No princípio criou Deus os céus e a Terra


Voltei a chatear os ateus brasileiros…
Dezembro 11, 2008, 2:18 am
Filed under: Desabafos, Humor

… mas desta vez fui banido da comunidade também. As razões do ban:

Entenda: ma[n]ter tipinhos inúteis como você fora desta comunidade é uma questão de higiene e piedade, a um tempo.

Higiene, porque poupamos os demais membros de ler as merdas que você escreve em seu blog

Piedade, porque te poupamos de ser humilhado em público em plena internet.

Agradeço a preocupação por mim, senhor Moderador, mas eu não me importo de ser humilhado em público em plena internet, por isso pode tirar o ban, se faz favor :]

A comunidade denomina-se Evolucionismo & Criacionismo, mas os criacionistas são mantidos fora. Só são permitidos criacionistas que não chateiem muito com os seus textos a mostrar que o Big Bang é uma religião secular, a teoria das cordas não tem ponta por onde se lhe pegue, etc.

É a forma de manter as teorias naturalistas na redoma. Quanto menos se souber das falsas ideologias, mais elas estarão bem protegidas. Ler O grande problema das falsas ideologias

Notem que os ateus brasileiros ainda discutem como terá sido possível surgirem todas as raças de homens a partir de um único casal, como se isso fosse um grande problema para criacionistas. Só revela que ainda há muita ignorância para curar. Ver Como surgiram as diferentes “raças” (desde Adão e Eva) ? (Parte 1) e Parte 2

Anúncios

32 comentários so far
Deixe um comentário

É uma excelente estratégia a deles, deixar apenas os crentes que estudaram pouco e não sabem argumentar bem.

Assim o debate até parece “equilibrado” e “neutro”, mas sempre com aquele viés de vantagem bastante discreto para o lado deles.

Parabéns pelo feito, colega!

Comentar por Marcos Ludwig

Sabino, eu acho que se trata de mais uma prova da evolução pela selecção natural, aliás por uma selecção natural extra, agora para o ramalhete ficar composto terias de evoluir para ateu e ficaria tudo bem, mas talvez seja preciso muito tempo.
abraço 😉

Comentar por Natenine

Presumo que um criacionista que admite sem pudor que não faz a mais pequena ideia do que é a teoria das cordas não chateie muito quando diz que a teoria das cordas não tem ponta por onde se lhe pegue…

Comentar por PR

“É uma excelente estratégia a deles, deixar apenas os crentes que estudaram pouco e não sabem argumentar bem.”

Porque qualquer um dos fanáticos religiosos que aqui comenta tem um mestrado em física quântica e um PhD em Biologia Molecular?

Comentar por Ska

“Porque qualquer um dos fanáticos religiosos que aqui comenta tem um mestrado em física quântica e um PhD em Biologia Molecular?”

A questão não é em ter um mestrado nisto ou um doutoramento naquilo…. a questão é simplesmente não aceitar a teoria da evolução. Na américa, os criacionistas que têm organizações são todos pós-graduados nos variados ramos da ciencia natural e os evolucionistas dizem na mesma que eles não percebem nada de ciência ou da teoria da evolução.

A questão não é ter um mestrado aqui ou doutoramento ali, a questão é não aceitar que a evolução diz que os animais podem evoluir morfologicamente, mas tambem podem não evoluir morfologicamente, podem aumentar em complexidade, mas também podem diminuir em complexidade, podem evoluir rapido a nivel molecular, mas também podem evoluir lentamente a nivel molecular… é pau pra toda a obra

Comentar por alogicadosabino

Um carro pode ir para a frente, pode ir para trás, pode virar à direita ou à esquerda. Pode estar parado, acelerar ou abrandar.

Realmente é demasiado ridículo isso, é mais simples a ideia de “Os carros não andam”

Comentar por Ska

Ska,
Péssima comparação.
Para além do facto de estares a falar de locomoção e não evolução, ninguém “prevê” que o carro vai andar para frente, ou para trás ou para à esuqerda ou direita. Isso é o que acontece <b<normalmente. Agora, dizer-se que algo de anormal como o aparecimento mágico de novas instruções genéticas, e depois exactamente o contrário acontecer, é muito diferente.

Segundo, carros a andar é uma coisa que nós vêmos a acontecer hoje. Portanto estás a comparar alhos com bogalhos, uma vez que a evoluçãio lida com o passado.

Terceiro, dizer que os carros não andam não é o mesmo que dizer gatos vão sempre dar à gatos, que é o que os criacionistas acreditam.
Dizer que gatos vão dar à luz algo que não é um gato está ao mesmo nível que um carro não andar. Algo de anormal aconteceu (avaria, etc). NO caso da evolução, algo de facto aconteceu, mas só na imaginação deles.

Comentar por Mats

Vemos?

Eu vejo a selecção natural a acontecer hoje também. Tu não?

E não, gaivotas dão gaivotas é um caso bastante duvidoso. Ainda esta semana saiu um artigo a falar de especiação numa ave qualquer, em portugal (lamento, não me lembro que bitcho era)

Comentar por Ska

Eu vejo a selecção natural a acontecer hoje também. Tu não?

Tecnicamente falando, tu não vês a selecção natural, mas vês os efeitos da selecção natural. Mas entendo o que dizes.

Sim, nós “vêmos” a selecção natural, que por acaso foi inicialmente promulgada pelo criacionistra Edward Blyth 25 anos antes de Darwin. No entanto, tudo o que a selecção natural faz é eliminar os menos aptos. A selecção natural não cria nada.

Repara que selecção natural não é equivalente a evolução. Um é um processo selectivo, e o outro é um suposto process que afirma que a selecção natural pode gerar novas instruções genéticas.

Comentar por Mats

Lá está. Como já deves ter percebido, o processo de replicação genótipo não é 100% fiável, é sujeito a falhas. Essas falhas originam mutações. Na maior parte das vezes, são coisas que, no mínimo, causam cancro.

Mas de vez em quando, há coisas que até são boas. Uma mutação numa proteína numa célula óssea, que faça com que esta seja sobre-expressa, causando aumento do tamanho do pescoço, imagina. Isto causa variabilidade. Como é uma variabilidade boa (permite chegar a lugares mais altos para ir buscar comida), é uma variabilidade favorável. E propaga-se na população inicial.

E pimba, tens evolução (conceitos de especiação ou subespeciação acho que são demasiado artificiais para este caso, e não interessam em particular)

Comentar por Ska

Ska,
Mutações de facto acontecem, e são um facto. NO entanto convém ressalvar duas coisas:

1. Mutações são a recombinação de instrucções que já existam. Não é a invenção de funções que nunca existiram no genoma. Mutações não geram nova informação. A evolução bactéria-para-homem requer novas funções para braços, olhos, pernas, etc, etc.

2. Na sua esmagadora maioria, as mutações são deleteriosas.

Comentar por Mats

Marcos Sabino,

Já que contrapuseste uma resposta a um comentário meu, gostaria que me respondesses, não deixando o dialogo a meio, no post do Ludwig com o nome “Lembra alguma coisa?” aqui, no comentário das “10-12-2008 22:22″… Estranho. Respondeste só ao que te foi cómodo, ao que contraria de forma mortal a tua fé, é como não existisse, parece que queres que as coisas sejam como tu desejarias, e para isso, os que contraria de forma objectiva é automaticamente descartado, como lá não estivesse. Será que é assim que é edificada a fé? Só conta o que ajuda? Aguardo a tua resposta lá.

Comentar por Mário Miguel

Ska,

“Uma mutação numa proteína numa célula óssea, que faça com que esta seja sobre-expressa, causando aumento do tamanho do pescoço, imagina. Isto causa variabilidade. Como é uma variabilidade boa (permite chegar a lugares mais altos para ir buscar comida), é uma variabilidade favorável. E propaga-se na população inicial.”

Uma mutação que faz o pescoço aumentar não é evidência para explicar como o pescoço surgiu, em primeiro lugar. Como o Mats já disse, isso não passa de recombinação de material genético já existente. A selecção natural opera em material genético já existente. As mutações são o resultado de erros em material genético já existente. A teoria da evolução diz que no principio não havia informação genética para pulmões… mas ela apareceu. Não havia informação genética para unhas dos pés… mas ela apareceu. Usar variação de características já existentes (aumento do tamanho do pescoço, como no teu exemplo) não explica como a informação para fazer pescoços apareceu, em primeiro lugar.

“E pimba, tens evolução (conceitos de especiação ou subespeciação acho que são demasiado artificiais para este caso, e não interessam em particular)”

Evolução? É isso que entendes por evolução?

Darwin não apresentou uma teoria que dizia como os pescoços mudavam de tamanho com o passar dos anos. Ele apresentou uma teoria que dizia como os pescoços surgiram a partir de um protozoário.

Comentar por alogicadosabino

Mario Miguel,

sim, eu vi o comentário… mas como a maioria das vezes já sei que estarei a gastar o meu tempo para pregar aos peixes, não respondo a tudo o que me perguntam. Caso contrário, não faria outra coisa no meu dia a dia. Mas como te deste ao trabalho de vir aqui, eu respondo. Tá respondido lá e se tiveres interessado esse assunto está abordado com mais detalhe aqui no blogue.

Comentar por alogicadosabino

“Não é a invenção de funções que nunca existiram no genoma. Mutações não geram nova informação.”

Mutações claro que geram nova informação.

Comentar por Ska

Ska,
Não, não geram. A não ser que tenhas uma definição de “informação” irrelevante para o debate sobre as origens.

Comentar por Mats

Mats, geram.

Lamento, mas neste campo os teus conhecimentos são piores que nulos.

As mutações não são só recombinações. Há mutações por duplicação, por delecção, por inversão e sim, também, por recombinação.

Surge informação nova:

-Mats
-Mats
-Mats mats
-mets mats
-mest mats
-mestes mats
-meste mats
-mestre mats

Só usei os processos descritos em cima e houve ganho de informação.

Comentar por Ska

espera… de onde é que veio a letra “e” e a “r”, que não existiam ao início?

recombinação -> o nome diz tudo, recombinar algo que já existe
duplicação -> o nome diz tudo, duplicar algo que já existe
delecção -> o nome diz tudo, eliminar algo que ja existe
inversão -> o nome diz tudo, inverter algo que já existe

Comentar por alogicadosabino

E?? Por inverteres uma coisa, ela continua na mesma?

Inverte a letra “a”. Parabéns, ganhaste uma letra “e”

Comentar por Ska

espera… de onde é que veio a letra “e” e a “r”, que não existiam ao início?

Magia evolutiva!

Comentar por Mats

E?? Por inverteres uma coisa, ela continua na mesma?

Se os teus fihos estão sentados frente a frente, e tu os mudas de lugar, eles deixam de ser teus filhos?

Comentar por Mats

Ska, além disso o que tu dizes não é lógico. Um casal de gatos brancos pode gerar gatos cinzentos, pretos e brancos. Uma vez que houve recombinação de instrucções genéticas, eles deixaram de ser gatos?

Todos os process que tu enumeraste em cima são processos que operam sobre informação já existente. No entanto, a teoria da evolução não veio para explicar como é que a informação existente se recombina, mas explicar de onde é que surgiu a nova informação.

Tu não podes logicamente usar em evento onde há recombinação de informação como evidência para o surgimento de informação do nada.

Comentar por Mats

Mats, tu quando não papagueias aquilo que já tinhas dito atrás, sem perceber bolha(!) daquilo que estás a dizer, és tão bom rapaz…

“Inverte a letra “a”. Parabéns, ganhaste uma letra “e””.

Suponho que não me dizes que continua a ser a mesma letra. Não conheces aquela marca de ligerie, a oysho? Se inverteres esse nome sim, manténs a mesma informação.

E repito, ninguém falou de “surgimento de informação do nada”. Até porque se falo em recombinação, é de algo que já existe, sem dúvida. Se há mutação, é de algo que já existe. É assim tipo por a massa no forno. Não crias o pão de nada, crias a partir da massa. Já houve alteração da informação. Se barrares manteiga, fica uma coisa; se barrares com geleia, fica outra.

Comentar por Ska

SKa,
Não deixa de ser pão, ou deixa?

Segundo, claro que a teoria da evolução tem que explicar donde surgiu a nova informação. Os exemplos que tu deste não explicam.

Comentar por Mats

Inverter a letra “a” não se ganha a letra “e”. Ganhas um “a” invertido. Para ele se transformar em “e” terias de fazer uns recortes e uns moldes aqui e ali.

Comentar por alogicadosabino

Use the force…err…the imagination. use the imagination.

Comentar por Mats

“Não deixa de ser pão, ou deixa?”

Não deixa de ser farinha. Não deixa de ser um composto baseado em carbono.

Sabino – A informação que um “a” invertido contém não é a informação de um “a” invertido. É a informação de um “e”.

Um “h” invertido contém a informação “y”.

Comentar por Ska

Depende como o desenhares. Aquilo que mostraste é esquema publicitário. O “h” foi propositadamente desenhado de maneira a poder ser lido de qualquer maneira.

um “h” normal invertido não fica um “y”

H -> Y
h -> y

Boa sorte em inverter e uma dar a outra.

Comentar por alogicadosabino

Pois. Graças deus numa célula, uma proteína em forma de h invertido pode fazer a função de uma proteína em forma de y, n é?

Comentar por Ska

Marcos Sabino,

Que fique claro. Quem te Baniu na comunidade “Evolucionismo & Criacionismo” não foi um ateu como implicitamente de forma subtil parece quereres fazer passar, mas sim um teísta, que era o moderador dessa comunidade e o explicitou no texto onde justifica a tua expulsão, estando esse texto no link que tu colocas no início do texto.

Comentar por Mário Miguel

Ele pode denominar-se como bem quiser. Sendo ateu em relação ao Deus da bíblia, está a impedir que alguem que pensa diferente dele apresente o seu ponto de vista.

Comentar por alogicadosabino

Mas não é ATEU. E o que dizes parece implicar indirectamente que seja. E mais um que acredita em amigos invisíveis.

Comentar por Mário Miguel




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: