No princípio criou Deus os céus e a Terra


Essa coisa difícil da moral
Março 10, 2009, 7:09 pm
Filed under: Respostas a Ateus

O Pedro Romano escreveu Essa coisa difícil da moral no seu blogue O Número Primo. Pessoalmente, acho que foi um título feliz, mas não pelas razões que o Pedro Romano apresenta. Realmente, para o ateu, essa coisa dos valores morais é difícil de se fundamentar, uma vez que o ateu evolucionista acredita que nada mais é do que um animal evoluído, cujo cérebro chegou até ao presente estado através de milhares de erros genéticos aleatórios. Quando tudo o que o ateu tem a seu favor são moléculas a reagir no seu cérebro, torna-se difícil substanciar por que é que certas atitudes são e devem ser consideradas más ou impróprias.

O Pedro Romano avança com o argumento de que “O […] Antigo Testamento também tem […] coisas absurdas” (citação dentro do contexto).E dá exemplos: “Por exemplo, admite-se o massacre de povos vizinhos (se estiverem na Terra Prometido, que isto de amor ao próximo é uma exigência relativa), aconselha-se o apedrejamento dos adúlteros […]”.

O Pedro Romano falha em explicar por que razão é que o massacre de povos vizinhos deve ser considerado um absurdo, segundo a sua visão ateísta do mundo. Consideremos o cérebro do Pedro Romano e o cérebro de Mao Tsé-Tung. Ambos estiveram sujeitos ao mesmo processo evolutivo. No entanto, Mao Tsé-Tung  não partilha da mesma ideia que o Pedro Romano. O ditador chinês não achava que era errado massacrar povos vizinhos… tanto que mandou mais de 30 milhões de pessoas para o cemitério mais próximo.

O Pedro Romano também falha em explicar por que é que o apedrejamento de adúlteros (previamente avisados de que tal acto resultaria no apedrejamento, note-se) deve ser considerado um absurdo ou uma coisa má. Podemos substituir “adúlteros” por outra categoria qualquer. Motivado pela sua crença na prevalência dos mais fortes, herdada de Darwin, Hitler eliminou mais de 5 milhões de pessoas apenas por achar que não se enquadravam no ideal estabelecido por ele.

Qual a diferença entre o evolucionista Pedro Romano e os evolucionistas Mao Tsé-Tung e Hitler? A diferença é que os dois últimos agiram de acordo com as suas crenças. Se Deus não existe (ou se existe mas é irrelevante para nós), então ninguém está a tomar conta do planeta, logo, cada um decide aquilo que é mau ou bom, enquanto indivíduo ou enquanto sociedade. Já o evolucionista Pedro Romano não age de acordo com a sua cosmovisão. Pessoalmente, fico feliz por fazê-lo. Acho que o favorece, enquanto pessoa.

Quando o ateu Pedro Romano me explicar por que é que a opinião dele, relativamente a esta coisa de massacrar povos vizinhos, é mais correcta do que a opinião que o ateu Mao Tsé-Tung tinha em relação ao mesmo assunto, então aí darei alguma credibilidade ao seu texto. Até lá, continuarei a dar razão ao Pedro Romano numa coisa: “Essa coisa difícil da moral“…

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: