No princípio criou Deus os céus e a Terra


Homo erectus de Dmanisi derrubaram preconceitos evolucionistas
Outubro 13, 2009, 8:33 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

A pacata Dmanisi fica a 85 quilómetros a sudoeste de Tbilisi, capital da Geórgia. A nível paleantropológico, esta região tem oferecido surpresas inesperadas à comunidade evolucionista. Em 1991, cientistas encontraram uma mandíbula de um hominídeo. A nunca falível datação radiométrica deu-lhe uma idade de 1,6 milhões de anos. Foi considerada a mandíbula de um Homo erectus.

erectus2Nos tempos que se seguiram, a descoberta foi recebida com grande cepticismo nos meios evolucionistas. E por quê?

Os evolucionistas acreditavam que os humanos não tinham saído de África antes de 1 milhão de anos atrás e a mandíbula maravilhosamente preservada – com cada dente no seu lugar – parecia estar numa condição boa demais para ser tão antiga quanto os cientistas georgianos diziam [*1].

A equipa não desanimou e continuou a trabalhar no sítio. Em 1999, descobriram crânios do mesmo tipo de indivíduo e a comunidade evolucionista desta vez rendeu-se ao achado. Por esta altura, os depósitos de sedimentos onde foram encontrados os fósseis já tinham sido reavaliados em 1,85 milhões de anos.

Comprovado este achado, estava na altura de deitar abaixo ideias que, até então, constituiam o pensamento erectus1evolucionista sobre os antepassados humanos:

  • Os evolucionistas acreditavam que os humanos não poderiam ter deixado a África antes de desenvolverem uma tecnologia mais avançada do que os simples cutelos e lascas que foram encontrados com os fósseis;
  • Afirmavam que os primeiros humanos a deixarem África eram altos e com um cérebro grande. Alguns dos Homo erectus de Dmanisi tinham capacidade cranial menor do que o Homo habilis, o alegado antecessor (já não é, aliás);

Resultados publicados na Nature.

Tamanho dos crânios

Para surpresa dos cientistas, os três crânios encontrados tinham capacidade cranial de 770 cm3 (centímetros cúbicos), 650 cm3 e 600 cm3 – menos de metade de um cérebro moderno [*2]. Foi grande choque para os evolucionistas darem conta de que um cérebro pequeno não significa, necessariamente, menos inteligência.

Anatole France foi um romancista vencedor de um prémio Nobel. A sua capacidade cranial era apenas de 933 cm3. erectus3Compara isto com a média de 1300 cm3 de um humano moderno. Ainda mais surpreendente é o caso de Daniel Lyon, um trabalhador do século XIX dos caminhos de ferro de Pennsylvania, que tinha apenas uma capacidade cranial de 624 cm3. Não tinha limitações nem físicas nem mentais (Ver também: Inteligência não depende do tamanho do cérebro).

Há dados científicos que concluíram que não há relação directa entre a capacidade cranial e a inteligência.

Grande variabilidade humana

A grande diversificação cranial dos erectus de Dmanisi levou o líder da equipa a dizer que uma das coisas mais importantes destes indivíduos é que eles dão a “oportunidade de pensar sobre o que é a variação[*3].

homem_mais_altoBingo senhor Lordkipanidze! A variabilidade que hoje existe (compara um pigmeu ou o homem mais baixo do mundo a tipos como o Shaquille O’neal ou o homem mais alto do mundo) é a mesma que é possível encontrar no registo fóssil. Humanos sempre foram humanos, por mais que os evolucionistas tentem fazer primatas a partir de seres humanos.

Mais recentemente, juntou-se à controvérsia as evidências de que estes erectus falavam.

CONCLUSÃO

Philipe Rightmire, um dos paleoantropólogos envolvidos, disse: “É interessante que tudo tenha sido abalado, mas é frustrante que algumas das ideias que pareciam promissoras há oito ou dez anos não se sustentem mais” [meu destacado] [*4]. O evolucionista chama-lhe actualização de conhecimento. O cristão chama-lhe especulação e puro devaneio. Daqui a dez anos novas descobertas irão atirar com as ideias que actualmente parecem promissoras para o lixo (Ver: Mentira a mentira enche a Evolução o papo).

A lição que o cristão deve tirar disto é que não vale a pena ficar preocupado sempre que a “ciência” desencanta mandíbulas e crânios que parecem pertencer a um antepassado simiesco nosso. Os imaginários ramos que unem os humanos, gorilas, chimpanzés, macacos e os seus antepassados não passam disso mesmo: ficção.

__________________________________________________________________________

REFERÊNCIAS OU NOTAS:

[*1] – “Estrangeiros na nova terra“, Scientific American Brasil Edição Especial nº 17, pág. 44

[*2] – Idem, pág. 45

[*3] – Ibidem, pág. 45

[*4] – Ibidem, pág. 48

Fotos: The Dmanisi Site

Advertisements

10 comentários so far
Deixe um comentário

Infelizmente isso não é muito divulgado não é?Eu até acho que haja uma verdade por trás da evolução,mas há certas coisas nela q a tornam ridícula.Presumir por exemplo que o macaco veio do peixe e o peixe veio de uma simples molécula de DNA é meio paranóico.Aliás,como as moléculas se dividiram?Respeito os ateus,mas é meio absurdo afirmar que não inteligência alguma por trás disso ou pior,que a vida é resultado de poeira cósmica.

Comentar por Fábio

concordo de alguma maneira contigo.ha coisas que nao batem na teoria da evolucao mas a ideia geral tem muito de possivel, porque ha muita coisa que tambem bate certo.

é meio absurdo afirmar que não inteligência alguma por trás disso ou pior,que a vida é resultado de poeira cósmica.

Ate hoje o telescopio Hubble ja conseguiu fotografar o masimento de planetas e estrelas, apartir de poeira cosmica.Aquilo que era teoria ja esta provadissimo.Ja se conseguiu detectar o aminoacido glicina no espaco. As conclusoes da origem do universo ja nao sao discutidas, aceito que a origem da vida ainda tem muita especulacao.

Comentar por hermogenes

“Paranóico” é não perceber pevas de Biologia e mesmo assim continuar a teorizar sobre o assunto dando ares de grande “erudição” e mor “espantação”… Mais que “paranóico” é aflitivo! É caso para perguntar: Onde fizeram a Escola Secundária?…

Comentar por Manuel

Os evolucionistas não divulgam este tipo de notícia porque é o mesmo que dar um tiro contra o próprio pé.
Evolução: Religião travestida de ciência.

Comentar por Isaias S. Oliveira

Nunca acharam aminoácidos no Universo, e até o momento não se achou um planeta capaz de abrir vida a não ser a terra.
E o Hubble vai continuar fotografando, e sinceramente, acho lindo de mais as fotos do Hubble, fico admirado com a criação de Deus.
“O seu azul de estrelas pontilhados…o Teu poder mostrando a criação”
“Então minh’alma canta a ti Senhor, quão grande és Tu…”

Comentar por d3rf

estas atrasado, glicina foi achada no espaco.informa-te

Comentar por hermogenes

E a mentira da MENTIRA.Nunca eles crerão na verdade
como diz o sábio livro:nem que alguém ressuscite dos mortos.
O seu deus é o deus da mentira e nele se refugiaram
passando-se por sábios,na verdade são loucos.(vide
Jo 8:44).

Comentar por jose

estas atrasado, glicina foi achada no espaco.informa-te

Mostre-nos o link da notícia.

Comentar por eclypse

nossa esse homem é bem grande

Comentar por Aline

Cara, na boa, achar q australopitecus, homo habilis, erectus, neanderthal e homo sapiens são o mesmo tipo de homem – pra reforçar a teoria criacionista de ter existido apenas uma única raça humana, sem necessidade de evolução – é forçar muito a barra.

Se são mesmo uma única espécie, porque não sobreviveram todas até os dias de hoje?

É como dizer que os tigres dente-de-sabre são o mesmo que os leões de hoje, ou então q elefantes são mamutes sem pelos.

Eu tava até me interessando em ler as matérias do site, mas depois dessa eu parei.

Comentar por jean carlos




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: