No princípio criou Deus os céus e a Terra


Feedback da semana – (Fendas branquiais nos embriões humanos; semelhança embrionária)
Novembro 1, 2009, 2:45 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang, Respostas a Ateus

Resposta ao comentário feita pela krysynha no post 2 anos de Lógica do Sabino.
_______________________________________________________________________

O comentário da autora tem por base a defunta ideia da “lei da recapitulação”, que diz que o embrião de determinado ser vivo passa pelas mesmas fases de desenvolvimento das suas alegadas espécies ancestrais. Os embriões que Haeckel haeckel1apresentou como evidência da sua ideia eram muito diferentes dos verdadeiros embriões nas suas respectivas fases de desenvolvimento.

A fraude foi desmascarada em 1874 mas, por incrível que pareça, esta ideia de que a “ontogenia recapitula a filogenia” ainda continua bem presente nos manuais evolucionistas, apesar de ter levado uma nova roupagem.

Em 1965, o conhecido evolucionista George Gaylord Simpson disse: “O facto de que a ontogenia não repete a filogenia está agora bem estabelecido[*1]. Keith Thompson, professor de Biologia na Universidade de Yale, disse: “É claro que a lei da recapitulação está bem morta. Foi finalmente exorcizada dos livros de biologia nos anos 50[*2]. No entanto, esta ideia continua a ser ensinada em muitos manuais pós-anos 50.

A persistência da ideia

Actualmente, os evolucionistas dizem que o embrião humano atravessa vários estágios de evolução, como o ter fendas branquiais como os peixes ou caudas como os macacos. No entanto, aquilo a que eles se referem como “fendas branquiais” ou “cauda” não têm nada a ver com guelras de peixes ou caudas de macacos.

O termo mais correcto para definir as chamadas “fendas branquiais” são, na realidade, arcos faríngeos. Eles delineiam as estruturas da garganta e desenvolvem-se, posteriormente, na glândula do timo, na glândula paratireóide ou em canais auditivos, não tendo nada a ver com respirar, em cima ou em baixo de água.

embryo1A embrióloga J. Langman disse: “Uma vez que o embrião humano nunca tem guelras ou brânquias, foi adoptado, neste livro, o termo “fendas ou arcos faríngeos[*3].

A “cauda” não é mais do que o coccix, um importante ponto de apoio de vários ossos.

Tristemente, os evolucionistas continuam a usar uma má definição de termos, de maneira a levar mais pessoas à crença evolucionista.

As semelhanças nos primeiros estágios de desenvolvimentos dos embriões são inevitáveis

É inevitável que haja semelhanças nas primeiras fases de desenvolvimento dos embriões dos diferentes seres. Mas isto faz sentido de um ponto de vista do design. Quando construímos alguma coisa, o nosso objecto começa por não ter forma. Só quando a nossa construção está avançada é que ele vai ficando definido, com mais detalhes e pormenores.

Uma boa ilustração é o barro e o oleiro. O oleiro começa apenas com um pedaço de barro, quer ele queira fazer um Haeckel-1874cálice ou um vaso. Na fase inicial, não se sabe em que é que aquele barro se vai transformar. Se virmos fotografias de um vaso e um cálice nas suas fases iniciais, notaremos grandes semelhanças, ou melhor, a ausência de pormenores e detalhe.

Um embrião humano é sempre um embrião humano e um embrião de um peixe é sempre um embrião de um peixe. Os embriões não recapitulam as alegadas fases evolutivas, mas tornam-se cada vez mais específicos à medida que o processo avança.

Um estágio avançado

Por outro lado, estas semelhanças superficiais não surgem nos primeiros estágios de desenvolvimento do embrião, mas sim num estágio mais avançado. Se o argumento da “ontogenia recapitula a filogenia” fosse válido, seria de esperar que as parecenças fossem visíveis nos primeiros estágios de desenvolvimento. As fotografias que vos são mostradas são de uma fase mais avançada do desenvolvimento do embrião, já que as primeiras fases as diferenças não servem de evidência a este argumento.

As diferenças nos estágios iniciais não suportam o argumento das semelhanças embrionárias se deverem a ancestralidade comum.

Sir Gavin de Beer, embriólogo e antigo director do Museu Britânico de História Natural, escreveu a respeito da falta de base genética e de embriologia para o argumento da homologia na monografia Homology, an unsolved problem. Apesar de de Beer acreditar na evolução, ele mostrou que as similaridades eram apenas aparentes e não eram consistentes com ancestralidade comum.

Criador comum é a melhor explicação

Sem dúvida que as possíveis semelhanças no processo de desenvolvimento embrionário é mais bem explicado tendo em conta a visão de um Criador ou Designer comum, que utilizou um mecanismo funcional para diferentes criações suas.
__________________________________________________________________

Para mais informação:

What about similarities and other such arguments for evolution?

Does homology provide evidence of evolutionary naturalism?
__________________________________________________________________

REFERÊNCIAS OU NOTAS:

[*1] – Simpson & Beck (1965), An Introduction to Biology, p. 241

[*2] – K. Thompson (1988), Ontogeny and Phylogeny Recapitulated, American Scientist 76:273

[*3] – Langman, J. (1975), Medical Embryology, (3rd edition), p. 262.

Advertisements

16 comentários so far
Deixe um comentário

Aqui voces encontrarão uma interessante história em quadrinhos que trata do mesmo tipo de assunto:
http://www.chick.com/reading/tracts/0801/0801_01.asp

Comentar por Isaias S. Oliveira

Boas, vi o teu blog agora.
E, ok, acreditas mesmo na Bíblia à letra?

Já não sou o primeiro a dizer-te, de certeza, mas a Bíblia é um livro com parábolas, fábulas e histórias das quais se pretende tirar uma lição. Não levar à letra. Acreditas mesmo que a Terra tem apenas uns milhares de anos?
Há uma coisa que se chama datação radiométrica. E esta prova que a Terra tem milhares de milhões de anos.

Comentar por Biolizard

Biolizard, obrigado pelo comentário submetido.

“E, ok, acreditas mesmo na Bíblia à letra?”

Acredito que cada género deve ser lido de acordo com o propósito com que foi escrito, isto é, livros históricos como livros históricos, livros poéticos como livros poéticos, livros proféticos como livros proféticos, parábolas como parábolas, etc, e o Génesis foi escrito sob a forma de narrativa histórica.

“Já não sou o primeiro a dizer-te, de certeza, mas a Bíblia é um livro com parábolas, fábulas e histórias das quais se pretende tirar uma lição.”

É a tua opinião. Tens direito a ter uma.

“Acreditas mesmo que a Terra tem apenas uns milhares de anos?”

Sim. E tu acreditas mesmo que a Terra tem biliões de anos?

“Há uma coisa que se chama datação radiométrica.”

A gente conhece o método “científico” utilizado para adivinhar a idade das coisas.

“E esta prova que a Terra tem milhares de milhões de anos.”

Prova. E também prova que lavas com 200 anos (observadas) afinal têm milhões de anos e que há diamantes 1,4 biliões de anos mais velhos do que a própria Terra.

Comentar por alogicadosabino

O Ludwig já respondeu ao Sabino muito bem essa questão, é só verificar no link: http://ktreta.blogspot.com/2009/04/convem-saber-mais-um-pouco.html

Comentar por Godzila

O Ludwig deu a teoria, o Sabino deu a prática.

Comentar por alogicadosabino

e mais o coccix/cauda esta presente no homem adulto

Comentar por hermogens

O hermogenes a alguns dias postou algumas sobre supostas “contradições”, nas quais as maioria dos céticos apostam. No entanto, não existe contradição, refutarei algumas que todo cético, ama.

“11°Zorobabel era filho de Salathiel (Mateus 1:12) (Lucas 3:27).
Zorobabel era filho de Fadaia. Salathiel era tio dele (I Crônicas 3:17-19).

Analisando criticamente, podemos ver que não existe contradição observe:

o Zorobabel de 1 Crônicas, o da Genealogia de Mateus e Lucas, são pessoas diferentes. No Livro de Crônicas podemos ver que Zorobabel era filho de Pedaías irmão de Sealtiel, que eram filhos de Jeconías, onde Zorobabel tinha três filhos: Mesulão, Hananias, Selomite. E (os) filho (os) de Sealtiel não é (são) mencionado (os). Todos eles eram descendentes de Salomão, Filho de Davi. O livro de Mateus menciona o filho de Sealtiel que é Zorobabel,(que Crônicas não menciona), de sorte que este era primo de Zorobabel filho Pedaías, era simples tinha mais de um Zorobabel na família. Você nunca viu uma família com mais de membro com nomes iguais??. Perceba que está distinção entre um e outro é bem explícito, onde Mateus menciona o neto de Sealtiel ou Salatiel como preferir: Abiúde, que é bem diferente de Mesulão, Hananias, Selomite; Netos de Pedaías. Todos eram descendentes de Salomão. Já o Livro de Lucas menciona outro Zorobabel que curiosamente era filho de Salatiel, mas que era filho de Neri. Não se trata da mesma pessoa, está distinção é bem explícita por que o filho de Zorobabel era Resá, bem diferente de Abiúde (mencionado em Mateus), e Mesulão ou Hananias (mencionado em 1 Crônicas). Além do mais este Zorobabel, Filho de Salatiel, Filho de Neri, era descendente de Natã, Filho de Davi, e não de Salomão, como os outros dois. Não há contradição, o que há é uma enorme ignorância em interpretar os fatos.

“Aarão morreu no monte Hor. Imediatamente depois disso, os israelitas foram para Salmona e Finon (Números 33:38).
Aarão morreu em Mosera. Depois disso, os isralelitas foram para Gadgad e Jetebata (Deuteronômio 10:6-7).
Deus diz a Moisés que Aarão morreu no monte Hor (Deuteronômio 32:50).”

Arão morreu no Monte Hor em hebraico chama-se (Hor Hahar). E foi seputado em Mosserá. Explico…

Em Dt 10:6 Fala-se das novas tábuas dos 10 Mandamentos e menciona novamente a morte de Arão, mas também o local de sua sepultura. Portanto sua vida foi tirada no Monte Hor (Hor Hahar), para que todo Israel visse, mas seu local de sepultamento foi em Mosserá.
O monte na verdade é uma montanha pequena em cima de uma grande, a pequena é Monte Hor (Hor Hahar) logo abaixo é Mosserá local do sepultamento de Arão. O povo ficou nesse lugar 30 dias chorando a morte de Arão. Enquanto isso as Novas Tabuas dos Mandamentos eram novamente escritas e colocadas numa arca feita de madeira cispestre.

Portanto, não há contradição alguma no que esta escrito na Biblia, o que falta aos seu leitores é um pouco mais de estudo, não só do que esta escrito mas também da geografia dos lugares em que ocorreram estes fatos.

Coloco mais algumas.

Comentar por Allef

“A transfiguração de Jesus ocorreu 6 dias após a sua profecia (Mateus 17:1-2).
A transfiguração ocorreu 8 dias após (Lucas 9:28-29).”

É simples

Mateus precisa com exatidão, o dia em que ocorreu a transfiguração, enquanto Lucas não precisou com exatidão o dia Ele diz: ‘‘ Cerca de oito dias após estas palavras ( Lc. 9:2)

“Deus proíbe que seja feito a escultura de qualquer ser (Êxodo 20:4).
Deus ordenou a fabricação de estátuas de ouro (Êxodo 25:18).”

Sobre esta suposta “ contradição”, temos que analisar o contexto em que estas passagens estão inseridas. Em primeiro lugar Deus abomina a idolatria, Ele sempre advertia os Israelitas sobre o perigo de se encurvar diante das imagens dos falsos deuses, o Senhor sempre queria a adoração unicamente para ele que é o Criador do Universo, pois não queria que o povo deixasse de o adorá-lo (pois é digno) para adorar deuses que por sinal são demônios. Já em Êxodo 25:18. Descreve acerca da arca da aliança. Sobre a tampa da arca, chamada Propiciatório “o Kapporeth”, foram esculpidos dois querubins de ouro ajoelhados de frente um para o outro, com os rostos voltados a si, com as asas esticadas para frente, tocando-se na extremidade. Suas faces eram voltadas uma para a outra e as asas cobriam o propiciatório encontrando-se como um arco, dum modo defensor e protetor. E se curvavam em direção à tampa em atitude de adoração. (Êxodo 25:10-21; 37:7-9) Esta peça era uma peça só, não sendo fundidas em separado. Segundo relato do verso 22, Deus se fazia presente no propiciatório no meio dos dois Querubins de ouro em uma presença misteriosa que os Judeus chamavam Shekinah ou presença de Deus.

Ou seja Deus se manifestava, entre os querubins( manifestando sua glória, proteção, cuidado, sobre o documento do antigo concerto), onde estes o adoravam, mostrando sua majestade e soberania nos céus e na terra.

Comentar por Allef

Allef, realmente é louvável a tua paciência e paciência… mas a pessoa que apontou essas contradições está-se a borrifar para as explicações. Ele já deve ter as contradições num bloco de notas e daqui a uns tempos vai voltar a por essas mesmas putativas contradições noutro blogue ou fórum qualquer.

Comentar por alogicadosabino

As contradições da Biblia são de facto disparate. O texto foi escrito há muito tempo e o tipo de narrativa de então não e preocupava com pormenores que agora consideramos contradições.
Foi escrito por vários autores e em épocas diferentes.
Os livros históricos da Biblia são a narrativa da história do povo judeu contada pelo povo judeu. Tem uma série de relatos que parecem ter sido veridicos e, é claro, uma série de episódios fantasiosos.
As histórias de Portugal durante anos também relataram o milagre de Ourique sem que isso lhe tire o mérito de relataram também factos verídicos.
Não se pode é rasgar a história de portugal do frei Bernardo de Brito só porque tem alguns exageros e factos inventados.
E não se pode analisar um texto como o livro dos mortos ou o Alcorão como dum texto contemporaneo

Comentar por joao melo de sousa

Amigos que tiverem dúvidas com contradições:
dc.golgota.org

Comentar por M. H. Stigma

LOL, publiquei meu comentário no email errado.

Comentar por M. H. Stigma

Concordo, plenamente com você Sabino. Não existe contradições na palavra de Deus, o que falta as inimigos da bíblia é atenção e de fato conhecimento para entender o que ela nos diz. Uns 80% das supostas contradições que os céticos apontam, para os que entendem a palavra, logo de vista são refutadas. Nada que uma boa exagese não resolva.

“Tem uma série de relatos que parecem ter sido veridicos e, é claro, uma série de episódios fantasiosos.”

João Melo de Souza, episódios fantasiosos??
quais por exemplos??? o êxodo de Israel, A torre de babel, destruição de Sodoma e Gomorra?.Não irei nem dizer nada, Vai estudar um pouco de história. Tá bom.

Comentar por Allef

Dizer que o embrião humano possue “fendas branquiais” é um absurdo. Primeiro, não são “fendas”, são dobras ou arcos, com seus correspondentes vincos faringeos.

Segundo, não são “branquiais” (de guelras): embriões humanos não tem guelras.

Os defensores do aborto devem adorar essas teorias do Haeckel. Até suponho que digam – “Pode abortar, é só um peixe afinal…”. Que horror.

Abram os olhos!

Comentar por nilo

A “cauda” não é mais do que o coccix, um importante ponto de apoio de vários ossos.
Aí está o Sabino a deteurpar informação mais uma vez. O coccix é formado por 4-5 vértebras coccigeas (que são as vértebras caudais/coccígeas em animais com cauda) fusionadas. Acho que deves estar a fazer confusão com o osso sacro que articula-se caudalmente com o coccix/vertebras caudais e frontalmente com vértebras lombares. Tanto mais que os vasos sanguíneos localizados na cauda designam veia e artérias coccígeas (em animais com cauda)!!!

Já viste como a tua interpretação dos factos é viciada?

Comentar por hermogenes

Podem não ser fendas branquiais que desenvolvam., mas se assemelham. isso vem a provar apesar da ÓBVIA diferença entre os seres, que estes se assemelham em determinadas ordens e podem vir a ocupar mesma posição, filo q seja.

falando em contradições:

Em gênesis Deus se arrepende de ter feito o homem,
‘Gênesis 6:6-7 Então arrependeu-se o SENHOR de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.’

hora vejam bem, se Deus é perfeito porque há de se arrepender? e outra ele poderia ter previsto o pecado então porque ainda assim insistiu de fazer os seres? seria ele um sádico que está a ver todos sofrerem?

se ver isso me diga o que pensa dessa!

=*

Comentar por jessica




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: