No princípio criou Deus os céus e a Terra


Besouro tem a chave para computadores ópticos do futuro
Abril 18, 2009, 11:07 am
Filed under: Convicções / Fé, Evolução/Big-Bang

Computadores ópticos ultra-rápidos têm sido o sonho dos cientistas há muito tempo. Mas até agora eles não têm tido sucesso, já que nunca foram capazes de fabricar um cristal fotónico ideal, capaz de manipular a luz visível.

O ano passado (2008), uma equipa de investigadores da Universidade de Utah, nos Estados Unidos da América, anunciou ter encontrado o cristal fotónico ideal já pronto, na natureza: na carapaça de um besouro brasileiro, o Lamprocyphus augustus (Em português).

besouro-fotonico-1Os cristais fotónicos são essenciais para a construção de circuitos eletrónicos que manipulem os dados por meio de fótons (luz), em vez de elétrons (cargas elétricas).

Os investigadores descobriram que a cor verde do Lamprocyphus augustus é produzida por suas escamas, e não por pigmentos. A luz verde não pode penetrar na estrutura cristalina das escamas, que agem como espelho para essa cor específica, exatamente como se espera de um cristal fotônico.

Parece que uma criatura tão simples quanto um besouro nos forneceu uma das estruturas mais sonhadas pela tecnologia para a construção da próxima geração de computadores” afirmou o professor Michael Bartl.
____________________________________________________________________________

É engraçado que descobri esta notícia num blog que pretende “divulgar ciência”. Decidiu parar de anunciar histórias evolutivas da carochinha por um bocadinho para realmente anunciar verdadeira ciência. Mas o mais engraçado é o primeiro comentário ao post, feito por um ateu: “Daqui a pouco vem um maluco insensato alegar que o besouro é prova do “designer”! Alguém duvida?

E sabem por que é que é engraçado? Porque não foi preciso vir nenhum “maluco insensato” dizer que o besouro é evidência de um Designer. O próprio ateu chegou à conclusão de que esta característica de design no besouro atesta a existência de um Designer. O que, diga-se, é absolutamente normal. Se calhar se há design talvez haja um Designer. Digo eu, que sou um maluco insensato. Porque, pelos vistos, hoje em dia, ser sensato é dizer que design não necessita de um designer, leis não necessitam de um legislador, coisas criadas não necessitam de um criador… isto sim é ser sensato.

Paulo escreveu em Romanos 1:20: “Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis“. Reparem na parte final do versículo: “de modo que eles são inescusáveis“, ou seja, não têm desculpa. Este ateu, se morrer nessa condição, não vai ter desculpa perante Deus para o facto de não ter decidido louvar o Criador.

Mas tu que hoje lês isto ainda vais a tempo de louvar o Criador e de seres salvo. Actos 16:31 diz-te aquilo que necessitas fazer: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo“.

Advertisements

35 comentários so far
Deixe um comentário

Espera aí um bocadinho: vou fazer copy+paste.

«Nestes exemplos tu – e o Mats por arrasto – vais sempre buscar as mais impressionantes das características: fibra-óptica, incríveis máquinas voadoras, incríveis mandíbulas com incríveis funções, GPS, infra-vermelhos (este último não é lá muito impressionante…), etc. Não vais buscar exemplos que indiciem design na sua relação com todo o mundo vivo, mas sim exemplos que impressionem pela sua complexidade e/ou eficiência.

Acho uma postura curiosa: é que do ponto de vista da elaboração de hipóteses, mecanismos, etc, é absolutamente indiferente que escolhas algo muito vistoso ou as catotas de um macaco; já do ponto de vista de manipulação da opinião pública a coisa não é assim. Gostaria de saber quais os critérios que utilizas para escolher os exemplos com que nos presenteias.»

Nunca chegaste a comentar estas minhas observações – nem nunca chegaste a oferecer-me uma resposta à questão que suscitou estas minhas observações. Mais um copy+paste:

«Isso não é evidência de design?»
Sem dúvida – e seria uma evidência muito convincente se não olhássemos a mais nada.

No entanto não nos podemos prender apenas a uma característica de um organismo nem apenas a uma propriedade do design – é preciso ver se todo o sistema de seres vivos possui todas as características de design.»

E então?

Nota: o texto original era mais extenso, mas como eu não sei se não lhe respondeste porque te deu a preguiça de o ler completamente, decidi atirar para aqui apenas alguns fragmentos, mas a conversa original está aqui.

Comentar por leandro ribeiro

“Daqui a pouco vem um maluco insensato alegar que o besouro é prova do “designer”! Alguém duvida?“

haha
Estes ateus vivem cheios de medo daquilo que a ciência tem para oferecer.

Se eu fosse ateu, provavelmente também teria cuidado em usar palavras como “design” em referência às formas de vida.

Comentar por Mats

Sabe de uma coisa?

São mesmo indesculpáveis!

Ainda bem que há gente sensata no mundo, que não se deixa levar pela teoria da evolução – Os pokémons e digimons de gente já grande…

Comentar por MVR

Destaque para a grande palhaçada do editor da Nature, justificando o design desse besouro brasileiro:

“Nature has simple ways of making structures and materials that are still unobtainable with our million-dollar instruments and engineering strategies.”

Não podendo negar o designer responsável, agora dizem que é a “mamãe natureza” quem colocou este besouro no mundo.

Ao menos não falaram que foi seleção natural, e que os besouros com escamas menos ópticas foram eliminados, o que diriam 11 a cada 10 ateus realizados intelectualmente…

Comentar por MVR

Mas é de rir o título da página da universidade!

“Nature BUILDS Diamond-like Crystals for FUTURE OPTICAL CCOMPUTERS”[/b]

Só podem estar de palhaçada se negam o Designer. Pelo menos, no subconsciente, já sabem a verdade. Só negam por birra mesmo…

Comentar por MVR

hehe, que avacalhação…

Comentar por Arthur Vergara

leandro ribeiro,

toda a criatura exibe design. cérebro, sistemas respiratórias, reprodutores, digestivos, etc, é produto de design. Esses sistemas nunca se poderiam criar a si próprios. O que eu trato de anunciar são aquelas características que não se vêem a olho nú. As características que necessitam de estudo mais intenso sobre os bichos. E mesmo que haja mau design (que pode ser explicado pela queda do homem após o pecado), ele não é evidência de no designer, porque mesmo mau design requer um designer.

Há design por todo o lado, os evolucionistas têm de nos convencer que o design observado não foi obra de um designer.

Comentar por alogicadosabino

E falando em besouros, recordei-me agora do besouro bombardeiro…

http://www.scb.org.br/inspiracao/naturezaviva/2k21207.asp

Comentar por Fabricio Lovato

Recomendo esse site [faz parte do blog do Michelson], com inúmeros exemplos de Design nas criaturas vivas e como eles são copiados pelo homem:

http://www.michelsondigitais.blogspot.com/

Comentar por Fabricio Lovato

Sabino,

«toda a criatura exibe design. cérebro, sistemas respiratórias, reprodutores, digestivos, etc, é produto de design.»

Sê, por favor, intelectualmente honesto: nenhuma criatura exibe design. O que exibem é cérebro, sistemas respiratórios, reprodutores, etc. Tu não observas design: tu observas complexidade e funcionalidade e daí concluis design. Design inteligente não é uma observação – é uma conclusão. Estás de acordo?

Isto leva-nos à análise das observações que te fazem concluir design – segundo a tua tese, a única conclusão sensata.

«Esses sistemas nunca se poderiam criar a si próprios.»

Pelo que leio aqui – e pelo muito que já li neste teu cantinho – o que te leva a concluir design é a incredulidade, é o “pasmo”, se assim me deixares chamar, perante todo o sistema vivo. Não consegues conceber que tudo isto se tenha formado por outro mecanismo que não o design inteligente. Estou correcto até aqui?

Esperarei pela tua resposta para continuar, evitando assim desnecessários – e já cansativos – devaneios e desvios de assunto.

Comentar por leandro ribeiro

“Sê, por favor, intelectualmente honesto: nenhuma criatura exibe design.”

Depois desta afirmação fiquei sem saber o que é design e o que é ser intelectualmente honesto.

Comentar por alogicadosabino

tu observas complexidade e funcionalidade e daí concluis design

Porque complexidade especificada e funcionalidade operacional são características de design. Como tal, e usando a lógica da causa-efeito, e princípios da analogia, nós inferimos cientificamente o design.
Até os darwinistas encontrarem outra forma de funcionalidade e complexidade especificada surgirem. nós vamos usá o mundo biológico como evidência para O Deus da Bíblia (Jesus Cristo).

Comentar por Mats

Já que o assunto é design…

Andarilho robótico de DNA imita motor celular

http://criacionista.blogspot.com/2009/04/andarilho-robotico-de-dna-imita-motor.html

Comentar por Fabricio Lovato

Amável Sabino,

Esta tua resposta desiludiu-me, mas que não seja a prisão de um sarcasmozito mal aplicado a emperrar esta conversa.

«Depois desta afirmação fiquei sem saber o que é design e o que é ser intelectualmente honesto.»

Se calhar o que não sabes é o significado de “exibe”.

Insistirei, reformulando:

Poderás tu, Sabino, afirmar que observas design na natureza?, ou antes que observas características que te levam a concluir design? O design é, para ti, uma observação ou uma conclusão?

Vamos a ver se com uma questão de cada vez isto funciona 🙂

Ps.: perdoar-me-ás a demora, amado Sabino, mas as obrigações profissionais impedem-me de passar mais tempo nestes espaços do que aquele que já passo.

Comentar por leandro ribeiro

Mats,

Agrada-me ver que fizeste mais progressos que o Sabino respondendo objectivamente à observação: design é uma conclusão, não uma observação.

Agora não levarás a mal que aguarde pela resposta do Sabino para desenvolver um pouco mais este assunto.

Amavelmente,

Comentar por leandro ribeiro

leandro,

“Esta tua resposta desiludiu-me”

Lamento ter-te desiludido… mas quando alguém diz que “nenhuma criatura exibe design”, apesar de todas as descobertas científicas que se têm feito, o meu cérebro congela. Acabaste de demonstrar que não ligas às evidências científicas, a tua rejeição de Deus é puramente ideológica.

Comentar por alogicadosabino

Sabino,

A questão é simples: tu observas design ou concluis design?

Eu – e provavelmente outros que visitam o teu cantinho regularmente – gostaria de ter uma resposta de tua parte.

Comentar por leandro ribeiro

Uma peça de um computador que sequer pode ser inventado ainda não é evidência do Design?

Preciso lembrar que estas peças se replicam sozinhas pelos séculos?

Comentar por MVR

“A questão é simples: tu observas design ou concluis design?”

Por aquilo que se sabe a respeito de design, observo design. Depois de o observar, concluo que há um designer.

Os mesmos princípios que operam na tecnologia de fibra óptica operam na retina humana; os mesmos princípios que operam no GPS operam nas células humanas; os mesmos princípios que operam nas câmaras de vigilância operam (ainda melhor) nos olhos dos insectos, etc.

Portanto, se vemos os mesmos principios que funcionam em design humano, produto humano, a funcionar nos seres vivos, só se pode concluir um designer. Não concluo design porque o design está lá e é reportado todas as semanas.

Comentar por Marcos Sabino

Sabino,

«Por aquilo que se sabe a respeito de design, observo design.»

Design é um processo. Está a dizer-me que observas esse processo na natureza?

Comentar por leandro ribeiro

Leandro,

Design é um processo. Está a dizer-me que observas esse processo na natureza?

Estás a usar a palavra design com outro sentido. O que o Maros tem em mente é que nós observamos na natureza os efeitos de verdadeiro design, e não design “ilusorio”, como acredita o Dawkins. O que vêmos na natureza é design porque tem as propriedades de design que nós conhecêmos.
Mas tal como já disse, se vocês evolucionistas souberem que alguma força natural que tenha a capacidade de gerar os sitemas qus nós vêmos na naturea, por favor, mostrem-na.

Comentar por Mats

Mats,

«Estás a usar a palavra design com outro sentido.»
Quantos “sentidos” tem a palavra design? Que sentido tem ela neste contexto?

«O que o Maros tem em mente»
Pena eu não ser uma criança-índigo: podia, como tu, conhecer o que o Marcos tem em mente. Assim tenho de me limitar ao que ele escreve.

«é que nós observamos na natureza os efeitos de verdadeiro design, e não design “ilusorio”, como acredita o Dawkins. »
Então observamos os efeitos ou observamos o design? Um diz uma coisa, outro diz outra! Quero compreender, caramba, ajudem-me! E se é uma observação, então ela não tem de ser igual para toda a gente? Uma observação é “discutível”? Quantos sentidos tem observação, afinal?

«O que vêmos na natureza é design»
Espera… espera: afinal um diz uma coisa e o mesmo diz outra coisa mais à frente. Então agora nós já vemos design na natureza e ainda há duas linhas atrás víamos os efeitos do design?

:S

Tenham pena de mim, posh! Esclareçam-me! Afinal como é que vocês utilizam o termo design? É o processo que leva ao objecto ou é o próprio objecto?

«porque tem as propriedades de design que nós conhecêmos.»
Mas o design que nós conhecemos é humano. A natureza tem sinais de design humano? A natureza foi feita por humanos? Os humanos foram feitos por humanos?

Cada vez fico mais confuso :S

«Mas tal como já disse, se vocês evolucionistas»
Eu sou evolucionista? A sério? E essa de onde veio? O que faz de mim evolucionista? O que é um evolucionista?

«souberem que alguma força natural que tenha a capacidade de gerar os sitemas qus nós vêmos na naturea, por favor, mostrem-na.»
Então a vossa certeza na vossa teoria assenta no facto de que a dos outros não vos satisfaz? Uma teoria é validada pelo facto de não haver outra que explique os mesmos fenómenos?

Ainda não se conhece o mecanismo pelo qual os objectos com massa deformam o espaço-tempo. Se eu disser que é porque o espaço-tempo escorrega em manteiga indetectável deixada lá por uma entidade chamada Pantoliano, o Refugável, essa teoria é verdadeira só porque ainda ninguém arranjou outra?

Opá, ajudem-me nisto, raios 😐

Comentar por leandro ribeiro

Argumentativo Leandro,

«Estás a usar a palavra design com outro sentido.»
Quantos “sentidos” tem a palavra design? Que sentido tem ela neste contexto?

O sentido que já mostrei em cima.

«nós observamos na natureza os efeitos de verdadeiro design, e não design “ilusorio”, como acredita o Dawkins. »
Então observamos os efeitos ou observamos o design?

A forma como a palavra é usada é relativa a nós observarmos os efeitos de design na natureza. Se eu chegar a um telemóvel e dizer “este objecto é obra de design” não quer dizer que eu vi a forma como foi feita, mas sim que ele tem propriedades de design.

«porque tem as propriedades de design que nós conhecêmos.»
Mas o design que nós conhecemos é humano. A natureza tem sinais de design humano?

A natureza tem sinais de design que nós conhecêmos,e com o tal é com base nisso que trabalhamos. Obviamente, que isso é sempre relativo àquilo que está circumscrito ao nosso conhecimento. Nós não vamos deixar de identificá-lo como design apenas e só porque é baseado no conhecimento humano.

«Mas tal como já disse, se vocês evolucionistas»

Eu sou evolucionista? A sério? E essa de onde veio? O que faz de mim evolucionista? O que é um evolucionista?

Se tu não acreditas que o universo é o resultado de Desing Inteligente, entao deves ser um evolucionista. Mas se estou errado, por favor corrige-me e diz que tu és ou não um evolucionista.

«souberem que alguma força natural que tenha a capacidade de gerar os sitemas qus nós vêmos na naturea, por favor, mostrem-na.»
Então a vossa certeza na vossa teoria assenta no facto de que a dos outros não vos satisfaz?

A certeza da nossa teoria vem das propriedades daquilo que podemos observar, baseando-nos na ordem e estrutura do fucionamento da natureza. Objectos que possuem as propriedades que as formas de vida possuem são sempre efeitos de design, e como tal, e até vocês encontrarem a tal força que tem poderes criativos, nós vamos inferir cientificamente o design inteligente.

Uma teoria é validada pelo facto de não haver outra que explique os mesmos fenómenos?

Quando estamos numa situação em que não há meio termo, como é o caso “design versus Darwin”, então evidência contra uma é evidência a favor da outra. Aliás, essa é a lógica do “bad design argument”.

Ainda não se conhece o mecanismo pelo qual os objectos com massa deformam o espaço-tempo. Se eu disser que é porque o espaço-tempo escorrega em manteiga indetectável deixada lá por uma entidade chamada Pantoliano, o Refugável, essa teoria é verdadeira só porque ainda ninguém arranjou outra?

Felizmente, não é essa a lógica usada pelos cientistas proponentes de design. Eles não dizem SÒ que o design é um argumento negativo contra a evolução, mas sim um argumento POSITIVO devido a ordem e estrutura dos objectos em questão (formas de vida).

Comentar por Mats

Hum… Sei bem, os cientistas mais ateus dizem que não há design, mas vivem a copiar 😀

Comentar por MVR

leandro,

receptores de energia solar é design ou é produto da poderosa equação “tempo+acaso”? infravermelhos é design ou é produto da poderosa equação “tempo+acaso”?

Comentar por alogicadosabino

«receptores de energia solar é design ou é produto da poderosa equação “tempo+acaso”?»
Outra vez, Sabinito? A nossa conversa começou por aí. Oh! Tu não me ligas e não queres saber de mim, por isso é que nem te recordas disso 😥

Bem, mas não me vou repetir. Agora estou interessado noutro assunto. Tu dizes que observas design na natureza, Sabinito, e eu digo que isso é impossível. Ora, visto que estamos a falar de uma observação, obviamente que discordamos quanto à natureza do que dizemos observar. Para nos entendermos, diz-me, por favor, com que significado estás a usar a palavra design.

Beijo,
Leandro

Comentar por leandro ribeiro

Matinho,

«O sentido que já mostrei em cima.»
Eu ando intelectualmente limitado, môr. Voltei a ler todos os comentários e não fiquei esclarecido. Tens de ser mais claro 😥

Design é um processo ou é o resultado de um processo?

«Se tu não acreditas que o universo é o resultado de Desing Inteligente, entao deves ser um evolucionista.»
Oh, pois é 😥

Que burro sou eu, principalmente num assunto tão claro e tão… tão… olha, tão “preto e branco”! Tens toda a razão, se não acredito no Design Inteligente tenho de ser um evolucionista 😦

Agora só tenho de decidir se acredito ou não no Design Inteligente. Oh, Deus, porque me fazes passar por estas provas? Isto é tudo tão confuso e difícil 😥

Que mais escreveste tu… Oh, deixa lá. Agora estou deprimido e não me apetece responder 😥

Acho que é culpa do MVR. Os seus comentários são sempre tão finos que não vejo nos meus mais que palavras de carroceiro que me agravam a neurastenia.

😥

Comentar por leandro ribeiro

“Ao insensato responde segundo a sua estultícia, para que não seja ele sábio aos seus próprios olhos.”

Provérbios 26:5

Comentar por Fabricio Lovato

O leandro é mesmo argumentativo eheh… mas não precisares de chorar por estarmos a deixar-te confuso : )

leandro… eu vou-te perguntar se receptores de energia solar é produto de design ou não. Se me disseres que sim (como é óbvio), eu vou-te perguntar por que é que o mesmo tipo de design presente em alguns seres vivos já não é produto de design e, como tal, obra de um designer.

Se responderes não, vai ficar visto que, para além de maluquinho, tu não estás preocupado com evidências científicas e que a tua discussão não é de foro científico mas puramente filosófica.

Como é que ficamos?

Comentar por alogicadosabino

Implacável Sabino,

«O leandro é mesmo argumentativo»
Mas… mas eu nem tenho levantado argumentos! Só faço perguntas quando não percebo 😥 Isso é ser argumentativo? Oh!, não me tratem mal, pôsh!

«leandro… eu vou-te perguntar se receptores de energia solar é produto de design ou não. Se me disseres que sim (como é óbvio), eu vou-te perguntar por que é que o mesmo tipo de design presente em alguns seres vivos já não é produto de design e, como tal, obra de um designer.»

:: RESPOSTA 1

Outra vez, Sabinito? A nossa conversa começou por aí. Oh! Tu não me ligas e não queres saber de mim, por isso é que nem te recordas disso 😥
– in Respostas a Sabino, umas linhas mais acima

Da primeira vez que me encostastes implacavelmente à parede com essa questão, eu dei-me ao trabalho de elaborar uma cuidada e impante resposta que possibilitasse uma séria discussão em torno do assunto. Mas vós, pérfida criatura, rapioqueiro amante de pilhérias, deixaste-me num sufocante vazio, sem resposta, chorando.

Ignorastes-me naquele dia, Sabino, O Ímpio, deixastes todas as minha observações afundarem-se em abismos de expectativa! Esperais agora que passe por tudo aquilo uma vez mais? Ó, criatura cruel, perfilhais quando deveis ver com clareza: não espereis de mim tal jaez!

:: RESPOSTA 2

Como muito bem apontaste, sou criatura de compreensão lenta. É-me difícil discutir seja lá o que for quando detecto que eu e o meu interlocutor não nos entendemos quanto às premissas. Por exemplo: foi-me difícil discutir com o Mats a questão dos milagres até perceber que ele não sabia lá muito bem o que era isso do 2º princípio da termodinâmica. Do mesmo modo, pareceu-me que não estamos a utilizar o termo design do mesmo modo, e é imperativo que nos entendamos nesse particular antes de aprofundar mais a cavaqueira.

Para além do mais, eu perguntei primeiro: Quando me falas de design inteligente, falas de um processo ou de um produto final?

😎

Comentar por leandro ribeiro

Quando falo de design falo de um conjunto de características que, por emperiência empírica, sabemos que tem sempre origem inteligente.

Acho fascinante o bailado que andas aí a fazer para ver se consegues dar à volta ao facto de os seres vivos possuírem características que todos nós sabemos só podem ter origem inteligente.

E a resposta é?

Comentar por alogicadosabino

Ei, sabino, por acaso não sabes de algum besouro aqui mesmo no Brasil que tenha outras peças de computador nas costas? Meu monitor (Ecrã em P.E.) de cristal líquido está demorando muito a ligar.

Creio que seja problema na luz de fundo, mas eu aqui não tenho dinheiro para comprar outro.

Por sorte, moro perto da Amazônia e não será difícil achar uma peça parecida pela mata.

Comentar por MVR

LOL

Comentar por alogicadosabino

Também fico confuso com os cientistas, principalmente a maioria evolucionista, dizer que não há design na natureza.

Fico curioso para saber, então, o que é que eles tanto copiam dos animais!

Comentar por MVR

Para mais algumas dezenas de exemplos…

http://www.michelsondigitais.blogspot.com

Comentar por Fabricio Lovato




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: