precisa ser provada pelo método científico para, só então, ser considerada verdadeira ou aceita.

Eu: “A “tese” cristã (dependendo do que se considere “tese” aqui) é histórica, foi e é aberta a investigação pública, a cristãos e não-cristãos, sendo o verdadeiro “tribunal” a mente (e o coração) de cada um:”

Luciano: “Uma coisa é existência de Jesus e outra é a ressurreição.”

É o teu sonho de divisão. Algumas separações só se tornam mesmo possíveis em sonhos.

Comentar por Darcy

Darcy:

“Somente para quem assinou o contrato de adesão com o naturalismo/materialismo e está proibido de pensar de outra forma.”

Se voce não desacredita as fadas, tudo bem. Pois se não seriam dois pesos e duas medidas.

“Eu não assinei. Portanto, sou livre para examinar as evidências do passado ou as que vierem a ser apresentadas no futuro. A questão não é se PODE acontecer, mas se aconteceu?”

Cada pessoa é livre para ter suas crenças, desde que não julgue os outros, pois se não poderá sofrer ataques.

“E você quer desacreditar o depoimento de cristãos não se sabe com o quê porque tem também interesse ( e que interesse!) em que a ressurreição não seja “provada”.”

Eu não tenho interesse que a ressurreição não fique provada, até porque ressurreição não prova filiação.

“O teu contrato de adesão te obriga a dizer cada uma. É sintomático que um hipercético encontre agora uma certeza ( e científica!!) quando o interesse é negar a ressurreição. Certeza científica aplicada à ressurreição como “impossível” de acontecer é uma heresia.”

Eu não disse que a ressurreição é impossivel de acontecer e sim que é atualmente TIDO como impossível de acontecer.

“Independentemente disso, os que testemunharam os eventos (porque são vários) relacionados com a ressurreição tiveram a certeza de que ela ocorreu de fato, certeza adquirida à parte de métodos científicos formais, mas nem por isso menos certeza.”

1 – Voce estava lá?

2 – Se fosse assim não existiria judaísmo e cristianismo, seriam uma só religião.

“Seria o mesmo que tentar afastar uma certeza afirmada por várias testemunhas de que Cristo ressucitou utilizando SOMENTE depoimentos (vazios) dos comparsas daqueles que não querem que a ressurreição seja verdadeira.”

Tudo é tido como inexistente até prova em contrário. Nós aqui da minha cidade já vimos uma fada, logo ela existe. Prove o contrário.

“Originalmente, a ressurreição é uma certeza contrária aos que querem provar, sem sucesso, que ela não aconteceu.”

1 – Ressurreição só prova filiação, com a prova de que Lúcifer não teria este poder.

2 – E os Judeus, por que não a ratificaram?

“Catalogando mais esse ingênuo argumento “me-engana-que-eu-gosto” de que São Luciano e os que querem desesperadamente negar a ressurreição não têm interesse no resultado da investigação.”

Voce tá achando que aqui é só chegar e falar e pronto?

“A regra geral é a confiabiliade e vale para todos. As restrições, que em nada afetam o fundamento da regra geral, também valem para todos. Não se iluda: os cristãos não são chamados de “suspeitos” pela lei e os não-cristãos de “santos desinteressados”.”

Eu não estou afirmando que Jesus não ressuscitou e sim questionando a tese que voce quer provar.

“É o teu enorme “interesse na causa” que arbitrária, grosseira e escandalosamente (nem digo sutilmente) quer rotular os evangelistas como suspeitos por padrão.”

Suspeito no sentido de ter uma opinião viciada.

“Fadas combinam com transformação de sapos em príncipes (“evoilusionismo”). História, geografia, arqueologia, documentos e testemunhos valiosos do passado estão abertos ao exame dos que queiram investigar as evidências dos fatos sem “enterrar a cabeça na areia”.”

Fatos e interpretação dos fatos, já explicados em aulas passadas.

“São Luciano e os que querem desesperadamente negar a ressurreição não têm interesse no processo.”

Eu não a nego, só não a ratifico. Fadas e ressurreição podem existir, só não estão provadas.

“O Michael Ruse também não gostou quando o feitiço se voltou contra o feiticeiro, mas depois admitiu: “a evolução é uma religião”. Enquanto a ciência vai utilizando o método para investigar, o “evoilusionismo” não precisa do método científico para montar suas historinhas, precisa apenas para se “amparar”/”encostar” nele e “usá-lo” como recurso retórico “me-engana-que-eu-gosto”.”

Ele passou para crente?

“Errado, como qualquer pessoa bem informada pode saber. O método científico serve para fazer ciência.”

Voce confundiu “foi criado para afastar a religião” com “foi criado SOMENTE para afastar a religião”. Além do mais, onde tem religião não tem ciência.

“E os que o desenvolveram não endossam essa tua ilusão. Muito menos a de que a ressurreição precisa ser provada pelo método científico para, só então, ser considerada verdadeira ou aceita.”

Com as fadas também

“É o teu sonho de divisão. Algumas separações só se tornam mesmo possíveis em sonhos”

Fazer o que, o átomo é divisível.

Comentar por Clayton Luciano

“Voce confundiu “foi criado para afastar a religião” com “foi criado SOMENTE para afastar a religião”. Além do mais, onde tem religião não tem ciência.”
Isto não é real. Muitos cientistas brilhantes foram profundamente crentes, inclusive cristãos. Acreditavam no criador: Francis Bacon, Newton, Michael Faraday, Louis Paster. Esta afirmação é preconceituosa.Expressa ódio ao cristianismo e faz de ateísmo sinônimo de sabedoria e fé de ignorância. Afirmação absolutamente falsa a luz da própria história da ciência.

Comentar por José David Filho

Os dois argumentos principais contra a ressurreição de Cristo são:
Os discipulos mentiram. Esta hipótese é refutada pelo martírio.Ninguém dá sua vida por algo que sabe ser mentira, mentira esta que não lhe traz nehum lucro, como é o caso dos apóstolos. Até os historiadores mais céticos reconhecem que os apóstolos sinceramente acreditavam na ressurreição.
A outra hipótese é que eles foram enganados.O que os levaram a crer estando tristes, decepcionados e temerosos da perseguição por parte dos seus patrícios? Os apóstolos alegam que viram e tocaram em Jesus Cristo ressurreto. Aqui entra hipótese de alucinação. Mas é fato científicamente provado que alucinações são fenômenos subjetivos e individuais,jamais coletivos. De acordo com os relatos dos apóstolos Jesus foi visto várias vezes tanto pelo grupo, como individualmente, em diferentes localidades até mesmo pelos mais céticos(como é o caso de Tomé e Tiago).
Portanto surge a pergunta: o que ou quem enganou os discípulos? O contexto político e religioso era contrário a sua crença. Entra aqui a diferença dos homens-bomba que têm apoio tanto político, como religioso, como econômico.
O filósofo William Lane Craig afirma que os que tentam dar explicação naturalista para a ressureição estão órfãos de qualquer explicação.
Rogo a qualquer comentarista deste blog que me indique texto ou artigo que explique a hipótese da ressurreição baseado no naturalismo que esteja plausível com as evidências históricas.

Comentar por José David Filho

José David:

“Isto não é real. Muitos cientistas brilhantes foram profundamente crentes, inclusive cristãos. Acreditavam no criador: Francis Bacon, Newton, Michael Faraday, Louis Paster. Esta afirmação é preconceituosa.Expressa ódio ao cristianismo e faz de ateísmo sinônimo de sabedoria e fé de ignorância. Afirmação absolutamente falsa a luz da própria história da ciência”

Estas pessoas soberam separar religião da ciência

Comentar por Clayton Luciano

José David:

“Isto não é real. Muitos cientistas brilhantes foram profundamente crentes, inclusive cristãos. Acreditavam no criador: Francis Bacon, Newton, Michael Faraday, Louis Paster. Esta afirmação é preconceituosa.Expressa ódio ao cristianismo e faz de ateísmo sinônimo de sabedoria e fé de ignorância. Afirmação absolutamente falsa a luz da própria história da ciência”

Estas pessoas souberam separar religião da ciência

Comentar por Clayton Luciano

“Estas pessoas souberam separar religião da ciência.”
os cientistas citados foram inspirados em seus trabalhos pelo conceito de uma ordem na natureza, estabelecida por um ser superior.
Nem sempre crença atrapalha ciência. Depende do tipo de crença e de como as pessoas a encaram. Evolucionismo e materialismo também são crenças que não estão inquestionavelmente provadas. As refutações criacionistas são lógicas e se baseiam em evidências científicas.
As ciências naturais não explicam tudo,como por exemplo:valores éticos.Não tem como provar científicamente que as atrocidades cometidas por Hitler estão moralmente erradas. Em nome da fé materialista foram cometidas barbaridades,tanto quanto ou mais que os religiosos, vide o comunismo ateu.
Portanto, não se pode radicalizar a dicotomia ciência X fé. Muitas vezes as duas se aliam bem. Nessa questão é preciso equilíbrio.

Comentar por José David Filho

José David:

“s cientistas citados foram inspirados em seus trabalhos pelo conceito de uma ordem na natureza, estabelecida por um ser superior.”

A pessoa pode ser inspirada por um suposto Deus, uma fada, uma guerra…etc, isso não faz a inspiração real.

“em sempre crença atrapalha ciência.”

SE souber separar não.

“pende do tipo de crença e de como as pessoas a encaram. Evolucionismo e materialismo também são crenças que não estão inquestionavelmente provadas.”

A sua existência também não está provada.

“s refutações criacionistas são lógicas e se baseiam em evidências científicas.”

mostre-as por favor.

“s ciências naturais não explicam tudo,como por exemplo:valores éticos.”

Não explicar não significa atribuir a Deusou a fadas algo que ainda não tem explicação.

“ão tem como provar científicamente que as atrocidades cometidas por Hitler estão moralmente erradas.”

SE questionar a moral do passado induz a uma moral absoluta,

Então, questionar a fabricação técnica de motores do passado, induz a uma motor absoluto.

“m nome da fé materialista foram cometidas barbaridades,tanto quanto ou mais que os religiosos, vide o comunismo ateu.”

Isso não faz o ateismo errado e nem o criacionismo certo, provas não faltam da matança teísta.

“ortanto, não se pode radicalizar a dicotomia ciência X fé. Muitas vezes as duas se aliam bem. Nessa questão é preciso equilíbrio.”

No método científico, Sua fé não entra.

Comentar por Clayton Luciano

Clayton Luciano

“Os cientistas citados foram inspirados em seus trabalhos pelo conceito de uma ordem na natureza, estabelecida por um ser superior.”

“A pessoa pode ser inspirada por um suposto Deus, uma fada, uma guerra…etc, isso não faz a inspiração real.”

O que foi dito não é que está provado que Deus existe porque inspirou os cientistas.O que foi afirmado é: a crença na existência de uma ordem na natureza determinada por um ser superior os impulsionou a realizar pesquisas e fazer descobertas. Aqui se encaixa fé.

“No método científico, Sua fé não entra.”

O método pode não ser questão de fé,mas
nenhum cientista é totalmente frio e isento. Os cientistas têm pressuposições e paixões.Isto pode influir na aferição dos resultados. Nem a ciência é verdade absoluta. Na ciência o que é verdade hoje amanhã é mentira.Se é para separar completamente a ciência da crença, o evolucionismo deve estar fora da ciência, pois, até hoje não está provado inquestionavelmente, assim como a existência de Deus. Portanto evolucionismo, como materialismo e ateísmo são crenças.
Portanto dizer que onde há religião não há ciência é falso. Esta separação não é total e absoluta.Muitas vezes fé e ciência podem se aliar. Depende da crença, depende do que está sendo pesquisado, depende das pessoas envolvidas.

“As refutações criacionistas são lógicas e se baseiam em evidências científicas.”
“mostre-as por favor.”
São evidências a favor da existência do criador mas não provas. Apontam para improbabilidade do evolucionismo. Como não tenho tempo nem espaço para citá-las, aconselho-te a pesquisar no google vídeos em pesquisa avançada com as palavras “Adauto Lourenço” criacionismo. Se preferir pode comprar o DVD do cientista brasileiro Adauto Lourenço através do site http://www.chamada.com.br. na secção de vídeos(com sinceridade eu não estou fazendo propaganda comercial, não estou ganhando com isto,só estou indicando texto).

Comentar por José David Filho

José David:

“Os cientistas têm pressuposições e paixões.”

E daí? O cientísta pode gostar de uma mulher e desenvolver melhor seu trabalho quando o amor é correspondido. Isto não faz com que seu amor seja científico fora das ciencias relacionadas.

“Isto pode influir na aferição dos resultados. Nem a ciência é verdade absoluta.”

Nada neste mundo é verdade absoluta, pelo menos até agora não provado nada.

“Na ciência o que é verdade hoje amanhã é mentira.”

Isto se chama responsabilidade científica.

“Se é para separar completamente a ciência da crença, o evolucionismo deve estar fora da ciência, pois, até hoje não está provado inquestionavelmente, assim como a existência de Deus.”

Com a diferença de que o evolucionismo é falseável. Ao contrário de fadas e Crença religiosa.

“Portanto evolucionismo, como materialismo e ateísmo são crenças.”

Falseáveis, o que faz total diferença.

“Portanto dizer que onde há religião não há ciência é falso.”

Uma prejudica a outra se tomado de forma que os crentes evangélicos a tem.

“São evidências a favor da existência do criador mas não provas.”

Criador pode ser Lúcifer ou uma fada, voces estão longe de provar algo.

“Apontam para improbabilidade do evolucionismo.”

Seu raciocínio de onde tem criador não tem evolucionismo, é que é falso, pois o criador, seja lá qual for, pode ter criado o mecanismo da evolução.

Esta de “imagem e semelhança…” está mais é para uma vaidade humana ridícula.

“Como não tenho tempo nem espaço para citá-las, aconselho-te a pesquisar no google vídeos em pesquisa avançada com as palavras “Adauto Lourenço” criacionismo.”

O que eu vi de criacionismo até agora não cumpre nem mesmo as regras básicas sobre a lógica: criador nas premissas e Deus na conclusão, e por aí vai.

Por isso não perderei meu tempo para me decepcionar de novo. Se alguém colocar o filme ou texto aí eu avalio.

Comentar por Clayton Luciano




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: