No princípio criou Deus os céus e a Terra


A vida não poderia ter começado como Darwin propôs
Janeiro 13, 2009, 1:15 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Testes realizados em poças vulcânicas por uma equipa da Universidade da Califórnia sugerem que estas não davam condições para permitir o surgimento das formas de vida.

O chefe da equipa da Universidade da Califórnia, o professor emérito de Química David Deamer disse: “Já fazem 140 anos desde que Darwin sugeriu que a vida pode ter começado em uma ‘poça morna’. Estamos testanto a ideia dele, em pequenas poças em regiões vulcânicas em Kamchatka, na Rússia, e Mount Lassen, na Califórnia“. “Os resultados são surpreendentes e, de certa forma, desapontadores. Parece que as águas ácidas quentes da lama não fornecem as condições adequadas para que componentes químicos se transformem em ‘organismos pioneiros“, referiu.

O cientista disse que aminoácidos, ADN e fosfato, componentes essencias para a formação da vida, se prendem à superfície de partículas do barro nas poças vulcânicas. “Isso é significativo porque havia a pressuposição de que barro promove interessantes reações químicas ligadas à origem da vida“, explicou ele. “Entretanto, nos nossos experimentos, os componentes orgânicos ficaram tão grudados às partículas de barro que não poderiam fazer parte de qualquer reação química“, completou.

pocamorna
_____________________________________________________________________

É altamente improvável a vida ter começado numa “poça morna”? Bem, pelo menos sem intervenção sobrenatural é. As experiências deste grupo de cientistas só confirmam o óbvio.
_____________________________________________________________________

Porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.” (Colossenses 1:16)

Anúncios

30 comentários so far
Deixe um comentário

Sim, faz muito mais sentido ter sido um ser mitológico a criar o homem ao fim de meia dúzia de dias a partir de uma bocado de lama e a mulher a partir de uma costela do primeiro… Amén! 🙂

Comentar por Adão

Não. Faz mais sentido a vida ter-se criado a si mesma.

Comentar por alogicadosabino

Obrigado por concordares! Mais um pouco e vais lá! 🙂

Comentar por Adão

Ironia FTW.

Comentar por H

A vida começou com uma bosta de extraterrestre.

Comentar por Jovem

Faz mais sentido a vida ter sido criada por Um Ser Cujo Poder vai para além das forças da Física e da Química, do que acreditar que a vida gerou-se a si mesma como resultado de milhões de eventos aleatórios durante um catrefada de anos.

Comentar por Mats

Faz mais sentido a vida ter sido criada por Um Ser Cujo Poder vai para além das forças da Física e da Química, do que acreditar que a vida gerou-se a si mesma como resultado de milhões de eventos aleatórios durante um catrefada de anos.

Sim. Faz mais sentido pensares que a mão que tens na mão na quinta ronda da sueca foi distribuída por um ser que escolheu que cartas terias, do que assumir que é fruto misto de se ter baralhado e dividido as cartas aleatoriamente e tu teres optado por jogar ou ficar com as cartas na mão.

Comentar por Ska

O Ska compara laranjas com esquentadores e acha que está a dizer uma grande coisa.

Comentar por alogicadosabino

Vindo de um adorador do mestre das parábolas, revestes-te numa teia de hipocrisia ao ironizar-me.

Comentar por Ska

Então e os mitos de criação das outras religiões? Como encaixam nisto tudo? Ou só vale o mito cristão? Claro… é a única religião… as outras são crenças, né?

Comentar por Joana

Sim. Faz mais sentido pensares que a mão que tens na mão na quinta ronda da sueca foi distribuída por um ser que escolheu que cartas terias, do que assumir que é fruto misto de se ter baralhado e dividido as cartas aleatoriamente e tu teres optado por jogar ou ficar com as cartas na mão.

Vários problemas:
1. Há um limite de escolha de cartas
2. Qualquer que seja a escolha de cartas, isso é o que seria de esperar porque isso acontece sempre.
3. Nada de novo é criado com o baralho de cartas.

Por outras palavras, o exemplo é biologicamente irrelevante.

Comentar por Mats

2. Qualquer que seja a escolha de cartas, isso é o que seria de esperar porque isso acontece sempre.

Oi? Estás bem? Seria de esperar teres a mesma combinação de cartas na mão? Sabes qual é a propabilidade de isso acontecer?

Mas a verdade é que aconteceu. Tu não estavas À espera daquela mão em concreto, por isso achas que é uma coisa fenomenal?

3. Nada de novo é criado com o baralho de cartas.

Então não é? Aquilo que tens na mão não é o mesmo que tinhas no baralho total.

Comentar por Ska

“Então não é? Aquilo que tens na mão não é o mesmo que tinhas no baralho total.”

lol

Comentar por alogicadosabino

É essa a minha vontade de responder a muitos dos teus posts.

Comentar por Ska

2. Qualquer que seja a escolha de cartas, isso é o que seria de esperar porque isso acontece sempre.

Oi? Estás bem? Seria de esperar teres a mesma combinação de cartas na mão? Sabes qual é a propabilidade de isso acontecer?

Não, amigo. O que acontece sempre é acontecer uma composição improvável de cartas. Se pegares nas cartas e as atirares ao ar, a composição delas a cair é “improvável”, mas esperada porque isso acontece sempre.
Não confundas a informação biológica existente nso seres humanos, que é independente das composição material, com a sequência de cartas que as pessoas recebem.

Mas a verdade é que aconteceu. Tu não estavas À espera daquela mão em concreto, por isso achas que é uma coisa fenomenal?

Porque sempre que todas as cartas são dadas, acontece sempre uma composição improvável.

3. Nada de novo é criado com o baralho de cartas.

Então não é? Aquilo que tens na mão não é o mesmo que tinhas no baralho total.

Aquilo que tenho na mão é uma das consequências inevitáveis do jogo.

Comentar por Mats

Amooo esse blog! Mt bom!

Comentar por Bruna Klock

Aquilo que tenho na mão é uma das consequências inevitáveis do jogo.

Não senhor. Podes ficar a fazer uma noitada até ao sol raiar, e nunca chegares a ter na mão estas cinco cartas. Não é inevitável. Simplesmente… aconteceu. Não sei como seria se tivesse acontecido de outra maneira.

“Não, amigo. O que acontece sempre é acontecer uma composição improvável de cartas. Se pegares nas cartas e as atirares ao ar, a composição delas a cair é “improvável”, mas esperada porque isso acontece sempre.”

Não concordo contigo nessa parte da composição improvável. Se as atirares ao ar, caem todas no chão. Se estás a falar de ficarem viradas para cima ou para baixo, não há nada “esperado porque (…) acontece sempre”. Aí acontecem uma porrada de coisas diferentes

“Não confundas a informação biológica existente nso seres humanos, que é independente das composição material, com a sequência de cartas que as pessoas recebem.”

A “informação biológica” (passe a expressão) presente nos seres humanos é tudo menos independente da sua composição material, lamento discordar profundamente.

Comentar por Ska

Ska

Aquilo que tenho na mão é uma das consequências inevitáveis do jogo.

Não senhor. Podes ficar a fazer uma noitada até ao sol raiar, e nunca chegares a ter na mão estas cinco cartas.

Mas se eu ficar a jogar a noite toda, todas as vezes que me derem cartas eu hei-de ter uma sequência improvável. Certo? Não é surpresa nenhuma.

“Não, amigo. O que acontece sempre é acontecer uma composição improvável de cartas. Se pegares nas cartas e as atirares ao ar, a composição delas a cair é “improvável”, mas esperada porque isso acontece sempre.”

Não concordo contigo nessa parte da composição improvável. Se as atirares ao ar, caem todas no chão. Se estás a falar de ficarem viradas para cima ou para baixo, não há nada “esperado porque (…) acontece sempre”. Aí acontecem uma porrada de coisas diferentes

Todas esperadas, porque nós sabíamos que uma composição única haveria de acontecer.

“Não confundas a informação biológica existente nso seres humanos, que é independente das composição material, com a sequência de cartas que as pessoas recebem.”

A “informação biológica” (passe a expressão) presente nos seres humanos é tudo menos independente da sua composição material, lamento discordar profundamente.

Claro que é. Os átomos da vida estão organizados devido À informação e não devido a sua composição.

Comentar por Mats

e será que os tais primatas, que supostamente são nossos antecessores, não serão meras espeécies que apareçeram e depois desapareçeram tal com os dinossauros?

Comentar por nio

Os átomos da vida estão organizados devido À informação e não devido a sua composição.

?? Sabes o que são átomos sequer? Que raio quer dizer “organizados devido à informação”?

Comentar por Ska

Pelos vistos tu é que não sabes o que é informação.

Comentar por alogicadosabino

Talvez. Mas sabes tu o que são átomos?

Comentar por Ska

Já ouvi falar

Comentar por alogicadosabino

Sou Bióloga, e acredito que Deus tenha criado tudo, pois tudo é tão maravilhoso e perfeito que as coisas não apareceriam assim… estudei mto sobre Darwin, penso que ele teve motivos pessoais para duvidar da existência de Deus. Mas cada um é livre para acreditar no que quer, se prefere a teoria ou então a religião.

Comentar por Leticia

Alguém não sabe que Darwin nuna propôs um início para a vida…

Comentar por Ravick

“Alguém não sabe que Darwin nuna propôs um início para a vida…”

Ele nunca propôs nada, realmente.

Comentar por MVR

Ska…sinto muito, mas acho que você não entende nada de probabilidades.
1-Todas as combinações de cartas são provaveis desde que as cartas estejam em jogo.
2- Não existia vida, então não existia essa carta, este exemplo do baralho, não se aplica a Biologia.
Não existia a probabilidade de acontecer tal fato, com os elementos que desejas que aconteça. Tanto é, que computadores mais modernos fizeram processamento desses dados e nada aconteceu, ou seja, teoricamente, processado as probabilidades, ela ainda não existe e nunca existiu, utilizando tais parametros.
Existe outro fator neste processo que não está incluindo no “seu baralho de cartas”
O que você quer é jogar com Naipes vermelhos e pretos e achar que vai aparecer um Naipe azul.Esta probabilidade não existe, temos que inserir outro parametro nesse baralho…
Pode ser Deus, ou qualquer outro fator, mas tem que ser outra coisa além do habitual. (além do seu baralho)

Abçs

Comentar por Alexandre

«Todas as combinações de cartas são provaveis desde que as cartas estejam em jogo.»

Ufa! O nível técnico de discussão sobre probabilidade e estatística neste artigo está elevadíssimo 😎

«Não existia vida, então não existia essa carta,»

Upa upa! O nível técnico da discussão sobre biologia está ainda mais elevado que o de probabilidade e estatística. A vida deve ser uma caixinha que não existia e passou a existir. Está resolvida a velha questão da definição de vida. Não, não foi por um grupo de filósofos, teólogos, físicos ou biólogos: foi mesmo aqui, nos comentários d’A Lógica do Sabino. Gritem-se vivas 😎

«Mas se eu ficar a jogar a noite toda, todas as vezes que me derem cartas eu hei-de ter uma sequência improvável. Certo? Não é surpresa nenhuma.»

Cada tiro, cada melro :’)

Giro giro era ver como seriam as regras do Poker se esta vossa… errr… teoria da probabilidade fosse levada em consideração. Aliás: vocês devem ser fabulosos a fazer bluff, uma vez que reagem exactamente da mesma maneira a qualquer combinação de cartas, porque sabem – e todos os outros jogadores de Poker ignoram, pelo que parece – que qualquer combinação é igualmente provável.

«Os átomos da vida»

Ena! Isto torna-se mais complexo a cada linha que leio! Está esclarecida a minha dúvida anterior. A vida não vem em caixinhas, mas sim em átomos! Agora não só existem átomos de Oxigénio e Azoto, como também existem os átomos da Vida :’)

Pergunto-me em que grupo estarão na tabela periódica. Qual será o número de electrões de valência de vida? E calcular a energia de ionização da vida? Isso é que era um exercício porreiro para aplicar num teste do Secundário.

Ó Sabino, a caixa de comentários do teu blog é uma autêntica universidade 🙂

Ps.: eu gostava mesmo que os meus comentários não ficassem perdidos no meio dos outros comentários, mas sim que ficassem por ordem cronológica. Por algum motivo, sempre que introduzo um comentário no teu blog ele não fica na ordem correcta, mas aparentemente no meio de comentários mais antigos.

Comentar por leandro ribeiro

Nas pesquisas feitas em rochas nunca se encontrou vestígios da mitológica sopa organica.1 A teoria da sopa não é adequada para os parâmetros científicos, como admite os pesquisadores no artigo supra citado. Alem disso, os aminoácidos livres nos antigos mares, não poderiam realizar as ligações peptídicas visto que a água impede essa reação. 2 Em conseqüência não haveria a formação de sequer um dipeptidio de aminoácido, não haveria a formação de proteínas, e muito menos de ácidos nucléicos. Os aminoácidos são literalmente destruídos em meio aquoso, e os ácidos nucléicos são ainda mais frágeis. Não houve sopa orgânica, tudo não passa de um mito que ainda é ensinado nas aulas de biologia.

1 (Taxton, Charles; Bradley, Walter; e Olsen, Roger – The Mystery of Life Origin, ed. P. Library, Texas– (1984 p 66)
2(Behe, Dr. Michael – A Caixa Preta de Darwin (1997) Jorge Z. ed. RJ p. 173).

Comentar por Aroeira

Eu acredito só na palavra de Deus,tudo que está escrito é absoluto; o homem e o diabo podem falar ou fazer qualquer coisa ,mas nada vai permanecer,porem Deus prevarecera sobre todas as coisas.Temos de submeter a Ele e a suas palavras,pois está escrito em heb 11.3,-pela fé ,entendemos que os mundos,pela palavra de Deus,foram criados;de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.

Comentar por André I. dos Santos




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: