No princípio criou Deus os céus e a Terra


Dicas sobre como te tornares um ateu intelectualmente realizado
Janeiro 27, 2009, 2:46 am
Filed under: Humor

Se ainda és um ateu amador, há certos chavões e atitudes que podem fazer toda a diferença na tua vida. Ficam aqui algumas dicas que te podem ajudar a seres um ateu intelectualmente realizado:

1) Sempre que te apresentarem evidências da existência de Deus, diz que é um “argumento homem-palha“, “circularidade de raciocínio” ou “falácia da bifurcação“. Se alguma coisa for transcrita de outro lugar, diz que é “quote-mining“. Se a afirmação for de um evolucionista, diz que “foi tirada do contexto“.

2) Sempre que um cristão disser que “coisas criadas implicam um criador”, rejeita esse argumento de senso comum, dizendo: “Isso é o velho argumento do relógio de William Paley“.

3) Sempre que um cristão te disser que, ao aceitar Cristo, tens tudo a ganhar e nada a perder, diz que isso é a velha “aposta de Pascal“.

4) Sempre que um cristão te disser que existe uma dezena de historiadores antigos que referem o Jesus histórico, diz que “os relatos foram todos adulterados pela Igreja Católica“.

5) Mete na tua cabeça que a Bíblia está cheia de contradições e erros, mesmo sem leres as passagens em questão. Aprende a respeito da Bíblia, não a lê-la, mas a partir de sites ateístas.

6) Diz que, em tempos, já foste um cristão genuíno que ia sempre à igreja e até ensinava lições às crianças e aos adolescentes (uma das coisas que há de bom nisto de ser ateu é que podes mentir à vontade, já que não acreditas em valores morais absolutos). Se um cristão contestar esta tua afirmação, dizendo: “Mas se deixaste de acreditar em Deus é porque nunca foste um cristão de verdade”… diz que isso é a falácia do “Nenhum escocês de verdade“.

7) Decora os ensinamentos dos grandes ateístas da tua década. Aprende aquilo que tipos como Sam Harris, Richard Dawkins e Christopher Hitchens dizem a respeito da religião e vai dizê-lo nos blogues dos cristãos. Ah… uma coisa muito importante: não te dês ao trabalho de fazer distinções entre as religiões. Cristianismo e Islamismo são a mesma coisa, tanto em doutrina como em valores.

8 ) Quando estiveres a debater com um cristão no chat ou num blogue e ele te fizer alguma pergunta, responde-lhe com 2 ou 3 links (Se possível, textos grandes e que não estejam na língua materna do cristão com quem estás a debater). Depois, quando ele te disser que isso é uma boa maneira de fugires ao debate, diz que ele só está é a dar desculpas.

9) Diz que “ninguém pode ter certezas absolutas de nada” e completa dizendo: “Só a ciência nos pode dar certezas absolutas“.

10) Quando estiveres a debater com um cristão, faz com que os teus argumentos sejam acompanhados de insultos (como “burro“, “estúpido“, “ignorante“) e tácticas intimidatórias (como “vou pôr o que tu disseste na comunidade das pérolas cristãs“). Isso dá mais força ao teu argumento e se tiveres a sorte de apanhar um cristão mais inseguro, poderás fazer com que ele pare de debater e ficarás apto para dizer que ganhaste o argumento.

11) Não te esqueças de ter à mão certos clichés como “vai estudar” ou “até uma criança de 5 anos percebe isto“.

12) Culpa o Cristianismo pela Santa Inquisição e pelas Cruzadas. Se algum cristão te responder à letra e disser que regimes ateístas como o Comunismo, em menos de 200 anos, foram responsáveis pela morte de mais pessoas do que todas as guerras religiosas em 2000 anos, diz que um ateu não pode ser culpado por aquilo que outro ateu faz.

13) Diz aos cristãos que os cientistas já mostraram que Deus não foi preciso para o Universo e a Vida aparecerem. Se algum cristão disser que há muitos cientistas que acreditam em Deus, diz que esses “não são verdadeiros cientistas“.

14) Finalmente, mas não menos importante, procura desenvolver boas relações com ateus mais experientes. Procura fazer-te amigo daqueles ateus que já dominam estes princípios. Usa e abusa de conceitos como a moralidade, a lógica e a justiça. Não te esqueças: ser ateu é dizer que Deus não existe e utilizar conceitos que só fazem sentido se Deus existe.

P.S.: Imprime uma cópia deste texto e leva-o sempre como um guia de bolso.

atheist
___________________________________________________________________

Ver também: És capaz de ser um ateu fundamentalista quando…”

Advertisements

14 comentários so far
Deixe um comentário

Muito bom,
Bem acho que falta só aí um ponto, o Academismo que os ateus querem ter só para eles, do género “Toda a comunidade científica é unânime” “Tu lês isso de pessoas que não percebem nada de ciência”

Comentar por Natenine

Usando o mesmo tom jocoso e depreciativo:

Dicas sobre como te tornares um criacionista intelectualmente realizado…

Não tens de fazer nada, na realidade, basta continuares a não usar o cérebro que deus, à sua imagem e semelhança, te deu e tudo vai correr às mil maravilhas, tal como até aqui!…

Comentar por José

Deixo aqui também algumas sugestões para os crentes para a sua luta contra os infiéis (qualquer semelhança é devida ao plano de Deus):

1) Sempre que quiseres apresentar evidências da existência de Deus, utiliza argumentos “homem-palha“, circularidades de raciocínio e falácias diversas. Se não quiseres ter o trabalho de criar os teus argumentos, vai buscar argumentos de outras pessoas ou apresenta simplesmente o link.

2) Utiliza o velho, mas sempre coerente, argumento do relógio de William Paley.

3) Tenta convencer os ateus a aceitarem Cristo dizendo que têm tudo a ganhar e nada a perder. Só um palerma é que não arrisca.

4) Sempre que alguma teoria científica parecer refutar uma ideia bíblica não ligues. Já se sabe que existe uma conspiração científica para acabar com Deus.

5) Mete na tua cabeça que a Bíblia foi escrita por Deus e nunca foi mudada ao longo dos tempos, ao contrário das teorias instáveis desses repugnantes cientistas.

6) Diz que, em tempos, já foste um pobre infeliz até que Jesus Cristo entrou na tua vida e a encheu de luz.

7) Decora todas as frases da bíblia, principalmente dos livros dos Provérbios e Salmos, e repete-os até enfiares os seus sábios ensinamentos naquelas cabeças ocas dos ateus. E lembra-te: os ateus são todos manipulados por Satanás e estão condenados ao inferno, não importa quais os seus ideais.

8 ) Quando não aguentares mais, reencaminha o ateu com quei estiveres a falar para 2 ou 3 sites.

9) Diz que “ninguém pode ter certezas absolutas de nada” e completa dizendo: “Deus é o único caminho para a Verdade”.

10) Quando estiveres a debater com um ateu e não te restar mais nada, esquece os argumentos e começa com ateques pessoais e tácticas intimidatórias (como “vou rezar por ti para que não vás para o inferno“). Eles não gostam nada disso e acabam por desistir, parecendo assim que ganhaste o debate.

11) Não te esqueças de ter à mão certos clichés como “Jesus salva” ou “Deus te perdoe“.

12) Se algum ateu começar com aquela conversa do Cristianismo ter morto milhares nas Cruzadas e Inquisições, mostra que regimes ateístas como o Comunismo mataram ainda mais gente. Isso só prova a superioridade moral da nossa fé.

13) Pergunta aos ateus como é possível existirem conceitos de moral e justiça sem Deus. Se alguém disser que existem mais pessoas com outras crenças do que cristãos, diz-lhe que essas pessoas estão todas erradas.

14) Ataca todas as áreas científicas que puderes mesmo que não saibas um corno. Mas cuidado, garante que ninguém que saiba mais que tu sobre possa responder ou oculta as suas refutações.

Comentar por Luís

Esqueceste-te do “Imprime e usa como guia de bolso”

Comentar por alogicadosabino

Mas cuidado, garante que ninguém que saiba mais que tu sobre possa responder ou oculta as suas refutações.

De certeza que não te inspiraste neste próprio tasco para escreveres essa frase…

Comentar por Ska

Esta lista é um apanhado das táticas empregadas pelo agnóstico André , para quem Sabino apanhou à exaustão no blogue ceticismo.net, e cujos recursos (alguns aliás deploráveis) Sabino resolveu postar para aliviar seu trauma.

Comentar por Diego Oliveira

Em uma discussão sobre a origem evolutiva dos sistemas biológicos complexos com um ateu, ele me respondeu:

-Amigo, a seleção natural é muito mais complexa do que possamos imaginar.

Fim.

Comentar por Fabricio Lovato

Bom, vejamos…

1) “Sempre que te apresentarem evidências da existência de Deus”
Não existem EVIDÊNCIAS da existência de deus. Se existissem, ele estaria provado e toda esta discussão seria inútil. Se há discussão, é porque ainda não foi provado. Deuses existem aos milhares. Dizer “somente o meu é verdadeiro” não significa nada, pois todas as religiões dizem o mesmo.

2) “Sempre que um cristão disser que ‘coisas criadas implicam um criador’ ”
Se um cristão diz: “TUDO precisa de um criador”, então ele está dizendo que deus também foi criado, e neste caso, quem criou deus? Se não é assim, então ele deveria dizer: “QUASE tudo precisa de um criador”. E, nesse caso, se existe algo que não precisa ser criado, posso muito bem dizer: a energia é eterna, e dela nasceu o universo atual. Ou será que a regra só vale para deus?

3) “ao aceitar Cristo, tens tudo a ganhar e nada a perder, diz que isso é a velha ‘aposta de Pascal’ ”
A Aposta de Pascal é um argumento pseudo-lógico. Num primeiro momento, até faz sentido. Parece que as chances são realmente de 50%. Mas quando nos aprofundamos, percebemos que não é bem assim. Afinal, qual deus é o verdadeiro? Estarei adorando o deus errado e irei parar no inferno de outra religião? Lembremos que existiram/existem/existirão milhares de religiões diferentes e auto-excludentes. Se nenhuma se provou inconstestavelmente, como decidir em qual “apostar”? Não seria mais lógico – e por que não dizer mais sincero – suspender nosso julgamento até termos uma confirmação mais concreta?

4) “historiadores antigos que referem o Jesus histórico, diz que ‘os relatos foram todos adulterados’ ”
O problema com o “Jesus histórico” é exatamente que ele não existe para a história extra-bíblica. Um homem que supostamente fez o que se diz que ele fez, DEVERIA aparecer em textos de historiadores da época. O próprio Flávio Josefo era um historiador de expressão em sua época (APÓS os acontecimentos dos evangelhos, diga-se). E mesmo assim, por que ele teria destinado tão poucas linhas a Jesus, linhas essas colocadas em um contexto que não tem nada a ver com o que vem antes ou o que vem depois. Se alguém adulterou ou não – ou porque o fez – nunca saberemos com certeza. Mas a falta de registros confiáveis em outras fontes depõe contra.

5) “Mete na tua cabeça que a Bíblia está cheia de contradições e erros”
E está mesmo. Não vou ficar citado contradições aqui, basta ler de forma CRÍTICA e ISENTA. Ah, tá bom… só dois exemplos:
No antigo testamento: as plantas foram criadas antes ou depois dos homens?
As plantas foram criadas antes dos homens (Gn 1:11-13, 1:27-31) / As plantas foram criadas depois dos homens (Gn 2:4-7).
No novo testamento: como Judas morreu?
Ele se enforcou (Mt 27:5) / Ele caiu e morreu (At 1:18).

6) “Diz que, em tempos, já foste um cristão genuíno”
Pois acreditem, já fui. Por 36 anos. E agora? Dirão que não fui um cristão de verdade? É muito fácil simplesmente dizer: “você não era um cristão” ou “você não estava aberto para deus”.

7) “Decora os ensinamentos dos grandes ateístas da tua década”
Não existem “ensinamentos” de grandes ateístas. Ao contrário da religião, que possui um sistema hierárquico, não existem tal coisa no ateísmo. Posso muito bem ler um livro de Richard Dawkins e discordar do que ele diz. Isso é normal. Não temos dogmas. Mas tente fazer isso, por exemplo, na igreja católica.

8 ) “Quando estiveres a debater com um cristão no chat ou num blogue e ele te fizer alguma pergunta, responde-lhe com 2 ou 3 links”
Links são fontes. Livros são fontes. Estudos são fontes. Eles servem para direcionar o pensamento. Em minha opinião, tais fontes devem servir de suporte a um argumento, mas o argumentador não deve simplesmente jogar a fonte e dizer: “vai procurar”. Ele deve expor sua opinião, encadear seu pensamento de forma lógica baseado nas suas fontes e, se a outra parte quiser se aprofundar, aí sim deve ser indicada a fonte.

9) “Diz que ‘ninguém pode ter certezas absolutas de nada’ ”
A ciência não trabalha com “certeza absoluta”. Suas teorias são abertas à crítica e à auto-correção, o que é exatamente o contrário das religiões, estas sim trabalhando com o conceito de “verdade transcendente imutável”.

10) “Quando estiveres a debater com um cristão, faz com que os teus argumentos sejam acompanhados de insultos”
Não considero insultos um argumento. E ademais, tanto ateus quanto religiosos usam insultos. Basta ver os comentários nos diversos sites e blogs da internet. E sinceramente, acredito que religiosos insultem muito mais os ateus.

11) “Não te esqueças de ter à mão certos clichés como ‘vai estudar’ ”
Também não considero “vai estudar” ou “já dei o link, vai procurar” argumentos convincentes. Melhor seria expor meu ponto de vista, citando as fontes somente se a outra parte quiser se aprofundar.

12) “Culpa o Cristianismo pela Santa Inquisição e pelas Cruzadas” “regimes ateístas (…) foram responsáveis pela morte de mais pessoas do que todas as guerras religiosas em 2000 anos”
Em primeiro lugar, o cristianismo FOI RESPONSÁVEL SIM tanto pela inquisição quanto pelas cruzadas, pela caça às bruxas, pela conversão forçada dos povos do novo mundo, etc. E se você me provar que REGIMES POLÍTICOS encabeçados por ateus mataram EM NOME DO ATEÍSMO – que é exatamente o que fez o cristianismo – aí vou rever meus conceitos.

13) “há muitos cientistas que acreditam em Deus”
Não há problema algum um cientista acreditar em deus. Se ele quer acreditar, isso é problema dele e de mais ninguém. Entendam que ateus não são contra uma pessoa querer acreditar em algo. Somos contra, sim, quando querem nos OBRIGAR a aceitar essas crenças como se fossem “verdade absoluta” – lembram do item 9? Quando querem IMPOR ao Estado – que deveria ser LAICO – uma religião oficial.

14) “ Usa e abusa de conceitos como a moralidade, a lógica e a justiça”
Moralidade, lógica, justiça e ética são valores que deveriam nortear a vida de todo e qualquer ser humano.

Comentar por Alexssc

Concordo com o comentário anterior, discordo do post do blog. Eu acho que para ser ateu vc precisa perceber a história mundial como um palco difundidor de ideologias(religiões, ufologia, horóscopo e todo tipo de pseudo-ciência) que foram impostas em cada época e serviram como guia para as sociedades. Assim como a mitologia grega, o cristianismo, o islamismo, o espiritismo, a cientologia e outros milhões de religiões foram inventadas com 2 propósitos: fazer com que as pessoas se conformem e tenham um juízo formado sobre a vida e o que vem depois dela… e o segundo propósito e o mais óbvio(porém camuflado pelas “boas intenções”) é fazer dinheiro!

E qualquer um sinta-se à vontade para discordar da minha opinião, que não está acabada, mas em processo contínuo de investigação e aprimoramento.

Comentar por Anessa

haha adorei luís muito bom.
alexssc, boa análise.

Comentar por b

Sobre a qustão da *circularidade do raciocínio*, que é o argumento usado no Criacionismo.

a)A BÌBLIA É INFALÍVEL
b)Como você sabe que ela é Infalível ?
c)A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS
d)Como você sabe que ela é a Palavra de Deus ?
e)PORQUE A BÍBLIA DIZ ISTO
f)Mas porque acreditar na Bíblia ?
—> VOLTA PARA A LETRA *A* <—-

Isto chama-se Questionamento Circular.

Mas os Criacionistas gostam do termo chamado "… a roda do poder…" (rsrsrs)

Comentar por Ricardo Muradas

o comunismo é ateu?? isto não está bem correto…

o comunismo não seria laico, como toda instituição pública ou estado deveriam ser? ser laico, enquanto instituição pública, não é ser ateu, mas sim permitir que os cidadãos pertencentes a elas tenham liberdade de acreditam no que quiserem.

o mais engraçado é que discussões acerca da existência de deus sempre calcadas em princípios e dogmas cristãos, passagens bílicas, etc, como se fossem convenções universais…

o cristão sempre esquece que é apenas 1/3 da população mundial, e da maior parte desse um terço fazem parte pa´ses de terceiro mundo que em algum ponto da história foram culturalmente subjulgados… enfim, estão longe de ser maioria, estão longe de “provar” qualquer verdade universal coms eus parcos argumentos…

Comentar por Leonidas

Tudo surgiu do nada e para nada? A vida e toda a sua beleza e complexidade íncriveis são fruto do acaso? Nós somos acidentes biológicos e estamos discutindo nossa existência? Por que este acidente biológico acha a natureza bonita?
Não parece fazer muito sentido.

Comentar por Matheus




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: