No princípio criou Deus os céus e a Terra


Não há asteroide para estes dinossauros
Maio 6, 2009, 2:06 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Como se extinguiram os dinossauros? A teoria (cof cof) mais prevalecente dizia que eles se tinham extinguido devido ao impacto de um asteroide com a Terra, há 65 milhões de anos. A teoria tinha por base a existência de uma cratera com 180 quilómetros de diâmetro, descoberta em 1978, no México.

Agora, 31 anos depois, quem sofreu um impacto foi esta teoria (Em português).

Publicado no Journal of the Geological Society, o paper do grupo de cientistas relata que a queda do asteroide teria ocorrido pelo menos 300 mil anos antes da extinção (quando os dinossauros nem sequer existiam, segundo os evolucionistas).dinosaur_extinction

Os cientistas também encontraram evidências de que o impacto do asteroide não teve o efeito dramático na diversidade de espécies, como se pensava. Durante escavações na região de El Penon, o grupo encontrou registos de 52 espécies em sedimentos abaixo da camada do período do impacto e as mesmas 52 em sedimentos acima, ou mais recentes. “Não encontramos sinal de uma única espécie que foi extinta como resultado do impacto de Chicxulub“, afirmou Gerta Keller, da universidade de Princeton.

Trinta e um anos depois, este grupo de cientistas confirma aquilo que os criacionistas sempre disseram: os dinossauros não se extinguiram devido à queda de um asteroide. Sem necessitar de realizar trabalho no terreno, os criacionistas vêem, mais uma vez, as suas ideias a serem corroboradas pelos evolucionistas.

Convém chamar a atenção para o facto de estes cientistas considerarem as diferentes camadas sedimentares representativas de diferentes períodos geológicos. No entanto, a existência de fósseis que atravessam diferentes períodos, supostamente separados por milhões de anos, indicam que todo o tempo que os evolucionistas dizem que decorreu entre elas é fantasma.

Como os dinossauros confirmam o criacionismo bíblico

Os dinossauros têm fornecido boas evidências a favor do criacionismo bíblico. Eles confirmam a juventude da Terra, pelo facto de ainda ser possível encontrar tecidos moles nos seus fósseis em excelente conservação. Eles também confirmam o dilúvio bíblico, pelo facto de serem encontrados grandes cemitérios de dinossauros por todos os continentes, indicadores de rápido soterramento.

A maior parte das pessoas acha que os dinossauros viveram há milhões de anos porque isso é o que ouvem dizer desde pequenos. Quando eu fui ao Oceanário de Lisboa, vi uma mãe a ler para a filha pequena a descrição de um dinossauro lá exposto. A mãe começou: “Há milhões de anos, …“. É natural que esta criança chegue aos 18 anos a achar que os dinossauros viveram há milhões de anos e a considerar anátema todos aqueles que digam o contrário. Mas as evidências contam outra história…

Anúncios

25 comentários so far
Deixe um comentário

E isto:

http://scienceblogs.com/startswithabang/2009/04/what_wiped_out_the_dinosaurs.php

E isto:

http://www.universetoday.com/2009/04/27/were-the-dinosaurs-really-wiped-out-by-an-asteroid-possibly-not/

E que tal não aproveitar apenas um estudo para dizer que a teoria está toda errada? Foi apenas um artigo que não tem apoio nem verificação de mais estudos.

A tua forma de olhar a ciência a teu favor é a seguinte:

Aparece um artigo dum PhD qualquer a referir que o Sol é azul. E tu vais dizer que a astronomia, a física e a química estão erradas. Tudo porque um mero artigo diz o contrário.

Comentar por Dário Cardina

O problema é que o empirismo só vale para o que se viu.

Comentar por MVR

http://www.scb.org.br/PALESTRAS/AROTH_2.htm

Mais evidências de que não há “milhões de anos” que separam as camadas sedimentares.

Comentar por Fabricio Lovato

Parafraseando o Enézio (Desafiando a Nomenklatura Científica), “se não for o mecanismo X então Y; se não for Y então Z; se não for Z então todo o ABC”, algumas dessas explicações dos advogados da teoria impacto-extinção lembram agora o “X, Y, Z, ou todo ABC” (Nesse caso, excluído como sempre, obviamente, o temível “D”ilúvio), mas é no mínimo curioso (e engraçado) que, sem deixar de jeito nenhum o pressuposto geológico-evolucionista, proponham que a inconsistência dos dados se deve ao trabalho de tsunamis e a alterações geológicas e tenham de ouvir uma resposta do tipo: “Deposition of impact sediment occurred over a huge time period, not the hours or days…”

“However, impact-extinction advocates point out that this inconsistency in sediment data is probably down to sediment disruption by tsunamis and geological upheaval immediately after the impact.

According to Keller, there is no indication that this could be the case. Deposition of impact sediment occurred over a huge time period, not the hours or days deposition would have taken if a tsunami affected sedimentary records.”

Comentar por Darjo

Mais um ícone evolutivo que sofre um duro revés.
Entretanto, os ateus vão vendo estas coisas a acontecer e nem sequer param para pensar se há algo por trás disto tudo.
Um dia morrem, encontram-se Frente a frente ao Criador e apercebem-se que foram enganados de uma forma tão ridícula. Mas aí já é tarde demais, porque morrendo sem Cristo, vão ser lançados no fogo eterno.

Comentar por Mats

Não creio em um inferno eterno de fogo como o Mats, mas creio em um julgamento e uma morte eterna [aniquilamento] para aqueles que rejeitaram a maravilhosa dádiva da Salvação oferecida por Cristo Jesus.

http://www.jesusvoltara.com.br/descobrindo/23_inferno_onde_quando.htm

“O dia do Senhor, porém, virá… Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e A TERRA, E TUDO O QUE NELA HÁ, SERÁ QUEIMADA”.

“Os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para a destruição dos ímpios”. II Pedro 3:7

“Ele punirá os que não conhecem a Deus e os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Eles SOFRERÃO A PENA DE DESTRUIÇÃO ETERNA, a separação da presença do Senhor e da majestade de Seu poder”. II Tessalonicenses 1:8

Comentar por Fabricio Lovato

Dário, se a Terra foi atingida por um asteroide que lançou uma grande nuvem de poeira para o ar impedindo os raios solares de entrarem na Terra, por que razão só aqueles animais que chamamos de dinossauros morreram? Como é que as plantas, insectos e outros animais, como a tartaruga, crocodilo, tuatara, etc, sobreviveram?

Comentar por alogicadosabino

“Como é que as plantas, insectos e outros animais, como a tartaruga, crocodilo, tuatara, etc, sobreviveram?”

Seleção natural.
Somente os que tinham aquecedores nas tocas puderam passar seus genes adiante.

Comentar por MVR

LOL

Aquecedores elétricos e não a gás, óbvio.

Comentar por Darjo

LOL

Elétricos? Eram geotermais, óbvio.

Comentar por JeremiasMezenga

Achas que foram só os dinossauros que morreram? Aliás, nem todos morreram.

O que acontece é que há animais (e plantas, fungos, bactérias…) que conseguem sobreviver em meios mais adversos. Obviamente que estes faziam parte dos 5% sobreviventes.

Comentar por Dário Cardina

“Achas que foram só os dinossauros que morreram? Aliás, nem todos morreram.”

Claro que não. Se achasses que sim estarias a negar os recentes dados evolucionistas.

“O que acontece é que há animais (e plantas, fungos, bactérias…) que conseguem sobreviver em meios mais adversos. Obviamente que estes faziam parte dos 5% sobreviventes.”

Fala-me da tua fé que eu falar-te-ei da minha.

Comentar por alogicadosabino

É verdade, há animais que subsistem a condições mais adversas que outros. Achas que não?? Porquê? Como é que há animais que conseguem viver a altíssimas pressões ou temperaturas. Ou até em condições opostas (baixas temperaturas e pressões)?

Comentar por Dário Cardina

Eu sei que há animais que se adaptam aos mais diversos ambientes. Isso acontece devido ao bom design inicial, que torna possível a adaptação a diferentes ambientes.

Quando eu digo “fala-me da tua fé que eu falar-te-ei da minha” quero dizer que tu recorres à fé para coisas que dizes. Particularmente neste caso, como sabes que ha evidência que nem todos os dinossauros foram extintos ha 65 MA, usas uma explicação ad hoc para o justificar. Afinal de contas, se alguns sobreviveram, então é porque conseguiram adaptar-se mt bem.

Comentar por alogicadosabino

Sendo assim Dario, estás a dizer que a biodiversidade atual é fruto de uma evolução em muito menos tempo, e com muito menos espécies, e sem muitas variedades, o que torna a teoria da evolução muito mais inacreditável.

Comentar por Arthur Vergara

Perante uma pressão natural há indivíduos que a suportam melhor que outros. Estes sobrevivem e a sua descendência também irá ser mais apta a essa mudança. Os menos aptos acabam por morrer e não ter nenhuma descendência.

Com as bactérias pode-se ver isso em pouco tempo.

Comentar por Dário Cardina

Por isso é que a teoria da evolução é tão fascinante para a biologia. Ela explica como alguns animais demoram milhões de anos a evoluirem e explica como alguns animais evoluem rapidamente. E também explica por que alguns animais não evoluem. Há coisa melhor?

Par eu ganho, ímpar tu perdes.

Comentar por alogicadosabino

Se explica o que queres fazer?
O álcool é um líquido mas evapora a menos de 100ºC, no entanto a água também é um líquido e evapora a 100ºC. Outros líquidos comportam-se de maneiras diferentes. É por todos serem líquidos mas comportarem-se de maneiras diferentes que a Física é um fiasco?

Comentar por Dário Cardina

nem todos os dinossauros foram extintos, o fato é que as aves são pequenos dinossauros…
outra coisa, explique-me por que esses animais morreram pelo diluvio se não fizeram nenhum mal ao mundo e o Homem que destroi o planata e a si mesmo continua a existir.

explique-me também por que vocês estão absolutmente certos… por que o que eu vejo são só ataques e nenhuma explicação com fundamentos

Comentar por TH Spike

Assim como os dinossauros perderam suas populações, nós perderemos as nossas. Não há injustiça nisso.

Comentar por arthgar

“É por todos serem líquidos mas comportarem-se de maneiras diferentes que a Física é um fiasco?”

Não é o que penso, afinal existem explicações para esses coeficientes. Ninguém disse que ‘a biologia é um fiasco’, A questão é que a história que deveria ser explicada pela biologia, não o é como os coeficientes são explicados pela físico-química.

Comentar por arthgar

Um exemplo disso é o seguinte:

A biologia explica como funciona o DNA, também explica como ocorrem as mutações, também explica como ocorre a seleção natural, mas não explica como é que surge um órgão em um organismo.

Pois se disser que a mutação explica o surgimento de um novo órgão, terás que responder porque os engenheiros genéticos não o podem fazer.
Ex: Criar tentáculos(de jacaré) em jacarés.
{Pois o que se pode fazer é selecionar artificialmente um gene da ‘biblioteca’ genética do indivíduo, ou provocar uma mutação em um gene}

Pela mutação pode-se adicionar uma característica, mas como acrescentar um mecanismo biológico?

Se você acredita na evolução, acredita que ao longo das gerações os mecanismos biológicos são acrescidos, Mesmo sabendo que a seleção artificial não consegue fazer o que acredita que a seleção natural faz.

Se você acredita que existe uma ‘lei’ de aumento de complexidade(Não estou falando da termodinâmica, nem da teoria fractal)
como explica essa lei, e como explica um aprimoramento direcionado moldado por mutações(haja sorte)?,…

É necessário criar para que as mudanças aconteçam.

Comentar por arthgar

Spike, para mim, aves são aves e não dinossauros.

precisariam ser répteies, pelo menos.Mas acho que entendi onde quer chegar. E acho o seguinte:
Mesmo que a crítica ao evolucionismo não ofereça uma alternativa de explicação, ela já é valida.

Existem várias teses criacionistas sobre isso, é só pegar esses links que ficam por aqui nos sites recomendados, mas eu não falo nada aqui sobre isso porque não defendo muitas destas, até porque a verdade é que ainda se tem muito a descobrir, e reavaliar sobre a história natural. muitas teorias criacionistas, pra mim, são delirantes.
Mas algumas reflexões são válidas. procure os posts daqui sobre isso.

ps: Se as aves não contam, conta o dragão de komodo.

Comentar por arthgar

Só um acréscimo, “Arthgar”:

O Dragão-de-Komodo NÃO é um dinossauro, mas sim um lagarto monitor, e como todo lagarto pertence á ordem Squamata, subordem Lacertilia. Os dinossauros são divididos em duas ordens: Saurischia (subordem theropoda e Sauropodomorpha), e Ornitísquios (subordens Ornithopoda, Marginocephalia e Tyreophora).

Paz!

Comentar por Rodrigo Henrique Gomes




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: