No princípio criou Deus os céus e a Terra


O mistério das baterias de Bagdad
Julho 8, 2009, 6:49 pm
Filed under: Convicções / Fé, Evolução/Big-Bang

Registos escritos relatavam que a civilização minoica possuía tecnologia sofisticada, como baterias eléctricas e dispositivos de cálculo [*1]. Devido à crença prevalecente de que coisas como electricidade e baterias eram um produto dos tempos modernos, esses relatos sempre foram descartados como sendo mitos ou lendas.

bagdad_batteriesNo entanto, descobertas arqueológicas vieram mostrar que estes relatos não eram mitos mas documentos historicamente confiáveis. Em 1938, enquanto trabalhava em Khujut Rabu, perto de Bagdad, no actual Iraque, o arqueólogo alemão Wilhelm Konig desenterrou uma jarra de barro que media 13 cm, e que continha um cilindro de cobre que envolvia uma barra de ferro. Após esta descoberta, vários artefactos semelhantes foram descobertos e veio-se a saber que se tratavam de baterias. Foram estimadas como sendo do século II A.C..

Pelas réplicas que foram feitas, constatou-se que elas podiam conduzir corrente eléctrica. Na experiência foi produzida tensão de até 2 volts. Teoricamente, se ligadas em série, essas baterias poderiam gerar correntes de voltagem mais altas. O Dr. Marjorie Senechal, professor de História da Ciência e Tecnologia no Smith College, nos Estados Unidos da América, disse:

Penso que ninguém pode dizer ao certo para que eram utilizadas, mas elas poderiam ter sido baterias porque funcionam

Questões a serem colocadas

Claro que isto levanta questões inevitáveis: 1) como se encontraram baterias quase 2000 anos antes de elas serem inventadas por Alessandro Volta?; 2) como tinham esse conhecimento?; 3) para que as fabricavam?; 4) já teriam conhecimento dos princípios teóricos da electricidade?

Tecnologia perdida

Estamos perante um caso de conhecimento que foi perdido ao longo dos séculos. Os registos que contavam que este povo teve acesso a baterias eléctricas foram desconsiderados durante muito tempo porque era algo que não encaixava no quadro geral da evolução humana. Não era suposto existirem coisas que todos pensavam que só foram popularizadas nos últimos 300 anos. É claro que não eram baterias como as que temos hoje mas os princípios são os mesmos.

E estas baterias encontradas até podem ser cópias degeneradas de baterias anteriores mais avançadas. Elas podem ter sofrido um destino semelhante ao das pirâmides do Egipto, em que as primeiras pirâmides eram superiores às que foram construídas nas gerações seguintes, até que deixaram de ser construídas. O mesmo se pode ter passado com as baterias de Bagdad. Como afirmou um investigador [*2]:

It is probable that the device later became merely a conjurors’ trick and gradually faded from view, just as the magicians of Mesopotamia did.” – (É provável que o aparelho mais tarde se tenha tornado apenas no truque de um mago e tenha caído no esquecimento, tal como era normal nos mágicos da Mesopotâmia)

CONCLUSÃO

Em que quadro é que este facto encaixa melhor? No quadro evolucionista, que diz que quanto mais recuarmos no tempo menores serão os sinais de inteligência, ou no Criacionismo Bíblico, que diz que o ser humano sempre foi inteligente?
______________________________________________________________________

REFERÊNCIAS OU NOTAS:

[*1] -Chittick, D. (2006), “The puzzle of the ancient man”, Creation Compass, Newberg, Oregon, pág. 155-156

[*2] – Paul T. Keyser (1993), “The purpose of the Parthian galvanic cells: a first-century A.D. electric battery used for analgesia”, Journal of Near Eastern Studies, Volume 52, nº 2, pág. 81-98 (PDF disponível)

Anúncios

35 comentários so far
Deixe um comentário

Apenas o preconceito evolutivo faz as pessoas rejeitarem o facto do ser humano sempre ter sido tão ou mais inteligente que é hoje.
Mais um exemplo em como a teoria da evolução é um impedimento para o progresso da ciência.

Comentar por Mats

“Tensão” de até 2 volts. Corrente Elétrica se mede em amperé. Tensão ligada em série produz voltagens maiores.
=D

Comentar por Guto Pagiossi

Obrigado, Guto 😉

Comentar por alogicadosabino

Essa possibilidade, a de grandes civilizações do passado, já foi explorada pelo Robert Charroux nos anos setenta.

Até à data, que se saiba, não deu em grande coisa.

Os religiosos antigos fizeram descobertas notáveis em artefactos para melhor tosquiarem as ovelhas do rebanho.

Infelizmente, para eles, ainda não existiam as televisões e tinham de se virar como podiam.

São muito conhecidos os engenhos para abrir portas de templos usando gravidade ou mesmo vapor de água.

Eram dignos antecessores da IURD.

Daí a terem feito civilizações técnicas vai um
grande passo.

Já nos relatos do Velho Testamento os magos do Egipto conseguiram igualar, até um certo ponto, o dos judeus e , pasme-se, que num relato feito pelos judeus não aparece grande admiração pelos truques dos magos egípcios.

Foi necessária uma matança dos inocentes por parte do bom e velho Jeová para desempatar a coisa.

Proeza que agora horrorizaria até um talibã.

Outros tempos outras morais.

Comentar por Joao Melo De Sousa

Sousa,

“Essa possibilidade, a de grandes civilizações do passado, já foi explorada pelo Robert Charroux nos anos setenta.

Até à data, que se saiba, não deu em grande coisa.”

Não deu grande coisa? Como assim? O que era suposto dar? É sabido que civilizações passadas tinham conhecimento e desenvolveram mecanismos que só séculos mais tarde o ser humano voltou a descortinar.

“Infelizmente, para eles, ainda não existiam as televisões e tinham de se virar como podiam.”

Hoje existem porque existe mais conhecimento acumulado. Daqui a 50 anos também vão existir outros tipos de tecnologia que não existem hoje, e não quer dizer que essas pessoas vão ser mais inteligentes que nós. Apenas vão ter acesso a mais informação acumulado ao longo dos tempos.

“Foi necessária uma matança dos inocentes por parte do bom e velho Jeová para desempatar a coisa.

Proeza que agora horrorizaria até um talibã.

Outros tempos outras morais.”

Por este comentário até me deste a entender que existe um absoluto moral que diz que matar crianças é sempre incorrecto? É isso?

Comentar por alogicadosabino

‘Foi necessária uma matança dos inocentes por parte do bom e velho Jeová para desempatar a coisa.

Proeza que agora horrorizaria até um talibã.

Outros tempos outras morais.’

Engraçado, que matança de “inocentes”? Pelo que eu saiba todas as 10 pragas foram expostas a todos, e o necessário para não sofre-las tb, que foram os “inocentes”? Aqueles que mesmo nessa ocasião não deixaram seu orgulho de lado e serviram a Jeová?

Êxodo 12 : “37 E os filhos de Israel passaram a partir de Ramessés para Sucote, no número de seiscentos mil varões vigorosos a pé, além dos pequeninos. 38 E com eles subiu também uma vasta mistura de gente, bem como rebanhos e manadas, numerosíssima criação de animais.”

Quem era realmente inocente foi com os israelitas, só sofreram as pragas mais terríveis os orgulhosos como faraó!

Comentar por Edrick

Quem vê um ateu criticando a “crueldade” de Jeová, deve imaginar que os ateus são um exemplo de amor ao próximo.
Será que existem exemplos de “amor ao próximo” maior do destes ateus? Lênin, Stálin, Mao Tsé Tung, Pol Pot… Grandes exemplos de “amor” ao próximo! Que lição de amor os ateus dão ao “bom e velho Jeová”!

Comentar por Isaias S. OLiveira

Não duvido que esses ditadores tenham feito coisas horríveis. Matança de primogénitos não me consta mas que eram meninos para o fazer eram. Também não eram gente que convidassemos para tomar chá e muito menos tomássemos como exemplo.

E os crimes de uns absolvem os outros ?

Comentar por Joao Melo De Sousa

Legal, um homem diz 9 pragas, as 9 vem, agora ele diz uma 10º que matará primogenitos e diz como não sofre-la, a pessoas não faz o necessário para isso, que consiste basicamente em “pintar o portal da porta”. E a culpa ainda é de Deus?Se alguém fala que vai desenfetar o bairro para melhorar a qualhdade de vida, e te mostra como sair para não ser afetado, vc não sai e não leva sua família, a culpa é dá pessoa que vai melhorar o local ou sua se vc sofrer as consequencias pela sua iprepotência?

Comentar por Edrick

Até porque outra matança do género, a ser verdade, terá sido feita por Herodes o grande uns séculos depois. Não há provas que o Herodes o tenha feito mas também era menino para o fazer…tudo gente boa como se vê.

Comentar por Joao Melo De Sousa

Bom, eu não sei fazer baterias.

Comentar por MVR

Pois MVR, que o teu conhecimento de ciência é muito fraquito já nós sabíamos. Mas eu ensino-te: http://www.miniscience.com/projects/PotatoElectricity/. E nem precisas de fazer um pote de barro.Aposto que os minóicos não sabiam disso! 🙂

Comentar por Ricardo Fernandes

Acho que chegaste um pouco atrasado.

Eu já fiz como tu, e digitei “Como se fazem baterias?” no buscador, e já aprendi a fazer baterias também.

Deve ter sido assim que os minóicos descobriram a fazer as suas, pesquisaram em um buscador como é que se faziam baterias com jarros.

Comentar por MVR

Podes usar teu nome original se quiser… Não precisas trocá-lo para falar batatas!

Comentar por MVR

Por este comentário até me deste a entender que existe um absoluto moral que diz que matar crianças é sempre incorrecto? É isso?

Para mim é. Não sei bem qual é a tua opinião. No entanto se achas que é correcto…bom…pelo menos não te convido para tomar um chá…

E, se achas que matar as crianças duma população para convencer um ditador qualquer a fazer isto ou aquilo, tendo tu os meios de fazer outra coisas…bom…isso tem um nome…

Tu não o farias nem eu. Tenho a certeza.

E quem o fez que se avenha com a sua consciência, ou falta dela.

Deus Lhe perdoe.

Tenho a certeza.

E se alguém o fez

Comentar por João Melo De Sousa

ó DEUS, JÁ ESTOU FARTO DE PSEUDO-INTELECTUAIS!

Sousa, meu querido.

Para inicio de conversa, acho acho um tanto quanto inadequado vc se achar no direito de discursar sobre assuntos teológicos, não se de uma papel de ridiculo, isso é feio tá? Uma dica, se vc não tem domínio de causa, cale-se. Isso é básico meu filho. Digo isto por dois motivos:

1 – É necessário lembrar que quando nos referimos a Deus, não estamos nos reportando a uma autoriadade humana, comum e normal (diga-se de passagem esse é o erro fundamental dos ateus: não conseguem admitir um tratamento diferencial entre Deus e os homens), pois é razoável fundamentalizar que se nós consideramos a existência de um Deus e, portanto, atribuimos ao mesmo os atos da criação, automaticamente colocamos em sua mão o dote de toda e força e poder do universo, inclusive da vida, pois quem cria dita as regras meu filho. Ora, isso é uma questão obvia tendo em vista que se Ele criou o tempo, a matéria, o espaço e a vida obviamente não está limitado a eles, está acima deles. Assim É TOTALEMTE ACEITÁVEL, RACIONAL E ADMISSÍVEL, que Ele, o Todo Poderoso, exerça juízo e Justiça sobre os mesmo da forma como lhe convém, dentro, é lógico, de seus príncipios já pre-estabelecidos eternamente, sem no entanto ferir o livre arbitrio do homem, isto posto por que ser soberano não significa interferir no processo o tempo todo, mas sim se reservar o inalienável direito de intervir quando quer, como quer, onde quer e da forma que quer, lembrando ainda que existem dois principios teológicos por vc ignorado, a saber: Vontade permissiva e vontade perfeita de Deus, onde a permissiva envolve tudo aquilo que Deus permite que o homem faça por respeito ao seu livre arbítrio e a perfeita, bom… creio ser auto-explicativa.

2 – O problema da maioria das pessoas é não entender que diferentemente do homem, Deus pode avaliar todas as variáveis possíveis, desta forma compreendemos que tudo que Deus permite que aconteça, isto é, onde Ele não intervém, está envolvido dentro de um contexto universal cujo domínio foge da capacidade de compreensão humana, pois somos homens e não Deus, lembra? Isso é facilmente compreendido quando analisamos como ilustração o caso dos primeiros cristãos: Muitos pais permitiam que os seus filhos fossem lançados primeiro nas aenas para serem devorados pelos leões. Mas que? A primeira vista isso não parece uma atitude muito cristã desses pais. No entanto havia um contexto explanatório sobre o caso: Os leões quando famintos, destroçavam as vítimas com muita rapidez o que reduzia o sofrimento, já os pais quando lançados nas arenas, encarava leões empazinados (de barriga cheia), o que fazia com que os mesmos fossem destroçando suas vitimas aos poucos, provoando uma morte lenta e gradual. Isso ilustra, a grosso modo, o que muitas vezes acontece. Por que Deus permite situações dificeis? A resposta é óbvia, Deus sempre realiza suas escolhas baseado no contexto universal, no qual está englobado não somente variáveis pessoais, mas também variáveis de tempo e espaço, decisões futuras, presentes, dcisões de outras pessoas… enfim, por mais que algumas vezes seja dificil para o ser humano compreender, é necessário crermos que mesmo que dolorosa, aquele acontecimento, dentro do contexto atual, sempre é o melhor para nós, se, e somente se, de fato somos filhos dEle. Pois como está escrito: “Todas as coisas contribuem [ou cooperam] conjuntamente, para o bem daqueles que ama a Deus, que são chamados segundo o seu decreto [ou propósito].” (Rm 8:28).

Em suma, meu querido, saiba primeiro o que é ser Deus antes de tentar criticá-lo, se é que realmente te achares no direito de fazer se o conheceres de verdade. Piis lembre-se, somos apenas homens e Ele é Deus. Alias, espero que vc além de pretencioso e pedante, ainda seja tão estapafúrdio a ponto de tbm dizer que não há Deus, mas isso já é uma outra discussão. Aprenda primeiro, discuta depois.

Shalon

Comentar por DIOGÊNIO

Tens muita razão.

Basta demonstrares inequivocamente que os deuses existem e que a vontade deles é assim e assado e não cozido e frito e fico convencido.

Até lá fico na dúvida se os deuses existem ou não. E mesmo que demonstres que eles existem ainda tens de demonstrar qual a vontade deles…

Duma forma inequívoca….

Comentar por João Melo de Sousa

Olá Sousa,

o que seria uma forma inequívoca de mostrar que o Deus bíblico existe?

Comentar por alogicadosabino

Sabino, boa tarde

Queria me reportar em especial contigo, como responsável por este blog, pois creio que exagerei um pouco quanto ao tratamento dado ao colega ontem. Tenho observado a seriedade, respeitabilidade e serenidade com que os assuntos são abordados por aqui. Da mesma sorte amplio essa minha reportação aos demais presentes, que de alguma forma, se sentiram incomodados com minha foram de postagem. Perdão, é que coisas como esta me tiram do sério… Enfim, isso não foi um comportamento lá muito cristão. Minhas desculpas a todos, vou procurar maneirar daqui em diante.

Shalon.

Comentar por DIOGÊNIO

Diogenio:

Há uma diferença entre má educação e calor na discussão.

Não me parece que tenhas ofendido ninguém.

Pelo menos pela minha parte não.

Um abraço

Comentar por João Melo de Sousa

Ok sousa,

Agradeço sua compreensão, de qualquer forma me desculpe assim mesmo.

Um forte abraço colega.

Comentar por DIOGÊNIO

Agora a sério :

Hoje sabemos que Herodes não matou os primogénitos. Gajo para isso era mas pelo que parece não há evidências disso.

Agora se Jeová o fez no Egipto, embora todo o poderoso e isso tudo, não fez nada bem.

Pois não ?

Ou é defensável tal comportamento?

E note-se que tinha outras opções!

Comentar por João Melo De Sousa

Engraçado que ele usou 9 outras opções antes desta para que não só faraó mas tb o povo deixasse sua arrogência e se juntasse a israel, sendo que tb serviam para mostrar que ia acontecer a 10º, e para não sofre-la tb foi dito, agora o que tem isso parecido com o massacre de Herodes? Herodes pode fazer a vida dessas crianças voltar num lugar mais justo e pacififo , do que naquela cidade dp egito? Deus pode João 5:28,29.

Comentar por Edrick

Quanta ignorância.

Escuta aqui ó Forrest Gump, se é pra ficar contando história, procura um site que tenha espaço pra esse tipo de evento, pois até onde eu saiba esse aqui me parece bastante sério. Mais uma vez, eu falo, como diz o porvérbio: Até o louco quando se cala passa-se por sábio. Logo, creio que seria muito mais inteligente da sua parte não abrir a boca para tentar inferir em assuntos que não domina, isso é a mesma coisa que assinar um atestado de bobo da corte. Do contrário te convido a tentar refutar nada mais nada menos uma das maiores fontes de dados históricos no tocante aos acontecimentos ocorridos no período inter-testamentário, passando pelo período macabeu, hasmoniano, a assunção de Antípater ao poder como governador da judéia, em seguida o trono passado ao seu filho Herodes o Grande que foi o responsável pela grande matança dos inocentes ocorrida no sec. IV antes de Cristo. Essa fonte chama-se Flávio Josefo, Judeu de cidadania romana, que possui nada mais nada menos do que a maior compilação relatória, relacional e descritiva de todo esse perídodo supra citado.Ah, sim devo lembrar que Flávio Josefo é considerado e reconhecido por todos como o maior históriador do sec. I no tocante não somente aos acontecimentos de alta relevancia na Palestina, mas também da propria história do hebreus, inclusive sendo autor do livro homonimo. Se vc tiver gabo cultural, conhecimento ou o mínimo de bom senso, o que vc deve fazer no mínimo é se calar ( como já havia dito), ou fazer uma análise dissertativa revolucionária para contrariar até mesmo os mais céticos dos historiadores que atribuem, incontestavelmente, a Josefo, praticamente tudo que se sabe de mais sólido sobre os acotecimentos aqui discutidos. Portanto meu amado, tenha o que nós chamamos aqui no Brasil de “Simancol”, isto é: SE MANCA, presta atenção antes de achar que vc esta entrando numa sala repleta de pessoas sem base argumentatória ou cultural, pois sim? Se quiser continuar com esse discurso ridiculo, esteril e patético vá em frente o mico é todo teu.

Shalon

Comentar por DIOGÊNIO

Tens razão!

Parece que há alguns indícios que que o Herodes tentou matar mesmo os primogénitos do Hebreus.
Também nunca te disse que o Herodes fosse uma boa pessoa…matou tudo e todos que estivessem, mesmo que muito vagamente, entre ele e o poder.
Um crime, por muito hediondo que seja, não desculpabiliza outro, não é ?

Eu até entendo que por detrás do plano de Herodes e dos tal Deus de Israel pudesse haver um plano muito maior e que a matança tivesse um objectivo superior…
Houve um nazi que se tentou defender assim em Nuremberga. Acabou enforcado.

Comentar por João Melo de Sousa

Porque uma coisa é afirmar que Deus é todo poderoso e mesmo injusto e cruel temos de nos acobardar porque não podemos lutar contra tal Ser outra é atribuir a tal personagem uma personalidade moral.

Quem mata os filhos dum ditador, que se saiba o faraó nem sequer foi eleito, para conseguir um resultado que poderia obter chateando o faraó pessoalmente não me merece a menor consideração.

Pode, como um assaltante de estrada, ter o poder de me matar. O que não lhe dá razão.

Comentar por João Melo De Sousa

Sousa,

já falei sobre os primogenitos do egipto: Parte 1. As restantes duas partes estão no texto.

Por este comentário até me deste a entender que existe um absoluto moral que diz que matar crianças é sempre incorrecto? É isso?

“Para mim é. Não sei bem qual é a tua opinião. No entanto se achas que é correcto…bom…pelo menos não te convido para tomar um chá…”

Mas… por que é que é sempre absolutamente errado matar crianças? Qual o padrão moral absoluto que usas para classificar essas acções de incorrectas, segundo a tua visão ateísta do mundo. De onde vem esse absoluto, se a moral é uma coisa que evoluiu?

Na minha visão do mundo, Deus como criador do Universo dita as leis Ele é a autoridade máxima. Como detentor de toda a informação e conhecedor de todas as condições, Ele sabe como agir. Agora… eu gostaria de saber qual o padrão absoluto moral que usas para dizer que Deus foi mau ou injusto ou cruel ao tirar a vida as crianças durante o sono destas. Não te esqueças que deves fundamentar a tua resposta tendo em mente a cosmovisão que abraças.

Comentar por alogicadosabino

Gracias a la Vida que me ha dado tanto
me dio el corazón que agita su marco
cuando miro el fruto del cerebro humano,
cuando miro el bueno tan lejos del malo,
cuando miro el fondo de tus ojos claros.

Violeta Parra.

No processo de aprendizagem e socialização há padrões de comportamento que se interiorizam, ou não.

Não vamos discutir se são inatos e ou aprendidos.

Esses padrões de comportamento tendem a tornar-se universais e comportam coisas tão complicadas como o a proibição quase universal do incesto, evitar a morte de semelhantes, cuidar das crias, etc e etc.

Esses comportamentos são interiorizados e são à priori. Não é preciso uma elaboração para escolher entre proteger uma criança ou usá-la como bola de futebol.

Quando não são temos um problema

Quem tiver pelo menos três dos seguintes critérios:

incapacidade de se adaptar às normas sociais com respeito a comportamentos dentro da lei, conforme indicado pela repetição de actos que são motivos para prisão.

enganosidade, indicado por mentiras repetidas, uso de pseudônimos ou enganar os outros para fins de lucro pessoal ou prazer.

Impulsividade ou incapacidade de planejar antecipadamente;

Irritabilidade e agressividade, indicado por agressões físicas e brigas repetidas

Desrespeito imprudente pela própria segurança e de outros;

Irresponsabilidade consistente, indicada por falhas repetidas na manutenção de trabalho consistente ou de honrar suas obrigações financeiras;

falta de remorso, indicada pela indiferença ou o uso de racionalizações ao fato de ter ferido, maltratado ou roubado de outras pessoas

Tem um problema.

A coisa é tão simples como isso.

Para quem interiorizou as normas sociais e responde bem em sociedade a questão :
– Era licito a alguém matar as criancinhas para provar algo ao faraó?

Não tem outra resposta senão :

Não! É horrível!
E qualquer outra resposta horroriza-me.

Quem não tem uma interiorização das normas pode racionalizar que, em dados casos e afinal o gozo que lhe deu, eu faria o mesmo ou pior….

Francamente é difícil de explicar a quem embora entenda a norma não a interioriza.

Se essas regras não existissem já a nossa espécie tinha ido com o galheiro há que tempos, não é ?

Comentar por João Melo De Sousa

Pois ainda bem que existem.

Só não sei de onde é que veio esta moral… Ah, espera, não sou ateu, então sei.

Agora busca lá as tuas fontes para dizer que matar é errado.

Comentar por MVR

A única norma social que parece ser intemporal e universal é o tabu do incesto. Mesmo em simios parece existir, pelo menos a crer em alguns estudos, que há uma forma primária de tabu do incesto.

Todas as outras normas são mutáveis e vão, custa-me usar a palavra aqui, evoluindo.

Eu não digo que a lei de Números e Leviticos fosse injusta.

Certamente na época era do melhorzinho que havia. Aliás os códigos sumérios eram parecidos.

Deve ter sido considerada justa.

Com o decorrer dos tempos houve conceitos que foram mudando.

Não lembra agora ao diabo lapidar alguém que trabalhe ao sábado ou um adúltero.

Permitir a escravatura também não lembra ao mafarrico.

O caso da matança dos inocentes pelo bom Jeová é um caso paradigmático.
A narrativa fala-nos duma luta entre o mago judeu e o egípcio.
Fazem ambos vários prodigios mas o deus dos israelitas é mais forte e mata os primogénitos dos inimigos.

Nada que arrepie a boa consciência da época.

só que os nossos valores evoluíram e aos olhos da mentalidade do século XX e XXI a matança de inocentes, mesmo de inimigos, é considerada errada.

Não posso é julgar o escriba por apoiar a matança. Era um homem daquela época e nessa altura uma coisa dessas era normal e bem vista.

Na minha perspectiva não houve qualquer matança de inocentes. Um facto assim relevante teria sido relatada pelos egípcios e , mais do que isso, se fosse verdade teria havido conversões em massa.
Não há evidência do facto. Ou foi mera invenção do cronista para enfatizar o poder do deus de Israel ou o exagero de um facto.

No entanto se existisse um deus que o tivesse feito teria agido moralmente de acordo com a mentalidade vigente mas não tinha uma visão a longo prazo da evolução da moral e ética humana.

Repara que se os valores de Números e Leviticos fossem perpétuos seria possível utilizá-los actualmente. Tal não é possível. Logo não são absolutos mas localizados no tempo.

Comentar por João Melo De Sousa

Talvez porque a evolução moral humana seja uma piada.

Comentar por MVR

Não me vais dizer que a moral de séculos passados que permitia a escravatura, execuções por motivos religiosos, discriminação de mulheres e homossexuais, genocídios era mais ética que a nossa ? Pois não ?

Comentar por João Melo De Sousa

Forrest Gump,

Entenda o seguinte, com exceção das leis cerimoniais e as chamadas leis de saúde, toda base das mais bem modeladas legislações e constituições do mundo moderno, tem seu fundamento extraído da lei civil mosaica e que, diferentemente desta pérola liberada por vc, preserva os principios morais na sua forma mais enfática. E, quanto a sua fala :

“Não me vais dizer que a moral de séculos passados que permitia a escravatura, execuções por motivos religiosos, discriminação de mulheres e homossexuais, genocídios era mais ética que a nossa ? Pois não ?”

Meu filho, não confunda principios morais com métodos de organização social. DEUS NÃO INTERFERE EM MEIOS DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL, Ele procura estabelecer, sim, mesmo em meio a uma nação com costumes imorais e corruptos, de forma gradativa seus principios morais/eticos/espirituais. É como vc querer tirar um sujeito de um frio abaixo de zero e coloca-lo num calor efervescente de 40 graus, ele vai ter um choque térmico. Da mesma forma, o tratamento que Deus foi tendo com seu povo ao longo dos anos foi parecido. Imagine Cristo proclamando para um bando de bárbaros recém saídos do Egito, onde eram escravos, e dizendo: Amai os que vos perseguem e bendizei os que vos maldizem. Foram necesários muitos seculos de preparação, não é a toa que a biblia fala que a lei serviu de aio (um tutor temporário) até Cristo, e Paulo fala em Galatas 4:4, que Cristo veio na plenitude dos tempos, isto é, tinha que estar tudo pronto para que o filho de Deus se manifestasse, embora Cristo não tenha em nada contraditado a lei, pelo contrário como ele mesmo afirma ele não veio ab-rogar, ele veio cumprir (no grego é a palavra pleroo que significa cumprir completamente),ou seja, O Senhor Jesus veio dar um sentido pleno a lei sem no entanto contradize-la através do novo entendimento sobre o favor imerecido de Deus (Graça) . É evidente que sim, Deus se valendo de sua autoridade divina como aquele que “tira a vida e dá” (I Samuel 2), sem dúvida, não só no velho testamento, mas também no novo (ver o caso de hananias e safira e herodes), o que portanto transporta essa verdade para os nosso dias também, suspendia o direito de vida de muitas pessoas o que lhe é totalmente conveniente como Deus soberano que é! Por outro lado a aparente diferença que muitos ceticos e ateus inventam existir quanto ao carater de Deus no periodo vetero e neo testamentário não é real, tendo em vista que os principios de Deus são imutáveis, quero dizer, o que era pecado no velho também é pecado no novo e vice-versa, a unica coisa que muda são os periodos dispensatórios, ou as formas que Deus administra cada periodo de seu relacionamento com a humanidade sem no entanto interferir em suas construções sociais, pois isso é direito inalienável do homem (nisto está incluso sistemas de produção como o escravagismo entre outros).

Ah sim, quanto ao homossexualismo, não se trata de uma questão congenita e sim de uma opção moral, haja vista que não existe ordem cromossomica homossexual, por esta razão esta prática era passiva de punição juntamente com outras mazelas que exigiam pena capital. Pecados como esse se enquadravam no hall das abominações, isto é, pecados de “alta virulência” por assim dizer, bem como o adulterio, a idolatria o homicidio (excetuando-se a legitima defesa e motivos de guerra), todos esses, poderiam, sem duvida, caso penetrassem no seio da nação de Israel, em pouco tempo, comprometer de maneira irremediavel a aliança de Deus com seu povo: Israel. Isso os assemlhariam com as outras nações, fugindo do objetivo primordial de Deus o qual se baseava em fazer com que as outras nações, que praticavam todo tipo de perversiade e imoralidade como sacrificar seus proprios filhos no fogo, fossem como Israel e não o contrário, daí a necessidade do radicalismo punitório, cujo objetivo se enquadra muito mais no ambito preventivo do que no executivo, isto é, as pessoas deveriam ler as consequencias legais da infração, temerem por suas vidas e não praticarem o delito, o que de certa forma funcionou.

É como Jesus disse: “Errais por não conhcer as Escrituras e o poder de Deus” (Mateus 22:29)

Mais uma vez eu lhe digo, amado, aprenda para depois discutir.

Shalon

Comentar por DIOGÊNIO

Seria perverso o Deus do Antigo Testamento?

http://www.outraleitura.com.br/web/artigo.php?artigo=87:Seria_perverso_o_Deus_do_Antigo_Testamento

Comentar por Fabricio Lovato

Seria perverso o Deus do Antigo testamento?

http://www.outraleitura.com.br/web/artigo.php?artigo=87:Seria_perverso_o_Deus_do_Antigo_Testamento

Comentar por Fabricio Lovato




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: