No princípio criou Deus os céus e a Terra


Um dinossauro que respira como as aves? O que foi mesmo descoberto?
Outubro 1, 2008, 5:24 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Um dos cépticos residentes colocou um link do Público que anuncia a “descoberta de um dinossauro com sistema respiratório parecido com o das aves”. Hoje, esta notícia fez capa na versão impressa. Muito provavelmente, o artigo do Público é uma tradução a partir de um artigo que, por sua vez, já representa uma tradução do paper original. Criacionista atento já sabe que tem de ler nas entrelinhas dos artigos. Já aqui tinha reportado uma notícia que a ScienceDaily publicou, limitando-se a copiar um press release de uma Universidade, sem tirar nem pôr (Ver A semana que passou – 12 de Maio – 3º tópico).

Os cientistas descobriram um dinossauro (Areosteon) com mais ossos ocos do que o normal e então especularam que poderiam estar associados a sacos aéreos, uma das características das aves.

A verdade é que o discurso dos cientistas no paper original (PLoS ONE) é bastante conservador e baseado em especulação e interpretação. Vamos ver algumas das afirmações [meu negrito e sublinhado]. Vai em inglês porque não há tempo para traduzir:

We also describe several pneumatized gastralia (“stomach ribs”), which suggest that diverticulae of the air sac system were present in surface tissues of the thorax.

The advent of avian unidirectional lung ventilation is not possible to pinpoint, as osteological correlates have yet to be identified for uni- or bidirectional lung ventilation.

The origin and evolution of avian air sacs may have been driven by one or more of the following three factors: flow-through lung ventilation, locomotory balance, and/or thermal regulation.

The capacity of the cervical air sacs to invade centra to form invaginated pleurocoels may have evolved independently in sauropodomorphs (sauropods) and basal theropods and appears to have been lost several times within theropods.

The osteological or logical correlates needed to support some of these inferences have been poorly articulated, which may explain the wide range of opinions on when intrathoracic air sacs like those in birds first evolved and how these relate to ventilatory patterns.

Based on the osteological correlates we have assembled (Table 4), we would argue, first, that until we can show evidence of the presence of at least one avian ventilatory air sac (besides the non-ventilatory cervical air sac), it is problematic to infer the presence of flow-through ventilation or a rigid, dorsally-attached lung.

Second, we know of no osteological correlates in the gastral cuirass that would justify the inference of abdominal air sacs. […] And third, it is not well established that abdominal air sacs were either first to evolve or are functionally critical to unidirectional ventilation.

Basal maniraptorans have many of the features associated with this ventilatory mechanism including a large ossified sternum, ossified sternal ribs, uncinate processes a deepened coracoid that contacts the sternum along a synovial hinge joint.  By contrast Aerosteon and the abelisaurid Majungasaurus lack these features.

The factors driving the origin and evolution of the functional capacity of avian air sacs and lung ventilation remain poorly known and tested.

Ufff… toparam? Visto assim, até parece que estamos a falar de um artigo completamente diferente do que aquele que vem no Público. Mas não é só o Público. Regra geral, toda a comunicação social (principalmente a internacional) dá como certo algo que permanece longe de estar assente. O discurso dos cientistas é 95% baseado em cenários hipotéticos. Como se pode ver, há uma grande diferença entre aquilo que foi descoberto e aquilo que a comunicação social diz que foi descoberto. O evolucionista lê e vai colar os links nos blogues criacionistas.

Lembram-se do Archaeopteryx? Tendo em consideração as contas evolucionistas, o cenário é o seguinte:
-> Archaeopteryx (que, na realidade, é uma ave voadora plenamente desenvolvida), é O elo entre os répteis e as aves, que viveu há 150 milhões de anos.
-> Aerosteon, é um dinossauro que estava a caminho de se transformar em ave, que viveu há 85 milhões de anos.

A linha de tempo está um bocado baralhada (Ver também: As penas primitivas dos pássaros modernos). Outra coisa que os evolucionistas usam para ajudar a promover a sua falsa ideologia são os desenhos artísticos. O indivíduo mais ingénuo olha para as representações artísticas dos animais e pensa que elas representam retratos verosímeis dos animais em questão.

Além do mais, não é preciso relembrar a excelente e fidedigna interpretação evolucionista a respeito dos órgãos internos dos animais, ou é?

Anúncios

9 comentários so far
Deixe um comentário

Não é prova da evolução concordo, no entanto é mais uma evidência dentre tantas outras.

Comentar por Kibom33

“O discurso dos cientistas é 95% baseado em cenários hipotéticos”. Não. O discurso dos cientistas consiste em resultados concretos, obtidos através de experiências. “hipotéticas” são as conclusões tiradas. São hipóteses que se apresentem concordantes com esses resultados e com outros anteriormente divulgados.

Comentar por Ska

Ao contrário das religiões, a ciência não é dogmática Sabino.

Termos como “may have been” e “may suggest” indicam que as evidências ainda não são conclusivas 😉

Comentar por AmadeusXIII

O facto de o discurso dos cientistas ser todo baseado em “mays” e “coulds” significa que o cenário é todo especulativo. Não deveria ser tarefa da ciência especular sobre um cenário evolutivo sem ter provas concretas. É que os evolucionistas mais ingénuos nem sequer questionam as descobertas. Limitam-se a ler aquilo que vem nos media, onde o exagero está quase sempre presente.

Comentar por alogicadosabino

“O facto de o discurso dos cientistas ser todo baseado em “mays” e “coulds” significa que o cenário é todo especulativo.”

Não Sabino, quer dizer que o conhecimento científico nunca é completo. Não há certezas em ciência, nunca! Devias ler o livro “Black Swan” do Taleb. É um bocado como o que fizeste com as pedras Ica, eram evidência conclusiva de que Homens viveram lada a lado com dinossauros, até ao momento em que se descobriu que eram falsas!!!

Comentar por Beowulf

“É que os evolucionistas mais ingénuos nem sequer questionam as descobertas. Limitam-se a ler aquilo que vem nos media.”

Claro. Aí como em todo o lado. O que vende são os títulos dos jornais. De certeza que quem anda a esfregar escadas não lê a Nature ou a Science. Quando muito bota os olhos pelo Destak, e viva o velho…

Comentar por Ska

Beowulf, eu sei que o conhecimento científico não é completo. E por não ser completo, convém dar a ideia de que se estão a descobrir coisas que comprovam as teorias de partículas para pessoas… daí eu perceber estes artigos completamente especulativos… de vez em quando é saudável atirar areia para os olhos das pessoas.

Comentar por alogicadosabino

hehe!

Comentar por Kibom33

o fato de já existirem aves evoluidas na época não faz com que outros tipos de teropodes caminhem em uma evloução convergente…
além do mais, aves são sim dinossauros

Comentar por TH Spike




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: