No princípio criou Deus os céus e a Terra


É possível ter uma fé racional?
Setembro 26, 2008, 11:35 pm
Filed under: Convicções / Fé

Por que razão acreditar em Deus? Por que dizemos que o Universo foi criado por Deus? Questões-chave que nos remetem para a raíz da nossa existência.

Tudo aquilo que tem um início tem uma causa. Nós sabemos que o Universo teve um início, portanto, o Universo teve uma causa, causa essa que está para além das propriedades intrínsecas do Universo. No início de tudo, apareceu não só a matéria e a energia, como também o próprio tempo e o espaço. Como é que o tempo e o espaço foram criados? Se nada existir, nada pode ser criado.

Imagina que estás comigo num café. De repente, ouves uma explosão. Perguntas-me o que foi aquilo. Se eu te responder “Nada”, facilmente te apercebes que ou estou a brincar ou não estou nem aí para o que estás a dizer. Se colocares uma caixa vazia em cima da tua cama, podes esperar o tempo que quiseres que nada vai aparecer dentro dela, por processos naturais e sem assistência externa. Por que achas que o mesmo não se aplica à origem do Universo? O Universo precisou de um impulso inicial, alguém “carregar no botão on“.

O Universo não pode ter-se criado a si mesmo, porque isso significa que ele (ou algo) já existia antes de ter sido criado, que é uma lógica absurda. A causa deste Universo tem de ser imaterial, intemporal e poderosa:

a) Se criou o tempo, não pode estar sujeita a esse tempo. Esta causa é intemporal ou eterna.

b) Se criou o espaço e a matéria, não pode estar sujeita a esse espaço e matéria. Esta causa é imaterial ou espiritual.

O que nos leva a concluir que esta causa é, também, poderosa. Pelo menos mais poderosa do que aquilo que criou.

É aqui que o ateu evita a conclusão óbvia de reconhecer que o Universo foi criado por Deus.

Anúncios

30 comentários so far
Deixe um comentário

🙂 🙂 :-):-) :-):-) 🙂

Palavras para quê ?
Vem o mágico e diz: aparece Universo e zumba na caneca aí temos o universo à nossa disposição.
Delirios

Comentar por Joaquim Coelho

Concordo plenamente. Aliás, a ciência nunca contradiz a natureza divina da ordem das coisas, nem, na minha visão de pessoa com fé, a religião despreza a ciência.
A ciência limita-se a mostrar como está organizado tudo aquilo que, mas na verdade, não encontra uma explicação para a força que lhe deu origem – essa força vem de Deus… a maioria dos homens da ciência sabem disso.

Seja um simples átomo: a ciência explica-nos a sua constituição, a carga eléctrica dos seus elementos, as suas características… etc. Mas as perguntas continuam no ar: e quem foi o Arquitecto de toda esta “engenheria”? E quem pôs ordem nestes elementos? E quem os dotou de uma combinação que fez com que eles fossem aquilo que são?

Com uma boa dose de certeza, o “acaso” não funciona de forma tão perfeita, tão basta e tão sábia…
A resposta é fácil… toda a gente sabe! È claro que foi Deus!

Aqui reside a raiva de alguns… não podem igualar (nem sequer imitar) a sua força, a sua sabedoria e as suas capacidades!!!!

Comentar por Zeca Portuga

Joaquim,

Só estou a ser lógico. Se a nossa experiência empírica diz que tudo tem um criador, por que o nosso Universo material não tem?

Comentar por alogicadosabino

Ainda não temos conhecimentos suficientes para saber qual foi a mola propulsora do início do universo, mas não é porque os antigos não sabiam qual era a causa dos trovões que estava certo cultuá-los.

“Criador” tem um significado muito diferente de “causa”.

Comentar por Fabiane

Sabino!

Uma coisa para ter lógica, é necessário que tenha evidencia. E evidencia não é a falta de explicação, O critério utilizado pela ciência é através de provas que levam a um determinado conhecimento.

Lógica é o mesmo que dizer que os elefantes se escondem bem em uma plantação de morangos, porque nunca os vimos por lá. (Daniel Sotto Maior)

Portanto você utiliza a lógica das coisas sem ter conseguido prova-las, baseadas em um livro onde diz que o mundo surgiu em seis dias, que a terra surgiu antes do sol, e que as estrelas irão cair sobre a terra e ainda irá sobrar alguma coisa.

Sugiro que você procure por evidências da bíblia nas coisas, e pare de utilizar a lógica, porque a lógica é uma aposta, e como toda aposta sabemos que existem bem poucos vencedores.

Comentar por Kibom33

Fabiane,

Ainda não temos conhecimentos suficientes para saber qual foi a mola propulsora do início do universo,

Correcção:
“Ainda não temos conhecimentos suficientes para saber qual foi a mola propulsora do início NATURALISTA do universo”

Tu não tens “conhecimentos” porque tens fé numa hipótese naturalista. O facto de tu não teres “conhecimentos” não quer dizer que “ainda não temos conhecimentos”. Nós temos muitos conhecimentos científicos sobre o nosso mundo e sobre o universo para termos uma hipótese confirmável com as evidências. O problema é que tu não gostas da opção que te foi apresentada, e como tal dizes que “não temos conhecimento”.

mas não é porque os antigos não sabiam qual era a causa dos trovões que estava certo cultuá-los

Falsa analogia. O Sabino neste blog já fêz a distinção entre a ciência operacional, que lida com eventos que podem ser confirmados empiricamente, e a ciência histórica ou forense, que lida com eventos passados.
O que tu fizeste foi confundir uma com a outra.
Se hoje nós sabemos o que causa os trovões, não é por causa do naturalismo, mas porque foram feitos estudos, e foram empiricamente vefiricadas ocorrências que confirmaram as hipóteses. Isto é ciência operacional.
A origem do universo faz parte da ciência forense ou historica.

Tenta não usar o sucesso da ciência operacional como evidência para o Naturalismo, e para a tua versão da ciência histórica.

Comentar por Mats

Joaquim,

Palavras para quê ? Vem o mágico e diz: aparece Universo e zumba na caneca aí temos o universo à nossa disposição. Delirios

Delírio é pensar que todo o design, ordem, sofisticação e operacionalidade existentes no mundo biológicop e no universo são o resultado de um “big bang” aleatório, sem direcção, sem visão futura, e sem inteligência.
Isso sim é um delírio. O problema é que esse delírio tem consequências muito sérias.

Comentar por Mats

Para quem há uns posts atrás usou o argumentos qeu acreditava em Deus porque sentia que Deus existia, este post é algo contraditório não achas? Ou será que aquele teu comentário foi só para fugir à discussão que de repente se tornou claramente desfavorável para o teu lado?

Comentar por Beowulf

Fabiane, antes de mais obrigado pelos comentários submetidos.

“mas não é porque os antigos não sabiam qual era a causa dos trovões que estava certo cultuá-los.”

A Bíblia nunca diz para cultuar os trovões.
_______________________________________

Beowulf,

“Ou será que aquele teu comentário foi só para fugir à discussão que de repente se tornou claramente desfavorável para o teu lado?”

Todos os “desafios” lançados pelos evolucionistas são sempre desfavoráveis para o meu lado, do vosso ponto de vista.

Comentar por alogicadosabino

“Todos os “desafios” lançados pelos evolucionistas são sempre desfavoráveis para o meu lado, do vosso ponto de vista.”

Quanto aos outros não sei porque não os conheço todos, mas pelo que me lembro não conseguiste dar uma resposta ao problema do cromossomas X/Y. Estamos a falar aqui de justificar a tua fé com a ciência moderna. Se queres fazer isso, tens que justificar qualquer incoerência que possa surgir entre as duas, como é o caso dos cromossomas XY que te indiquei.

Comentar por Beowulf

Marcos, enquanto teu amigo vou-te pedir para teres cuidado com aquilo que escreves.

Pá, não há problema nenhum entre conhecer e reconhecer a existência de Deus e, ao mesmo tempo, aceitar que a ciência existe, de que Darwin tinha razão e que a composição do universo começou com o big bang(a tal causa de que falas) e que antes de tudo existiu a matéria, que se foi aglomerando até adquirir propriedades gravitacionais.

Esse alargamento da matéria, permitiu que houvesse circulação entre pontos diferentes de uma antiga realidade semelhante. A partir do momento em que existe essa possibilidade, passa a ser possível viajar no espaço e percorrer o tempo.

Surgiram assim as galáxias, as estrelas e os planetas.

Dizeres que foi Deus quem “fez” com que tudo isto fosse possível, é uma coisa. Agora, negar o big bang e negar a evolução da espécie é, desculpa, uma patetice.

Sabes que não sou agnóstico e muito menos ateu. Contudo, consigo separar perfeitamente as fronteiras que separam as minhas crenças religiosas daquilo que aceito ser a verdade científica.

Em pleno século XXI, vir a público negar o Big Bang e defender que o primeiro homem foi Adão e que Eva surgiu depois de lhe tirarem uma costela, começa a soar um pouco a radicalismo religioso, que é algo com o qual não compactuo.

Para além de ser uma interpreatação errada da Bíblia.

Não costumo comentar este blogue precisamente porque quero evitar chatices, mas quando as coisas atingem certos patamarees, Marcos, tem-se de dizer alguma coisa.

Comentar por phillipevieira

Vejo agora que aquela minha explicação está um pouco confusa, pricnipalmente toda a questão do tempo e do espaço.

Encontrei na net uma definição muito mais em conta: “O Universo é definido como tudo aquilo com existência física: a totalidade do espaço e do tempo, todas as formas de matéria, energia e as leis físicas que fazem a sua regulação”.

Comentar por phillipevieira

Sabino!

A Bíblia nunca diz para cultuar os trovões.

Tenho percebido que as respostas são totalmente vazias. Quando temos convicção de algo, temos respostas convincentes.

É semelhante ao que eu disse anteriormente que alguns povos antigos acreditavam que o sol era um deus por falta de conhecimento sobre este astro.

O porque de não termos explicação não é motivo para acreditar que foi deus.

O seu livro realmente não diz para cultuar trovões, mas diz que o cego não pode ser aproximar do altar de deus. (Ah já sei deus muda as leis de acordo com a condição do homem).

Comentar por Kibom33

@Mats

Eu não tenho “fé”; eu acredito em evidências. Não há (por enquanto) como saber exatamente como tudo começou. O que se pode é fazer suposições, e não, eu não tenho “fé numa hipótese naturalista”, como tu disses que eu tenho.

Dizes que tens “conhecimentos científicos sobre o nosso mundo e sobre o universo para termos uma hipótese confirmável com as evidências”, então me apresente, não me deixe na ignorância, oras! Quando digo que não temos conhecimento, digo que a ciência ainda não chegou numa conclusão a respeito. Penso eu que a ciência é um bem essencialmente humano, comum, mas pelo visto algumas mentes desprovidas de senso crítico preferem não prestar a atenção devida.

Vejamos a opção que me foi apresentada: deus criou o universo. Hum… não, obrigada.

E o que tu fizeste foi mudar de assunto e pôr palavras na minha boca.

Comentar por Fabiane

“mas não é porque os antigos não sabiam qual era a causa dos trovões que estava certo cultuá-los.”

A Bíblia nunca diz para cultuar os trovões.

Ah sim, claro. Afinal, mito é a religião dos outros, não é mesmo? Esse pessoal que cultua trovões são um bando de parvos!

Mas provavelmente as tribos africanas, indígenas americanas, ou aborígenes que cultuam os trovões devem pensar a mesma coisa a respeito da religião que diz que um homem abriu o mar ao tocá-lo com um cajado, ou que um outro ressuscitou após três dias morto e sepultado.

Comentar por Fabiane

Beowulf,

“pelo que me lembro não conseguiste dar uma resposta ao problema do cromossomas X/Y.”

Sim eu dei… estavas desatento. Acho que disse qualquer coisa como: pergunta no http://www.creationontheweb.com.
_____________________________________

Kibom33,

“mas diz que o cego não pode ser aproximar do altar de deus.”

Por favor, se queres discutir a sério sobre algo bíblico, considera o contexto e não te dediques apenas a mandar “braços” e “pernas” para aqui. Tens de mandar o corpo todo.
_______________________________________

Fabiane,

“Ah sim, claro. Afinal, mito é a religião dos outros, não é mesmo? Esse pessoal que cultua trovões são um bando de parvos!”

Não diria parvos, que é muito ofensivo. Diria apenas que a fé deles está mal-direccionada. Mas a existência de muitas religiões com os mais variados deuses encaixa perfeitamente no relato biblico de Babel, no qual surgiram as diferentes línguas e onde passaram a surgir várias culturas.

Comentar por alogicadosabino

Phillipe, antes de mais um abraço coxeano 🙂

“Pá, não há problema nenhum entre conhecer e reconhecer a existência de Deus e, ao mesmo tempo, aceitar que a ciência existe”

Estamos de acordo: Deus abençoe a Ciência (verdadeira e útil)

“de que Darwin tinha razão”

Aqui já discordamos. Tenho colocado as razões e vou continuar a fazê-lo.

“e que a composição do universo começou com o big bang(a tal causa de que falas) e que antes de tudo existiu a matéria, que se foi aglomerando até adquirir propriedades gravitacionais.”

1) O big bang não pode ser a causa de si mesmo.
2) “Antes de tudo” é o quê? E como surgiu essa matéira que adquiriu propriedades gravitacionais?

“Dizeres que foi Deus quem “fez” com que tudo isto fosse possível, é uma coisa. Agora, negar o big bang e negar a evolução da espécie é, desculpa, uma patetice.”

O problema é que, actualmente, Big Bang e Evolução são teorias que procuram “chutar Deus pa canto”. Na tua visão do mundo, Deus é apenas um tapa-buracos.

“Em pleno século XXI, vir a público negar o Big Bang e defender que o primeiro homem foi Adão e que Eva surgiu depois de lhe tirarem uma costela, começa a soar um pouco a radicalismo religioso, que é algo com o qual não compactuo.”

Também não ias compactuar com Jesus Cristo que, afinal de contas, também foi mais um religioso fanático. Mateus 19:4: “Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher,”. Se conciliamos a Evolução com a Bíblia, inviabilizamos o texto bíblico: Cristãos evolucionistas? Que mais irão inventar?

“Para além de ser uma interpreatação errada da Bíblia.”

Segundo quem?

“Não costumo comentar este blogue precisamente porque quero evitar chatices, mas quando as coisas atingem certos patamarees, Marcos, tem-se de dizer alguma coisa.”

Comigo não tens chatices, como bem sabes. Nunca fui do tipo de deixar de andar ou gostar de uma pessoa por ela ter convicções diferentes das minhas.

E esse “quando as coisas atingem certos patamarees, Marcos, tem-se de dizer alguma coisa” dá a ideia que eu assassinei alguém ou coisa do género…

🙂

Comentar por alogicadosabino

“Ah sim, claro. Afinal, mito é a religião dos outros, não é mesmo? Esse pessoal que cultua trovões são um bando de parvos!”

Não diria parvos, que é muito ofensivo. Diria apenas que a fé deles está mal-direccionada. Mas a existência de muitas religiões com os mais variados deuses encaixa perfeitamente no relato biblico de Babel, no qual surgiram as diferentes línguas e onde passaram a surgir várias culturas.

E como você poderia saber que é a religião deles é que está “mal-direcionada”? E se a “verdade religiosa” for a deles? E se deus estiver nos espíritos das árvores, como acreditam alguns dos índios americanos? E se a experiência mística verdadeira para o encontro com o “deus verdadeiro” não for rezar e, ao invés disso, for o chá de casca de árvore alucinógeno que a tribo brasileira Yanomami toma? Já pensou se não é a sua fé é que não é a mal direcionada? Não é muita pretenção achar que a sua, e somente a sua fé é a correta?

Você acredita num livro que fala de bruxos, demônios, animais falantes, chuva de codornas, e vem dizer que é a religião deles é que é mal-direcionada, errada, primitiva?

Eis o que diz o Chef Pontiac, cacique de uma tribo indígena americana: “Eles vieram com uma Bíblia e sua religião – roubaram nossa terra, esmagaram nosso espírito… e agora nos dizem que devemos ser agradecidos ao ‘Senhor’ por sermos salvos”.

Comentar por Fabiane

Sabino!

Por favor, se queres discutir a sério sobre algo bíblico, considera o contexto e não te dediques apenas a mandar “braços” e “pernas” para aqui. Tens de mandar o corpo todo.

Quando se trata de um absurdo do seu livro de códigos é mandar braços e pernas.

Então vamos lá:

Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
Fala a Arão, dizendo: Ninguém da tua descendência, nas suas gerações, em que houver algum defeito, se chegará a oferecer o pão do seu Deus. ( Leviticos 20:16-17 )

Para mim, isso é bem mais que braços e pernas.

Comentar por Kibom33

“Sim eu dei… estavas desatento. Acho que disse qualquer coisa como: pergunta no http://www.creationontheweb.com.”

Isso não é resposta caro amigo primata, isso é fugir à resposta. Isso é admitir que não sabes, não queres saber, e referes-te para outros para me darem a resposta. Também mostra que não tens sentido crítico,algo essencial para o bom jornalista, penso eu de que!

Comentar por Beowulf

Fabiane,

“Não é muita pretenção achar que a sua, e somente a sua fé é a correta?

Não é muita pretensão tua achar que Deus não existe?

Você acredita num livro que fala de bruxos, demônios, animais falantes, chuva de codornas, e vem dizer que é a religião deles é que é mal-direcionada, errada, primitiva?”

Os meus livros de História também falavam de bruxos e bruxas e não é por isso que vou deixar de acreditar neles. Quanto ao animal falante e codornizes a cair do céu, sim, eu acredito.

E eu não disse que a fé deles é primitiva, apenas mal direccionada.
_______________________________________

Kibom33,

“Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
Fala a Arão, dizendo: Ninguém da tua descendência, nas suas gerações, em que houver algum defeito, se chegará a oferecer o pão do seu Deus. ( Leviticos 20:16-17)”

Conta-me o antes e o depois. Não conheço nem a história nem o contexto e quero conhecer antes de poder comentar. : )

Comentar por alogicadosabino

Sabino!

Correção: ( Leviticos 21:16-17).

Comentar por Kibom33

@Sabino

Não é muita pretensão tua achar que Deus não existe?

Não. Se existe, esse tal ser divino ainda não se apresentou a mim. Em compensação, toneladas de evidências de sua inexistência (ou, pelo menos, de sua total inutilidade) se fazem ver todos os dias.

Comentar por Fabiane

kibom 33 ,
me desculpe… mas você nem sabe o porque desse contexto… hilariante …

Comentar por Jimmy

“toneladas de evidências de sua inexistência”

Como a vida só vir da vida, por exemplo?

Comentar por alogicadosabino

Sabino/Jimmy

Em um tribunal diz a um juiz que ele é cego, defeituoso, tudo que lá está, depois diga que você queria dizer outra coisa.

Comentar por Kibom33

Como a vida só vir da vida, por exemplo?

ESPÉCIES! ESPÉCIES! ESPÉCIES!

Repita comigo: ORIGEM DAS ESPÉCIES.

Comentar por Fabiane

Fabiane:
Origem das Espécies? permita-me completar a expressão: TEORIA da origem das espécies?
como chamar evidencias a teorias?
eu ainda estou para perceber como coisas tão diferente como o homem, o mosquito e o dragão de komodo podem ter vindo da mesma “bacteria primitiva”, ou la como lhe chamam..

Comentar por Mikha´el

Mikha’ el

Recomendo-lhe que leia alguma coisa sobre o que é uma Teoria em ciência.
Já ouvio falar da teoria da relatividade ?
E da teoria da gravidade ?
E da teoria da tectónica de placas ?

Os criacinistas avisam para não usar esse argumento:
“Evolution is just a theory.”
What people usually mean when they say this is “Evolution is not proven fact, so it should not be promoted dogmatically.” Therefore people should say that! The problem with using the word “theory” in this case is that scientists use it to mean a well-substantiated explanation of data. This includes well-known theories such as Einstein’s Theory of Relativity and Newton’s Theory of Gravity, as well as lesser-known ones such as the Debye–Hückel Theory of electrolyte solutions. It would be better to say that particles-to-people evolution is an unsubstantiated hypothesis or conjecture.

Digo eu: esse e todos os outros falsos argumentos.

E se me permite deixo aqui a definição de teoria cientifica e o que é o evolucionismo:
“Em ciência, uma teoria é uma explicação convincente para a diversidade de informações dadas pela natureza. Assim, os cientistas falam da “teoria atómica” e da “teoria da gravidade” como explicações para as propriedades da matéria e para a atracção mútua dos corpos físicos. Faz tão pouco sentido duvidar da factualidade da evolução como duvidar da gravidade.

A teoria neo-Darwiniana não é uma proposição, mas várias. A primeira proposição é que as populações de organismos evoluíram (Darwin, que usou a palavra “evoluíram” apenas uma vez em A Origem da Espécies, apelidou este princípio de “descendência com modificação”). Isto é, as espécies hoje existentes na terra são os descendentes de outras espécies que viveram previamente, e a mudança nestas linhagens foi gradual, demorando de milhares a milhões de anos. Os seres humanos, por exemplo, evoluíram a partir de organismos claramente diferentes que tinham cérebros mais pequenos e provavelmente viviam nas árvores.

A segunda proposição é que se produzem continuamente novas formas de vida através da divisão de uma linhagem única em duas ou mais linhagens. Isto é conhecido como “especiação”. ”

E se necessitar mais alguns detalhes pode ver aqui:

http://ktreta.blogspot.com/2008/10/miscelnea-criacionista-esquemas-modelos.html

Comentar por Joaquim Coelho

http://projetosobrenatural.com.br/beta/

Comentar por BRUNO COSTA




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: