No princípio criou Deus os céus e a Terra


Moléculas macacas de imitação revelam mão criadora
Outubro 7, 2009, 10:38 am
Filed under: Evolução/Big-Bang

Investigação recente mostrou que certas moléculas imitam a forma exacta de outras moléculas, permitindo a interacção entre elas, protegendo, assim, a integridade genética do organismo. Os investigadores descobriram que este papel protagonizado por estas moléculas é vital para a estabilidade do genoma. A sua acção impede que o ADN  “quebre”.

Os cientistas dizem no press-release que “manter a estabilidade do genoma é crítico para a sobrevivência do organismo uma vez que defeitos genéticos podem originar tumores, envelhecimento e doenças neudegenerativas“. Acrescentaram: “Sabemos que a alteração de um simples aminoácido pode destruir a ligação das proteínas. Quando esta ligação é rompida cria instabilidade e, quando isto acontece, a integridade do genoma não pode ser protegida“.

A investigação foi publicada na Nature Structural & Molecular Biology.

mimicking_molecules_wide

CONCLUSÃO

Aqui temos mais um exemplo de partes interdependentes que necessitam de estar no sítio certo e a operar direito para que o organismo não colapse. É aquilo que Michael Behe designou como organismos de “complexidade irredutível”. Retira uma parte a esse organismo e deixas de ter organismo.

Existem muitos exemplos como este, em que todas as partes interdependentes concorrem juntas para a protecção e sobrevivência do organismo. Fica difícil imaginar como é que elas surgiram segundo os princípios darwinianos de gradualismo. Pelo contrário, eles mostram que o seu aparecimento teve de ser instantâneo. A vida foi uma construção com propósito divino.

Anúncios

32 comentários so far
Deixe um comentário

Sempre que o meio científico faz um trabalho imparcial, sem ser tendencioso, o que nós vemos é somente uma confirmação da palavra de Deus.
Então cumpre-se as palavras de Jesus Cristo
Lc 19:40 “E, respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão”.
Por meio das descobertas científicas, cada vez mais nós presenciamos a terra, as pedras, rochas, água, estrelas nós falando do criador.
Sl 19:1 “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos”.

Comentar por Jocemar

No post tirando-se a conclusão (e o título), a reportagem em nada se refere a criação, DI ou outra causa divina. Podem conferir no original.

Comentar por godzila

a retorica e sempre a mesma!nos queremos que u demonstres que A+B =DI
chega de retorica vazia.Ja foi PROVADA A INVALIDEZ da complexidade irredutivel:

Reconstruindo genes de animais extintos, cientistas demonstraram pela primeira vez o processo gradual pelo qual a evolução cria uma nova peça de maquinário molecular ao reusar e modificar partes existentes. Os pesquisadores dizem que sua descoberta, publicada na última sexta-feira no periódico Science, dá um contra-argumento aos céticos da evolução, os quais questionam como uma progressão de pequenas mudanças poderia produzir os intricados mecanismos encontrados nas células vivas.

A evolução da complexidade é uma velha questão da biologia evolutiva, disse Joseph Thornton, professor de biologia na Universidade do Oregon e autor principal do artigo científico. Não há controvérsia sobre se esse sistema evoluiu. A questão para os cientistas é como ele evoluiu, e foi isso o que o nosso estudo mostrou. Os experimentos de Thornton miraram em dois receptores de hormônios. Um é um componente de sistemas de resposta a estresse. O outro, apesar de ter uma forma parecida, participa de processos biológicos diferentes, incluindo função renal em animais.

Hormônios e seus receptores funcionam como pares de chave e fechadura. Seu encaixe levou à questão de como novos pares evoluem, já que um sem o outro aparentemente seria inútil. Os pesquisadores encontraram os equivalentes modernos ao receptor de hormônio de estresse na lampréia, um peixe primitivo, e também em arraias.

Depois de comparar semelhanças e diferenças nos genes, os cientistas concluíram que ele descendia de um gene ancestral comum há 450 milhões de anos – antes de os animais conquistarem terra firme. O grupo, então, recriou o receptor ancestral em laboratório, e descobriu que ele se encaixava no hormônio de estresse, o cortisol, e no de regulação renal, a aldosterona.

Assim, o receptor para a aldosterona existia antes da aldosterona aparecer – o hormônio só evoluiu em animais terrestres. Ele tinha uma função diferente e foi aproveitado para participar de um novo sistema complexo quando o hormônio apareceu, disse Thornton. Ele afirma que o estudo refuta a tese da complexidade irredutível invocada pelos criacionistas, segundo a qual o maquinário celular é complexo demais para ter evoluído gradualmente.

Comentar por hermogenes

hermogenes,

a invalidade do conceito da “complexidade irredutível” nunca foi demonstrada. O que foram demonstrados foram cenários puramente especulativos com quase nenhuma experimentação científica observável. O Michael Behe sempre responde aos artigos que alegadamente mostram a invalidade da complexidade irredutível, mostrando que as “explicações” avançadas carecem de experimentação empírica.

Texto de Behe sobre isto

Comentar por alogicadosabino

Certo, então peço que mostres onde é que a complexidade irredutível foi refutada, já que a “refutação” em si é a própria comprovação de complexidade irredutível.

Comentar por MVR

tem um estudo ainda mais recente, publicado em setembro deste ano, suportando uma vez mais e mais uma vez a teoria da evolucao.foi conduzido por bioquimicos australianos, liderados por Trevor Lithgow, artigo publicado no periodica PNAS.Leiam o artigo e facam criticas.

Comentar por hermogenes

Não, mas essa informação é uma forte evidencia afavor do craiacionismo.

Note que essa pesquisa não é uma tentativa de provar o criacionisto com vc mesmo disse, o proposito não era esse.
P gente que gosta de ver ´´elementos tendeciosos em tudo“ tem que adimitir isso.

Alias, a ciencia imparcial nunca confirma nada afavor da evolução, as ´´evidencias evolutivas“ só aparecem o objetivo da pesquisa é exatamente provar a evolução, como a Ardi por exemplo.
Engraçado nenhum ´´questionador“ ver algo de tendencioso nisso.

Todos os topicos vem com link justamente p quem quiser tirar suas duvidas, podem ver que não há nada tendencioso.

Comentar por Adim

No post tirando-se a conclusão (e o título), a reportagem em nada se refere a criação, DI ou outra causa divina. Podem conferir no original.

Mas nós já sabemos disso. Se assim fosse, o artigo não teria sido publicado, já que os criacionistas “são uns mentirosos que só fazem pesquisas baseadas no que crêem”.

Aliás, esta característica é marcante nos evolucionistas: Toda pesquisa feita comprova a evolução, de um jeito ou de outro.

Coloca-se um rato em uma gaiola, fecha-a, vê o mesmo a fazer suas atividades, registra num papel e pronto: Confirma-se a evolução.

Curiosamente, também, as experiências feitas para tentar comprovar a evolução, quase sempre deixam claros dois pontos distintos: Primeiro, que a evolução estava errada (Sim, estava, uma vez que todos os erros são tolerados e passam a fazer parte da evolução – Tal como é o caso do colágeno de 60 milhões de anos), e segundo, que a visão bíblica não contraria a ciência, está de pleno acordo com as observações, e confirma o que sabemos e o que ainda vamos descobrir.

Comentar por MVR

Sabino, e o que dizer dos vírus que imitam sequências de DNA para enganar a maquinaria de transcrição e tradução da célula para, deste modo, fabricar novos vírus? Dá-me o teu comentário.

Comentar por Dário Cardina

Essa acção é sem dúvida mais uma demonstração da grande complexidade de design existente a nível molecular.

Do ponto de vista criacionista, os vírus inicialmente tinham apenas funções benignas ou neutras e nunca malignas. Só com a queda do Homem e a entrada da morte no mundo é que acções como essa começaram a acontecer.

Agora, isso que os vírus fazem não deixa de ser uma demonstração evidente de design também, que uma explicação naturalista é insuficiente para explicar. Aliás, os vírus têm poderosos motores que, na proporção, produzem 2 vezes mais energia do que um automóvel.

Comentar por alogicadosabino

“os vírus inicialmente tinham apenas funções benignas ou neutras e nunca malignas.”

Sabino, se tivessem função neutra não serviam para nada. Se tivessem função benigna gostaria que me explicasses qual. Os vírus entram na célula, sequestram a maquinaria celular (fazendo a célula não transcrever os seus genes necessários) e podem infiltrar-se no seu genoma e criar infinitas cópias ou até romper com a célula. Desde quando é que uma tesoura foi feita para pentear em vez de cortar? Acabará por cortar mesmo que queiramos pentear.

Comentar por Dário Cardina

Dário, existem vírus que não prejudicam o seu host.

Relativamente às possíveis funções pré-Queda dos vírus, eu vou fazer post sobre isso. Ainda há muito para se fazer no estudo dos vírus, mas o que investigação recente tem mostrado é que há vírus que podem ter funções benignas. Vê por exemplo esta de Julho deste ano: Vírus ajuda a combater cancro. A bíblia diz-nos que a morte apenas entrou no mundo através do pecado de Adão. Isso quer dizer que era suposto o ser humano viver para sempre. Os vírus poderiam ter funções de preservação do ser humano. Pode parecer estúpido dizer isto dos vírus mas também pareceria estúpido alguém dizer que os vírus podem prevenir tumores, como esta investigação demonstrou.

Comentar por alogicadosabino

sabino, pela biologia dos virus eles sao sempre um problema para qualquer tecido,orgao ou sistema pela invasividade que tem.Ao usares virus pra combater cancros, diriges a invasividade desses virus pra combater celulas canceriginas, eles continua patogenicos e se forem direcionadas pra um tecido normal vao ter um efeito negativo tambem.PLEASE, GIVE ME A BREAK!!

Comentar por hermogenes

O que foi mostrado na investigação é que os vírus têm propriedades que ajudam a prevenir tumores malignos. Apenas te mostrei uma possível função dos vírus pré-queda.

Comentar por alogicadosabino

Uma tesoura serve p cortar, mas isso não a torna maligna, muitos usam p cortar o cabelo por exemplo.

Todos sabem que a fe cristã defende que o mundo atual não é o mesmo mundo perfeito que Deus criou, mas um mundo decaido em que reina a maldição da morte.

Não sabemos como era exatamente a vida no Edem nos resta especular, tal como vcs fazem.

Vcs não tem a menor ideia de como a evolução teria acontecido, mas por fé, creem que ela é real.

E bem mais facil descobrir qual seria a função benigna dos virus do que provar a TEORIA da evolução.

Comentar por Adim

Hermogenes,
Você tem como provar, tudo que disse em seu comentário no post abaixo???( pelo menos a metade). Tem como provar que Flávio Josefo não escreveu aqueles relatos?????
OBs: O relato de Flávio Josefo mais próximo do Original é este

“Por esse tempo apareceu Jesus, um homem sábio, que praticou boas obras e cujas virtudes eram reconhecidas. Muitos judeus e pessoas de outras nações tornaram-se seus discípulos. Pilatos o condenou a ser crucificado e morto. Porém, aqueles que se tornaram seus discípulos pregaram sua doutrina. Eles afirmam que Jesus apareceu a eles três dias após a sua crucificação e que está vivo. Talvez ele fosse o Messias previsto pelos maravilhosos prognósticos dos profetas” (Josefo, “Antiguidades Judaicas” XVIII,3,2).

Sabemos que o Livro Original de Josefo se perdeu. Mas existe várias cópias do original, e dentres estas cópias estudas( analisadas por material de datação) apenas uma estava rasurada( com uma datação, na parte que fala sobre Jesus, alterada em ralação aos demais), mas as outras cópias estava com a datação normal em relação as demais, isso nos dá mais que uma prova de que realmente os relatos é cópia do original(se você tem no mínimo alguma noção sobre história, vai concordar com estes fatos, analíse).
E sobre Talo, o historiador Samaritano(52 d.C), e Mara Bar-Serapião (73 d.C.), e Luciano de Samosata, escritor satírico do II século, sobre sua obra ” o Peregrino Passageiro”, e os Talmudes Judaicos, O que tens a dizer acerca deste relatos??. Sobre os relatos de Plínio, o jovem, Suetônio e Tácito deu para entender que apenas mostrou sua interpretação diante destes fatos e pode não ter nada a ver com a realidade histórica! Sobre o comentário de que Jesus é um plágio de outros mitos, não vou nem dizer nada, pois aí tu mostra a tua irracionalidade, sugiro que veja este link:
http://2012profeciasconspiracoes.blogspot.com/2008/04/comparando-osris-hrus-e-jesus.html

Como diz o Dr. Willian Craig:
Estás pelo menos um século desatualizado!

Que Deus em Cristo Jesus nosso Senhor te abençoe!!!!

Comentar por Anônimo

Bom, cada um acredita no que quiser.espero que sejas feliz na tua fe assim como eu sou feliz como ateu.acima de tudo nao deixa de aproveitar a vida a contar com o paraiso, ele pode nao existir.

Comentar por hermogenes

Mas quem disse que eu não aproveito a minha vida e não sou feliz pela vida que tenho? Que mania esse discurso de que o cristão não aproveita a vida e não sei quê…

Comentar por alogicadosabino

Mas se o paraíso não existir, o cristão nãoperdeu nada, uma vez que teve uma vida com sentido e propósito.
No entanto, se o céu e o inferno existirem, qual será o final do ateu?
Repara que isto é um tão mal entendo “Pascal’s Wager”. O que ele diz não é “torna-te cristão porque não perdes nada” mas sim “o cristão já tem aquilo que o ateu diz que o ateísmo lhe oferece”.

Como cristão, já tenho tudo o que preciso para ser totalmente realizado. Não preciso do ateísmo.

Comentar por Mats

Dário,
De certo que concordas que os criacionistas não sabem as funções de TODOS os virus ANTES da queda, certo?

Além disso, repara que mau design continua a ser design.

Por outras palavras, mesmo que as bactérias tenham funções nefastas, isso não é evidência para a posição que afirma que as bactérias são o resultado de um processo não inteligente.

Comentar por Mats

Os vírus poderão ajudar células cancerígenas matando-as, tal como matam as normais. Em que é que isso prova que antes eram bonzinhos? Haveria cancros na altura de Adão? Claro que não! Se era tudo perfeito não poderia haver cancro, mas também não haveriam vírus, nem telomerase, nem bactérias. Então, mas sem bactérias não haveria muita coisa boa… em que é que ficamos?

Comentar por Dário Cardina

Dário,

“Em que é que isso prova que antes eram bonzinhos?”

Não prova. Não te posso provar como era o mundo pré-pecado. Para provar teria de poder demonstrar empiricamente isso. O que posso é especular, mediante a minha cosmovisão que, no meu caso, é a bíblica.

Esse exemplo que dei é apenas uma possibilidade de uma função que os vírus poderiam ter antes da Queda do Homem. Há criacionistas que sugerem até que os vírus poderiam ser auto-dependentes e só depois da entrada da morte no mundo (e consequentemente com as mutações) é que se tornaram nocivos.

Que eles foram criados nós não temos a menor dúvida. O seu nível de design é incrivelmente complexo. Os seus motores moleculares produzem 2 vezes mais energia que os motores dos automóveis, na proporção. Se utilizares os princípios da analogia e da lógica, saberás que um motor não surge sem intervenção divina.

Comentar por alogicadosabino

A bomba atômica é terrível. Por isso ninguém a projetou, mas surgiu por geração espontânea, acaso e mutações aleatórias. Viva la evolucion!

Comentar por Isaias S. OLiveira

O Sabino:

A aposta de Pascal era uma boa aposta se as únicas opções fossem ser católico romano ou ateu.
O problema é que se tu és cliente de uma religião negas todas as outras.
Tens de apostar na verdadeira.
Repara que mesmo que o Deus seja o dos evangelhos se a verdadeira interpretação for a dos Mórmones, da Igreja Católica, das Testemunhas de Jeová, estás bem tramado. Vais lá para baixo como os outros.

Tão mau como isso seria a verdadeira divindade ter-se revelado no Alcorão. Aí a divida é só ser xiita, sunita, ismaelita ou wabbabita. O que aumenta as chances.

Claro que restam as outras milhares de religiões e até as que já se extinguiram.

Francamente a probabilidade de acertares na divindade e na interpretação certa parece-me muito diminuta.

Claro que podes sempre dizer que o ateu seja qual for a divindade está sempre tramado e que um crente, de qualquer fé, tem sempre uma maior probabilidade…

É como o euromilhões..quem não joga não pode ganhar…

E olha que quando dizes que a ciência é confusa e que não oferece certezas e que a religião dá certezas absolutas estás a fazer uma grande confusão.

Mesmo dentro dos Cristãos não há consenso sobre quase nada.

Transfusões de sangue, transubstanciação, infalibilidade papal, livros da biblia, tradução da biblia, código de conduta, dia a santificar, etc e etc não são minimamente consensuais.

Os teólogos não concordam em nada.

O que para uns é um pecado horroroso digno das penas do inferno, para aqueles cristãos que acreditam no inferno, são virtudes para outros.

Portanto se existir um céu e um inferno, quase de certeza que nos encontramos por lá.

Eu por via de dúvidas já tenho um requerimento alinhavado para entregar à divindade ou divindades a apelar à influencia de más leituras, péssimos blogues, programas nocivos de televisão e por aí fora…

E vou evitar o apelo a qualquer santinho ou divindade antes de ver que está por lá.

É que se a divindade for uma daquelas africanas com bué de mau feitio não deve ser nada bom começar ou acabar a frase com um “valha-me santa Rita advogada dos impossíveis” ou “pelas cinco chagas de Cristo nosso Salvador”

O melhor será estar caladito e ver se se passa no meio dos outros….

Comentar por João Melo De Sousa

Sousa,

se a ideia com esse texto é mostrar que “como há muitos deuses, então não existe Deus” desiste. Eu também posso entrar no jogo e dizer: “Como há muitos deuses, então o verdadeiro existe”.

Comentar por alogicadosabino

Mas isso é um caso… existem várias famílias de vírus. Alguns, como o Poliovírus provocam cancro, a poliomielite. Vários vírus são responsáveis por alguns cancros, devido à sua forma como actuam na célula. Não conheço nenhum vírus benéfico. O seu objectivo é sempre o mesmo: reproduzir usando a melhor estratégia e menor dispêndio de energia. Usando até a maquinaria da célula, sequestrando-a para si, para assim criar novos vírus. A célula que se “lixe”, vai morrendo.

Comentar por Dário Cardina

Mas ainda não percebi… como é que dizes que os vírus poderiam ser auto-suficiente? É impossível, eles têm obrigatoriamente que usar células para “viver” senão não eram vírus, não eram nada. E outra coisa curiosa que referes: que os vírus antes da queda poderiam eliminar cancros. Ora, para tal terão de ser nocivos às células e, também, tería de haver cancro antes da queda. Isso não faz sentido…

Comentar por Dário Cardina

Dário,

“Mas ainda não percebi… como é que dizes que os vírus poderiam ser auto-suficiente? É impossível, eles têm obrigatoriamente que usar células para “viver” senão não eram vírus, não eram nada.”

Não podem viver sem usarem o corpo dos outros agora. Não sabes como terá sido no mundo muito bom criado por Deus. A necessidade dos vírus de depender de terceiros pode ter surgido, como já referi, através de mutações, que eliminaram a informação genética necessária para eles subsistirem por si só. Eles poderiam desempenhar relações de simbiose com os outros seres vivos, até se terem tornado malignos.

“E outra coisa curiosa que referes: que os vírus antes da queda poderiam eliminar cancros. Ora, para tal terão de ser nocivos às células e, também, tería de haver cancro antes da queda. Isso não faz sentido…”

Não seria bem “eliminar cancros”, mas sim preveni-los, ou seja, manterem o corpo humano pré-queda livre dessas doenças.

Comentar por alogicadosabino

Ai que lindo! Só falta explicares como, não é? É como dizeres que antes do dilúvio não chovia porque a água era mais leve que o ar e chovia para o espaço. Ou que a água evaporava antes de atingir o solo. Vamos raciocinar, vamos?? Os vírus formavam uma simbiose ou eram auto-suficientes? Já reparaste que nos dois parágrafos contradizes-te? Primeiro eram auto-suficientes, depois já criavam uma simbiose. Porreiro. Atiras essas batatas ao ar e esperas que dêem morangos??

Comentar por Dário Cardina

Dário,

“Já reparaste que nos dois parágrafos contradizes-te? Primeiro eram auto-suficientes, depois já criavam uma simbiose.”

De modo algum me contradigo. Tantos seres que são auto-suficientes e desempenham relações simbióticas com outros seres, também eles auto-suficientes. Um aspecto não contradiz o outro.

Comentar por alogicadosabino

contnua, explica como funcionava o processo impossível.

Comentar por Dário Cardina

Dário,

“contnua, explica como funcionava o processo impossível.”

Não sei como seria, apenas posso especular um pouco segundo a minha cosmovisão. Isto acontece porque estamos a lidar com eventos passados e a tentar explicar o passado com base no que vemos e analisamos no presente. É a característica da ciência histórica ou das origens. Repara que tu e os outros evolucionistas fazem o mesmo. Não fazem a mínima ideia de como poderá ter surgido o primeiro organismo auto-reproductor, a partir de matéria inanimada, mas acreditam que isso aconteceu. Vocês fazem o que eu faço. Usam a vossa cosmovisãao (neste caso, a naturalista) para construir a história.

A diferença nisto tudo é que, em relação à vossa história, nunca ninguém viu vida a surgir espontaneamente. Mas já vimos vírus a prevenirem tumores. Qual a cosmovisão que está mais de acordo com as evidências?

Comentar por alogicadosabino




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: