No princípio criou Deus os céus e a Terra


O Titanic e o pecador
Setembro 6, 2009, 11:22 pm
Filed under: Convicções / Fé

Era um barco esplêndido! Tudo o que de melhor se podia imaginar tinha sido aplicado na sua construção. Era belo, era magnífico, era titânico! Tinha por nome TITANIC. Não era só o maior navio alguma vez construído até então, mas também o mais veloz, resplandecente e absolutamente insubmergível. Nem Deus o poderia afundar!

titanicMas, eis que a três quartos da sua viagem inaugural, o Titanic transformou-se num horrível pesadelo. Um enorme e traiçoeiro icebergue embateu no colosso da engenharia náutica. Duas horas após o embate, o insubmergível Titanic mergulhou mortalmente, levando consigo 1500 passageiros, grande parte deles de grande poder e riqueza.

Consideremos agora as lições desta tragédia:

1)Nem Deus pode afundar este navio“, afirmou orgulhosamente o seu construtor. Também nós temos a infeliz tendência de nos vangloriarmos dos nossos próprios recursos e conhecimentos, muitas vezes blasfemando de Deus.

A soberba precede a destruição, e a altivez do espírito precede a queda.” (Provérbios 16:18)

2) Mesmo quando o Titanic chocou contra o icebergue, os tripulantes e os passageiros estavam confiantes de que o “pequeno” icebergue não causaria grande dano. Também nós erramos quando pensamentos que o pecado não tem importância nem consequências graves.

Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6:7)

Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.” (Hebreus 10:31)

3) Este episódio  ensina-nos ainda uma lição sobre a necessidade de prontidão na tomada das decisões importantes. Os que se encontravam a bordo do Titanic e que responderam imediatamente à chamada para embarcar nos salva-vidas foram salvos. Os que levianamente ignoraram o alerta, morreram.

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3:20)

Será que tu já aceitaste o convite?

Anúncios

48 comentários so far
Deixe um comentário

Uma séria lição, a ser aprendida enquanto é tempo…

busquem o Senhor enquanto se pode achar (Isaías 55:6)

Obrigada por este blog! 😉

Comentar por Joana

entao o sr deus pra provar que com ele nao se brinca decidiu exterminar os passageiros do Titanic?nao estou surpreendido…
Eu nao posso apenas fingir que acredito por medo de represalias, e mais forte do que eu!se estiver errado, azar…sou honesto comigo mesmo.

Comentar por hermogenes

Deus não exterminou ninguém. Quem ditou o destino da grande parte dos passageiros foi o construtor do navio que, por achar que nem Deus poderia afundar o seu barco, capacitou-o com botes salva-vidas para apenas pouco menos de metade da totalidade dos passageiros a bordo.

Comentar por alogicadosabino

Ou seja o que aconteceu, aconteceu por desrespeito dos construtores das normas de segurança… não por desrespeito a Deus. É isso?

Se é isso, e se Deus nada teve que ver com esta desgraça, nem para afundar o navio, por vingança, nem para salvar os inocentes — crianças! — que lá morreram, por misericórdia, então para que é Deus para aqui chamado?!

Comentar por Triplov

não meu amigo,a verdade é q Deus não moveu uma palha se quer com relação oq aconteceu o problema é q somos consequencias dos nossos proprios atos, pelo poder que tem a palavra que ditamos que Deus deixou,Deus não se conpraz nem no sofrimento do perveso diz a palavra d´ele ai vc me pergunta pq os seres humanos sofrem? pq? pelo pecado axecutado lá no inicio!

Comentar por gustavo

Gustavo:

Raciocinando pelos seus argumentos, e levando-se em conta que os inocentes não devem pagar,

Deus foi omisso em não intervir para que só o construtor morresse.

A maioria das pessoas que blasfemam, não lhes acontecem nada, nestes sites por aí a fora tem ateu blasfemando,

e no entanto morrem ateus, morrem crentes…

Esta do navio ter afundado devido ao escrito, é mera hipótese. devem ser levadas em conta as hipóteses de número infinito que surgem,

Se não estivesse escrito, afundaria mesmo assim,

Se foi só aquele navio que afundou até hoje,

Se em todos que afundarm alguém escreveu,

juntar tudo isso e só assim terá um resultado, mesmo assim, que será uma tese, por enquanto.

Escrevi num destes assuntos sobre a hipótese de Deus está lutando para aumentar os céticos como forma combater a estratégia do mal que foi um “cavalo de tróia”, ao implamtar uma religião diferente em cada parte do planeta para desunir os homens.

hipótese igual a suas.

Creia mas sem responsabilizar Deus por omissão.

Comentar por Clayton Luciano

Todos morreremos um dia. Não importa se afundando em um navio, atropelados, devorados por feras, ou doença… O importante é entregar a vida a Cristo enquanto ainda há tempo. Depois da morte, segue-se o juízo (Heb.9:27a) Ou seja, apos a morte só resta aguardar a ressurreição para a vida eterna ou para a condenação eterna (João 5:26-29). Não haverá segunda chance! A oportunidade é agora! Peça a Cristo que aceite você enquanto ainda é tempo.
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18 Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Comentar por Isaias S. OLiveira

Vou usar um argumento muito popular entre os criacionistas:

Porquê, já foste ao mundo depois da vida?. Já lá estiveste? Como sabes o que lá há ou se existe? Já alguém passou por esse juízo? Não dei por nada… Há algum registo factual disso, ou apenas as profecias da Bíblia?… Pois, bem me parecia…

Comentar por Maria

Nossa essa é uma das mais odientas falácias que já li, ainda bem que não é original.

Que Deus bondoso é este que condena milhares a morte por causa do “pecado” de um único homem ? Vai me desculpar, mas se Deus é assim, ele não deve ser apenas temido, mas eu diria que até combatido.

Além disto acho duvidoso que o engenheiro responsável pela construção do navio tenha dito realmente isto.

Comentar por Alexssandro Duarte

“mas se Deus é assim, ele não deve ser apenas temido, mas eu diria que até combatido”.

Estas ordens já foram dadas em um passado recente por Lênin, Stálin, Mao Tsé Tung, Pol Pot e tantos outros.
Resultado: Mais de 200 milhões de mortos.

Comentar por Isaias S. OLiveira

Aquecimento global, fome, desigualdades, poluição, consumismo desenfreiado, desperdício, violência…. água?!

“A diarréia é a causa de 20% das mortes de crianças segundo a OMS.”
Medicina avançada? Para quem?

A Terra é o nosso Titanic, estamos enfiando ela nos icebergs…

Se Deus não interferir, se Ele não bradar “Basta!”, vamos afundar e não haverá sobreviventes.

É um alívio saber que Deus é bom e, por ser bondoso, é certo que em um grande dia Ele irá julgar os ímpios, elimiar o injusto a injustiça da Terra.

“Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora.”
Romanos 8:19-22

Abraço.

Comentar por nilo

Os crime de Mao, Stalin e companhia não absorverão os de Deus se ele for assim, Sr Isaias, eu particularmente passei a duvidar da existência dele ao ler na Bíblia como algo supostamente bom incentivava o massacre de povos inteiros, ou voce vai me dizer que não havia crianças inocentes em Sodoma e Gomorra, na verdade ainda bem que todos os massacres do Velho Testamento são provavelmente mentiras deslavadas.

Sr, Nilo, a concepção do Inferno ainda guarda uma certa lógica se existir de fato uma deidade ainda mais cruel que suas própria criaturas, apesar de haver mil e umas questões a serem respondidas sobre o que ela vai considerar como boa ou má, mas é o Paraiso que não faz o menor sentido, um lugar em que só o bem vai existir e que todos serão bovinamente felizes corrompe a própria concepção do que é felicidade, é anti-vida.

Comentar por Alexssandro Duarte

Olá Alexssandro, tudo bem?
Quero te contar um segredo, algo que provavelmente será novo a tí.

“O homem é o representante de Deus na Terra”.

Cada pequena criatura deste planeta, cada animal – todos os seres vivos – ao olharem para nós deveriam ver Deus, ou seja, deveriam ver o amor do criador nos nossos atos, a sabedoria, a justiça, a perfeição daquele que originou tempo X espaço.. tudo isso refletido em nós.

Por que estamos aqui? em poucas palavras:

“Para glorificar a Deus a partir do planeta Terra”

Isso inclui preservação de recursos ambientais, inclui tratarmos o próximo com amor – sem falsidade ou maldade. Inclui usar todo nosso potencial intelectual para o benefício e manutenção da vida. Inclui amar o Criador acima de tudo.

Foi por isso que fomos feitos, essa é a nossa finalidade. Recebemos recursos e capacidades suficientes… contudo recebemos livre-arbítrio para cumprir, ou não cumprir, a nossa missão.

Esse conceito é a chave!

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”
Gn 1:26-27

Comentar por nilo

São questões muito boas, porém não vou respondê-las diretamente. Isso porque teriamos que definir Inferno, Paraíso, Geena, “Novos céus e nova Terra” (criação restaurada/recriada, destino final dos justos) e outras tantas coisas… seria enfadonho e pouco produtivo.

Podemos pensar em algo mais básico, mais natural… podemos concordar que estamos destruindo o nosso planeta e a nossa civilização, correto?

Os temas: aquecimento global, falta d’agua, o consumismo sem freios… a crescente desigualde social, a violência e crises econômicas… tudo isso tem algo a ver com a maneira como vivemos?

Será que nossas atitudes vão afetar as gerações do futuro?

Vamos supor que não consigamos mudar satisfatoriamente a maneira como administramos os recursos naturais nos próximos 50 anos… será que vão ocorrer guerras por água? Conflitos por petróleo? Animais serão extintos? Regiões costeiras sumirão?

Como viveriam nossos descendentes em um cenário assim?

Suponho grande violência e disputa pela sobrevivência. Carros blindados, pessoas “presas” em suas próprias casas, reféns de sistemas de segurança e muros, países contaminados pela xenofobia, grande embate contra imigrantes… (hum, já ví isso)

Agora… imagine uma criança nascendo neste cenário, na Somália, por exemplo. Como ela viveria? Viveria? Morreria de sêde?

Isso tem algo a ver com a maneira incensata como agimos hoje? É justo?

Imagino que os governos criariam leis duras, racionando os recursos, podando liberdades.

E as pessoas que não concordarem com essas leis incondicionais? Seriam presas? Pagariam multas?

Será que, de uma maneira natural, podemos pensar em Responsabilidade, Punição e Premiação?

Alexssandro, você pode ignorar o Criador do universo… mas não pode fugir da suas responsabilidades e de receber, todos os dias, punição/premiação.. por outro lado, você nunca teve, e nunca terá, plena liberdade, nunca fará “o que quiser” sem consequências para você e para o próximo. E mais; nossos descendentes vão sofrer os efeitos dos seus (e dos meus.. e dos nossos) atos e costumes.

Comentar por nilo

Deus não exterminou ninguém. Quem ditou o destino da grande parte dos passageiros foi o construtor do navio que, por achar que nem Deus poderia afundar o seu barco, capacitou-o com botes salva-vidas para apenas pouco menos de metade da totalidade dos passageiros a

Comentar por Ama Carolima

Os homens se esquecem do poder divino nas boas horas,nas ruins,fazem rezas e mais rezas,mais se esquecem de que no momento de glória,desafiaram a ele.”Nem Deus afunda o Titanic”,o Titanic afundou,pois Titanic é navio,Não é Arca de Noé!
O poder divino de um só Deus,pode acabar com trilhões de seres vivos.

Comentar por Gustavo

Ainda bem que tal ser não existe pelo menos até agora não vi evidencias de tal ser.

Se ele existir e for do jeito que o Sr. Nilo acredita será uma espécie de ditador perfeito, nos ama incondicionalmente, mas nos obrigar a ama-lo também sem questionamentos, que raio de amor é este ?

Prefiro arder no inferno a me colocar de joelhos eternamente em adoração a um ser que mata milhares só por causa da arrogância de um homem.Antes entrar de pé no Inferno que de joelhos no Paraíso é o que eu costumo dizer.

Estranho Deus bondoso este, basta ler algumas passagens do Velho Testamento para chegar a conclusão que moralmente nós suas supostas criações decadentes nos tornarmos superiores a ele moralmente, pois criamos leis para punir apenas os culpados e mesmo assim temos misericórdia por esses, os julgamos e os condenamos pelos crimes de cada um.

O Deus do perdão que Jesus acreditava muito pouco tem haver com o Deus vingativo, preconceituoso e mesquinho do Velho Testamento, moralmente Jesus estava muito a frente de seus contemporâneos, mas acredito que suas palavras foram mal interpretadas e limitadas ao que ele próprio conhecia sobre o mundo.

Comentar por Alexssandro Duarte

Não viu evidências? És cego?
Aí vai: “os céus manifestam a glória de DEUS e o firmamento anuncia a obra de Suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes”.

Viu? a própria natureza é prova da existência do Criador. Mesmo sem dizer palavra, é como se gritasse. Ouvem-se as suas vozes. Nenhuma ideologia darwinista prova o contrário!

Gosto muito desta: “Porquanto o que de DEUS se pode conhecer neles (nos homens) se manifesta, porque DEUS lho manifestou.

Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis”;
(Hummmmmmm! Então os homens não terão desculpa do seu erro, de sua incredulidade). Continuando:

“porquanto, tendo conhecido a DEUS, não o glorificaram como DEUS, nem lhe deram graças; antes, em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insesato se obscureceu.

Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos”.

PS.: ainda bem que a Bíblia não tem necessidade de que ninguém a aceite. NÓS é que necessitamos de aceitá-la.

Comentar por Lucinéia

Eu francamente joguei a toalha, cansei de debater com gente que se regozija com a morte de inocentes, que se deleita com historias apócrifas, cheguei a conclusão que meu precioso tempo deve ser usado com algo mais proveitoso.

Fiquem felizes com suas idéias que ao meu ver são absurdamente limitadas, só vou me manifestar agora quando o mundo real for ameaçado em seu laicismo.

Voces podem ficar se divertindo em suas fantasias imperiais ao sonhar com um Paraiso onde eternamente serão obrigados a agradecer de joelhos, eu prefiro ir de pé para o Inferno que entrar no Paraiso de joelho.
Deve ser difícil lutar contra a realidade, mas isto é um problema que voces tem que lidar, não eu.

Agradeço a todos com os quais civilizadamente debati, mas não dá mais , depois de meses postando em sites religiosos cheguei a conclusão que só me desgasto, já fui chamado de intolerante pra baixo e já não tenho a mesma paciência de antes.

Adeus, fiquem com o Deus de vocês (seja lá ele qual for em sua grande e interminável variação)

Comentar por Alexssandro Duarte

Julgar o mundo antigo e ao proprio Deus pelo padrões sociais de hoje é muita tolice.

Curiosidade: Vc é afavor do Aborto?

Pegar apenas as partes que diz ´´Deus matou“ sem olhar o contexto e os porque e depois atacar com falso moralismo esta longe de ser uma critica honesta.

Mundando um pouco o assunto.

Se a Biblia Sagrada fosse, segundo alguns criticos,´´editada constantemente pela igreja“ porque esses supostos erros não foram removidos?

Não seria melhor apagar ou re-escrever esses textos p algo mais socialmente aceito?

Comentar por adim

Acontece que o padrão ético contemporâneo (pelo menos na maior parte do mundo)é muito superior ao padrão ético de um suposto ser perfeito, estranho isto né ?

Quer dizer que nos tempos antigos crianças não eram tão inocentes como hoje em dia por que o que consideramos como crianças hoje em dia não era assim antigamente ? Deus se comporta conforme os padrões morais dos humanos ?

A Bilia é de certa forma editada até hoje, as Testemunhas de Jeová são um exemplo clássico disto. Pode ter certeza que caso a alfabetização não tivesse sido vitoriosa, a Igreja (seja lá qual) iria editar sim a Biblia para torna-la mais adequada ao gosto moderno, já fazem isto até nas traduções, se voce pegar uma tradução direta (me lembro que lançaram uns anos atras esta versão) dos originais da Biblia para o português, o texto muda bastante. O Gênises na tradução direta é muito mais poético que a que geralmente é lançada no Brasil

Sobre o aborto, eu sou a favor da legislação brasileira, o aborto só em caso de risco grave para a gestante ou estupro, fora isto é uma burrice terrivel, existem varias maneiras de evitar filhos sem assassina-los.

Deus é engraçado quer punir os “pecadores”, mata todos em volta sem precisar, um ser onipotente não teria a capacidade de ser mais seletivo ? Sodoma e Gomorra, antros de pecadores ? Por que não salvar as crianças da cidade, crianças de seus dias, meses ou uma dezena de anos são punidas pelos pecados dos pais ?

Comentar por Alexssandro Duarte

Os céticos rejeitam a Deus não por ele ter feito isto ou aquilo. Rejeitam a Deus por não poderem vê-lo. No entanto, acreditam na bola mística, geração espontânea, evolução e tantas outras fantasias jamais observadas pela ciência. Na verdade o Homem rejeita a Deus por causa do pecado da incredulidade.
Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos…
Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
2 Cor.4:4; Rom.1:19-22.

Comentar por Isaias S. OLiveira

Sr Isaías, acho que vc não entende meu ponto de vista.

Analisando com profundidade a crença em Deus no que diz respeito a promessa de vida eterna em um Paraíso perfeito , punição aos maus, etc… eu conclui que mesmo que exista um Deus seria uma lastima que ele exista.

A vida eterna em um Paraiso perfeito seria de um tédio terrivel , uma ditadura eterna que vamos ficar de joelhos adorando algo que condenou ou pelo menos deixou boa parte de nossa familia e amigos afastados do Paraiso, algo que na verdade parece desprezar o livre arbítrio e a capacidade humana de superar desafios.

Incredulidade na dose certa é uma virtude, se não fosse ela, estaríamos até hoje atribuindo as doenças a causas místicas.

Comentar por Alexssandro Duarte

Voltando ao Titanic, queria entender por que se apegam a esta historinha apócrifa ?

A Biblia tem mais histórias sobre a incapacidade de seleção de Deus na hora de castigas os pecadores , basta ver o que ele fez dando um reset na natureza após Adão e Eva comerem do fruto proibido e do Dilúvio

Comentar por Alexssandro Duarte

Parece que admites a existencia de Deus. No entanto, achas que pode julgá-lo. Você é mortal, teus dias são limitados. Deus é eterno, e subsiste para sempre. Você será julgado por êle; Não o contrário.
Quem é você ou qualquer humano para julgar o criador de todas as coisas?

14 ¶ Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma.
15 Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.
16 Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.
17 Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.
18 Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.
19 Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade?
20 Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?
21 Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?
22 E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição;
23 Para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou… Rom.9:14-33

Comentar por Isaias S. OLiveira

Se existe algo maior acredito que nenhuma das religiões da Terra chegou perto de compreender este algo maior, por um tempo me pareceu que o Budistas tinha chegado perto,mas andei pesquisando sobre o Budismo e ele tem uma serie de absurdos que o igualam as demais religiões.

Se voce acredita que seus amigos e parentes por melhores pessoas que sejam serão punidos talvez pelo simples fato de não aceitarem Jesus como seu salvador, voce merece este Deus e vice versa.

O que voce imagina que aguarda aos escolhidos no Paraiso ? Onde estarão os desafios ? Onde estará a variedade de opiniões e comportamentos que tornam a vida tão interessante ? A felicidade eterna é felicidade ? Qual será o lugar para as obras de artes humanas ? Se ele existe e nos deu consciências, já deveria imaginar que seria questionado, eu questionarei sempre.

Comentar por Alexssandro Duarte

Diante da falta de argumentos para defender a religião evolucionistas, os “ateus” recorrem a argumentos mirabolantes.
Primeiro dizem: Se Deus existe, por quê há tanto sofrimento no mundo?
Mas quando se fala do paraíso, eles não acreditam pois se recusam a viverem “bovinamente felizes”.
Dá para entender essa gente?

Comentar por Isaias S. OLiveira

Oi Alexssandro, gosto dos seus comentários sabia?

Não que eu concorde, mas você é franco e expõem tudo o que pensa. Isso é bem legal.

Me corrija se estiver errado:

Ao que entendí o problema para você não é existir ou não um criador do tempo x espaço…
mas sim sermos julgados por ele, ou seja, termos responsabilidades ou objetivos (propósitos) definidos para a nossa existência e sermos cobrados dessas coisas.

É por ai?

Comentar por nilo

Não exatamente. Primeiro tem um problema que é a definição de parâmetros para julgar alguém, se seguirmos a idéia que os salvos o serão pela crença em Cristo, como ficarão os que não acreditam nele, seja devido a nunca terem ouvido falar dele, por incapacidade mental de compreender algo, no meu caso e de muitos outros por uma descrença sincera e os casos de adeptos de outras religiões que crêem em suas próprias verdades ?

Em segundo lugar, talvez em uma limitada perspectiva humana, como é passível conceber um lugar de eterna felicidade ? A vida não é 100 % feliz para ninguém, se for como a felicidade pode ser compreendida ? Como impor amor incondicional ? Isto é amor ? Como alguem, vai aceitar que quem amou não vai lhe acompanhar na eternidade ? Uma mãe não iria se revoltar contra Deus se este não perdoasse um filho pecador ? Deus vai fazer uma lavagem cerebral nos salvos para que eles nem se sintam incomodados com o destino dos não salvos ?

O conceito de Paraiso é muito enganador, na superfície tudo é perfeito, mas parando para pensar, ele passa a ser o pior dos infernos.

Comentar por Alexssandro Duarte

[eu tinha postado esta resposta no lugar errado, desculpe. Agora esta no lugar certo]

Oi Alexssandro, tudo bom?

Nesta mensagem, você levantou questões muito boas, porém não vou respondê-las diretamente. Isso porque teriamos que definir Inferno, Paraíso, Geena, “Novos céus e nova Terra” e outras tantas coisas… seria enfadonho e pouco produtivo.

Podemos pensar em algo mais básico, mais natural… concordamos que estamos destruindo o nosso planeta e a nossa civilização, correto?

Os temas: aquecimento global, falta d’agua, o consumismo sem freios… a crescente desigualde social, a violência e crises econômicas… tudo isso tem algo a ver com a maneira como vivemos?

Será que nossas atitudes vão afetar as gerações do futuro?

Vamos supor que não consigamos mudar satisfatoriamente a maneira como administramos os recursos naturais nos próximos 50 anos… será que vão ocorrer guerras por água? Conflitos por petróleo? Animais serão extintos? Regiões costeiras sumirão?

Imagine uma criança nascendo neste cenário, na Somália, por exemplo. Como ela viveria? Viveria? Morreria de sêde?

Imagino que os governos criariam leis duras, racionando os recursos, podando liberdades. Mas.. e as pessoas que não concordarem com essas leis incondicionais? Seriam presas? Pagariam multas?

Será que, de uma maneira natural, podemos pensar em Responsabilidade, Punição e Premiação?

Alexssandro, você pode ignorar o Criador do universo… mas não pode fugir da suas responsabilidades e de receber, todos os dias, punição/premiação.. por outro lado, você nunca teve, e nunca terá, plena liberdade, nunca fará “o que quiser” sem consequências para você e para o próximo. E mais; nossos descendentes vão sofrer os efeitos dos seus (e dos meus.. e dos nossos) atos e costumes.

Abraço.

Comentar por nilo

É isso ai, o “bom” e velho deus do antigo testamento. Mata todo mundo pq teve seu orgulho ferido. E depois Maquiavel que leva a má fama. ahahaha

Comentar por Jean

Jean,

“É isso ai, o “bom” e velho deus do antigo testamento. Mata todo mundo pq teve seu orgulho ferido. E depois Maquiavel que leva a má fama. ahahaha”

E que tem matar? Segundo quem, matar é mau?

Comentar por alogicadosabino

“E que tem matar? Segundo quem, matar é mau?”
Essa do Sabino eu não esperava… Cai a máscara!!!

Comentar por Godzila

Godzila,

“E que tem matar? Segundo quem, matar é mau?”
Essa do Sabino eu não esperava… Cai a máscara!!!”

Mas por quê? Ainda estou á espera que me digas por que motivo matar é sempre moralmente errado. Gostaria de saber por que é que a tua moralidade é melhor do que a dos serial killers. Já sei que vou ficar sem resposta ou então vai dar ao “a moral é relativa”, mas aí morre o peixe pela boca.

Comentar por alogicadosabino

Quem deve justificar é você, diga (e não pergunte) quando matar é bom.
Sinceramente Sabino, o que quer dizer com isso, se disser que deus assim determinou ou algo do gênero a coisa ainda piora.

Comentar por Godzila

Tal como eu previ. Fiquei sem resposta. Típico em quem diz que Deus não existe mas assume uma moral universal.

Comentar por alogicadosabino

“Uma das desgraças da Humanidade é o sequestro da moral pela religião” Arthur C. Clarke.

O fato de raciocinarmos é que nos leva a ter comportamentos morais, pelo menos é o que eu espero, ou os que acreditam em Deus não saem por ai cometendo crimes por que temem a punição de Deus ?

Quem sabe os homens se matavam uns aos outros sem maiores dores na consciência antes dos Dez Mandamentos ? Estava lá ” Não Matarás ” e as pessoas pensaram “Puxa que Grande Ideia, nunca tinha pensado nisto”

Comentar por Alexssandro Duarte

Então, a moral é relativa? Então não existe moral, na prática.

E sobre o “raciocínio” dos assassinos? É moral! Não estão errados. É culpa do cérebro deles.

Comentar por MVR

E aí, senhor Sabino… “oi nóis aqui ‘traveis”…

E que tem matar? Segundo quem, matar é mau?

Há algum tempo eu já tinha debatido com o Sabino e um “discípulo amado” dele sobre essa questão da moral.

Defendi à época – e ainda defendo – a moral como sendo um fato social. Nasce da sociedade para a vida em sociedade (DURKHEIM, Émile. Sociologia e filosofia. Coleção fundamentos de direito. São Paulo: Ícone, 1994).

Defendi – e ainda defendo – que não há uma regra objetiva. E nem poderia haver, dada a diversidade sócio-cultural humana.

Defendi – e ainda defendo – que qualquer ser humano, psicologicamente normal, tem totais condições de diferenciar o “certo” do “errado”, ainda que tal diferenciação não seja absolutamente igual para todos.

Também à época já me pediam para justificar minha moral. Ora, justifico-a pelo Princípio da Alteridade, que, juntamente com o binômio “não faça aos outros o que não gostaria que te fizessem/faça aos outros o que gostaria que te fizessem”, justifica qualquer comportamento moral e ético.

ENTRETANTO…

Quando a religião entra em cena, tudo o que foi dito cai por terra, vira de pernas para o ar. Ao se sentirem justificados por uma moralidade absoluta (normalmente exterior ao mundo e, consequentemente, não passível de observação ou de estudo, e muito menos de questionamento), as pessoas acabam agindo da forma mais absurda.

Supor uma moralidade absoluta externa à vida social humana, a ditar as regras, gera exatamente isso que o Sabino falou: “E que tem matar?” Se deus mandou matar, ou se ele mesmo quer matar, quem é você para contestar?

Se ele é a (SUPOSTA) moralidade absoluta, e manda matar, então que mal tem matar? Se ele mandou, então matar não pode ser mau. Então MATAR É BOM. Quem somos nós para dizer que não? Quem somos nós para julgar a moralidade absoluta?

Acontece que, para a maior parte das sociedades humanas atualmente, MATAR É ERRADO. Não é moral. Isso é pacífico? É claro que não. Ainda existem sociedades em que é aceito, por exemplo, a pena de morte. Mas ainda assim, se fizermos um estudo comparativo, veremos que as sociedades vêm evoluindo (hummm… evolução… palavra que o Sabino não gosta muito), melhor dizendo… veremos que a consciência moral das sociedades vêm se modificando – e em geral para melhor! Não seria exagero imaginar, num futuro próximo, o total banimento daquele tipo de pena como forma de punição (não vou entrar no mérito da criminalidade, porque aí já serão outras questões).

Enfim, ou trabalhamos com a hipótese (totalmente descabida, a meu ver) de uma moralidade absoluta exterior ao mundo, despótica, absolutista, impassível e inquestionável; ou trabalhamos com a hipótese da moral como fato social, ainda que imperfeita, mas que pelo próprio caráter social e cultural, passível de evolução (droga! de novo…), melhor dizendo, passível de auto-correção e auto-questionamento.

Comentar por Alexssc

“Defendi – e ainda defendo – que qualquer ser humano, psicologicamente normal, tem totais condições de diferenciar o “certo” do “errado”, ainda que tal diferenciação não seja absolutamente igual para todos.”

“Ora, justifico-a pelo Princípio da Alteridade, que, juntamente com o binômio “não faça aos outros o que não gostaria que te fizessem/faça aos outros o que gostaria que te fizessem”, justifica qualquer comportamento moral e ético.”

Eu não tenho nada contra o pensares assim. Mas a partir do momento em que eu sei que pensas assim, sempre que tragas moralidade e comportamento à conversa, eu vou-te lançar as tuas próprias palavras. Se não há um padrão moral absoluto, então não tens que julgar as atitudes de outros. Se não há regra moral asboluta, esse princípio que invocas não tem de ser invocado pelo outro. Como não há regra moral absoluta, nada diz que a tua moral é melhor ou mais correcta do que a do outro.

Vou anotar este teu comentário. Imagino que pode dar jeito para discussões futuras.

Comentar por alogicadosabino

Ora senhor Sabino…

Mas EU não julgo nada. E em nenhum momento falei que EU julgava algo.

O que fingiste que não viu – e que em todo o texto que escrevei ressaltei – é que a moral é um FATO SOCIAL. Quem julga o comportamento é a sociedade na qual estou incluído. E é por isso, senhor Sabino, que falei que ela – a moralidade – pode não ser absolutamente igual para todos, haja vista a diversidade sócio-cultural humana.

Como exercício de pensamento, talvez você possa me dizer, num exemplo hipotético, qual a moral que regeria um náufrago sozinho em uma ilha (o filme do Tom Hanks, por exemplo – é ficção, eu sei, e muito improvável, mas totalmente válido como exercício intelectual).

Mas enfim, esteja à vontade para provar-nos a todos que existe esse seu (SUPOSTO) padrão moral absoluto, e de que forma esse (SUPOSTO) padrão moral absoluto dita as regras de convivência social.

Comentar por Alexssc

nossa q tragédis. um navio magnifico ter afundado. mas é pra aprenderr q com Deus nao se brinca.mas nao acho q as outras pessoas q morreram tinha culpa. MAS DEUS SABE OQ FAZ .

Comentar por Alex

Se tivesse morrido só o contrutor, poderia se questionar.

Foi errado, pois, só o construtor deveria ter sido punido.

Justiça falha

Comentar por Clayton Luciano

O navio foi uma tragedia causada pela soberba humana, não foi Deus que o destruiu como punição por que alguem disse ´´nem deus pode afundar o titanic“

Se Deus fize-se assim a raça humana não exitiria a muito tempo.

Comentar por Adim

Adim: (raciocinando pelos argumentos criacionistas).

Se ninguém pode pagar pelos erros dos outros,

E já que Deus é ilimitamdamente poderoso, ele deveria ter intervido para que só o construtor morresse.

Entao Deus foi omisso ou não é tão poderoso.

Ou a outra hipótese, o navio teria afundado mesmo que ninguém tivesse escrito nele.

O Titanic foi o único
navio a afundar em toda a História?

E se houve outros, em todos eles alguém escreveu blasfêmia nele?

Comentar por Clayton Luciano

MRV:

“É culpa do cérebro deles.”

Não só do cérebro, mas também do meio em que este cérebro se desenvolveu.

Comentar por Clayton Luciano

MRV:

“Então, a moral é relativa? Então não existe moral, na prática.”

A moral também existe nos outros animais?

A moral se corresponde em todoas regiões do mundo?

A moral existe independente do ser humano existir?

Se ela existe no universo e o ser humano apenas a identifica?

É imoral para voce sair com várias mulheres ao mesmo tempo, ou é outra classificação?

Será que imoral para mim, sair com várias mulheres ao mesmo tempo?

Esta tem resposta, do fundo do coração: NÃO!

Comentar por Clayton Luciano

“Abandonem a Terra ou seremos extintos”, diz Stephen Hawking

“Estamos entrando em uma período cada vez mais perigoso da nossa história”, disse Hawkings. “Em muitos momentos no passado a sobrevivência foi uma questão perigosa e delicada”, como a crise dos mísseis cubanos, em 1963, e a frequência desse tipo de situação “deve aumentar no futuro”, disse o teórico.

Hawking defende que a humanidade está acabando rapidamente com os recursos naturais da Terra e que o nosso código genético ainda “carrega instintos egoístas e agressivos“. “Nossa única chance de sobrevivência a longo prazo é espalhar a humanidade no espaço”, disse Hawkings.

Quem sair por último… apague a luz.

Comentar por nilo




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: