No princípio criou Deus os céus e a Terra


A teoria da evolução dos talheres
Fevereiro 3, 2009, 1:52 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang, Humor

Um dia destes estava a jogar futebol num campo de terra batida e sofri uma falta. Caí ao chão. A queda fez com que alguns fragmentos de garfos ficassem visíveis. De repente, passou-me uma ideia pela cabeça: “E se os talheres evoluíram através de pequenas mudanças e não foram criados por uma entidade superior?”. Sabia que era uma ideia revolucionária, mas decidi dedicar-me a ela.

Após recolher os vários fragmentos, reconstruí o garfo:

garfo41

Nos dias após este episódio, consegui encontrar, também, fragmentos de colheres e facas. As homologias não deixavam margem para dúvidas… facas, garfos e colheres estão todos ligados numa espécie de “árvore da vida”! Vejam a imagem… não há dúvida que as facas deram origens às colheres que, por sua vez, deram origens aos garfos:

garfo3

Para a minha teoria não deixar margem para dúvidas só me faltava encontrar um fóssil transitório entre a colher e o garfo. Demorou, mas o trabalho no terreno deu o seu fruto. Encontrei os elos perdidos:

garfo33garfo30

Podemos ver, também, evolução em acção através dos vários casos de especiação:

garfo1

Todos os garfos menos aptos foram eliminados pela selecção natural e encontram-se actualmente extintos:

garfo6

Um dos problemas do mundo científico é que existem cientistas sem escrúpulos que apenas estão à procura de fama e dinheiro. Um deles enviou-me aquele que seria um fóssil transitório entre colheres e garfos. No entanto, após minuciosa inspecção, descobriu-se que o fóssil tinha sido forjado. A parte de cima pertence a um autêntico garfo e foi colado à parte de baixo de uma colher autêntica:

garfo5

Outra descoberta interessante e que causou muita agitação no meio científico foi o fóssil de um garfo com a inscrição de uma pessoa. Causou furor porque, como toda a gente sabe, os garfos viveram milhões de anos antes do ser humano e, como tal, o fóssil só pode ter sido forjado:

garfo2

Actualmente, existem várias raças de garfos. Como todas elas surgiram ainda está em discussão:

garfo7

RESPOSTA ÀS OBJECÇÕES LEVANTADAS

1) Por que é que não existem fósseis transitórios das facas e das colheres? Por que é que 70% do registo fóssil não mostra sinais de evolução?

R: Na História da evolução dos talheres ocorreram duas grandes explosões. A explosão facal, onde todas as facas surgem de forma abrupta no registo fóssil, e a explosão colheral, caracterizada pela aparência abrupta das colheres no registo fóssil. Não é, de todo, uma evidência contra a teoria da evolução dos talheres.

2) Como ou de onde surgiu a primeira faca, a primeira colher e o primeiro garfo?

R: Ainda não sabemos ao certo como isso aconteceu. Mas se eles estão cá, então é porque isso aconteceu. Sabemos que foi há biliões de anos. Estamos a trabalhar numas quantas teorias, mas ainda não existe uma totalmente aceite. Uma dessas teorias consiste na possibilidade de os talheres terem vindo de outro(s) planeta(s). Afinal de contas, se os talheres evoluíram no nosso planeta, nada impede que tenham evoluído noutros planetas também.

3) Por que é que existem espécies de facas, colheres e garfos datados de milhões de anos que estão hoje connosco e são iguais aos seus antepassados?

R: A teoria da evolução dos talheres não diz que todas as facas, todas as colheres e todos os garfos têm de evoluir. Se estiverem bem adaptados ao ambiente que os rodeia, não há necessidade de evoluir para outro organismo.

4) Se a teoria da evolução dos talheres é um facto, por que é que há pessoas que ainda dizem que eles foram criados por uma entidade inteligente?

R: Porque as pessoas são supersticiosas.

5) Qual a melhor resposta que se pode dar a alguém que critica a teoria da evolução dos talheres?

R: Quem diz isso é porque não percebe nada da teoria da evolução dos talheres.  São estúpidos, burros, ignorantes e também perversos (mas eu preferia não pensar isso). A melhor resposta é mandá-los estudar!
________________________________________________________________________

NOTA: Qualquer semelhança com aspectos da teoria da evolução darwiniana é pura coincidência! : D

Anúncios

130 comentários so far
Deixe um comentário

Lol, lindo Sabino!!! Já agora, aposto que também encontraste um híbrido entre uma faca e uma colher, ou entre diferentes tipos de facas não?! Ah, espera, os talheres não se reproduzem… é pena, dava mais credibilidade á tua hipótese!!!

Comentar por Beowulf

Ainda bem que não se reproduzem visto que seriam muito mais complexos e a minha teoria ficaria mais difícil de ser exequível. Até porque as mutações danificam o material genético.

Ainda não é certo como os talheres evoluíram mas há uma hipótese que está bem robusta. Verificámos que os talheres vão perdendo matéria à medida que o tempo passa. Dando o tempo necessário, essas perdas de partículas fazem um garfo ficar com a forma de colher e por aí adiante. Claro que para isso é necessário passarem milhões de anos.

Comentar por alogicadosabino

Sabino, não te zangues, olha a tensão.

“Até porque as mutações danificam o material genético.”

Sim, exactamente, é como aqueles tipos que têm uma mutação lá no genezito deles e fiacm imunes ao vírus HIV.

Comentar por Beowulf

E danificam material genético. A resistência ao HIV deve-se a uma mutação no gene CCR5, que consiste na eliminação de 32 pares de base. Está no caminho oposto que a evolução necessita. O que ela necessita são mutações que acrescentem informação que não existia anteriormente e não que eliminem.

E agora, refuta a minha teoria da evolução dos talheres.

Comentar por alogicadosabino

Eeepá,c’um catano!! O gajo até sabe o nome do gene e tudo! Xiçapá, que com essa é que me arrumaste!

“E agora, refuta a minha teoria da evolução dos talheres.”

Eu?!Refutar?! Ora essa! Não tenho a tua pedalada. Aliás, vou até nomear-te para o prémio Nobel. Acho que no teu caso é mais que merecido,e um escândalo que ainda não to tenham dado!!!

Comentar por Beowulf

Lol
Ele ainda não percebeu que há diversos tipos de mutações: delecções, inserções, translocações, inversões. E estas são só as mutações génicas, não estou a referir as cromossómicas. Como pode ele dizer tão categoricamente que uma mutação só pode ser delecção e terá, por isso, de ser prejudicial? O milho tem aproximadamente o mesmo numero de pares de bases do que nós e por a maior parte não ser transcrita o milho é deficiente? Ah… é verdade, esqueci-me que ele não deve perceber nada disto… Pois é… E agora como fazemos?
Já sei!! Pega nuns sites (fidedignos). Olha, um livro: O Alberts, por exemplo. Lê, aprende e depois escreve.
Qual é a área que mais dominas? Só para escrever um post para veres a tua figura. Só para veres o exemplo de como és visto por nós (cientistas dentro do assunto).

Comentar por Dário Cardina

Sabino,

Eu aqui estava a chegar à mesma conclusão. Só publicaste a teoria antes de mim. (LOL)

Comentar por Darjo

Beowulf, eu sei. Só os ignorantes é que tentam refutar a teoria da evolução dos talheres.
_________________________________________

Dario, bem vindo à tua casa : )

“Ele ainda não percebeu que há diversos tipos de mutações: delecções, inserções, translocações, inversões.”

Todas evolutivamente irrelevantes, já que limitam-se a actuar sobre material genético pré-existente, não criando informação nova que codifique novas estruturas.

“Como pode ele dizer tão categoricamente que uma mutação só pode ser delecção e terá, por isso, de ser prejudicial?”

Pode ser neutra também.

“O milho tem aproximadamente o mesmo numero de pares de bases do que nós”

Hum… se calhar é o nosso 2º primo mais próximo.

“Pega nuns sites (fidedignos)”

Quais são os sites fidedignos?

“Qual é a área que mais dominas? Só para escrever um post para veres a tua figura. Só para veres o exemplo de como és visto por nós (cientistas dentro do assunto).”

Pokemon, Dragonball ou Comme Restus.

Comentar por alogicadosabino

1 – “Todas evolutivamente irrelevantes, já que limitam-se a actuar sobre material genético pré-existente, não criando informação nova que codifique novas estruturas.”

O que sabes tu de genética? Quais são as mutações relevantes? Este é todo o tipo de mutação génica, não há mais. LOLADA!
A tradução vem da sequência dos pares de base, se houver uma destas mutações, por mais simples que seja, a informação final poderá ser completamente diferente.

2 – “Pode ser neutra também.”

Ou benéfica, não é?

3 – “Hum… se calhar é o nosso 2º primo mais próximo.”

Sim, já percebi, não tiveste resposta.

4 – “Pokemon, Dragonball ou Comme Restus.”

Eu logo vi que essa tua cabecinha não dava para muito…

Comentar por Dário Cardina

Ahahahahah

“Todos os garfos menos aptos foram eliminados pela selecção natural e encontram-se actualmente extintos”

Tás enganado!!! Garanto-te que tenho em casa, pelo menos, dois exemplares desses garfos menos adaptados. E um deles (espante-se!!) tem apenas um dente.

Comentar por Mukkinha

lol

Comentar por Mats

Dário,

“Quais são as mutações relevantes? Este é todo o tipo de mutação génica, não há mais. LOLADA!
A tradução vem da sequência dos pares de base, se houver uma destas mutações, por mais simples que seja, a informação final poderá ser completamente diferente.”

Não existem mutações relevantes para a crença de que as formas de vida se criaram a si próprias. Se isso existisse já deveriamos ser capazes de ver mudanças relevantes. Pelo menos naqueles organismos que se reproduzem rapidamente como as bactérias ou até mesmo as formigas. O que nós sabemos é que as bactérias fartam-se de “mutar” e nunca deixaram de ser bactérias.

A informação final poderá ser completamente diferente, é verdade. Mas nunca no sentido vertical, que é isso que a evolução necessita para criar pulmões, olhos e sistemas sanguíneos de algo que não tem pulmões, olhos e sistemas sanguíneos.

Comentar por alogicadosabino

Mukkinha,

“Tás enganado!!! Garanto-te que tenho em casa, pelo menos, dois exemplares desses garfos menos adaptados. E um deles (espante-se!!) tem apenas um dente.”

Hum… esses tão englobados naqueles garfos que têm milhões de anos mas ainda existem hoje também. Não é evidência contra a teoria da evolução dos talheres : D

Comentar por alogicadosabino

1 – Não era essa a questão. Uma mutação ocorre num organismo com metabólico, não em garfos nem em seres que não apresentem código que seja susceptível de erros.

2 – Vês mudanças relevantes, a longo prazo. As bactérias apresentam grandes mudanças em poucos dias mas não te esqueças que o tempo de geranção das bactérias , E. coli por exemplo, é de cerca de 20 minutos. Os animais maiores terão um tempo muito maior, logo as gerações passam muito mais devagar. Queres ver um peixe ganhar asas em 10 dias e com 2 gerações? LOL

3 – Sabes o que distingue espécies, géneros, ordens, classes, filos? Apenas nós diferenciamos os animais em categorias de forma a poder estuidá-los de uma forma melhor. Se queres ver um peixe ser um pássaro primeiro tem de ganhar asas (e é muito tempo como te expliquei atrás), penas, bico, etc. Isto levará muito mais tempo, óbvio. Em vez de esperares que algo aconteça olha para os fósseis e vê os milhões de anos a passar em minutos. Verás a diferença.

Comentar por Dário Cardina

Sabino.

Desculpe a intromissão amigo, mas creio que Pokemon e DBZ não são coisas instrutivas para cristãos.

No mais, muito bom o texto.
Só os supersticiosos mesmo para recusar tantas evidências científicas.

Comentar por Fabricio Lovato

Dário,

“As bactérias apresentam grandes mudanças em poucos dias mas não te esqueças que o tempo de geranção das bactérias , E. coli por exemplo, é de cerca de 20 minutos. Os animais maiores terão um tempo muito maior, logo as gerações passam muito mais devagar. Queres ver um peixe ganhar asas em 10 dias e com 2 gerações? LOL”

Mas é precisamente a isso que me refiro. As gerações de algumas bactérias são extremamente efémeras. Apesar disso e das mutações que sofrem, as batérias nunca deixaram de ser bactérias. Adaptação de seres vivos não enfraquece o criacionismo de modo nenhum. Já deveríamos ter visto trnasformações a sério.

Cheguei aqui a falar: Se a geração de uma bactéria é de 20 minutos e uma geração humana é de 20 anos, então elas deveriam estar a evoluir 525.000 vezes mais rápido do que nós. E se levou 3,2 milhões de anos para o Lucy, o alegado elo perdido, se tornar um homem moderno, deveríamos ver semelhantes avanços evolutivos nas bactérias num período de apenas 6 anos. Se considerarmos 40 anos para uma geração humana, as bactérias estão a evoluir 262.500 mais rapido que nos e deveriamos ver mudanças a sério num espaço de 12 anos.

Não admira que muitos cientistas estejam a ficar cepticos à teoria da evolução. Tudo o que conseguem oferecer é variação e adaptação dos organismos. Depois dão o salto de fé de lógica ao extrapolar essas variações para o surgimento de todos os organismos.

“Em vez de esperares que algo aconteça olha para os fósseis e vê os milhões de anos a passar em minutos. Verás a diferença.”

Mas o registo fóssil mostra o aparecimento repentino de praticamente todas as principais formas de vida. Como é que podes utilizar o registo fóssil como evidência de evolução? Por que é que só mostram transições nos vertebrados, que constituem 1% de todo or egisto fossil? Onde estão as transições nos invertebrados marinhos, insectos, algas,… ?

Comentar por alogicadosabino

Quem não acredita na evolução dos garfos e talheres é um ignorante, sugerir que garfos e colheres precisam de uma entidade inteligente pra os fazer é de uma ignorancia abissal, lamentavel que existam pessoas que acreditam em fadas e contos da carrochinha, segundo alguns fanaticos uma tal entidade criadora chamada tramontina teria feito esses garfos, o que é um absurdo ja que estamos na era do conhecimento a um clique na internet.

Lamentavel.

Comentar por Geneticista Charles Bacon

Qualquer semelhança com a teoria da evolução realmente É pura coincidência. Essa analogia espúria só pode ter uma de duas explicações: ou trata-se de uma paródia tosca, ou é um caso de burrice/ignorância. Espero que seja apenas uma paródia tosca.

Comentar por Alex Altorfer

Idiota.

Comentar por pH

Em tempo: Venho me desculpar pois posso ter sido mal interpretado no meu comentario anterior. Não disse que você, outor do post, é idiota. Simplesmente que a idéia de ridicularizar o pensamento evolucionista é idiota. Mas ha de se coompreender. Uma vez que não se pode ir muito alem para tentar provar logicamente o pensamento Criacionista, ja que ele não possuiu logica algua, tem que se apelar e jogar no descredito outras formas de se pensar para que a sua crença venha a ter alguma relevancia. Aqui ficam minhas desculpas.
Muita paz.

Comentar por pH

Alex Altorfer, obrigado pelo comentário submetido.

“Essa analogia espúria só pode ter uma de duas explicações: ou trata-se de uma paródia tosca, ou é um caso de burrice/ignorância. Espero que seja apenas uma paródia tosca.”

Burros e ignorantes são aqueles que criticam a teoria da evolução dos talheres, dadas as grandes evidências científicas que a suportam.
__________________________________________

pH, obrigado pelo comentário submetido.

Estás desculpado. Eu também desculpo os ignorantes que tentam refutar a teoria da evolução dos talheres.

Comentar por alogicadosabino

Simplório… 😮

Acaso… garfos se reproduzem?

Pois, refutei a hipótese da revolução dos talheres. A dos seres vivos continua intacta.

Crias…

Comentar por Ravick

Vai dizer que não foi engraçado…

Acha mesmo que o evolucionismo está intacto?

Comentar por arthgar

*Evoluução…

Comentar por Ravick

No outro dia olhei para uma lâmpada, era redonda e gastava muita energia. Hoje tenho lâmpadas alongadas e que gastam muito menos energia. Evoluíram! Mesmo sem reprodução e sem metabolismo. sem células… Mas deus pode fazer tudo não é?? E sim, se houve alguém que fez as lâmpadas, deus fez-nos a nós. Sim, é a lógica das regras de três para coisas que nada têm a ver.

Comentar por Dário Cardina

Ravick,

quem disse que a única maneira de algo evoluir é através da reprodução biológica?

Os talheres não evoluíram através da reprodução, mas através da perda de partículas ao longo de milhões de anos.

Vê-se mesmo que nunca estudaste nada do assunto. Vai mas é estudar antes de vires dizer barbaridades sobre a teoria da evolução dos talheres.

Comentar por alogicadosabino

Que tal publicar a teoria da evolução do bigode da mãe dos portugueses?

Imbecil ao extremo…hein Sabino juequim???

Comentar por Ze

Zé,

“Que tal publicar a teoria da evolução do bigode da mãe dos portugueses?”

Porque não tenho evidências para postular tal teoria. Já a teoria da evolução dos talheres tem evidências de sobra. Até os famosos fósseis de transição eu encontrei. Só um imbecil rejeita a teoria da evolução dos talheres.

Comentar por alogicadosabino

Não percebem… ele tá a tentar arranjar uma “teoria da evolução” noja para nós a rejeitarmos. Assim passamos a rejeitar a própria teoria da evolução. LOL o que ele não percebe é que há graaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaandes diferenças: células, reprodução, sistemas celulares, bioenergia, metabolismo, etc…
Se eu consegui fazer uma flor crescer isto quer dizer que é impossível ela ter aparecido ao acaso (como diz quem não percebe nada: “vindo do nada”). Que argumentos mais…. pfff.

Existem livro muito bons para ler e aprender. Com o tempo que gastaste já podias ter lido alguns e aprendido. Já te disse alguns livros e sites. Em 1 ano li uns 3 ou 4 livros desses.

Comentar por Dário Cardina

“o que ele não percebe é que há graaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaandes diferenças: células, reprodução, sistemas celulares, bioenergia, metabolismo, etc…”

Estou farto de te dizer que a evolução dos talheres não se deu como a evolução dos seres vivos. NÃO FOI ATRAVÉS DA REPRODUÇÃO, FOI ATRAVÉS DA PERDA DE MATERIAL COM O PASSAR DOS ANOS. Ehpa fogo… um gajo como eu tem de ler bué livros sobre a evolução dos talheres para depois vir praki um supersticioso dizer que os talheres não evoluiram bla bla bla e apontar falsos problemas à teoria.

Lê primeiro uns livros de talherologia e depois vem falar, Dário.

Comentar por alogicadosabino

enquanto leio estas coisas, estou morrendo de rir! hahahahah….

Cara, tu é muito engraçado(como se diz no Brasil)

Comentar por arthgar

Ou és cómico, ou não bates bem da cabeça, ou és mesmo um idiota. Vê-te ao espelho. Queres mostrar uma teoria evolucionista sem ponta por onde pegar. Obviamente não tens conhecimentos e isto é uma tentativa parva de nos fazeres criticar a nossa teoria como tu a vês. Se a vês assim sem lógica aprende em livros que existem na realidade.

Comentar por Dário Cardina

Típico… um tipo não tem argumentos para refutar a teoria da evolução dos talheres e começa a xingar. A verdade é que ninguém consegue refutar a teoria da evolução dos talheres ao longo de milhões e milhões de anos. Quero ver tu a negares os fosseis transitorios de colher para garfo.

Comentar por alogicadosabino

1.
os talheres não são linhagens vivas mas sim objectos feitos por seres humanos e com um fim específico. Evolução considera reprodução, passagem de informação e aleatoriedade na descendência. Os talheres não têm troca nem passagem de informação nem são seres vivos.

2.
Os talheres não têm milhões de anos.

3.
podes-te referir, sim, à evolução na forma de construção dos talheres. Tal evolução da construção e produção dos talheres é uma evidência indirecta da evolução dos seres humanos. Talheres mais sofisticados seres humanos mais sofisticados.

Comentar por Dário Cardina

Os talheres não têm milhões de anos.

Os humanos também não, LOL.

Comentar por H.

“Lê primeiro uns livros de talherologia e depois vem falar, Dário.”

LOL

Comentar por Darjo

Porra! Parece que estou a falar com putos de 6 anos… se calhar… Que raio de estupidez… Livros de talherelogia. Idiotas chapados, não sabem ter uma conversa decente. Não têm conversa e começam a parvejar.

Comentar por Dário Cardina

Ainda não me disseste o que achas em relação aos fosseis transitorios de colheres para garfos. Como é que se encontram talheres com caracteristicas tanto de colheres como de garfos, se uns não evoluiram para outros? Como explicas isso?

Comentar por alogicadosabino

Boa SABINO!!!

É a essência da IRONIA: depreciar ou engrandecer um FATO.

Agora, usando as mesmas ferramentas, tente ironizar o Criacionismo, TENTE IRONIZAR UMA PIADA. TENTE IRONIZAR A PIADA DO CRIACIONISMO.

Você é uma piada, Sabino (estou sendo redundante sim, pois nada que venha de português soa menos ou mais do que uma simples piada).

Comentar por XaparraL

Oh meu cromo Sabino, não te vou responder outravez. És ôco, já te disse uma série de coisas que podes usar como ferramenta. Não fazes porque não queres ter trabalho e andas sempre às voltas. Volta atrás e lê outra vez a minha resposta.

Comentar por Dário Cardina

Eu vi acima, mas não me respondeste a esta: “Como é que se encontram talheres com caracteristicas tanto de colheres como de garfos, se uns não evoluiram para outros? Como explicas isso?”

Comentar por alogicadosabino

Igno (mais uma vez), para haver evolução é necessário:
1- reprodução
2- mutações
3- deriva genética
4- selecção

Um garfo reproduz-se?? LOL Lunático
Um garfo tem mutações? LOL igno
deste modo como poderá haver selecção e deriva genética??

Comentar por Dário Cardina

E o Dário continua a mostrar a sua grande ignorância no que toca à teoria da evolução dos talheres. Apesar de lhe terem dito que a evolução dos talheres ocorreu devido à perda gradual e lenta de partículas, o Dário continua a refugiar-se na teoria da evolução de Darwin para, de alguma maneira, desconsiderar a teoria da evolução dos talheres.

O Dário continua sem responder ao por quê de encontrarmos homologias em todos os talheres, assim como talheres transitorios. Por que é que isto acontece, se eles não evoluiram a partir uns dos outros?

O que vale é que a ignorância tem cura e o Dário ainda vai a tempo de curar a sua, se dedicar algum tempo ao estudo da teoria da evolução dos talheres.

Comentar por alogicadosabino

Inteligente maneira de apresentar seu ponto de vista, retirado de estudos não dirigidos porém sedimentados, evitando ter de dar conta da pergunta besta e inevitável: “qual é a fonte?, gerando a vontade de responder com uma ma-criação: “aprendi com tua mãe, estudando o amor”.

Comentar por Adhemar Dantas

da procima diminui ai.

Comentar por ga-ga

Diz-me oh ignorante. Como se evolui um objecto sem reprodução e que informação pode reproduzir.
Metes vergonha

Comentar por Dário Cardina

Olá, Sabino,

Muito bom os seus lógicos argumentos. Os supersticiosos são os que ficam acreditando em entidades que supostamente teriam criado esses elementos. E creio (queria evitar de usar essa palavra) que a ciência descobrirá novas evidências nos próximos duzentos anos, corraborando com a sua descoberta. Por curiosidade, saliento que os talheres se beneficiam, por sorte, da proteção do planeta Júpiter, o maior de nosso sistema solar, com tamanho que lhe dá uma gravidade que acaba atraindo para si cometas e asteróides que poderiam destruir o planeta dos talheres. Caso contrário, não poderíamos estar discutindo a valiosa contribuição científica de V.Sa. sobre essa inquestionável evolução.

Comentar por Jairo Barañano

Jairo, concordo com você: daqui uns 150 anos, a talheroquímica e a talherologia molecular só virão a corroborar o fato da evolução dos talheres.

Comentar por Fabricio Lovato

Duas respostas:
* Re: Lógica do Sabino > A teoria da evolução dos talheres > analogia
(num comentário refuto a teoria da evolução dos talheres, que não foi respondido por Sabino para colocar “Nas Respostas Às Objecções” – nem espero que seja)
* Re: Lógica do Sabino > A teoria da evolução dos talheres > design e evolução
(sei que é grande)

Comentar por Pedro Amaral Couto

Encontrei mais um fóssil transicional. Este, todos julgavam estarem extintos. Ao que parece, é um ancestral comum entre as colheres e os garfos.

Quem fala mal da teoria da evolução dos talheres, só pode ser um péssimo conhecedor. Estudem sobre a evolução dos talheres antes de falarem estas bobagens!

A teoria da evolução das talheres é um fato! Não há como negar.

Comentar por MVR

Ah…
Este fóssil que mostrei acima foi talherificamente datado em 250 milhões de anos. Usamos a idade do material presente, o que mostra a imensa idade.

Talvez as colheres não tenham evoluído para garfos, mas que tanto colheres como garfos tenham evoluído deste ancestral comum…

Talvez os fósseis transicionais entre garfos e colheres seja apenas mais uma espécie entre tantas outras espécies de talheres. Lembra-te que em milhões e milhões de anos, muito material pode se perder durante milhões de anos.

Comentar por MVR

Sabino, acho que descobri algo que vai revolucionar toda a teoria da evolução dos talheres.

Com meus estudos em talherologia evolutiva, pude perceber que os ancestrais comuns dos talheres podem ter INCORPORADO material, ao invés de somente perdê-lo! Veja este fóssil de mais de 300 milhões de anos:

Isto explica porque alguns garfos ficaram maiores. Mais um fato científico suportando a evolução dos talheres.

Há também algo que aponta para um GANHO de material ao longo dos milhões de anos. Vê estas talheres antigas, datadas em 135~140 milhões de anos:

Fica claro que incorporaram este material à sua volta, a pressão do meio as fez incorporar material ao invés de perdê-lo. Mais uma jóia da evolução dos talheres.

Comentar por MVR

MVR, por curiosidade, como é que a colher foi datada?

Comentar por Pedro Amaral Couto

Sabino: «Apesar de lhe terem dito que a evolução dos talheres ocorreu devido à perda gradual e lenta de partículas» …
Já tinha colocado há uma semana um comentário no meu blog como resposta, mas não encontrei ainda um comentário seu. Coloco as respostas a isso:
«3) Não apresentaste um mecanismo que dê preferência e mantenha uma forma na perda de partículas. Isso não refuta a ideia de talheres a evoluirem, mas revela que a tua explicação é insuficiente. Deve ser a tal ponto que possamos criar um modelo matemático que possa ser simulado num computador, se for um processo natural.»
«4) Se a explicação ad hoc [corrigi aqui um erro ortográfico] é através da perda de partículas, a faca a anteceder a colher refuta-o, pois tem menos massa. O spork surgiu depois do garfo e da colher, o que também refuta pela mesma razão.»

Sou um programador informático e já implementei um algoritmo evolutivo como experiência. Talvez possas apresentar o algoritmo usado para a evolução a partir de algum mecanismo observado, pois terei o prazer de implementá-lo e observar o que acontece. Evidentemente que não estás a omitir dados e meramente a inventar, por isso deve resultar. Como escrevi no outro comentário: “Espero receber uma resposta”.

Comentar por Pedro Amaral Couto

“MVR, por curiosidade, como é que a colher foi datada?”

Comparei o material presente nos fósseis com o material da própria Terra. Se a terra possui milhões de anos, logicamente o material ali presente, por conter os mesmos níveis radioativos, tem exatamente a mesma idade.

O material foi encontrado numa mina de ferro, datada com esta idade. O resultado não deixa margem de erro.

Sabino, vê lá se é possível que se incorpore material. Encontrei alguns fósseis revestidos por uma camada que não aparenta sofrer perda de material, mas que indica a incorporação do mesmo. A começar pela própria camada.

Mais uma evidência da evolução dos talheres…

Comentar por MVR

Dário, recomendo que vá estudar mais sobre a evolução dos talheres, antes de questionar os fatos científicos.

Você ignora os conceitos mais simples, tens de estudar mais. A teoria da evolução dos talheres é um fato e quem tenta refutar deveria ao menos saber do que está falando.

Comentar por MVR

MVC,
encontraste mesmo assim? Bem, isso é extraordinário.
A minha irmã Isabel está a estudar Física na Universidade Nova de Lisboa e tem acesso aos laboratórios. Evidentemente que tiraste fotos do local, recolheste e catalogaste o material, escreveste um relatório e que usaste um laboratório para analisares. Podes enviar-me uma cópia das fotos e dos relatórios e os materiais que recolheste, para serem analisados na faculdade da minha irmã?
Obrigado

Comentar por Pedro Amaral Couto

Enganei-me – em vez de MVC, deveria ser MVR, no último comentário. Desculpe-me.
MVR, gostaria de comentar o último comentário aqui e este artigo. Estou muito desapontado com o Sabino, que não responde há semanas, por isso, como parece entenderes de evolução de talheres, podes dar uma ajuda.
Cumprimentos

Comentar por Pedro Amaral Couto

Pois é Pedro. Estou-te a dever um post. Desculpa-me… esta vida de investigador da evolução colherana ocupa-nos muito tempo.

Comentar por alogicadosabino

Pois é, Marcos Sabino, a investigação da criação dos talheres também ocupa-nos muito tempo sentados na cadeira. A Universidade Nova de Lisboa já analisou a colher do MVR. Os dados confirmam o que ele disse. Mas contradizem a Palavra da Cenoura, por isso vou usar os meus óculos bílicos para magicar uma solução [1, 2]. Tenho na minha manga uma analogia que envolve torneiras – inspirei-me nesse irmão. Infelizmente existem evolucionistas dos talheres a atacarem-no, como este. O dilúvio enterrou os talheres em camadas, de modo os talheres mais inteligentes ficarem nas camadas superiores, porque fugiam melhor. O decaimento radioactivo é maior nas camadas inferiores. Isso é óbvio. Como é que explicas que existem vários mitos que envolvem talheres? Hahaha, xequemate, evolucionistas dos talheres! [3]

Comentar por Pedro Amaral Couto

É apenas mais uma fraude de alguns cientistas sem escrúpulos, que forjam fósseis. E mais uma vez tu mostra que não conhece a evolução dos talheres. Se estudasses mais saberia que, quando o meteoro caiu na terra, há 65 milhões de anos atrás, houve uma bagunça que pode ter desorganizado algumas sedimentações. Não é evidência contrária à evolução dos talheres.

Por falar em fraude, hoje recebi de um pseudo-cientista um fóssil fraudulento, que afirma que as colheres poderiam ter evoluído para uma outra espécie, nomeadamente a “Colheris tortuosus”, uma espécie que se assemelha às colheres, mas possui uma espécie de “dobradura”. Mas já fizemos a análise e descobrimos que não passava de um fóssil encontrado separado e montado por leigos.

Fica aí mais uma fraude de pessoas mentirosas e enganadoras.

O falso fóssil:
http://img.mercadolivre.com.br/jm/img?s=MLB&f=61206693_2778.jpg&v=P

Comentar por MVR

MVR, a colher que descobriste é uma fraude?
Eu não disse nada sobre a evolução dos talheres. Só disse que contradiz a Palavra da Cenoura por isso sabemos que é falsa. As evidências apoiam o dilúvio que ordenou os talheres nas suas camadas por densidade teológica.
Mas obrigado – mais uma fraude que mostra que a evolução dos talheres é falsa. A Facaris arqueoptero literometalis também é uma fraude, apesar de gente como Sabino e Posso Presunto dizer que não é. Libertem o Nãoposso Ovinho!

Comentar por Pedro Amaral Couto

Facas com um garfo numa extremidade?
Garfos com colheres?
Colheres, facas e garfos todos juntos?
Só quando as colheres ganharem dentes.
nonsense

Comentar por Pedro Amaral Couto

/\ Estuda sobre o evolucionismo dos talheres antes destas coisas infundadas. Estuda sobre a explosão facal e a explosão colheral, e aí vais ver como não há qualquer problema em associá-las à evolução dos talheres.

Comentar por MVR

MVR,
podia-nos indicar os cálculos e as previsões confirmadas que levaram a essa conclusão? Apesar dos meus estudos académicos de Física no liceu e universidade não serem como os da minha irmã, podem permitir que compreenda um pouco as premissas para a sua conclusão. Cumprimentos.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Tens muito o que aprender com a datação…

O ferro encontrado no meu fóssil comprova cientificamente que ele não é falso. O ferro é idêntico ao ferro encontrado numa mina. Logo, não há outra explicação, sabemos que o ferro está aqui à muitos milhões de anos…

E como é que queres explicar e estudar os talheres evolutivamente se não sabes nada sobre eles? Toca estudar sobre a evolução dos talheres.

A explosão facal é uma teoria que é fato, e ninguém pode negá-la, a menos que acredite que talheres são fruto de design e inteligência – mesmo sem qualquer evidência.

Sei que deves se preocupar por causa do último fóssil que acreditavam ser o elo entre a colher e o garfo modernos, a Colher de Piltdpown, infelizmente, o erro durou bastante tempo, mas pudemos desmascarar esta fraude finalmente.

Ele juntou partes de garfo e colher, apenas para validar o fóssil. Ainda não se sabe o que levou a ser tão desonesto… Uma vez que a teoria da evolução dos talheres é um fato, e, portanto, irrefutável, não há porquê inventar este tipo de coisa para suportar a teoria que já é fato.

Desse jeito, as pessoas irão pensar que a teoria da evolução dos talheres é apenas uma teoria. E não é verdade, é um fato mais do que comprovado.

O movimento do Design Colherista Inteligente já naufragou, no momento em que disse que colheres apresentam design.

No momento, a pesquisa tem sido feita através de uma suposta relação entre garfos e facas que não evoluíram (Nem todos precisam evoluir, as facas bem adaptadas não tiveram necessidade), na qual o garfo e a faca viviam em pares (1 faca e 1 garfo), ao que os fósseis encontrados quase sempre encontram garfos e facas bem próximos, em pares.

Não se sabe porque as colheres não têm esta relação, uma vez que supomos que estas deram origens aos garfos, inclusive com fósseis transicionais.

Ainda bem que eu e o Sabino e os outros pesquisadores estamos estudando e sempre aprendendo cada vez mais, desvendando os mistérios acerca desse fato (Somente possui algumas lacunas), não fazemos como estes supersticiosos que apenas dizem “Talheres foram feitos através de inteligência e design”, pois isto é muito mais fácil.

E é bom que estudes, quem sabe não deixa dessa idéia colheriacionista de que talheres foram criados, e passa a usar a razão e as evidências que existem…

Comentar por MVR

MVR, não respondes ao que peço. Eu pedi “cálculos e as previsões confirmadas que levaram a essa conclusão”.
Um simples teste: considera os dois pontos A = (2, 5, 1, 4) e B = (7, 3, 4, 6) num espaço de quatro dimensões. Indique a distância entre os dois pontos. Já agora, explique-nos como chegas ao resultado.
Cumprimentos

Comentar por Pedro Amaral Couto

O cálculo eu já te disse… O ferro encontrado nos fósseis é extremamente parecido com o ferro de uma mina aqui no Brasil. Por ser tão parecido, a idade é admitida estar perto desta faixa.

E previsões não existem na teoria da evolução dos talheres. Previsões são manias de quem não tem respaldo para provar as próprias teorias. Quem vive de fazer previsão é videntes.

Aqui na evolução dos talheres, usamos somente as provas que temos para levar a verdade a todos: A evolução dos talheres.

Comentar por MVR

MVR, não me mostraste as contas. Eu pedi que calculasses o cálculo daqueles dois pontos com quatro dimensões como um teste. Se calhar com as colheres, é só somar 2, 5, 1, 4, 7, 3, 4 e 6 e dividir por 8. Já agora, eu sei de onde vem o E = mc^2. Einstein não tirou a fórmulo do rabo, como fazes com as colheres. Mostra lá que consegues fazer aquela conta. No momento em que eu disser como se faz, mostrei que não podes simplesmente inventar.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Primeiro diploma-te em talherologia, depois vem fazer teste com os pesquisadores da evolução dos talheres.

E deixa de ser supersticioso. As talheres são encontradas naturalmente no ambiente…

Comentar por MVR

MVR,
tens razão, tive de estudar Matemática para conseguir calcular a distância entre dois pontos e posso explicar facilmente a alguém de modo a perceber, experimentar e verificar que resulta. O cálculo de dimensões para a além de três fere o senso-comum – porque temos a percepção de apenas três -, mas é matematicamente verdadeiro.

Portanto, usa lá o teu diploma de talherologia para calcular a distância entre os dois pontos A = (2, 5, 1, 4) e B = (7, 3, 4, 6). Se não o conseguires, apresento a resposta, mas obviamente que isso mostra que és um ignorante em Matemática. E se és um ignorante em Matemática, inventaste a ideia de que fizeste quaisquer cálculos. E mostras como a analogia do Sabino, que aplicas, é falaciosa. Daí vou ter o enorme prazer de copiar os teus comentários para servir de exemplo para outros da visão que os criacionistas têm da Ciência. Dou mais uma oportunidade. Lê a questão de Matemática que coloquei, explica como resolves, mostra os passos e apresenta um valor.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Se queres saber, também conheço o estudo de cálculo 2 e sei calcular a distância destes pontos sem dificuldade.

Mas isto nada tem a ver com a evolução dos talheres. Teu estudo de matemática não é nada frente aos fósseis, pois a evolução dos talheres já é um fato comprovado.

Não é tua matemática que mede a distância entre alhuns pontos inventados, que pode desmentir todos os fósseis que comprovam cientificamente a evolução dos talheres.

E estuda mais, antes de falar bobagens acerca da evolução dos talheres.

Comentar por MVR

Ao que tudo indica, O Pedro Amaral é um criacionista, pois acredita cegamente que os talheres foram feitos por alguém.

Felizmente:

1- Talheres não têm qualquer evidência de terem sido projetados.

2- Talheres não possuem um propósito na natureza. Eles apenas existem. Utilizamo-os apenas por coincidência.

3- Há um extensivo registro fóssil. Mesmo que alguns fósseis tenham sido fraudes, como a Colher de Piltdown, não invalida todo o resto.

4- Anime-se, pois a evolução dos talheres não nega que possivelmente haja um criador, que os criou há milhões de anos atrás, e depois apenas evoluíram. Este é o movimento do Talherodesign Inteligente, que, por sinal, não tem nenhuma evidência, é apenas fé disfarçada.

5- Já foi comprovado cientificamente que talheres perdem material ao longo do tempo. Há apenas uma dúvida se podem efetivamente incorporar material, mas isto é apenas uma questão, e nunca será uma evidência contrária á evolução dos talheres.

6- Estuda mais sobre a evolução dos talheres, e pára de colocar as tuas crenças ilógicas e sem evidência por cima dos estudos da ciência!

Comentar por MVR

«também conheço o estudo de cálculo 2 e sei calcular a distância destes pontos sem dificuldade»
Mentiroso. Não me apresentaste o resultado nem justificaste os cálculos, logo assumo que não sabes. Irei colocar a resposta no meu blog. Quando lá estiver, considera-se que não sabes.

Obviamente que tem a ver. Se houve uma explosão colherar, é possível medir a distância da Terra até à próximo talher. Por isso mostra que sabes fazer o cálculo.

Mais: se nenhum defensor da teoria dos talheres a este artigo e este contr-argumento, consideramos provado que a teoria é falsa.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Era só o que faltava… Questionar a ciência sem qualquer evidência.

Não sou um garoto para ficar a me trocar contigo.

Estuda mais sobre a evolução dos talheres. O nome da segunda explosão é a Explosão Colheral, e não “Colherar”. Como queres criticar um fato científico que possui tantas evidências irrefutáveis que o suportem?

E sem estudar ainda por cima…

Comentar por MVR

MVR,
tens razão, uma gralha numa letra destrói um argumento. Mas não responder directamente a uma questão é muito pior. Vou copiar os teus comentários para um artigo sobre a visãos dos criacionistas (não quero saber se dizes se são talheristas ou colheristas) em relação à Ciência e como argumentam. Primeiro com um artigo sobre Matemática e Física. Sem a tua resposta, só podemos concluir que não sabes como calcular aquela distância. Então vou imaginar que fazes uma sátira à Matemática, onde só dizes que é preciso estudar mais e só inventas. Depois apresento a resposta, explicando. Depois mostro que através de fórmulas de Einstein, preveu-se que o Universo está em expansão, ao invés de estar estático. Se quiseres continua, porque consegui o que queria de ti. Os teus comentários também serão usados num e-Book.
Lamento se não voltar a responder, excepto para colocar o link do artigo.
Obrigado.

Comentar por Pedro Amaral Couto

PS: não sou um garoto para estar entretido com um ignorante de Matemática. Estude mais, que as tuas respostas não dão nota 10 no teste de Matemática.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Pedro, vais estudar a Talherologia evolutiva, já te disse… Pára com estas suposições infundadas de que os talheres têm origem inteligente… Não há evidências disto, muito pelo contrário, os fósseis evidenciam a evolução dos talheres.

De que forma poderiam ter tantas semelhanças? Até parece que têm um designer, e que este designer decidiu que fazê-los do jeito que são, e parecidos, era melhor para o propósito que eles têm.

Talheres não têm propósito algum. Surgiram naturalmente. Respeite os talheres.

Comentar por MVR

“Vou copiar os teus comentários para um artigo sobre a visãos dos criacionistas (não quero saber se dizes se são talheristas ou colheristas) em relação à Ciência e como argumentam.”

“Se quiseres continua, porque consegui o que queria de ti. Os teus comentários também serão usados num e-Book.”

“tácticas intimidatórias (como “vou pôr o que tu disseste na comunidade das pérolas cristãs“). ”

Intelectualmente realizado, nada nada 🙂

Comentar por MVR

MVR,
por vezes uso citações imbecis em artigos como introdução para contrastar com o conteúdo do artigo e saberem que existe gente assim como tu, para que se aprendam alguma coisa, tal como uso textos dos defensores da Terra Plana (The Flat Earth Society) e casos, como o Mestre de Kiai, que acha que tem poderes como o San Goku.Se achas que a divulgação desses casos para que muitos outros tomam conhecimento deles e reflictam sobre as suas crenças são tácticas intimidatórias – obrigado pelo elogio.

Escrevi um artigo a explicar com pormenor como calcular a distância entre quaisquer pontos com quaiquer dimensões: http://crerparaver.blogspot.com/2009/05/matematica-e-o-acumulo-de-conhecimento.html . Se quiseres podes dar também uma vista de olhos sobre o senso-comum e a Matemática, uma explicação de Física elementar. para além de ainda não ter resposta a isto à resposta que dei a este artigo.

Cumps

Comentar por Pedro Amaral Couto

Este artigo fez me rir.

Apenas esqueceste que garfos não possuem vida. Logo não se reproduzem. Logo não possuem mutações.
Será que nos humanos e outros animais não possuimos vidas e somos fabricados em série por uma indústria. Dentro de sua analogia Deus seria como uma industria. É esta analogia que gostaria de fazer a Deus? Creio que se sente incomodado com esta analogia de Deus, sabe porque?, porque ela é uma FALSA ANALOGIA.
Em outras palavras, uma falácia.

É assim que gostaria de provar uma suposta ineficácia da teoria de evolução?

De qualquer forma o artigo vale mais pela pilhéria do que pela verdade. (apesar de já ter visto em algum lugar relações de facas e garfos, portanto piada engraçada, mas nada nova). Ah, e apenas piada. hehehehe

😉

Arnaldo.

Comentar por Arnaldo

Arnaldo,
o argumento não foi inventado pelo Sabino. Já o conhecia há um par de anos, graças ao evangélico VenomFangX (que recentemente cometeu um crime no Canadá) que copiou do evangélico Kent Hovind (preso por evasão fiscal). Todos percebem que é uma falsa analogia, ao ponto de o Homem Banana enganar-se – http://crerparaver.blogspot.com/2009/03/re-logica-do-sabino-teoria-da-evolucao.html . Se clicar links com os nomes dos dois evangélicos, verá imagens que Sabino usou aqui.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Hum, bem que eu achava que já tinha visto isto em algum lugar…
Obrigado pela fonte.

Arnaldo.

Comentar por Arnaldo

Li. comentei eu seu blog.
Só não entendo porque a história não teve a fonte citada pelo Marcos.

Comentar por Arnaldo

Porque não cita a fonte da piada?

Comentar por Arnaldo

Digo melhor. Marcos seria legal compartilhar conosco toda a sorte de fonte que tiveres em seus posts (sei que publicas em muitos outros), mas realmente foi uma ausência neste.

Arnaldo.

Comentar por Arnaldo

MVR, não encontrei ainda qualquer comentário ao artigo que escrevi – nem encontrei ainda qualquer resposta do Sabino aos artigos que ele disse merecer uma resposta. Deve ter sido um artigo demasiado confuso para ti, MVR. Não te preocupes, que é normal entre os estúpidos e vais poder viver mais vários anos. Deixei-te uma última prenda – http://crerparaver.blogspot.com/2009/05/pseudo-matematica.html . Quando tu e o Sabino descobrirem que não têm legitimidade para sugerir aos outros que estudem Matemática, compreenderão a ironia e o que penso de vós e da vossa sátira plagiada e que pelos vistos não resultou muito bem. Se quiserem uma resposta a qualquer outro artigo, é só pedirem. Cumps

Comentar por Pedro Amaral Couto

Pois é, né esse povinho acha que é alguma coisa, onde já se viu alguém achar que pode chegar no teu patamar, Ó grande Pedro Amaral Couto.

Comentar por arthgar

arthgar, essa é a melhor resposta que um criacionista pode dar? Se for, não deves importar-te que a publique, pois não?

Comentar por Pedro Amaral Couto

Se quiser levar minha opinião em conta, não quero. Mas o que te disse não foi resposta, aliás… Qual é a pergunta que fizeste?

Comentar por arthgar

hehe

Comentar por Mats

Mats, o Sabino disse-me que um artigo que escrevi para isso merece uma resposta. Aliás, mostrei que este é um plágio de um vídeo com pelo menos dois anos. Até agora não vi qualquer resposta. O “eheh” é por causa disso?

Comentar por Pedro Amaral Couto

Pedro, por favor não me processes.

Comentar por alogicadosabino

Informo todos os criacionistas do seguinte: os seus comentários e artigos serão reunidos num wiki. Estou a tentar decidir que nome dar e alguns pormenores.
Deixei um artigo – um pouco longo – sobre comentários do Mats: http://crerparaver.blogspot.com/2009/06/para-quem-nao-comprendeu-etica-util.html . Tentarei fazer uma versão em várias partes na tentativa de alcançar o seu nível intelectual. É impossível fazê-lo com uma pedra ou uma minhoca, por isso espero que compreendam a dificuldade dessa tarefa e a razão de um artigo grande. Tentarei que sejam tão simples como essa resposta: http://crerparaver.blogspot.com/2009/04/branco-da-branco-cinzento-da-cinzento.html .

Se quiserem escolham um artigo criacionista favorito para que seja exposto.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Ua arrogância ofusca qualquer mensagem contida nos seus comentários.

Comentar por arthgar

arthgar, obrigado pela observação. Adoro quando dizem que sou arrogante. Em geral aqueles que não têm o direito de o ser é que chamam os outros de arrogantes.

Comentar por Pedro Amaral Couto

“Por exemplo, roubar é tirar contra a vontade do dono, violar é fazer sexo com quem não quer, torturar é provocar uma sensação insuportável – tudo o que por definição é ir contra os interesses dos outros. A mentira interfere na liberdade, levando a decisões contra os interesses de quem é enganado. O assassinato, em geral, vai contra o interesse da preservação da vida, para além de afectar os que dependem e viviam próximos da vítima. É por isso é óbvio que são actos imorais.” (http://crerparaver.blogspot.com/2009/06/para-quem-nao-comprendeu-etica-util.html)

Passeando pelo artigo do Pedro Amaral Couto, e querendo comentar sem me envolver excessivamente entre a discussão dele com o Mats, reparei no parágrafo acima. O mesmo ilustra o problema da falácia naturalista (o que tem sido o caso desde que Hume o apontou e Moore o aprimorou ao refutar Spencer) na maior parte das teorias de ética seculares. Mesmo assumindo que “a consideração em relação aos interesses dos outros” seja uma base sobre a qual possamos definir o que é o “bem” e o que é o “mal” (se é que estou a entender bem o argumento do PAC), o aspecto da normatividade (o que DEVE ou NÃO DEVE ser) é assumido sem argumento (arbitráriamente).

O Pedro descreve qual é o caso (por exemplo, “roubar é tirar contra a vontade do dono) mas falha em justificar como de uma descrição ele deriva uma prescrição (por implicação: “por isso, alguém NÃO DEVE tirar algo contra a vontade do dono”).

Se ele de alguma forma tentar contra-argumentar de forma pragmática, afirmando que não funcionariamos em sociedade, se fosse o caso de toda a gente andar a roubar, a resposta é circular, pois de novo descreve qual seria hipoteticamente o caso, sem justificar porque NÃO DEVE ser esse o caso.

Espero ter interpretado correctamente o PAC. Se não, aguardarei correcção.

Abraços

Comentar por João Gabriel

João, o propósito do artigo era mostrar ao Mats que ele não entende o que os outros escrevem sobre essa questão. Não existe um alguém, não existe um algo, não existe seja o que for que defina o que que DEVE SER. Cada pessoa é diferente, tem gostos diferentes, têm objectivos diferentes. Não carecem de justificação. Por exemplo, não existe uma razão para gostar de gelados, de sexo, de luxo, de companhia, de violência, etc. O que é racional é o que permite satisfazer as vontades e alcançar os objectivos. (comparar com o segundo parágrafo do artigo) Não é preciso estarmos aqui a conversar para que haja uma moral – ela é necessária e surge no conflito entre esses gostos e objectivos. Posso gostar muito de ter o que tens (um bem para mim). Para ter o que tens EU DEVO roubar-te (que é um mal para ti). Mas para que não tirem o que tenho e o que tirei-te NÃO DEVO ROUBAR-TE (um mal para mim) – tenho um conceito de “dever”, de “mal” e de “bem” bem definido e sei identificá-los. A descrição das subjectividades nas populações leva-nos à norma. Por isso dei o exemplo das eleições – «Cada um tem a sua opinião sobre em quem devemos votar» – e o que me citaste foi apenas um exemplo.

Comentar por Pedro Amaral Couto

João,
A inerente circularidade da “resposta” do Pedro deriva dos limites auto-impostos pela sua religião (ateísmo). O Pedro ainda não aceitou que descrição e prescrição são coisas diferentes, do mesmo modo que o Ludwig não aceita que a descrição da funcionalidade é distinta da originação< da mesma funcionalidade.

Além disso, o Pedro (tal como outros ateus) continua a usar aquilo que ele qualifica de "dôr" ou "sofrimento" como base da sua moralidade, mas não justifica essa escolha pessoal.

Chega a um ponto da conversa em que fica claro quais são os objectivos (ou a falta dos mesmos) do interlocutor, e como tal, eu faço o que o Quique Flores fêz: "volto para casa". Infelizmente não volto para casa com um milhão ou mais de euros, mas isso é outra conversa..

Enfim.

Comentar por Mats

Mats, não me mostraste ainda como o ateísmo é uma religião mesmo segundo a definição que deste, a não ser que o teu prazer no sofrimento da minha gata mostre tal coisa. Se é tão mau ser uma religião, o que estás a dizer é: “bem vindo ao clube”.

Lê novamente o comentário do João onde ele diz
«Se ele de alguma forma tentar contra-argumentar de forma pragmática, afirmando que não funcionariamos em sociedade, se fosse o caso de toda a gente andar a roubar, a resposta é circular» (…) «Espero ter interpretado correctamente o PAC.» Não estou a criticar João por especular sobre o que há por detrás do meu argumento. Estou a criticar-te, Mats, por deturpares o seu comentário e o que outros disseram. Para perceberem o contexto do que ele disse, cliquem nos links no seu nome na secção “Quem?” No artigo que coloquei, dei exemplos de inconsistências e contradições tuas por meio de citações e vou continuar a fazê-lo em próximos artigos – por isso baixa a bolinha. Podes fazer de cãozinho a ladrar aos meus pés, mas isso não me impede de passar-

Comentar por Pedro Amaral Couto

Olá Pedro Amaral Couto.

Obrigado pela resposta e esclarecimento do teu artigo.

Apenas uns breves comentários a partes da tua resposta.

“Posso gostar muito de ter o que tens (um bem para mim). Para ter o que tens EU DEVO roubar-te (que é um mal para ti).”

P1) É o caso de o João ter X.
P2) É o caso de o Pedro gostar muito de X do João.
P3) É o caso de ser bom o Pedro gostar muito de X do João.
C) Logo, o Pedro DEVE roubar X do João.

P3 é assumido sem justificação. Porque é o caso de ser “bom” o Pedro gostar muito (cobiçar?) de X do João?

C não se segue necessariamente de P1, P2 e P3. É de novo cometer a falácia naturalista.

“Mas para que não tirem o que tenho e o que tirei-te NÃO DEVO ROUBAR-TE (um mal para mim) – tenho um conceito de “dever”, de “mal” e de “bem” bem definido e sei identificá-los.”

P1) É o caso de o João ter X.
P2) É o caso de o Pedro gostar muito de X do João.
P3) É o caso de ser bom o Pedro gostar muito de X do João.
C1) Logo, o Pedro DEVE roubar X do João.
P4) Contudo poderá ser o caso de roubarem Y do Pedro e X que era do João, o que é mau.
C2) Logo, o Pedro NÃO DEVE roubar X do João.

P4 enfrenta o mesmo problema que P3 acima. Porque é o caso de ser “mau” para alguém roubar Y do Pedro e X do João?

C2 não se segue necessariamente de P4 e enfrenta o mesmo problema que C acima.

Obrigado.

Comentar por João Gabriel

* «Porque é o caso de ser “bom” o Pedro gostar muito (cobiçar?) de X do João?»
* «Porque é o caso de ser “mau” para alguém roubar Y do Pedro e X do João?»

Para algo ser bom ou mau é necessário um sujeito. Algo é bom ou mau para um ser com sentimentos. O gostar muito de X não é bom ou mau. O que é bom para o Pedro é ter o X. Se não te importas que tenha X, não é bom nem mau para ti. Se queres ficar com X, passa a ser mau – há um conflito de interesses. Dever é o necessário para atingir o melhor (“o mais bem”) e cada indivíduo fica obrigado a isso pelos elementos das outras populações. Isso é semântica – não é argumento. Apenas serve para compreender como uso os termos. Uma falácia naturalista dá-se quando é assumido que o natural é o mesmo que bom – mas não é o caso.

Só quando existe um conflito de interesses é que existe um problema ético. O que eu tinha inicialmente escrito num artigo é que a ética é útil – o que não seria o caso se fosse apenas definida como o que um único ser diz.

Sugiro que respondas como comentários no artigo, por o assunto não ter relação com os talheres. Tinha colocado o link do artigo para que Mats tome conhecimento dele, já que é o visado e por isso o interessado (o que leva a que eu tivesse a obrigação moral de o informar).

Comentar por Pedro Amaral Couto

“Apenas esqueceste que garfos não possuem vida. Logo não se reproduzem. Logo não possuem mutações.”

Mais um que mostra sua ignorância em relação à evolução dos talheres, um fato científico. Estude, aspirante a talherevolucionista… Já não dissemos que a mutação nos talheres não se dá por vida, mas pela perda (Ou ganho) de material ao longo de milhões de anos?

Estes talerocriacionistas supersticiosos seguem achando que os talheres têm qualquer origem inteligente. A evolução é clara!

Deixem de ser ignorantes. Contra fatos não há argumentos.

Pedro se queres mostrar que sabe matemática, aqui não é o lugar, só estás a ser ignorante, pois afirma com base numa fé cega que uma entidade inteligente produziu talheres. Desconhece totalmente a evolução dos talheres, e o teu desconhecimento te causa dúvidas infundadas.

Estuda mais sobre os eventos que se sucederam há milhões de anos. A explosão facal e a explosão colheral, a grande extinção garfal há 65 milhões de anos, devido à queda de um meteoro, onde 90% dos garfos foi extinta…

E analisa os fósseis transicionais e os refuta, se puder.

Até lá, continuas a contestar fatos científicos com as tuas opiniões fantasiosas (Entidade inteligente, na CRIAÇÃO dos talheres? Pfff…)

Comentar por MVR

E não te esqueças: Ao colocar meus comentários do teu E-book, segue meu nome do meu título de Doutor em Biologia evolutiva dos talheres; E lembra que tua formação sequer te permitiu compreender os conceitos básicos da evolução dos talheres, fato científico.

Por último: Estuda. Estuda para não pegares o bonde errado! Até agora, nem os conceitos simples compreendeste… Imagina os conceitos de Colhering-Over e de Garfação Natural das facas.

Comentar por MVR

MVR, deves ser demasiado estúpido para ainda não teres compreendido com isso tudo que és estúpido. Compreendi a estúpida teoria dos talheres. Tive o cuidado de descrevê-la, dar exemplos e apresentar diagramas e ilustrações. Também respondi a uma versão da teoria dos talheres do Jónatas Mendes Machado. Tenho uma vantagem por ser programador informático, sabendo o que é um design e o que é reutilizar. Também faço desenhos e pinturas e trabalho com web-designers, o que me dá ainda mais vantagem, para além de ser filho de professor de Matemática. Não digas mais: é para eu estudar mais, que não tens cérebro para isso. Não te preocupes que é o que estou a fazer e as conclusões serão publicadas. A tua preocupação demonstrada nos comentários não mudam isso. Já sei que um só diz que sou arrogante e tu só dizes para estudar. Ainda bem que a lavagem cerebral que receberam funcionou para repetirem sempre o mesmo, como papagaios.

Comentar por Pedro Amaral Couto

Hi, MVR. I thought it would be nice to answer in english for a change. Don’t you think I would gather more data if I look up for english articles about the theory of cutlery evolution? I mean, probably there are more english articles about this theory of yours. A couple of years ago I found VenomFangX and Kent Hovind videos about it. And I think more people would read the E-book and help me if it’s written in english. Since you’re a hard working and studious fellow, I guess you’ll answer in english as well. It would be weird for a biology doctor to not understand at least the english language thus I’m waiting for an answer. Regards

Comentar por Pedro Amaral Couto

“arthgar, obrigado pela observação. Adoro quando dizem que sou arrogante. Em geral aqueles que não têm o direito de o ser é que chamam os outros de arrogantes.”

Presumo que se sinta no direito de ser arrogante.
Se é que me tenho o direito de presumir alguma coisa… Acho que pra você, se eu respiro faço muito.

Espero que nunca entres na política.

Comentar por arthgar

arthgar,
estou à espera que alguém dê uma resposta ao artigo que escrevi como resposta a este. O MVR esteve a gozar com o estudo. Escrevi três artigos como resposta usando a Matemática associada ao senso-comum e ao acúmulo de conhecimento. Quis humilhá-lo com o objectivo de fazê-lo ver que a sua retórica é ridícula e que esteve a perder muito conhecimento com a sua postura, como se vivesse na Idade Média. Sugiro que faças uma pesquisa por “MVR” nesta página para veres como são as suas respostas. Agora vens chamar-me de arrogante. Eu não quero saber se sou ou não arrogante, tal como Mourinho não quer saber – ele continua a ter resultados. Se sou arrogante, isso não muda a validade do que respondi ao artigo. Persistir no ad hominem só confirma o que tenho pensado dos criacionistas há alguns anos. Por isso, agradeço que mostre erros nos meus argumentos porque o que está a acontecer aqui vai ser publicado – como já disse a MVR – e podemos todos ver que respostas é que recebo.

Comentar por Pedro Amaral Couto

“Para algo ser bom ou mau é necessário um sujeito.”

Se só existe um problema ético quando existem conflitos de interesses, não seria o caso de serem necessários pelo menos dois sujeitos para algo ser bom ou mau?

“O gostar muito de X não é bom ou mau.”

O acto puramente da cobiça fica excluído da tua teoria de ética, sendo por isso amoral? Interesses não são bons nem maus?

“O que é bom para o Pedro é ter o X. Se não te importas que tenha X, não é bom nem mau para ti. Se queres ficar com X, passa a ser mau – há um conflito de interesses.”

De que forma o interesse do João em ficar com X torna o acto do Pedro de roubar o X do João, um acto mau? Tu argumentarás, “Mas para que alguém não tire X e Y do Pedro, o Pedro não deve roubar o X do João (que passaria a ser um acto mau)”. O problema permanece: De que forma o interesse de alguém em tirar X e Y do Pedro torna o acto de roubar do Pedro, um acto mau?

“Dever é o necessário para atingir o melhor (“o mais bem”) e cada indivíduo fica obrigado a isso pelos elementos das outras populações.”

Claro que esta afirmação já assume o que é o “melhor” (“o mais bem”) que é precisamente o que está em questão.
Se é que estás a definir “Dever”, e se “Dever É o necessário”, nota que a tua definição de “Dever” pressupõe o conceito de “Dever”, o que a torna circular.

“Isso é semântica – não é argumento. Apenas serve para compreender como uso os termos. Uma falácia naturalista dá-se quando é assumido que o natural é o mesmo que bom – mas não é o caso.”

A falácia naturalista é a falácia de confundir o que É o caso com o que DEVE ser o caso, inferir uma prescrição de uma descrição. Assumir que “o natural é o mesmo que bom” foi o aprimoramento que Moore deu ao argumento de Hume, ao qual ele chamou de “argumento da questão em aberto”. O que eu quis apontar foi que, mesmo que não estejas a assumir que a “propriedade natural P do Pedro” (o gosto do Pedro, o seu interesse) seja o “bom”, estás contudo a inferir uma prescrição(ões) de uma(s) descrição(ões).

Observação: Tentei colocar o comentário no teu blogue, usando a minha password da minha conta no Google, mas tive alguns problemas e não consegui. Para já, este comentário, será postado aqui.

Comentar por João Gabriel

Obrigado, João, pela sua resposta. Não sei se é o caso, mas às vezes o servidor do Blogger tem problemas no envio de comentários – mas raros – e é preciso esperar um pouco. O Blogger permite autenticação por OpenID (tal como o WordPress). Não me importo de receber comentários sem uma conta associada. Cumprimentos.

Comentar por Pedro Amaral Couto

“MVR, deves ser demasiado estúpido para ainda não teres compreendido com isso tudo que és estúpido. Compreendi a estúpida teoria dos talheres.”

Estúpida? E o que dizer do povo pseudocientífico, que acha (Vejam aqui a demonstração de fé) de que Seres Inteligentes são os responsáveis pelos talheres no nosso planeta? Isto é que é uma afronta ao conhecimento científico!

“Tive o cuidado de descrevê-la, dar exemplos e apresentar diagramas e ilustrações. Também respondi a uma versão da teoria dos talheres do Jónatas Mendes Machado.”

Este autor está ultrapassado. Pesquisa sobre as obras de Jônatas Mendes Garfo, e atualiza-te. Por ser recente, vai ser um pouco difícil achar suas obras à venda…

“Já sei que um só diz que sou arrogante e tu só dizes para estudar.”

Mas é que tens mesmo de estudar, a fim de refutar fatos científicos.

“Hi, MVR. I thought it would be nice to answer in english for a change.”

Bad idea. The official language on Portugal is not english. That comes to be foolish from yours.

“Don’t you think I would gather more data if I look up for english articles about the theory of cutlery evolution?”

I do not think that way. Remember: other countries do not think the same ways as ours… They never accept Brazilian and Portuguese specific dating methods.

“I mean, probably there are more english articles about this theory of yours. A couple of years ago I found VenomFangX and Kent Hovind videos about it.”

It is outdated, as the “Origins of spoons”…

“And I think more people would read the E-book and help me if it’s written in english. Since you’re a hard working and studious fellow, I guess you’ll answer in english as well.”

No problem. As I said before, that is foolish.

“It would be weird for a biology doctor to not understand at least the english language thus I’m waiting for an answer. Regards”

More weird than an hypothesis of an Intelligent Designer for knives? Sure not.

Remember: In order to discuss about facts, keep studying – When I said to study, I was talking about the Cutlery Evolution (This is not an official name), not the english language!

Comentar por MVR

LOL Às vezes consigo um resultado mais extraordinário do que pensava. Não pude evitar essa observação e umas sugestões: a Teoria da Evolução dos Excrementos, a Teoria da Evolução dos Parasitas, a Teoria da Evolução das Doenças e a Teoria da Evolução da Banana.

Comentar por Pedro Amaral Couto

“O MVR esteve a gozar com o estudo.”

Tu é que está a gozar dos fatos científicos, com esta tua idéia de que talheres necessitam de inteligência, necessitam de ser criados, etc… Aquela superstição toda!

“Quis humilhá-lo com o objectivo de fazê-lo ver que a sua retórica é ridícula e que esteve a perder muito conhecimento com a sua postura, como se vivesse na Idade Média.”

A tua idéia é que é ultrapassada. Na idade média, todos eram Criacolheracionistas, isto é, acreditavam cegamente que os talheres são concebidos de acordo com a inteligência de um Ser inteligente.

Pena que não tivesse os conhecimentos necessários, nem acesso às teorias científicas.

“Se sou arrogante, isso não muda a validade do que respondi ao artigo. Persistir no ad hominem só confirma o que tenho pensado dos criacionistas há alguns anos.”

Mas tu é criacionista. Acha que os talheres têm design, quando na verdade, são apenas formas resultantes de processos naturais.

“Por isso, agradeço que mostre erros nos meus argumentos porque o que está a acontecer aqui vai ser publicado”

Os erros são os teus próprios argumentos. És um criacionista. Ou seja, não estás nem aí para o método cienífico… Só está a dizer por pura fé que os talheres têm origem inteligente.

Se calhar sais da idade média e nos visita na contemporânea… Deixa estas tuas idéias antigas, e acredita na ciência. Só ela pode dar certezas absolutas.

Comentar por MVR

Me parece que tem gente projetando a discussão (criaXevo)nesta paródia caricata, …,

Comentar por arthgar

“LOL Às vezes consigo um resultado mais extraordinário do que pensava. Não pude evitar essa observação e umas sugestões: a Teoria da Evolução dos Excrementos, a Teoria da Evolução dos Parasitas, a Teoria da Evolução das Doenças e a Teoria da Evolução da Banana.”

Acho que está a acenar para o ônibus errado. Este tópico trata apenas da evolução dos talheres, tais como cientificamente podemos observar através das evidências, a comprovação científica de que não precisamos de seres inteligentes e mirabolantes a construir talheres.

A teoria da evolução dos talheres prova que não é necessária qualquer intervenção inteligente no aparecimento de talheres (Como os cegos criacionistas alegam, no auge da falta de conhecimento da Teoria da Evolução dos talheres).

Ou seja, com toda a certeza é que apareceram por processos naturais. É o que as evidências apontam!

Abandona esta tua mitologia, superstição, fé cega e crença irracional em um designer para talheres. Abraça a ciência – A única que pode nos dar certezas absolutas!

Comentar por MVR

Sabino, achei brilhante sua sátira sobre a evolução dos talheres. Muito boa mesmo. Aqui do Brasil acompanho o seu blog há bastante tempo. Permita-me dar uma pequena contribuição no sentido de fortalecer a fé do povo de Deus para que aprendam a se defender da religião evolucionista:
A teoria da evolução dos talheres nem pode ser chamada de teoria, pois uma teoria é baseada em observações. Observa-se os FATOS e, baseados nos FATOS que se observou, é que se desenvolve uma teoria ou tese.
Alguém já obsevou um talher surgir do nada, por geração espontânea? Alguém já obsevou qualquer coisa surgir do nada, sem a intervenção de um criador? Não! A teoria da evolução dos talheres nem merece ser chamada de teoria! Ela é uma religião disfarçada de ciência, assim como a astrologia. Tudo o que os evolucionistas talheristas (e os outros)ensinam e crêem, o fazem por fé. Não há fatos! Ninguém viu!
Nunca houve conflito entre ciencia e religião, pois a evolução não é teoria, é religião! O quê há é o conflito entre duas religiões: A religião evolucionista e o criacionismo (cristianismo). Portanto, esta discussão não deveria existir. Ela só persiste porque os evolucionistas insistem em chamar os cristãos de supesticiosos, burros, atrasados… Eles, no entanto, tem plena convicção de que tudo surgiu por geração espontânea ou por obra do acaso, ou por acidente… Pelo que observamos, tudo o que existe foi criado por alguém.
Quais as chances de um prego, uma roupa, um computador, um avião ou qualquer outra coisa surgir por obra do acaso ou por acidente? Nenhuma! Tudo o que está ao nosso redor foi cuidadosamente planejado / criado por alguém com uma finalidade específica. Desde um alfinete até o maior avião, navio, prédio etc. Então, como pode todo o universo, nosso planeta e nossas formas tão complexas de vida surgir por acaso, sem a intervenção de um criador?
Não se deixe intimidar! Evolucionismo não é ciencia; é religião! Os evolucionistas não falam baseados em fatos; falam baseados em fé. Por isso, se nossa fé nos faz burros, atrasados ou supesticiosos, então podemos dizer os mesmo dos evolucionistas. E a discussão não vai terminar nunca.

Comentar por Isaias S. Oliveira

“Vê-se mesmo que nunca estudaste nada do assunto.”

hehehe…

Só para esclarecer: A única forma pela qual algo evolui por Seleção Natural é através da reprodução. Logo, toda essa enrolação com talheres e lâmpadas é uma tentativa ingênua de atacar algo que VOCÊS não estudaram. 😉
Agora, atentem: Como se diz que as formas de vida da Terra evoluíram? Pois é, por SN.

Menos, guris. 😉

Comentar por Ravick

Os argumentos dos caras falando que “garfos não são vivos“, “garfos não tem DNA“, “garfos não se reproduzem“ , “a evolução, mutações e seleção natural não atuam em materia não viva“.

Só confirmam que a matéria abiótica nunca poderia “evoluir para matéria viva“ .

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Comentar por Saga Kamui

Não vou entrar no debate da teoria dos talhares, uma vez que estão cumprindo muito bem as funções para as quais foram criados. Inosbstante, aqui estou para mandar um abraço ao meu primo, Jairo, a quem já faz um bom tempo que não nos vemos. Vou deixar um mensagem ao suposto ¨ateista¨, se Deus não existe e vc existe, a quem então vc deve a sua existência? A forma como o universo se faz perfeito, e a forma como o homem tenta desvirtuar essa perfeição, é o que deveria ser colocado em xeque…abraços.

Comentar por Valmir Barañano Souza

Quem sabe passamos para o debate do suposto planeta nibiru, um hipotético do apocalipse, tão próximo e ao mesmo tempo invisível…Não, acho que não, a teoria dos talhares gera mais risos, hehehehehe.

Comentar por Valmir Souza

de que deus vocês estão falando? javé, zeus, shiva, thor, eros, afrodite, dionísio, odin ou qual? penso ser muita pretensão afirmar que o deus que vocês crêem ser o único deus. a humanidade vem patinando em deuses desde o principio da história. até os deuses evoluem, mudam, desaparecem, surgem. nao sou ateu, mas tambem nao consigo ser crente. acho um absurdo nao entenderem que esta crença de vocês é fruto do tempo e tambem evolui. o javé muda tambem, inclusive nas suas escrituras que afirmam ser infalíveis. sei, e nisto baseio minha religiosidade, que existe um mistério, que deve ter havido um começo porque a lógica e a teoria da expansão do universo me fazem ver assim. mas não há como afirmar que houve um criador onisciente, onipotente e etc. nao sou agnostico tambem, pois, apesar de nao ser ateu, creio que é muito pouco provável que haja este javé, ou zeus, ou iemanjá. afirmar que existem tais coisas ou entidades é, no mínimo, forçar a barra ou falta de humildade de admitir que somos humanos e estamos na terra procurando respostas. religiosos que se propoem à evangelizar, a meu ver, são cegos tentando guiar cegos e nem sabem que são cegos.
sua teoria é engraçada, mas mais engraçado é uma arca de noé dar conta de caber milhões de espécimes, inclusive dinossauros (ou eles não existiram?)
boa sorte na sua evangelização, mas, às vezes, achamos estar fazendo o bem, mas estamos fazendo o mal. sem ciencia, a supertição toma conta, e bruxas começam a ser queimadas em praça pública.

Comentar por Ricardo

De fato, só o hinduísmo tem cerca de 330 milhões de deuses, mas o Cristianismo Bíblico é bem diferente de todas as religiões do mundo, as quais são sistemas de crenças elaboradas pelo homem, que buscam salvação nas obras. Deus se revelou através de Israel (Hebreus 1:1)) e hoje é possível conhecê-lo mais através de Jesus, o sacrifício perfeito pelos pecados da humanidade. “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3.
Deus te abençoe.

Comentar por Jairo Barañano

zeus é um deus do hinduísmo é? 🙂

Comentar por Icarus

Jairo Barros:

Se Deus é infinitamente poderoso ele aceitou sacrifício é porque ele tem problemas com sado-masoquismo, tendo em vista de que ele teria um infinito de formas de resolver o problema

Comentar por Clayton Luciano

Jairo,

O Ricardo pode muito bem achar bom material para algumas de suas questões aqui mesmo no blog.

Quanto ao último questionamento, meio “nonsequitur” meio “espantalho”, pode ser interessante ler isto:

http://vanessinhameira.blogspot.com/2010/01/deus-nao-e-absurdamente-onipotente.html

Abraços.

Comentar por Darcy

Clayton Luciano,

Quanto a “outra forma de resolver o problema”, desconsidera que Deus realmente apresentou a melhor solução, justamente pelos seus atributos. Jesus orou nesse sentido, pois ele era, também, homem como nós, e pediu que Deus afastasse dele o “cálice” (sofrimento), se fosse possível, porém sabia que deveria cumprir a vontade de Deus (obedecer), conforme relatado em Mateus 26:39-42. O teólogo Trench resume bem sobre a necessidade desse sacrifício: “Uma vez que Deus escolheu esse meio, de tão alto preço, para nossa libertação, enviando Seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado, podemos estar perfeitamente certos de que nossa redenção não era possível por preço inferior àquele, pois nada inferior poderia ter satisfeito a Sua justiça, que Ele havia de manter.”
Com essa ação, Deus provou seu próprio amor para conosco, pois Deus estava em Cristo. Essas conclusões são facilmente identificadas nas Escrituras em Romanos 5.8 e 2 Coríntios 5:19, entre outras passagens.

Grande abraço,
Jairo

Comentar por Jairo Barañano

Jairo:

“Quanto a “outra forma de resolver o problema”, desconsidera que Deus realmente apresentou a melhor solução,” justamente pelos seus atributos.”

Ele estava encurralado?

“Jesus orou nesse sentido, pois ele era, também, homem como nós, e pediu que Deus afastasse dele o “cálice” (sofrimento), se fosse possível, porém sabia que deveria cumprir a vontade de Deus (obedecer), conforme relatado em Mateus 26:39-42. O teólogo Trench resume bem sobre a necessidade desse sacrifício:”

Se ele tem poderes infinitos, ele poderia ter resolvido de outra forma, se não resolveu, ou não tem poderes infinitos, ou não tem bondade infinita.

“Uma vez que Deus escolheu esse meio, de tão alto preço, para nossa libertação, enviando Seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado, podemos estar perfeitamente certos de que nossa redenção não era possível por preço inferior àquele, pois nada inferior poderia ter satisfeito a Sua justiça, que Ele havia de manter.”

Então Deus não é infinitamente poderoso, pois para quem é infinitamente poderoso, não fica encurralado em ter que pagar um alto preço, pois, só se paga um alto preço, devido ao fato de que existem forças contrárias que impedem de resolver o problema pagando um baixo ou inexistente preço.

Sua tese se encaixa para um Deus com poderes limitados, não para um Deus com poderes ilimitados.

“Com essa ação, Deus provou seu próprio amor para conosco, pois Deus estava em Cristo. Essas conclusões são facilmente identificadas nas Escrituras em Romanos 5.8 e 2 Coríntios 5:19, entre outras passagens.

Grande abraço,
Jairo”

Desde que Deus não fosse infinitamente poderoso, caso contrário, ele resolve o problema da forma que ele quiser, por exemplo, estralando os dedos.

Comentar por Clayton Luciano

Caro Clayton,

Seus argumentos são semelhantes aos que passavam pelo local da crucificação: “Salva-te (Jesus) a ti mesmo, e desce da cruz” e “…Salvou os outros, e não pode salvar-se a si mesmo” (Mc 15:30,31). Como disse, se com essa prova de amor não convenceu a muitos, não será um “estalar de dedos” que irá convencer, mesmo que um morto ressuscite (//Lc 16:31). “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.” 1 Coríntios 1:18. Aceite o convite de Deus e Ele se manifestará na sua vida (//João 14:21). Recomendo a leitura do capítulo 14 inteiro de João, onde Jesus promete fazer morada em nós. É uma experiência maravilhosa. Este capítulo mudou minha vida. Somente ore e creia.

Abs,
Deus te abençoe,
Jairo

Comentar por Jairo Barañano

Jairo:

“Seus argumentos são semelhantes aos que passavam pelo local da crucificação: “Salva-te (Jesus) a ti mesmo, e desce da cruz” e “…Salvou os outros, e não pode salvar-se a si mesmo” (Mc 15:30,31).”

Voce estava lá Jairo?

“Como disse, se com essa prova de amor não convenceu a muitos, não será um “estalar de dedos” que irá convencer, mesmo que um morto ressuscite (//Lc 16:31). “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.”

Voce colocou limites aos poderes de Deus ao dizer que ele não foi capaz de convencer as pessoas sem que tivesse sido daquela forma. Ou seja a resistência ao convencimento é mais poderosa do que Deus, tanto que ele teve que suportar o custo que o ser mais poderoso do que Deus exigiu (a resistência ao convecimento é mais forte do que Deus)

“1 Coríntios 1:18. Aceite o convite de Deus e Ele se manifestará na sua vida (//João 14:21). Recomendo a leitura do capítulo 14 inteiro de João, onde Jesus promete fazer morada em nós. É uma experiência maravilhosa. Este capítulo mudou minha vida. Somente ore e creia.”

Qualquer religião muda a vida de alguém, inclusive o Ateísmo muda muitas vidas para melhor.

Muitos cristãos convertidos ao Islã, dizem a mesma coisa sobre as passagens do Alcorão

Comentar por Clayton Luciano

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
simplesmente ,fantástico!!!!!nos moldes das imaginações evolucionistas!por acaso,por forças não inteligentes os garfos evoluiram!!!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comentar por jefferson




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: