No princípio criou Deus os céus e a Terra


Explosão de estrela gigante coloca modelos de evolução estelar em xeque-mate
Março 27, 2009, 3:33 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Para todos aqueles que estudam Astronomia, aqui fica uma novidade fresquinha.
___________________________________________________________________

O artigo da Space tem um título interessante: “Estrela explode, e se calhar a teoria também”.

Uma estrela maciça um milhão de vezes mais luminosa do que o sol explodiu muito cedo na sua vida, sugerindo que os cientistas não entendem a evoluçao estelar tão bem como pensavam. “Isto pode significar, fundamentalmente, que estamos errados a respeito da evolução de estrelas maciças e que as teorias necessitam de revisão“, adiantou Avishay Gal-Yam, do Weizmann Institute of Science, em Israel.

A escrever na Nature, os autores da descoberta dizem: “The progenitor of SN 1987A was a blue supergiant, which required a rethink of stellar evolution models“.
__________________________________________________________________

Aos estudantes de Astronomia… façam reset a tudo aquilo que aprenderam na universidade. Esqueçam tudo o que vos foi ensinado a respeito dos modelos de evolução estelar. O que ontem era a resposta correcta nos exames, hoje está errado.

A quem não é estudante de Astronomia… não se preocupem. Possivelmente, vocês sabem tanto a respeito da evolução estelar quanto os que estudam Astronomia.

Anúncios

46 comentários so far
Deixe um comentário

A quem não é estudante de Astronomia… não se preocupem. Possivelmente, vocês sabem tanto a respeito da evolução estelar quanto os que estudam Astronomia.

Novo ataque do rei da demagogia.

mas olha que fiquei satisfeito. Assim passei de uma assentada a especialista em tudo.

Pois não há uma única área da ciência que não tenha erros, correcções revisões, falhas, etc.
História, medicina, fisica, biologia, etc etc
Agora sei tanto destes assuntos como os especialistas.

Lindo…

Quanto ao post em si:
1. Esperar para ver o que dizem os estudos aprofundados sobre o assunto
2. Refazar o que for necessário em função dos novos conhecimentos.
3. Chamar a isto ciência

Claro que para uma religião que acredita cegamente num calhamaço escrito há milhares de anos e que nunca teve uma revisão (apesar de se ter demonstrado que quase tudo o que diz é impossivel), é dificil de aceitar tal.

E quem faz estas afirmações contra a ciência da evolução é a mesma pessoa que afirmou que acredita que andou um senhor de viagem no estomago de uma biblia e que acreditava na mesma se a biblia dissesse que uma baleia tinha andado à boleia no estomago do dito senhor.
Basta estar escrito na biblia para ser verdade e irrefutal,
Extraordinário.

PS. Eu sei que a ultima parte é uma faalácia e demagoga, mas não resisti

Comentar por Joaquim Coelho

Mais alguns passos a serem seguidos…

4- Achar mais um erro nas teorias
5- Repetir tudo denovo

Comentar por MVR

MVR

Exacto, enquanto se acharem erros é assim.

como é que pensas que se faz investigação cientifica ?
Por exemplo numa area crucial como a medicina também é assim.
E ás vezes há erros graves em medicamentos que levam á morte.

Não é por causa disso que se jogam fora todos os medicamentos e teorias médicas.
Nem sequer os medicamntos com erro vão totalmente para o lixo. Se possivel investiga-se o problema e corrige-se (até se encontrar outro problema 🙂

é a ciência e o metódo cientifico em pleno.
Extremamente faliveis mas o melhor que temos

Comentar por Joaquim Coelho

Todas as hipóteses têm erros, sabes porquê?
1- Não se sabe tudo
2- Há excepções à regra
3- O mundo natural é complicado, não é como o mundo metafísico em que cada idiota tem um deus perfeito e sabe tudo sobre ele e que nunca erra, por mais erros que possa ter cometido. É tão fácil ter um amigo imaginário e lançar-lhe as culpas de tudo, até de uma criação. É óbvio que não há falhas quando digo que deus criou o universo porque não é uma hipótese, não está sujeita a um método científico, logo não é ciência. Não se pode questionar a veracidade porque é dependente da pessoa que a enuncia. Se eu disser que o meu deus se chama antónio lopes e que fez com que não chovesse hoje, não tenho forma de o provar. Posso até tirar uma frase de um artigo qualquer de meteorologia a dizer que o tempo era incerto, e começo logo a disparatar que a meteorologia está toda errada porque daquela vez foi um pouco ao lado e que ía mesmo chover só que, o meu deus antónio lopes fez com que não chovesse.

Comentar por Dário Cardina

O pessoal akí confunde legal as coisas, lí ontem um artigo de um cientísta que vai (ou jah ganhou) o prêmio nobel por demonstrar que o universo não sofrerá contração (que envolve a tal da “energia escura”, que na verdade é nome de “não sabemos”).
Só que ele falou algo muito legal, perguntaram para ele se as coisas incríveis que ele via e descobria provava a existência de Deus, ele disse +- ‘Não importa o que a pessoa acredita, num Deus ou no acaso, pq os cientístas e nossas teorias não visão mostrar o propósito do universo, e sim como ele funciona, e isso não enfluencia na existência ou não de Deus ‘
A ciência não estuda e nem pode provar a existência ou não de Deus, sóestuda e pode provar como tudo funciona. É que as vezes isso nos leva, pela lógica, a ver um projetista por trás das coisas.É como ver uma casa e estudar como funciona e como surgiu, isso não vai provar quem é o pedreiro ou talvez certas partes não poderão provar que ele exista, mas a lógica pode levar e ver que tem de ter alguém para construir akilo.
Quanto ao post tb achei exagerado, a ciênia muda constantemente e isso é bom, pq parar de crescer significa, na ciência e na religião, estar caindo.

Comentar por Edrick

É isso mesmo 🙂

Comentar por Dário Cardina

Joaquim, depreendo pelo teu comentário que ficaste chateado. Não tenho culpa. Assim é a ciência das origens.
______________________________________

MVR, bom complemento aos passos adiantados pelo Joaquim.
______________________________________

Joaquim de novo…

reparem como o Joaquim está a tentar comparar a medicina (cujo desenvolvimento assenta na observação e repetida experimentação) à teoria que diz que os morcegos são primos dos abacaxis. É a tentativa evolucionista de viajar à borla à custa do sucesso da ciência experimental.
__________________________________________

Dário,

Só queria comentar isto: “Se eu disser que o meu deus se chama antónio lopes e que fez com que não chovesse hoje, não tenho forma de o provar.“.

Um tipo inteligente como tu não deveria avançar argumentos destes. Nenhum cristão diz que foi Deus porque sim… Nós explicamos por que razão cremos na bíblia e na ressurreição de Cristo. Tens uma galeria de posts à esquerda deste blog que se dedica a isso. Lançar supostas divindades para a mesa sem ver que evidências há para elas constitui apenas jogo tolo por parte de que o faz.

Comentar por alogicadosabino

“Um tipo inteligente como tu não deveria avançar argumentos destes. Nenhum cristão diz que foi Deus porque sim… Nós explicamos por que razão cremos na bíblia e na ressurreição de Cristo.”

Que eu saiba isto não é ciência. tudo bem que acredites num deus e nas transformações que faz na tua vida num contexto pessoal e social. Fazer-te mais feliz do que eras ou setires-te mais seguro. Mas não coloques a ciência dentro de um deus do qual não podes provar.

“Nós explicamos por que razão cremos na bíblia e na ressurreição de Cristo.”

Não explicam porque e como se formam moléculas de RNA ou como acontecem as agitações quânticas. Deixa lá a ciência como ela é e evolui. Não ponhas um deus pessoal nisto. A ciência não precisa de um deus para ser feliz ou para explicar as agitações quãnticas ou como a relatividade funciona.

Comentar por Dário Cardina

isso mesmo Dario Cardina, convenhamos essa impotese de um Deus bom, poderoso que salvara a todos no fim parece filme de mocinho vs bandido, logo outa coisa sem logica e a historia de morrer e ir para o céu e la continuar por toda ERTERNIDADE? como seria toda eternidade? e outra QUAL O PROPOSITO DE DEUS CRIAR O HOMEM? seria como eu e meus aquarios?? acho que não!

Comentar por lucas vinicius xavier

A questão do propósito da vida e de uma eternidade não tem a ver com a ciência mas sim com o que cada indivíduo pensa.
Não tenho problemas em aceitar alguém que acredita que vai para o céu ou para outro planeta ou o que quer que seja. As crenças fazem parte da liberdade de expressão e de pensar. Agora associar ciência à metafísica para tentar justificar crenças ou tentar mostrar que a sua crença é verdadeira por processos científicos é errado. A ciência é uma coisa e usa os seus métodos. A metafísica é outra e também tem os seus métodos.

Comentar por Dário Cardina

reparem como o Joaquim está a tentar comparar a medicina (cujo desenvolvimento assenta na observação e repetida experimentação) à teoria que diz que os morcegos são primos dos abacaxis. É a tentativa evolucionista de viajar à borla à custa do sucesso da ciência experimental.

Será eu que fujo ou tu ?

A questão era de um erro não invalidar uma teoria ou experiência. isto é valido para tudo medicina, religião, evolução, fisica, opiniões etc etc

Comentar por Joaquim Coelho

Dário, tu podes provar que um ser unicelular surgiu há 3,8 biliões de anos e deu origem às espécies do cambriano?

Comentar por alogicadosabino

1- estamos a discutir cosmologia, não biologia
2- biliões de anos? Nah… isso não está certo. Há uma certa confusão quanto às idades. É que, quando lês um artigo brasileiro ou americano vês uma data e quando vês em espanhol ou português vês outra data. Na verdade são iguais mas a sua “dimensão” é diferente. 1 bilhão=mil milhões;

Comentar por Dário Cardina

“1- estamos a discutir cosmologia, não biologia”

Que não seja por isso.

Tu podes provar que qualquer coisa surgiu no início sem interferência de alguém?

Comentar por alogicadosabino

Outravez?? Quantas vezes te dei as respostas, outros links, posts, livros, artigos… Cabeça dura Pah…

Um presente para ti: A teoria do Big Bang está com alguns problemas irresolúveis. Aproveita para inventares o resto das provas. LOL
Agora quero ver o que vai saír daí.
Já que parece que sabes tanto quero saber que raio de problemas são esses e porque são irresolúveis. E qual a parte da teoria está com esses problemas. Já agora qual a substituta, ou melhor qual a que resolve esse problema?

Comentar por Dário Cardina

Sobre problemas com a teoria do big bang, deixo este artigo de Tom van Flandern, não sei se vocês já o leram então…

“The top thirty problems with the big bang”

http://www.worldnpa.org/pdf/abstracts/flandern3.pdf

Tom van Flandern faleceu em janeiro deste ano, se bem me lembro. Ainda não li este artigo.

Comentar por ?!

Dário, não estamos a discutir sobre os problemas do big bang. Toda a gente sabe que os há. Eu tinha pegado naquilo que disseste de eu não poder provar a existência de Deus. Eu queria saber era se tu podias provar que algo surgiu no início sem intervenção de alguém.

Tu já me disseste o que havia no início mas nunca de uma forma objectiva. Por outro lado, os leitores daqui não tiveram oportunidade de te ver a dares-me instrução académica. Acho que também seria bom para eles ouvirem de onde veio aquilo que apareceu ao início e como veio.

Podes colocar aí de forma sucinta e clara, não esquecendo de mostrar como isso mostra que não houve intervenção de alguém.

Comentar por alogicadosabino

http://o-outro-universo.blogspot.com/2007/03/o-que-explodiu.html

Queres mais? existe um sítio muito bom, chamado World Wide Web, mas é preciso saber procurar porque senão vais parar a sítios noja.

ou queres que te indique um livro muito bom, que te explica tudo? Eu não tenho paciência para colocar aqui umas 600 páginas, como deves imaginar

Comentar por Dário Cardina

Dário, o problema é que tu nunca deste uma resposta objectiva para a pergunta “O que havia no início e de onde isso veio?”.

Estás-me a dizer que são precisas 600 páginas para explicar o que havia no início e de onde isso veio? Questão complexa…

Eis o que eu penso: Se houvesse uma resposta clara e objectiva para essa questão, tu já a terias dado.

Por um lado, sabes que não podes dizer “surgiu de nada” porque o nada criar alguma coisa é uma completa impossibilidade científica.

Por outro lado, sabes que o que quer que digas que estava no início eu vou-te perguntar “E de onde isso surgiu?”. No fundo, tu sabes que é necessária uma causa que está para além da coisa causada mas como não queres reconhecer a existência dessa causa, tens de andar às voltas.

Comentar por alogicadosabino

“Estás-me a dizer que são precisas 600 páginas para explicar o que havia no início e de onde isso veio? Questão complexa…”

É verdade, é necessário saber pormenores para compreender algo mais. Se te disser em 10 linhas não vais entender nada porque irás deparar-te com termos que desconheces.

“Eis o que eu penso: Se houvesse uma resposta clara e objectiva para essa questão, tu já a terias dado.”

É verdade não há. Se houvesse seria a descoberta do… milénio. Há, na verdade, duas hipóteses. Uma é a pontualidade do Big Bang, outra não usa a pontualidade por haver incompatibilidade entre a relatividade e a mecânica quântica no que diz respeito à gravidade. Entretanto surgiram indícios de uma possível solução. Investigadores sugerem uma gravidade quântica em loop. Outr hipótese é a das p-branas, em que não há o problema da pontualidade.

“Por um lado, sabes que não podes dizer “surgiu de nada” porque o nada criar alguma coisa é uma completa impossibilidade científica.”

É verdade. Nós só iremos saber o que houve imediatamente antes do Big Bang. Saber um universo anterior ou algo antes do espaço e do tempo está fora do alcance das observações e da matemática. Vamos até onde a ciência for possível. Para além disso é a imaginação e as creças que contam. Tal como antes de sabermos de outros sistemas solares, a imaginação e as crenças dizia-nos que o nosso sistema era o único e que para além disso era o céu onde moravam os deuses. Ou que no interior da terra haviam seres que habitavam com os golfinhos num continente de água.

“Por outro lado, sabes que o que quer que digas que estava no início eu vou-te perguntar “E de onde isso surgiu?”. No fundo, tu sabes que é necessária uma causa que está para além da coisa causada mas como não queres reconhecer a existência dessa causa, tens de andar às voltas.”

Eu sei há muito tempo qual é a pergunta final e sem resposta para a ciência, mas que não a pode falsear. Dizer que a ciência está toda mal porque não prevê o que havia antes do big bang é uma falácia. Nos pontos desconhecidos tudo vale até haver algo descoberto, e que seja verificado. A tua pergunta também é válida para ti: “deus criou o universo, então o que havia antes? Quem criou deus? E quem criou o que criou deus?” Andamos num ciclo sem fim, quer na crença (deus), quer na ciência (big bang).

Comentar por Dário Cardina

“Tal como antes de sabermos de outros sistemas solares, a imaginação e as crenças dizia-nos que o nosso sistema era o único e que para além disso era o céu onde moravam os deuses. Ou que no interior da terra haviam seres que habitavam com os golfinhos num continente de água.”

As crenças é capaz. A bíblia nunca disse isso.

“A tua pergunta também é válida para ti: “deus criou o universo, então o que havia antes? Quem criou deus? E quem criou o que criou deus?” Andamos num ciclo sem fim, quer na crença (deus), quer na ciência (big bang).”

Não andamos não. A causa que dá origem à dimensão temporal não pode ela mesma estar sujeita à coisa causada e, como tal, ela está fora da dimensão temporal. Sendo assim, essa causa (que eu acredito ser Deus) não precisou de um início pois ela não está limitada pelo tempo.

O crente não tem de andar às voltas. O naturalista tem porque quer explicar coisas criadas sem alguém que as tenha criado.

Outra coisa… se sabes que ainda não há uma explicação cabal para o que havia no início e de onde isso veio, porque rejeitas a partida a hipótese de Deus? Isso deve-se ao facto do teu compromisso com o naturalismo?

Comentar por alogicadosabino

Agora faço eu as perguntas sem nexo: Porque razão existia deus? Porque não houve um deus do deus? porque nos fez com duas pernas em vez de rodas? ou seja, porque tudo é assim e não “assado”?

É verdade que o espaço e o tempo nasceram na explosão, antes não existiam porque o espaço necessita de um volume e um ponto não é um volume. O tempo é o decorrer desse volume. O que quer que tenha dado origem ao universo, e como o tenha feito, aconteceu antes das dimensões espacio-temporais. Isto é, o teu deus existia antes do tempo e do espaço mas o primórdio do universo também.

Comentar por Dário Cardina

Quanto às questões teológicas, eu posso-te dar as respostas teológicas ás mesmas. Queres?

“O que quer que tenha dado origem ao universo, e como o tenha feito, aconteceu antes das dimensões espacio-temporais. Isto é, o teu deus existia antes do tempo e do espaço mas o primórdio do universo também.”

O que é esse primórdio do Universo?

Comentar por alogicadosabino

lê e vê os vídeos:
http://o-outro-universo.blogspot.com/2009/04/universos-paralelos.html

primórdio = pré = antes = antecedente

Se o universo nasceu, o “donde” (seja a partícula pontual, sejam as p-branas) ele nasceu não estava inserido no espaço-tempo do nosso universo. Ou seja, não pertence às dimensões do nosso universo. Mesmo que tenha sido um universo anterior, não está inserido no nosso. É anterior ao tempo, antes do 0 (zero).

Comentar por Dário Cardina

Não vi o video. É muito grande.

As partículas não são materiais?

Comentar por alogicadosabino

As partículas são materiais, porquê?
Lembra-te que só pertence ao nosso espaço-tempo todas as partículas que existam no nosso espaço a partir do nascimento do nosso universo. Partículas anteriores não pertencem.

Comentar por Dário Cardina

Hum… é interessante… no fundo, tu tratas Deus por outras coisas… Agora já existem partículas anteriores ao espaço-tempo. Bela tentativa de não chamar Deus a Deus. Assim podes continuar a viver a tua vida sem te sujeitares a Ele.

Que evidências tens tu das partículas anteriores ao espaço-tempo? E como serão as partículas imateriais?

Comentar por alogicadosabino

Se há uma explicação porque usar deus? Se sei porque uma maçã cai porque hei-de dizer que foi deus que fez caír a minha maçã e não foi a força gravítica a fazê-lo?

A existência do pré-BigBang não é invenção minha nem de ninguém. A cosmologia é fortemente baseada em equações matemáticas, daí emergem as teorias.

Fartas-te de perguntar o que há antes do big bang e, como não tinhas resposta dizias que era deus. Agora já tens uma resposta e não gostas. O que queres afinal?

Não preciso de me sujeitar a ninguém para viver a minha vida. Se me sujeitar a alguém tenho de viver a vida enclausurado em regras que não acho lógica e que me prendem de usufruir de prazeres.

Não é por estar fora do nosso (NOSSO) espaço-tempo que deixam de haver partículas materiais. Não são imateriais, pois estou-me a referir a partículas, não a anti-partículas.

Comentar por Dário Cardina

eheh, mas que resposta é que tu deste? Invocaste características atribuídas a Deus mas deste-lhe outro nome.

Repito a pergunta: que evidências tens tu das partículas anteriores ao nosso espaço-tempo? É que estou realmente curioso. Curioso em saber como é que os cientistas descobriram e testaram algo que está fora do nosso espaço-tempo.

E o que havia antes da matéria que deu origem à matéria? Que nome eles dão a isso?

Comentar por alogicadosabino

O pré Big Bang é deus? É uma brana? É o quê?
Quando não se sabia o que era o campo gravítico dizia-se que era deus que promovia os seus efeitos e a ciência descobriu o que era e deu o nome ao deus desses efeitos, que passaram a ser compreendidos.

As evidências emergem da matemática, tu não percebes ciência escrita muito menos as equações matemáticas! Havia uma teoria que explicava quase tudo mas tinha um problema. Se fosse um criacionista dizia logo que a ciência está toda errada, mas os cientistas são mais espertos e foram em busca de respostas. Apareceu uma outra hipótese com uma diferença matemática, ou seja, seguiu um caminho um pouco diferente e foi dar a algo: contornou o problema da hipótese anterior e deu um resultado interessante: As mambranas podem colidir numa grande libertação de energia. Observações e físicas e matemáticas mostram que as branas existem. A expansão do universo está descrita nas equações matemáticas caso existam branas. E este é o cenário que está a ocorrer.

“E o que havia antes da matéria que deu origem à matéria? Que nome eles dão a isso?” Esta pergunta é a dos putos, não é?? Queres chegar a deus à força? A ciência não vai chegar a deus porque a sua componente é física, é chegar às soluções através dos elementos naturais. Quer seja difícil ou fácil, ou demore muito ou pouco tempo, a ciência pretende chegar a uma solução sem qualquer deus, pois assim teria de ter em conta as infinitas crenças e estórias da criação.

Comentar por Dário Cardina

“Quando não se sabia o que era o campo gravítico dizia-se que era deus que promovia os seus efeitos e a ciência descobriu o que era e deu o nome ao deus desses efeitos, que passaram a ser compreendidos”

ó Dário, o que é que isto me interessa? Se a bíblia nunca disse isso por que é que vens dizer isso para aqui? Não me interessa o que alguns eruditos diziam sobre os campos gravíticos ou sobre os trovões ou sobre os furacões. Se queres atirar isso à cara de alguém, atira à cara daqueles que diziam isso. É irrelevante para mim o que eles diziam, se a biblia não diz tal coisa.

“A ciência não vai chegar a deus porque a sua componente é física, é chegar às soluções através dos elementos naturais.”

Pronto… chegaste à resposta que eu esperava de ti. Se a ciência apenas pode estudar o universo, o mundo natural, como é que os cientistas descobriram partículas fora do nosso mundo natural (fora do nosso espaço-tempo?)

Se o universo é tudo o que existe e a ciência só pode estudar aquilo que existe (o natural), então de onde vêm as evidências de coisas que existiam antes ou fora do nosso espaço-tempo e como é que os cientistas conseguiram medi-las?

Resumindo: como é que tu sabes o que existia antes do teu espaço-tempo?

🙂

Comentar por alogicadosabino

não leste o resto do comentário?

Comentar por Dário Cardina

O problema é que tu nunca és muito directo… andas ali a enrolar a enrolar para ver se o outro se perde e se fica…

falaste em equações matemáticas… de que forma é que essas equações matemáticas se aplicam fora do nosso mundo natural? Parece-me incoerente os ateus reclamarem com os crentes porque não é possível testar Deus pois Ele está para além da criação e ver-te agora a tentares mostrar que a ciencia descobriu coisas que estão fora do nosso mundo natural… ainda mais quando já disseste em comentários anteriores que não há resposta cabal para as origens…

“As mambranas podem colidir numa grande libertação de energia.”

De onde é que elas vieram?

“Observações e físicas e matemáticas mostram que as branas existem.”

Se é possível observá-las então elas não estão fora do nosso espaço-tempo, ou engano-me?

Comentar por alogicadosabino

Uma hipótese mais recente diz que o nosso universo está imerso numa membrana com 11 dimensões espácio-temporais. Esta é uma das partes, e emergem das equações matemáticas.

E porque se pensa que há mais do que uma brana (universos)? De acordo com o Princípio da incerteza de Heisenberg as partículas podem estar em vários sítios mas só um será real quando detectado. Já ouviste falar do gato de Shrödinger e da dualidade vivo/morto. Ele usou esta analogia para se referir a partículas: quando não as medimos tanto podem estar aqui ou ali (2 universos). Mas quando as medimos deixam de poder estar num dos dois sítios para estarem, com toda a certeza, naquele sítio (a função de onda colapsa, havendo só um resultado). Ou seja, nas equações matemáticas, quando há mais do que uma hipótese da posição da partícula os resultados divergem para as várias hipóteses, ou seja, vários mundos. Isto é: tens 2 escolhas, se optares por uma vai acontecer uma infinidade de coisas. Se escolheres a outra opção vai-te acontecer outra infinidade de coisas. Até escolheres há 2 mundos, numa fazes uma escolha e acontecem-te coisas, no outro fazes a outra escolha e acontecem-te outras coisas.

Uma possível prova de outras branas:

Desde 1995 se mede a expansão acelerada do universo. De acordo com esta hipótese (das branas) e pelas suas equações matemáticas, quando duas branas se aproximam acontece uma expansão acelerada delas. Está a acontecer.

Isto não quer dizer que seja a teoria correcta mas dá-nos mais dados. É o método científico a funcionar. Alguns investigadores colocaram de parte a hipótese de um Big bang pontual e aceitam melhor a hipótese das branas, porque dá soluções que a teoria pontual não dava. Se conheceres outra melhor (com dados, e com as equações que tratam destes problemas….)

Comentar por Dário Cardina

“Aos estudantes de Astronomia… façam reset a tudo aquilo que aprenderam na universidade. Esqueçam tudo o que vos foi ensinado a respeito dos modelos de evolução estelar. O que ontem era a resposta correcta nos exames, hoje está errado.
A quem não é estudante de Astronomia… não se preocupem. Possivelmente, vocês sabem tanto a respeito da evolução estelar quanto os que estudam Astronomia.”

É um comentário exagerado, e diria até, agressivo, até porque não é a primeira vez que uma determinada experiência científica ou observação, revela falhas nas teorias científicas.
O facto disso acontecer, não tira valor às terorias. Quanto muito, pode-se afirmar que a observação está fora do âmbito de aplicação da teoria: é algo extremamente normal.
Na minha profissão faço uso, todos os dias, de uma teoria que há muito é considerada obsoleta: as leis de Newton. Mas no âmbito restrito em que são aplicadas, funcionam muito bem.
O mesmo poderá ser dito de outras teorias, mesmo aquelas que pretendem explicar “tudo”. Os (bons) cientistas têm consciência de que o seu trabalho não dará uma resposta final ao funcionamento do universo e todo o que este contém. É apenas mais um passo no sentido de explicar e prever o que se passa à nossa volta.
E isto leva-me ao que eu acho verdadeiramente importante.
Lendo vários dos posts que estão publicados neste blog, chego à conclusão de que é fácil refutar uma série de teorias científicas com base em argumentos bíblicos. Ora, eu não me julgo senhor da verdade para decidir se os argumentos biblicos estão mais correctos que os científicos. O máximo que posso dizer, é que tenho mais fé na ciência que na bíblia. Mas isso sou eu. Claramente, também existem muitas pessoas com mais fé na bíblia que na ciência. Tudo bem por mim, desde que toda a gente conviva pacifica e honestamente entre si, aceito qualquer ponto de vista.
O que me intriga é, havendo tamanha descrença na ciência, ou pelo menos, em determinadas teorias, porque é alguém que estude a bíblia não faz uma coisa que a ciência tenta fazer constantemente (e que quando falha é, aparentemente, severamente criticada): previsões.
Já percebi que a bíblia consegue explicar o porquê de muita coisa acontecer e de ser como é. Mas será que consegue prever como e quando é que a próxima “estrela maciça um milhão de vezes mais luminosa do que o sol ” vai explodir?
Se conseguir explicar e se a previsão se verificar, tudo bem.
Doutra forma, fico sem preceber a razão de ser deste post.

Comentar por xpita

A que tipo de “ciência” o senhor se refere? Se estiver se referindo a evolução, isto não é ciência; É religião. Nada em evolução foi observado até hoje. Sendo assim, o título de “teoria” que lhe é dado é uma grande fraude, engano, engôdo.
Se o senhor estiver se referindo a astronomia, esta sim é uma ciência, pois pode-se observar os astros e através das observações podem se desenvolver as teorias e só o tempo dirá se estão ou não erradas. Neste caso, não devemos acreditar totalmente, nem desacreditar totalmente.

Comentar por Isaias S. OLiveira

xpita, obrigado pelos comentários submetidos.

Não tenho nada contra a astronomia, apenas contra as pretensas teorias científicas sobre o passado que ninguém observou. Exemplos destes, em que um novo dado derruba tudo aquilo que se pensava saber a respeito de qualquer coisa, acontecerá sempre. Isto porque extrapolar (e especular) observações para o passado não observado faz parte da frágil ciência das origens.

“O máximo que posso dizer, é que tenho mais fé na ciência que na bíblia.”

Não é preciso ter fé na ciência. Se algo é científico é porque foi possível observar, experimentar, testar, repetir. Se isso não foi possível então não é científico e aí sim é preciso ter fé. Eu não tenho fé na ciência. Eu tenho certezas na ciência. Mas a evolução está fora do âmbito da ciência.

Comentar por alogicadosabino

“Não tenho nada contra a astronomia, apenas contra as pretensas teorias científicas sobre o passado que ninguém observou. ”

O que dizes dos neutrinos, que ninguém viu? Do electrão? Das partículas de força, como o gravitão? Ninguém as viu mas há provas dos seus efeitos.

Comentar por Dário Cardina

Vês os efeitos, não vês? Podes testar, não podes? Podes repetir quantas vezes quiseres, não podes? Essa é a questão.

Comentar por alogicadosabino

“A que tipo de “ciência” o senhor se refere? Se estiver se referindo a evolução, isto não é ciência; É religião.”
No meu texto, refiro-me à Astronomia em particular, e à Ciência em geral.

“Nada em evolução foi observado até hoje. ”
Com que base diz isso?

“Sendo assim, o título de “teoria” que lhe é dado é uma grande fraude, engano, engôdo.”
Concordará que é indiscutivel que se trata de uma teoria, com direito a existir como outra qualquer. Se está certa ou não, isso é outra coisa.

“Neste caso, não devemos acreditar totalmente, nem desacreditar totalmente.”
Estou perfeitamente de acordo. Devemos ser críticos.

Mas continuo sem perceber o porquê da crítica feita à Astronomia, no post inicial colocado pelo Sabino.

Comentar por xpita

“Nada em evolução foi observado até hoje”. – “Com que base diz isso”?
A sua pergunta me deixou surpreso.
O senhor já observou algum ser “evoluir” para outra espécie? Sem observação não há interpretação. Sendo assim, não há teoria.
E isto se aplica também ao Big Bang, geração espontânea… Nunca observados. Eu, pelo menos, não conheço alguém que os tenha observado.
Eu entendo as críticas do Sabino, pois quase todos os cientistas (de todas as áreas)apresentam as suas crenças como se fossem fatos. Depois os “fatos” são desmentidos. Dá para acreditar neste tipo de “ciência”?
Os cientistas deveriam dizer: “Pelo que temos observado até o momento, nós CREMOS que isto seja assim”.

Comentar por Isaias S. OLiveira

“O senhor já observou algum ser “evoluir” para outra espécie? Sem observação não há interpretação.”
Nunca vi uma espécie evoluir para outra. Mas isso não quer dizer que não existam evidências que sustentem que a teoria da evolução pode estar correcta. O facto de a teoria da evolução ser uma “teoria”, isso significa que tem por base uma série de hipóteses. Haverá com certeza, descobertas científicas (paleontológicas, biológicas,…) que deitam por terra algumas hipoteses, e haverá outras que as validam. É do estudo e debate destes avanços e retrocessos que a teoria vai evoluindo. No limite, é possivel que os cientistas cheguem à conlusão que a teoria é de facto plausível, ou pelo contrátrio, que não dá explicações completas, ou que são incorrectas.
Este processo de colocação de hipóteses e da sua validação, é ciência.
Pode haver aspectos da teoria da evolução, que devido à dificuldade em definir experiências que os validem, estão no limiar daquilo que por convenção se chama ciência. Mas é um facto que existem pessoas empenhadas em analisar todo o tipo de informação a que têm acesso (registos fosseis, só para citar o mais comum), no sentido de ultrapassar esta dificuldade. E o trabalho dessas pessoas baseia-se no método científico, e aquilo que fazem é ciência.
E tudo o que disse sobre a evolução, digo sobre a teoria de cordas e sobre as teorias do início do universo, e quaisquer outras teorias que almejem expliar qualquer coisa que para nós (serem humanos) é de difícil compreensão e de ainda mais díficil verificação experimental directa.

“Eu entendo as críticas do Sabino, pois quase todos os cientistas (de todas as áreas)apresentam as suas crenças como se fossem fatos.”
Concordo. Quando quando a fé numa teoria se sobrepõem ao raciocínio científico, pode levar a exageros. Sou da opinião que é preciso ser crítico e cauteloso perante “as descobertas científicas do século”, ou qualquer outra coisa que seja vendida desta forma.

“Depois os “fatos” são desmentidos. Dá para acreditar neste tipo de “ciência”?”
O método científico funciona assim. Atiramos um palpite, fazemos experiências e tiramos conclusões. Às vezes corre bem (a experiência corrobora o palpite) outras vezes corre mal. Neste último caso, é sinal de que é preciso fazer ajustes nos palpites.

“Os cientistas deveriam dizer: “Pelo que temos observado até o momento, nós CREMOS que isto seja assim”.”
Já vi várias apresentações de trabalhos científicos (nenhum relacionado com os temas da evolução, e big-bang e afins), e parece-me que a maioria dos investigadores ou cientistas apresenta as suas descobertas da forma que referiste. Ou seja, a investigação realizada levou-os àqueles resultados. Mas concordo que deve haver alguns malucos que apregoam certezas absolutas.

Comentar por xpita

As condições iniciais do universo podem ser testadas.

Sabemos de onde vêm as constantes e como surgiram.

Comentar por Dário Cardina

Se o mundo fosse dominado por esses bitolados na Bíblia, não teríamos saído da Idade da Pedra.
Isso aconteceu na Idade Média: A Igreja atrasou o progresso por mil anos.

Comentar por Gilgamesh

Gilgamesh,

não é isso que nos diz a História.

Comentar por alogicadosabino

A história nos mostra que Copérnico e Galileo, citados no seu post, fizeram descobertas apesar da igreja e não com o apoio dela!
Kepler foi perseguido pela Igreja Católica, teve que se exilar.
E sem falar no Giordano Bruno, não citado, que foi queimado pela inquisição…
Os grandes cientistas do passado tiveram dificuldades tremendas com o cristianismo de maneira geral, seja ele católico ou protestante.

Comentar por godzila




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: