No princípio criou Deus os céus e a Terra


Ai que a religião é tão má
Março 14, 2009, 8:31 pm
Filed under: Estupidez/Fanatismo/Ignorância ateísta, Respostas a Ateus

Captei a seguinte imagem de um site ateísta:

society

Este ateu acéfalo (o mesmo que retira os versículos do contexto para mostrar o que ele quer: Desonesto ou ignorante? Pôr a Bíblia a dizer o que ela não diz) quer mostrar que a religião é a origem de todos os males. Reparem que este ateu pretende, de alguma forma, responsabilizar todas as pessoas religiosas pelas disputas territoriais dos israelitas e dos palestinos.

Uma coisa bonita na imagem é ver ali os ateus e os agnósticos em são convívio. Calmos, pacíficos, inocentes, assim são os ateus… ou ele gostaria que assim fossem.

Pelos vistos este ateu tem feito por seguir o pequeno guia com as Dicas sobre como te tornares um ateu intelectualmente realizado, já que se esqueceu de dizer que também não havia religiosos nos regimes comunistas, onde o ateísmo era condição essencial.

Vamos embarcar no argumento deste ateu acéfalo. Se todos os religiosos devem ser responsabilizados pelas guerras com motivos religiosos, então todos os ateus também devem ser responsabilizados pelas chacinas em nome das ideologias ateístas. Os ateus acéfalos querem que tu te responsabilizes por aquilo que acontece no Médio Oriente mas depois querem esquivar-se àquilo que Stalin ou Mao Tsé-Tung fizeram.

Amigos cristãos, não se deixem cair na estultícia que sai da boca dos ateus tolos.
____________________________________________________________________

A língua dos sábios destila o conhecimento; porém a boca dos tolos derrama a estultícia.” (Provérbios 15:2)

Anúncios

42 comentários so far
Deixe um comentário

Todas as ideias ateias para o mundo em sua grande maioria não prestam, me refiro quando um ateu se levanta pra consertar o mundo, essa sindrome de messias que alguns ateus possuem, foi assim quando idealizaram o comunismo, foi assim quando Nietzsche disse que todos os homens deviam pisar nos valores absolutos de bem e mal e os que faziam isso seriam super-homens, Hitler se inspirou nessas ideias e de fato pisou mesmo em todos valores de bem e matou 6 milhões de judeus e foi sem duvida influenciado pelos escritos de Nietzsche, isso sem contar que Richard Dawkins esta conclamando as pessoas e incutindo na cabeça delas que a religião é o pior dos males, mas os ateus são tão desonestos que relutam em assumir a responsabilidade pelas suas ideias como o comunismo cujas mortes ultrapassaram os 100 milhões, não estou dizendo que ateus não prestam apenas digo que as IDEIAS ateias para o mundo ja se mostraram dispensaveis, alguns podem até citar o progresso cientifico de algumas ideias ateias, mas o sofrimento que as ideias ateias trouxeram para o mundo superam enormemente qualquer progresso que venham a trazer, sem duvida a religião ateia foi a mais mortifera do mundo, e depois querem se fazer de inocentes, ideias ateias para consertar o mundo nunca mais.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Tanta parvoice junta, caro Bispo.

1. O que matou milhões foi o comunismo não o ateismo.
(não digo que não se tenha morto em nome do ateismo, tal como em nome do teismo, extremismo há em todo o lado)

Não é a religião que é um mal em si, mas o fanatismo e extremismo religioso de muitos, como parece ser o caso do Bispo.

Revela também total desconhecimento das relações Hitler Nietzche. Talvez desconheça que Nietzsche foi um dos maiores defensores dos judeus e contra filosofia nazi anti-judaica tendo isso custado muitos dissabores e o corte de relações com a irmã casada com um Nazi.

É como de costume falar por falar.

Talvez não se recorde dos Irmãos Franciscanos croatas que matram milhres de ortodoxos e judeus.
Dê uma vista de olhos pelo regime croata do tempo de hitler:

Após a invasão pela Alemanha nazi em 6 de Abril de 1941, a Jugoslávia foi desmembrada e o fascista Ante Pavelić tornou-se o líder do Estado independente da Croácia. Sob sua tutela, centenas de milhares sérvios, judeus, ciganos e croatas não-católicos foram exterminados em campos de concentração.

Ante Pavelić (Bradina, 14 de Julho de 1889 — Madrid, 28 de Dezembro de 1959) foi o líder e fundador do movimento nacionalista e fascista croata dos Ustaše na década de 1930 e foi mais tarde o líder do Estado Independente da Croácia. Foi o principal organizador do Holocausto na Croácia, no qual se estima terem sido assassinados entre seiscentos mil e um milhão de sérvios, judeus, ciganos de etnia Roma e prisioneiros políticos no período compreendido entre 1941 e 1945. Era chamado de Poglavnik, que é o equivalente de “Führer” ou “Duce” em servo-croata.

Após a invasão pela Alemanha nazi em 6 de Abril de 1941, a Jugoslávia foi desmembrada e Ante Pavelic tornou-se o líder do Estado independente da Croácia. Pavelić tratou então de dar forma ao plano Ustaše para a “purificação” do seu novo país, segundo a célebre fórmula de seu deputado Mile Budak: “matar um terço, exilar um terço e converter o outro terço” da população sérvia ao Catolicismo. Campos de concentração tais como o de Jasenovac foram estabelecidos e a Legião Negra Ustaše varria as vilas da Sérvia a pente fino, prendendo os judeus e ciganos que encontravam.

Finda a guerra, com a derrota das forças fascistas, Pavelić fugiu para a Áustria e depois para a Itália, onde beneficiou do encobrimento pelo Vaticano e o apoio dos elementos da Ratline, que se dedicavam à protecção de criminosos de guerra fascistas, escondendo-os e ajudando-os a fugir da Europa.

Ante Pavelić fugiu então para a Argentina com a ajuda do padre católico e oficial Ustaše bem como operacional Ratline, Krunoslav Draganović. Aquando da sua chegada a Buenos Aires, fundou um movimento político sucessor dos Ustaše juntamente com outros fugitivos croatas fascistas, agora perseguidos por crimes de guerra. Foi conselheiro de segurança do ditador argentino Juan Domingo Perón.

Nestas questões julgar as pessoas por serem ateus ou religiosos é uma falácia e uma parvoice.

Nestas questões julgamentos só para os actos das pessoas e circunscritos á situação que os gerou,

Comentar por Joaquim Coelho

“Nestas questões julgar as pessoas por serem ateus ou religiosos é uma falácia e uma parvoice.”

Concordo nessa parte com vc, mas estou apenas usando a logica dos ateus que generalizam e rotulam a religião como o pior dos males, e não disse que os ateus são ruins necessariamente apenas as suas ideias e a sua sindrome de messias de querer consertar o mundo achando-se muitas vezes o supra-sumo da racionalidade, como eu disse eu não ataquei os ateus ataquei as ideias ateias para o mundo e são sim nocivas, as ideias de Nietzsche de transcender os valores do bem e do mal tb não prestaram pq sem valores de bem e do mal absolutos como não matar por exemplo se da margem para se cometer inumeras barbaridades, não confundo ateismo com comunismo, ateus não são necessariamente ruins apenas suas ideias o são, ateus fazem uma confusão tremenda confundindo catolicismo com o cristianismo, apesar de eu não ser catolico e repudiar a sua doutrina muitos padres catolicos foram mortos por se oporem ao nazismo abertamente portanto não é justo fazer essa generalização, o cristianismo pregado pelos apostolos é inofensivo para o mundo, que mal podem fazer as palavras de um humilde carpinteiro que diz…

“Amai o proximo como a ti mesmo”

“Se alguem de lher um tapa no rosto, ofereça o outro lado”

“Pai perdoa pq não sabem o que fazem”

Como se ve o cristianismo pregado por Jesus Cristo e pelos apostolos é inofensivo, porem não posso dizer o mesmo das ideias ateias para o mundo que ja se mostraram bem nocivas, quando um ateu se levanta e diz que tem uma ideia pra consertar o mundo eu fico com os 2 pés atras, motivos não faltam pra isso.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

A treta do costume, agiora já há diferenças (ainda bem que reconhece).

Ser ateu é não acreditar em Deus. Ponto final.

Não há ideologia ateia.
Quanto a Nietzsche continuo a recomendar que o estude melhor para ver que não faz sentido o que diz.

E claro que muitos católicos se opuseram a Hitler e ateus, e etc.

Mas não se esqueça que a Igreja que meis defendeu Hitler e o Nazismo foi a protestante, que me parece ser a sua.
Mas isto não significa nada, a não ser que as coisas têm de ser analisadas em contexto e não universalizar conceitos absurdos sem mais nem menos.

Quanto ás palavras do carpinteiro eu também poderia colocar algumas dio mesmo em sentido oposto. E se fosse ao velho testamento então podia coloca-lo quase todo aqui que era só barbaridades e violência.

Comentar por Joaquim Coelho

Mas não se esqueça que a Igreja que meis defendeu Hitler e o Nazismo foi a protestante, que me parece ser a sua.

Deves estar a falar dos liberais, os mesmos que facilmente cairam no engodo da Darwin. Sim, as “igrejas” mais evolucionadas mais facilmente subscreveram as teorias rácicas de Hitler. Sem dúvida.
Os mais conservadores, aqueles que sabem que todos nós somos descendentes do mesmo pai e da mesma mãe, resistiram ao avanço evolucionista manifesto na pessoa de Hitler.

Comentar por Mats

Mats desculpas esfarrapadas. A Igreja protestante oficial apoiou ativamente Hitler.
Isso é reconhecido pelos evangélicos e têm um artigo no seu portal:

Mas que apesar disso muitos cristãos alemães -o conselho superior da Igreja Evangélica, luteranos e reformados – tivessem optado por uma colaboração quase estreita com o Movimento hitleriano para criar um Cristo à imagem e semelhança das ideias do regime, já não se explica tão facilmente.

No entanto, isso aconteceu e até respaldado por um sínodo. Com efeito, realizado na Saxónia em 1933, o Sínodo de Braune comprometer-se-ia a criar um «novo Cristo» que alegadamente iria fornecer um conteúdo teológico numa nova comunidade: não a Igreja, mas o povo alemão. A igreja evangélica alemã adaptar-se-ia ao ideário nacional socialista e procuraria, a partir daquele sínodo, justificar o regime emergente através do Movimento dos Cristãos Alemães (os Deutsche Christen ). Estes iriam combater o marxismo, o comunismo e… o judaismo, para agradar a Hitler e aos filósofos nazis como Rosemberg, Streicher e outros, inclusivamente pensavam criar a Igreja do Reich nacional socialista. E exprimiram até a «alegria da igreja alemã em participar da formação de uma nação e do renascimento do sentimento patriótico.» Tal atitude ia em sentido plenamente inverso ao que o apóstolo Paulo escrevera aos crentes filipenses, acerca da sua cidadania «pois a nossa pátria ( no grego politeuma ) está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.»( Filip 3,20)

Fontes insupspeitas para ti ?
Lá não fala em liberais e conservadores.
Eram protestantes (evangélicos da igreja Luterana Alemã)

É verdade que também houve fortes opositores oriundos desta igreja.

Isto só confirma o que digo: não se pode concluir que todos são iguais e fazem o mesmo por serem católicos, protestantes, ateus, etc.

Apenas se pode atacar as acções de cada um e as acções emanadas por principio ideologico, religioso ou outro, que sejam pedra base desses movimentos.

Comentar por Joaquim Coelho

“A Igreja protestante oficial apoiou ativamente Hitler.”

Engraçado, o nazismo fez o que fez com base na Teoria da evolução…

Comentar por MVR

Falso

A maioria da população alemã era cristã e protestante. Provavelmente também a maioria dos nazis o era, como o chefe dos campos de exterminio de Madjenek

A hierarquia superior da igreja protestante alemã apoiou vigorosamente Hitler e o Nazismo. Isto é reconhecido por todos, e provado por vasta documentação e testemunhos.
Aliás se leste o texto que coloquei verás que a fonte é o portal “oficial” do evangelismo em Portugal

Lê todo o texto (escrito por um evangélico):

Mais um excerto parar crescer a água na boca
«Um poderoso movimento nacional (o nazismo) dominou e levantou nosso curso no seio da nação alemã despertada do seu sono. Dizemos um «sim» agradecido a essa reviravolta da história. Foi Deus que no-la deu.(…) Ligados à Palavra de Deus, reconhecemos nesse grande evento de nosso tempo uma nova ordem do Senhor à sua Igreja.»

O que foi usado como desculpa esfarrapada pelo nazismo foi o eugenismo (que já é em si uma interpretação abusiva da evolução (como o próprio Darwin afirmou).

E não se pode imputar a uma teoria cientifica responsabilidades pelas interpretações lunáticas e distorcidas.

De notar que o grande cimento de toda a tragédia nazi foi o ódio visceral aos judeus (que em certa parte entrocava no ódio secular dos cristãos aos judeus).

Mais uma pedra que partiu telhados religiosos:-)

Comentar por Joaquim Coelho

Mais uma vez o senhor esta confundindo protestantismo com cristianismo, as testemunhas de jeova (que são cristas) foram opositoras ferrenhas de Hitler e pagaram um alto preço por isso, não sou protestante nem catolico, a verdadeira igreja de Cristo foi a primitiva, a dos primeiros anos de cristianismo, que seguiam a risca os ensinamentos de Cristo, as outras igrejas que se entitulam cristas se desvirtuaram totalmente da pureza e simplicidade dos primeiros anos de cristianismo, não sou um advogado da igreja catolica mas os comunistas foram os maiores carrascos de catolicos e judeus, quanto as ideias de Nietzsche continuo dizendo que não prestaram tb, questionou e até incitou as pessoas a transcederem os valores de bem e do mal e chegou a afirmar que ferir um outro homem não devia ser considerado errado,(Além do bem e do mal, p. 186-7).

Isso foi um prato cheio para Hitler, Stalin e Mao Tse Tung e outros carniceiros, pq se não existe um valor de bem e de mal absoluto, tudo é permitido inclusive “ferir um homem”

Repito mais uma vez para que não fique duvidas, não ataco os ateus, ataco suas ideias, não acho ateus necessariamente ruins, apenas suas ideias são ruins.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Bispo Valdomiro Santiago

Até agora não atacou uma unica ideia ateia (aliás a única- Deus não existe) todas as outras podem ser quer de ateus quer de teistas.

Também não sou grande fã de Nietzche e do seu super-homem.
Mas Nietzche não era nenhum lider, e o que ele escreveu influenciou as pessoas da mesma forma que outros livros e escritores.
Também a biblia foi usada como argumento para matanças.

Relativamente às testemunhas de Jeová foram perseguidas por se recusarem a lutar e não por motivos religiosos.

Aliás as Testemunhas de jeová também não ficam bem no retrato do nazismo:
Com efeito, a história não emudece no que concerne a organizações religiosas como as Testemunhas de Jeová da Alemanha ( que então se apelidavam como Estudantes da Bíblia alemães ) e ao seu envolvimento com o regime nazi, a partir da sede da Organização da Watchtower (Torre de Vigia), em Magdeburg, em 1933. Como se costuma dizer, existe um «esqueleto» no armário das Testemunhas de Jeová do período negro da Alemanha, cujo fantasma se traduz em afirmações curiosas contidas numa Declaration of Facts que não terá impressionado Hitler e que asseverava, pela pena de Rutherford, um apoio explícito ao «governo actual da Alemanha», no que dizia respeito à necessidade de um ataque aos «homens de negócios judeus» e à «influência religiosa errada» ( protestantismo, catolicismo, judaísmo?), afirmando que «longe de estarmos contra os princípios advogados pelo governo da Alemanha, nós apoiamos sinceramente esses princípios e sublinhamos que Jeová Deus através de Jesus Cristo(?) causará a realização completa desses princípios». Os tais «princípios», parece-nos, que seriam uma coisa e o seu contrário, a aproximação ao governo de Hitler que se aproximava do Reino de Deus por Mil Anos.

Em todo o caso, há quem considere que os anseios mercantilistas das Testemunhas de Jeová, iam mais no sentido de que Hitler não proibisse a venda dos livros da Sociedade da Torre de Vigia na Alemanha dessa década, do que na crença cega no nazismo.

No entanto, para alcançarem esse desiderato, os Estudantes da Bíblia não hesitaram em misturar a sua doutrina com a doutrina nacional-socialista, expondo que estavam «lutando pelos mesmos objectivos e ideais elevados e éticos que o Reich alemão nacional proclamou a respeito do relacionamento do Homem com Deus», chegando a afirmar não existirem pontos de vista conflituantes, mas, sim, uma harmonia completa com o regime nazi.

Ainda do portal evangélico http://www.portalevangelico.pt/noticia.asp?id=2498

Comentar por Joaquim Coelho

Bispo Valdomiro Santiago

O sr. se diz adepto a igreja primitiva, portanto exclui-se em ser protestante, catolico, ou TJ, e demais demoninações.
Pois bem se sua crença é baseada na igreja primitiva seguindo a bíblia, como saber sua real intenção já que a mesma foi escrita pela igreja católica primitiva?
Se você não confia na igreja católica, como pode confiar em que ela escreveu?

Comentar por kibom33

Sim eu ataquei ideias provenientes de mentes ateias sim, não é propagado que as mentes ateias são as mais brilhantes e são elas que vão consertar o mundo e os religiosos são todos ignorantes?

Quanto as testemunhas de Jeova não sei dos detalhes mas sei que as testemunhas de Jeova foram perseguidos por motivos religiosos sim, eles poderiam ser salvos caso renunciassem sua religião mas se recusaram, os nazistas até usaram a biblia para tentar convencer as testemunhas de Jeova para lutarem citando os versiculos sobre submissão a autoridade, porem eles eles diziam…

“Dai a Cesar o que é de Cesar mas a Deus o que é de Deus”

As testemnunhas de Jeova honraram os ensinamentos de Jesus Cristo, é preciso ter discernimento pra separar o joio do trigo, protestantismo e catolicismo não tem nada haver com cristianismo.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Kibom…

Quando me refiro ao cristianismo primitivo me refiro aos mandamentos simples de Jesus Cristo como…

“Amar o proximo como a ti mesmo”
“Socorrer o pobre e as viuvas em suas tribulações e se abster das imundicias desse mundo”

Essa é a essencia da religião e nela toda se resumem a lei e os profetas, porem a igreja catolica tem diversas praticas anti-biblicas, e muitas doutrinas que se entitulam protestantes ou neo pentecostais propagam verdadeiras heresias totalmente alheias ao cristianismo puro e simples deixado pelos apostolos, por isso que digo que não sigo o protestantismo ou o catolicismo mas sim o cristianismo.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Grande Bispo

Adoro quando andam á bulha uns com os outros.

1. Ideias provenientes de mentes ateias não é igual a ideias ateias. Tal como ideias de mentes cristãs não é igual a ideias cristãs. As ideias do papa Borgia que assassinou a bel prazer não eram ideias cristãs e ele era cristão.

Estudei mais de 20 anos a II Guerra, Hitler e o Nazismo.
Daquilo que conheço eles foram perseguidos por recusaremj lutar deviudo á sua religião.
O nazismo considerav isso uma traição e por isso persegui-os.

O motivo é a recusa de lutar e não o facto de serem cristãos. se tivessem lutado Hilter não os teria perseguido.

Portanto apesar de todo o grupo religioso ser atcada e perseguido de forma a extingui-lo o que despoletou isso foi a recusa da luta.
Não a crença em Deus ou em Cristo.

Concedo que existiu perseguição religiosa mas não que o motivo tennha sido o facto de serem cristãos.

Assim dúvido muito do que diz :”eles poderiam ser salvos caso renunciassem sua religião mas se recusaram” e acredito mais nisto “eles poderiam ser salvos caso renunciassem a não lutar mas se recusaram” o que é muito diferente.

E sim as testemunhas de Jeová no inicio apioram Hitler e o nazismo como o mostra o texto transcrito no comentário anterior.

E já agora o que acha de se deixarem morrer crianças por não poderem levar transfusões de sangue (e até adultos) ?

Comentar por Joaquim Coelho

Eu gosto muito do ateu Joaquim Coelho pois é um ateu de fé inabalavél. Defende com unhas e dentes a sua religião evolucionista como muitos cristãos não fazem em relação à sua fé. Mais uma vez, o sempre atento Joaquim tenta exasperadamente procurar desligar Hitler dos motivos que o levaram a fazer o que ele fez.

O Joaquim ignora (ou quer a todo o custo ignorar) que Hitler se baseou na filosofia da “sobrevivência do mais apto” que vem… de onde? de onde? Isso mesmo… da teoria da evolução darwiniana.

Falou-se aqui do termo “cristão”. Gostaria só de dizer que hoje em dia fico um pouco de pé atrás quando se fala em “cristão”. Isto porque, hoje em dia, o termo “cristão” é bastante elástico. Por incrivel que pareça, há cristãos que defendem a homossexualidade, aborto, evolucionismo,… O termo “cristão” é bastante alargado. E o que vem ajudar à festa é a imbecilidade ateísta quando vem dizer que Hitler era cristão. Bem, para se ser cristão apenas é necessário entrar numa igreja ou ter uma biblia em casa então aí Portugal é, sem duvida, 99% cristão.

Comentar por alogicadosabino

Quanto as ideias ateias nesse ponto concordo contigo, partiu de uma mente ateia não de mentes ateias, mas é que essa sindrome de messias que muitos ateus tem, como Richard Dawkins por exemplo quando diz que “a religião é o pior dos males” deixa qualquer cristão ressabiado.

Quando ele diz isso ficamos com muita razão com os 2 pés atras, Dawnkins é um homem influente e o que ele falar muitas pessoas vão acatar e tomar aquilo por verdade, ele é o maior idolo dos ateus e quando ele solta no ar que…

“É muito seguro dizer que quem não cre na evolução é um ignorante”

Ou seja um homem influente como Dawkins dispara uma dessa e pronto muitos começam a desrespeitar cristãos taxa-los de ignorantes só por não crerem na teoria da evolução, isso é uma falacia e vão tentar erradicar aquela que é o “pior dos males”, só torço para que ele não use os mesmos metodos dos comunistas para erradicar as classes.

Pior que um sujeito como Dawnkis se entitula de democratico defensor da liberdade e da razão mal percebe que cai no mesmo erro que tanto condenava ou seja de se tornar um ateu fanatico e fundamentelista.

Nesse sentido eu digo que as ideias ateias pro mundo são ruins.

Sobre as testemunhas de Jeova…

O que quero enfatizar é o seguinte, independente de serem perseguidos por sua religião ou por se recusarem a prestar o serviço militar eles morreram pelos preceitos da sua religião…

“A Obediência a Jeová e a seu filho Jesus Cristo nos compele a nos abster de qualquer ideologia política, nosso reino já tem um Rei e entronizado”

“Meu reino não é desse mundo”

E era nisso que eles acreditavam.

De certa forma isso é morrer sim pela sua religião, pq era um preceito de sua religião serem apoliticos.

“E já agora o que acha de se deixarem morrer crianças por não poderem levar transfusões de sangue (e até adultos) ?”

Sou contra, isso é fanatismo e um erro de interpretação das escrituras das testemunhas de Jeova, fazer uma transfusão de sangue não é a mesma coisa do que comer carne com sangue, ingerimos os alimentos pela boca e não via transfusão, acho isso um absurdo por parte deles.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Pois é para ser cristão basta se entitular cristão, se Hitler se entitulou cristão logo o cristianismo é falso, falacia ad Hitlerun, ou seja tudo o que Hitler fez é errado, ele era abstemio não fumava e não bebia, logo fumar e beber é certo.

Essas pessoas acham que um titulo de cristão o reveste dessa qualidade.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Como vê Valdomiro não é dificil ser moderado, a sua penúltima resposta mostra que é possivel debater temas em que diferimos de opinião sem entrar em radicalismos e defesas a qualquer custo.

Gostei da resposta, embora na essencia não concorde coim ela, mas respeito-a.

E ainda o respeito mais pela sua posição sobre as transfusões de sangues, poiis sei o qunto dificil deve ser ir contra uma corrente histórica (não sei se maioritária).

Tiro-lhe o chapéu. Todos os comentários fossem desta tolerância e eu nem comentava por aqui.

PS. Concordo que as TJ forma perseguidas pelas suas convicções religiosas de que não abdicaram o que só os favorece.

Mas isso não signfica que foram perseguidos por serem religiosos.

Um exemplo: ateus ou católicos que se recusavam a combater também eram perseguidos.

Comentar por Joaquim Coelho

Bispo

Voltando a crença da igreja primitiva, em nada se difere o cristianismo das demais religiões, é sempre assim, veja as facções do islamismo, hinduísmo, espiritismo, e demais, cada grupo de acordo com sua interpretação julgando ser o mais correto.
É absurdamente inaceitável entender a crença dos demais, assim como é inaceitável não entender como os demais não entendem como eu, esse é o mundo em que vivemos. O que não faz do cristianismo nenhuma verdadeira religião, se é que existe.

Comentar por kibom33

Kibon.

Isso é um mito de que não existe uma unica verdade, e que cada um da a sua interpretação, certamente existe uma interpretação que mais se aproxima da verdade, do ponto de vista cristão não podemos adotar praticas anti-biblicas como batizar crianças,venerar estatuas,cultuar os mortos,dizimos, guarda do sabado,Cristo irmão de Satan etc etc, e isso ja exclui o catolicismo e muitas religiões protestantes e neo pentecostais…

“Uma arvore deve ser julgada pelos seus frutos”

“Que ninguem coloque outro fundamento a não ser o deixado pelo nosso senhor Jesus Cristo e pelos apostolos”

Conforme vamos examinando as escrituras e se deixando guiar por ela a coisa vai se afunilando e muitas ditas religiões vão se descartando, uma igreja que diz que 2+2 é 4 e a outra é 5 e a outra é 6 não podem estar todas corretas, elas são multuamente excludentes, portando nós temos sim acesso a uma unica verdade baseada na doutrina deixada por Jesus Cristo e os apostolos.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Bispo

Desde quando a guarda do Sábado é uma doutrina anti-bíblica?
O Sábado é o dia que Deus descansou, abençoou e santificou na Criação, muito antes de que houvesse qualquer judeu na face da terra.
É um sinal eterno entre Deus e Seu povo.
Foi guardado por Jesus, Seus discípulos, pela virgem Maria, por Paulo, etc.
O que a Bíblia condena e Jesus também eram as formas errôneas com que os judeus guardavam o Sábado, enchendo-o de tradições humanas.
O domingo é que é uma instituição pagã infiltrada na Igreja, através do Decreto Dominical de Constantino, em 7 de março de 321.

Desafio-lhe a me mostrar um único verso bíblico que autorize ou substancie a guarda do Domingo.

Comentar por Fabricio Lovato

Gên. 2:1-3; Êxo. 20:8-11; 31:12-17; Lucas 4:16; Heb. 4:1-11; Deut. 5:12-15; Isa. 56:5 e 6; 58:13 e 14; Lev. 23:32; Mar. 2:27 e 28

Obs: por que o dízimo também não é uma doutrina bíblica?

Comentar por Fabricio Lovato

Cadê o Bispo?

Comentar por Fabricio Lovato

Ola Fabricio só hoje pude responder suas perguntas.

Creio que não me expressei muito bem ao afirmar “anti-biblicas”, não são anti-biblicas são apenas anti-cristas.

Vejamos sobre o dizimo:

O dizimo apesar de ser biblico não é cristão, assim como o apedrejamento e a bigamia são biblicos porem não são cristãos, o dizimo era restrito apenas ao povo judeu, mais precisamente aos levitas para a manutenção do serviço sacerdotal, não existe nenhuma menção a obrigatoriedade do dizimo no novo testamento.

Paulo exortou apenas que os cristãos doassem apenas “como cada um propos em seu coração” sem impor nenhuma porcentagem.

“Cristo aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças”

E dentre estas ordenanças esta o dizimo e todas as praticas leviticas.

“Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, segundo a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos”

Eles tem mandamento de recolher SEGUNDO A LEI o dizimo, mas como os cristãos não estão mais debaixo da lei mas sim da graça estamos livres dessa obrigação.

Repare tb que ele menciona a cobrança apenas “dos seus irmãos” (judeus) e não dos nossos irmãos(cristãos).

Quantos aos sabados apesar de fazer parte dos dez mandamentos não é uma lei moral, o sabado era apenas uma sombra do que havia de vir.

Vejamos:

“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou SABADOS, pq essas coisas eram apenas uma SOMBRA do que havia de vir”

“Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, E, SE HÁ QUALQUER OUTRO MANDAMENTO, (o sabado) tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Dssse modo os cristãos estão isentos da obrigatoriedade do dizimo e tb da guarda do sabado.

Abraços.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Meu caro irmão Bispo Valdomiro Santiago,

Neste momento, eu, certamente o Fabrício, e outros amigos cristãos estamos saindo de casa para fazer justamente aquilo que o Salvador Jesus Cristo tinha por costume.

Chegando a Nazaré, onde fora criado; entrou na sinagoga no dia de sábado, segundo o seu costume, e levantou-se para ler. Luc. 4:16

As razões para isso gostaria de expor mais tarde e num espírito que demonstre que servimos ao mesmo Deus e temos por mestre o mesmo Jesus.

Vou me lembrar de orar por todos aqui.

Abraços.

“Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. João13:35”

Comentar por Darjo

Meu caro irmão Bispo Valdomiro Santiago (e outros irmãos que aqui vêm para discutir não apenas a evolução das espécies, mas também a criação de Deus),

O livro de Gênesis é um registro histórico daquilo que o Criador dos céus e da terra houve por bem nos revelar sobre a gênese do mundo e da vida. Assim, proponho o seguinte exercício de reflexão:

Estamos acompanhando a semana da criação e é já o quinto dia. O dia agora se aproxima do seu fim. O registro é:

“E Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei as águas dos mares, e na terra, se multipliquem as aves. Houve tarde e manhã o quinto dia.” Gen. 1:22

Minha pergunta é: tendo em vista o conhecimento que temos de Deus, revelado nas Escrituras, acham os irmãos que Deus já sabia o que haveria de fazer no sexto dia? Essa mesma quinta-feira transcorreu conforme um planejamento divino ou não?

Na sexta-feira há mais uma bênção de Deus:

“E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra e sujeitai-a…” Gen. 1:28

A pergunta é semelhante: o sexto dia cumpriu um propósito divino? A bênção de Deus fora planejada ou não? E para nos aproximar do assunto dos últimos comentários: Nesta sexta-feira, Deus já tinha em mente o que faria no sétimo dia? Quais eram os planos de Deus para o Sábado?

Com base nessa primeira reflexão, sugiro avançarmos para outras:

Quem é o autor do Sábado? Com que propósito o Sábado foi feito? Para quem foi ele criado? Ele teria sido criado para durar um mês, cem anos ou está ele vinculado com uma questão muito mais ampla: a relação Criador-criatura?

Essas as questões que deixo para nossa reflexão antes de responder mais diretamente à afirmação de que o sábado seja anti-bíblico ou anti-cristão.

Comentar por Darjo

Bispo Valdomiro

Desculpe a pressa. 😀
Eu tbm nem sempre tenho tempo de responder logo.

Vamos por partes:

A) DÍZIMO.

Com o passar do tempo e a crescente institucionalização da igreja, houve a necessidade de uma forma padronizada de contribuição. Com isso, recorreu-se ao precedente bíblico já conhecido e testado por muito tempo- o dízimo.
Torna-se necessário um método de contribuição que seja regular, generoso e proporcional aos recursos dos fiéis.
Todavia, o dízimo pode ser uma bênção na experiência do cristão em dois sentidos. Primeiro, como um desafio para a sua vida espiritual. Devolver o dízimo pressupõe uma relação de amor, gratidão e compromisso com Deus e com as pessoas que serão beneficiadas com essa contribuição. Em segundo lugar, é também um desafio para a melhor administração da vida financeira.

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o DÍZIMO da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e NÃO OMITIR aquelas.”
Mt 23:23

Comentar por Fabricio Lovato

B) A LEI.

Vou recomentar aqui o que eu já tinha comentado em outro post:

A Bíblia faz distinção entre pelo menos duas leis:
a Lei Moral [Decálogo] e a Lei Cerimonial.

Lei Cerimonial: chamada de Lei de Moisés (Atos 15:5), escrita por MOISÉS em um LIVRO e colocada AO LADO da Arca (Deuteronômio 31:9.24.26; a ninguém aperfeiçoou (Hebreus 7:19), era temporária (Hebreus 10:1) CARNAL (Hebreus 9:10), constava de Sábados (descansos) anuais (Levítico 23) e sua observância ACABOU na Cruz. (Colossenses 2:14 e Efésios 2:15)

Lei Moral: Contida em Êxodo 20, é PERFEITA e chamada Lei de Deus (Salmo 19:7), escrita por DEUS em TÁBUAS DE PEDRA e colocada DENTRO da Arca (Êxodo 31:18 e Deut. 10:5), constava de um Sábado semanal (Êxodo 20:8-11, Ezequiel 20:20, Marcos 2:28). Segundo Paulo, é SANTA, JUSTA, BOA e ESPIRITUAL. (Romanos 7:12 e 14).
Não é anulada pela fé (Romanos 3:31) e é ETERNA (Salmo 89:34, 119:89 e 142, Mateus 5:17 e 18)

A Lei não é um meio de Salvação, esta é somente pela fé em Jesus.
Ela nos diz quando estamos em pecado e nos aponta a Cristo como a solução.
Não somos salvos COM a Lei, mas NA Lei.
A obediência aos 10 Mandamentos é uma prova de amor a Jesus (João 14:15, 1João 5:3, Mateus 19:27, Eclesiastes 12:13)

Comentar por Fabricio Lovato

C) O SÁBADO.

“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou SABADOS, pq essas coisas eram apenas uma SOMBRA do que havia de vir”

Os sábadoS a que o texto se refere, sendo mencionados com as luas novas e outras sombras ceromoniais, são dias cerimoniais e rituais, baseados nas fases da lua (veja Levítico 23)e não o sábado semanal, que é baseado no ciclo semanal.

Os cristãos não estão desobrigados da guarda da Lei, de forma alguma.
[veja o que escrevi sobre a Lei Moral, no comentério anterior.]
O Sábado não é um preceito cerimonial.
Estes foram dados depois do pecado e apontavam para a morte de Cristo na cruz, eram uma sombra.
Crao irmão, do que o sábado é uma “sombra”?
Ele foi insituído muito antes da entrada do pecado nesse mundo, antes que houvesse qualquer judeu na face da terra.
Foi abençoado e santificado por Deus.
Jesus jamais o aboliu, apenas através de Suas curas e palavras, nos demonstrou qual é o sentido pleno desse Santo Dia, um dia para comunhão com Deus, amor ao próximo e refrigério mental, físico e espiritual.

Repito: se Jesus ou so discípulos tivessem mudado o Sábado para o Domingo, essa mudança estaria explícita na Bíblia, mas não o está.
Pelo contrário, Jesus é o Senhor do Sábado, o Seu Criador.
Mc 2:27 e 28.

Comentar por Fabricio Lovato

*Caro irmão

Comentar por Fabricio Lovato

De uma perspectiva cristã, o cristianismo começa com o nascimento de Cristo, com seu ministério terrestre, com sua morte, com sua ressurreição ou com a criação?

Quem teve participação em todo o processo da semana da criação, incluído o que vai relatado abaixo?

“Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera. Abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera. Gênesis 2:1-3.”

Eu sei que a resposta pode parecer óbvia para alguns, mas para quem não tenha familiaridade com a Bíblia ou ainda possa ter alguma dúvida, apresento algumas referências bíblicas:

“Pois nEle foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades, tudo foi criado por Ele e para Ele” (Colossenses 1.16).

“Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus.” Apoc.3:14

“Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho. A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo” Heb.1:1-2

“Todas as coisas foram feitas por Ele e sem Ele nada do que foi feito se fez” (João 1:3)

Todos esses versos apontam para Cristo como aquele por quem todas as coisas foram feitas. Como poderiam a santificação do sétimo dia e a bênção designada sobre ele em virtude do próprio descanso do Criador, no princípio do mundo e da existência humana, antes da entrada do pecado, quando tudo “era muito bom”, tornar-se assunto estranho a Cristo, ou mais ainda, anti-cristão? Nunca é demais enfatizar que a santificação do sétimo dia (sua separação para fins sagrados) ocorre no contexto de um mundo perfeito, preparado para o par recém-criado, e essa santificação se projeta para a expectativa de um vida sem pecado e em harmonia com Deus (que era o plano divino original). Não há nele nenhum aspecto relacionado com o pecado ou cerimonial.

Por que teria o Senhor julgado necessário estabelecer o sétimo dia como o sábado para criaturas perfeitas, sem pecado, que tinham a expectativa de uma vida em harmonia com Ele? É razoável imaginar que esse propósito seja menos necessário agora, no estado de queda e de pecado em que o homem se encontra, do que antes, quando o homem tinha comunhão direta com Deus?

Ninguém melhor para indicar o propósito do Sábado e a quem ele se destina do que Aquele que o criou:

“O Sábado foi feito por causa do homem…” Marcos 2:27 (não me esqueço do restante do verso – volto a ele já; é que quando o assunto é o repouso sabático, há que se ter um pouco mais de atenção).
“O sábado foi feito por causa do homem…” O sábado é vinculado com a criação (“foi feito”) e com a humanidade (“para o homem” ou “por causa do homem”), não com uma nação específica. O testemunho é de quem, como já vimos, tem autoridade para dizê-lo.

O resto do verso, “e não o homem para/por causa do sábado”, é para mostrar o contraste marcante entre o propósito do Criador do sábado (o descanso/ a cessação das atividades de trabalho secular no sétimo dia) e o daqueles que o estavam desfigurando, a ponto de não permitir que um sofredor, mesmo diante de uma situação emergencial, fosse aliviado de seu sofrimento nesse dia. Como aceitar tal deturpação?

A afirmação de Cristo: “Portanto, é lícito fazer bem aos sábados.” Não apenas reforça a continuidade da vigência da santificação do sétimo dia, estabelecido na criação, como esclarece que fazer o bem aos necessitados (basta lembrar, como exemplo, as várias curas feitas por Cristo, de propósito, no dia de sábado), se coaduna com seu propósito.

Para reforçar a idéia de que o sábado é uma dádiva divina à humanidade, transcrevo o versículo ao lado de outros, a fim de que se perceba mais facilmente o paradigma:

“O Sábado foi feito por causa do homem…” Marcos 2:27
“a saber, a verdadeira luz, que vinda ao mundo, ilumina a todo homem.” João 1:9

“De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem”. Ecles. 12:13

Peço desculpas pelo comentário extenso (vou dividi-lo aqui para tratar de alguns versículos citados nos comentários anteriores e também da relação do sábado com Israel, onde, como se verá (e espero não estar supreendendo ninguém), Jesus Cristo não estará ausente. Até aqui, e tanto quanto conheço ou alcanço das Escrituras, não vejo como dissociar o sábado de seu Autor. O sábado é genuinamente cristão.

Comentar por Darjo

Ola Fabricio e Darjo tentarei direcionar a minha resposta aos 2 em uma mesma postagem pq ambas são muito grandes.

“Com isso, recorreu-se ao precedente bíblico já conhecido e testado por muito tempo- o dízimo.”

Irmãos não podemos recorrer a um precedente Biblico para fundamentar certas praticas do velho testamento, isso daria margem para se restaurar diversas praticas biblicas contidas na lei tb.

A escritura nos diz que “um pouco de fermento leveda toda a massa”, se resgatarmos um preceito da lei o que nos impediria de resgatar outros tb
conforme nossas conveniencias?

Não podemos usar o fermento velho na nova massa que é a graça do filho de Deus, a lei na forma de ordenanças foi abolida e isso inclui tb o dizimo.

“Torna-se necessário um método de contribuição que seja regular, generoso e proporcional aos recursos dos fiéis.”

O ideal seria fazer como recomenda o apostolo Paulo:

“Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.”

Doar segundo propos o seu coração não impede que vc seja generoso ou regular, até pq suas doações podem ultrapassar o dizimo, mas isso fica a criterio de Deus e o fiel e não esta sujeita a porcentagem alguma.

“Repito: se Jesus ou so discípulos tivessem mudado o Sábado para o Domingo, essa mudança estaria explícita na Bíblia, mas não o está.
Pelo contrário, Jesus é o Senhor do Sábado, o Seu Criador.
Mc 2:27 e 28.”

Gostaria de usar esse seu argumento com relação a guarda do sabado para expressar meu raciocinio.

Se Jesus ou os discipulos tivessem exortado a cobrança do dizimo não estaria ela explicita no novo testamento?

Não existe uma unica menção da cobrança do dizimo no novo testamento.

E como observastes muito bem em sua postagem anterior irmão a lei cerimonial foi abolida.

“Lei Cerimonial: chamada de Lei de Moisés (Atos 15:5), escrita por MOISÉS em um

LIVRO e colocada AO LADO da Arca (Deuteronômio 31:9.24.26; a ninguém aperfeiçoou (Hebreus 7:19), era temporária (Hebreus 10:1) CARNAL (Hebreus 9:10), constava de Sábados (descansos) anuais (Levítico 23) e sua observância ACABOU na Cruz. (Colossenses 2:14 e Efésios 2:15)” Se o dizimo fazia parte da lei cerimonial logo foi abolido tb.

Quanto a lei…

O sabado não é uma lei moral irmãos, a lei moral esta escrita em nossos corações de maneira que não precisamos dela escrita em tabuas de pedra para discernir o certo do errado.

Os pagãos mesmo não sendo beneficiados de uma revelação especial de Deus, e mesmo não tendo sido agraciados com a lei judaica, são para eles mesmos lei quando praticam as coisas da lei, isso pq eles tem uma lei moral dentro deles, a consciencia dos pagãos os atormenta caso eles cometam homocidios, adulterios, roubos etc, mas não os atormentam caso violem o sabado, então como pode ser uma lei moral?

É simples pq é uma lei que só pode ser passada através de revelação especial e isso exclui os pagãos.

Tb não vemos nenhuma menção da guarda do sabado nos ensinamentos apostolicos de maneira explicita.

Alias vemos uma grande enfase que o cumprimento de toda a lei esta em amar a Deus e ao proximo como a si mesmo…

“Amai a Deus e ao proximo nisso se resume TODA lei e os profetas”

“Levai as cargas um dos outros e assim cumprireis a LEI de Cristo”

Quem ama não mata.
Quem ama não rouba.
Quem ama não adultera.
E quem ama cumpre toda a lei.

Veja tb a clareza desse versiculo:

“Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, E, SE HÁ QUALQUER OUTRO MANDAMENTO, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Veja que quem escreveu esse versiculo citou apenas as leis morais e curiosamente omitiu a guarda do sabado que tb faz parte dos 10 mandamentos, mas logo em seguida diz que SE EXISTE ALGUM OUTRO MANDAMENTO tudo numa palavra se resumia…

“Amaras o teu proximo como a ti mesmo”

Acho que clareza maior impossivel irmãos.

Um grande abraço.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Bispo.

Não vou ficar discutindo sobre a questão do dízimo.
Creio que mesmo que se dê 10, 20, 90% de nossa renda, nossa fideliade a Deus e reconhecimento que Dele é toda a prata e todo o ouro serão recompensadas por Esse Deus maravilhoso, que abrirá as portas dos céus e derramará chuvas de bênçãos sobre nós.

Comentar por Fabricio Lovato

Quanto ao Sábado:

O instinto de dedicar um dia da semana para adoração e descanso está incutido nas fibras de todos os povos e nações.
O ritmo divino de uma vida saudável consiste um 6 dias de trabalho e 1 de descanso.

De fato Jesus disse que toda Lei e os Profetas se resumem em amar a Deus e amar ao próximo.

Não ter outros deuses, não adorar imagens, não tomar o nome de Deus em vão e guardar o Sábado é amar a Deus.
Honrar pai e mãe, não matar, não furtar, não adulterar, não levantar falso testemunho e não cobiçar é demonstrar amor ao próximo.
Isso é o que Jesus quis dizer nessa passagem.

Mais uma vez, o próprio Jesus disse que não veio abolir a Lei.
Ir à sinagoga aos Sábados era Seu costume, bem como prestar assistência social, fazendo o bem e pregando a Palavra.Esse é o sentido verdadeiro de se guardar o Sábado.
Jesus apenas censurou as tradições rabínicas que tornavam a guarda do Sábado um fardo.
Sua morte nos livros das leis cerimoniais, e o Sábado não se inclui nestas.
Foi feito na Criação, para o Homem.
O 7º Dia foi o dia semanal de descanso e adoração da Igreja do Novo Testamento, e o continuará sendo.

Comentar por Fabricio Lovato

Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras,
Então te deleitarás no SENHOR, e te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do SENHOR o disse.

Isaías 58:13 e 14

Comentar por Fabricio Lovato

Bom quanto ao dizimo irmão ficarei com o ensinamento divinamente inspirado de Paulo, darei segundo propos o meu coração e não deixarei o pastor impor porcentagens, e tb não deixarei ele usar de um preceito que ja foi abolido para me impor o quanto devo doar.

Quanto ao sabado procurarei respeitar tua opinião, mas ficarei com a clareza das escrituras.

A essencia da religião é essa:

“Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.”

Não vejo nenhuma enfase dada a guarda do sabado no novo testamento.

“De fato Jesus disse que toda Lei e os Profetas se resumem em amar a Deus e amar ao próximo.”
Não ter outros deuses, não adorar imagens, não tomar o nome de Deus em vão e guardar o Sábado é amar a Deus.
Honrar pai e mãe, não matar, não furtar, não adulterar, não levantar falso testemunho e não cobiçar é demonstrar amor ao próximo.”

“Isso é o que Jesus quis dizer nessa passagem.”

Não, ele não citou mandamento por mandamento, apenas disse que TODA LEI, se resumia em um mandamento, ora se ele citou TODA LEI isso inclui O SABADO.

É claro que a lei não foi abolida, mas foi dada o sentido verdadeiro da lei:

“Amar o proximo como a ti mesmo”

“Levai as cargas um dos outros e cumprireis a lei de Cristo”

“De sorte que o cumprimento da lei é o amor”

A clareza desse versiculo dispensa comentarios…

“Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, E, SE HÁ QUALQUER OUTRO MANDAMENTO, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Pq ele não prosseguiu e disse “não mataras, não furtaras, E GUARDARAS O SABADO” antes descatou que “SE HA QUALQUER OUTRO MANDAMENTO” em apenas 1 tudo se resumia?

Pq certamente guardar o sabado diante do maior mandamento é um detalhe sem importancia.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Bispo.

Obrigado pela resposta.
Estarei sem tempo agora de responder-te, e creio que só estaei de volta aqui na segunda.
Peço-lhe desculpas.

Fique na paz de Cristo.

Comentar por Fabricio Lovato

*estarei

Comentar por Fabricio Lovato

“Pois não quero, irmãos, que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar; e, na nuvem e no mar, todos foram batizados em Moisés,e todos comeram do mesmo alimento espiritual; e beberam todos da mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os acompanhava; e a pedra era Cristo.” I Cor 10:4

Antes de estarem relacionadas com um povo específico, as várias leis e orientações dadas a Israel estão relacionadas com Cristo, e isso faz diferença quando examinamos o assunto do sábado. Era natural que a Israel, o povo escolhido, fossem comunicadas não apenas as leis cerimoniais que apontavam para o futuro, mas também os Dez Mandamentos, o código moral, distinto, como já demonstrado, proferido por Deus e escrito com seu próprio dedo, que revela a sua vontade. Deveria o Senhor privar seu povo escolhido do conhecimento da sua vontade?

Quando Jesus aparece como mestre em seu ministério, ele o faz obviamente não para anular a vontade de Deus (“Todo aquele que faz a vontade do meu Pai, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”. Mat. 12:50), mas para corrigir as falsas concepções sobre a vontade do Pai.

Há vários exemplos disso no evangelho. Sugiro a leitura do capítulo 7 de Marcos, onde Jesus toma como exemplo o quinto mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe…”

“Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradiçäo dos homens…”
“Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradiçäo.”
“Invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradiçäo, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas.”

Será que o mandamento de honrar aos pais era moral, e também o de não furtar, mas o de honrar a Deus, o autor da família, obedecendo sua vontade quanto ao dia de descanso sabático, não o era? Teria o quarto mandamento, aos olhos de seu Criador, menos relevância moral que o quinto mandamento ou que qualquer outro?

Embora eu tenha razões para não tomar, em geral, as palavras de Calvino a respeito do sábado como regra ou revelação, sua observação aqui é pertinente:

“Porque Deus jamais exigiu mais rigorosa obediência a algum preceito que a que exige a este. Quando ele quer mostrar, por seus profetas, que toda a religião foi destruída, ele se queixa de que seu sábado foi profanado e violado, ou que não foi bem observado e não santificado. Como se, ao negligenciarem este ponto, nada mais restasse em que ele recebesse honra.”

Comentar por Darjo

A ênfase, como se vê nos evangelhos, não é se descanso no sétimo dia era um requerimento divino. Isto é ponto pacífico mesmo quando o que nos é revelado é escrito dezenas de anos depois da ressurreição.

“E, no Sábado, descansaram, segundo o mandamento.” Lucas 23:54-56.

O sábado e nenhum mandamento da lei de Deus fora abolido (o amor, como resumo, o princípio sobre o qual deve ser estabelecida nossa relação com Deus e com nossos semelhantes, não pode diminuir ou invalidar os claros requisitos de Deus, e essa conclusão não apenas é escriturística como resulta também de lógica).

O ponto de tensão é causado pela descaracterização do sábado e da lei de Deus, tendo muitas vezes
como alvo, por incrível que pareça, a desobediência e a invalidação de sua palavra, como disse Jesus: “E muitas coisas fazeis semelhantes a estas.”

Não seria necessário dizer que muito material hoje pode ser encontrado para quem deseje se aprofundar no assunto, sempre tendo a palavra de Deus como árbitro.

Neste aqui, uma lista com artigos de interesse e outra com diversas declarações do ponto de vista das várias denominações:

http://www.biblesabbath.org/descrmat.html

http://www.biblesabbath.org/confessions.html

Lembro que escrevo este comentário, um pouco “off-topic”, para, motivado pela afirmação de o sábado seria anti-bíblico ou anti-cristão, e mesmo respeitando a compreensão de outros irmãos, expor as razões porque, também como cristão, não o posso ver nem de uma forma nem de outra: O sábado é bíblico e é cristão. Meu testemunho pessoal é de que ele é, de fato, uma bênção de Deus na vida dos que, redimidos por Cristo, alcançam a sua compreensão.

“E será que, de uma Festa da Lua Nova à outra e de um sábado a outro, virá toda carne a adorar perante mim, diz o Senhor.” Isaías 66.22-23

“Abriu-se no Céu o templo de Deus e a arca do Seu concerto foi vista no Seu templo.” (Apocalipse 11:19)

Paz, meus irmãos. Que Deus abençoe a todos aqui.

Comentar por Darjo

Sem problemas Fabricio.

Darjo…

Como o irmão interpreta a clareza desse versiculo?

“Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, E, SE HÁ QUALQUER OUTRO MANDAMENTO, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Esse versiculo esta claro como o dia, se ha qualquer outro mandamento tudo nesse se resume.

“Amar o proximo como a ti mesmo”

Irmão esse versiculo encerra toda a discussão, diante de tamanha clareza não ha mais o que debater.

Um grande abraço.

Comentar por Bispo Valdomiro Santiago

Bispo.

A vontade de Deus quanto ao homem é sempre a mesma, e esta está expressa nos Dez Mandamentos.
Estes, definem o pecado, medem a conduta do cristão e são a base de seu julgamento.
Essa Lei nunca foi abolida. A Graça engrandece a Lei. Debaixo da Graça temos nova relação com a Lei. Ela é escrita em nosso coração e a OBEDECEMOS EM AMOR E GRATIDÃO A DEUS PELA NOSSA SALVAÇÃO.

O Sábado é um dia especial de Deus para o homem.
Se nunca tentou, faça a experiência de guardá-lo um dia, para ver o que Deus tem a fazer em sua vida.
Se tiver filhos, estude a Bíblia com eles.
Saia com a sua família para algum lugar onde possam estar em contato com a natureza.
Meditem no amor de Deus por nós, orem e cantem juntos.
Façam uma visita alguém que precisa ouvir uma palavra de consolo.
Esse é o verdadeiro sentido do Sábado.
Sinta as bênçãos fluindo de Deus para você.

Fique na paz de Cristo.

Abraço.

Comentar por Fabricio Lovato




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: