No princípio criou Deus os céus e a Terra


“Ecos do Jardim do Éden” ou “Quando a lei da selva não opera”
Maio 20, 2008, 11:17 pm
Filed under: Convicções / Fé

A Natureza tem reportado casos incríveis de comportamento animal:

1) Uma leoa confundiu os especialistas que a observavam quando adoptou um antílope de duas semanas de idade. O antílope que costuma ser um dos pratos preferidos dos leões foi aqui adoptado por um. Desafiando a natureza, a leoa protegeu o pequeno antílope de outros predadores como se fosse a sua própria cria. Mais bizarro é o facto de a leoa deixar a mãe do antílope vir alimentá-lo ocasionalmente.

Os especialistas reportaram que foi a leoa que foi ao encontro do antílope e não o contrário. A cria acabou por ser morta por outros predadores enquanto a leoa não se encontrava no local.

Tempos mais tarde, a leoa acabou por adoptar outro antílope. O responsável pelo Samburu National Park relatou que “a leoa tem seguido manadas de antílopes mas nunca as caça”. Em vez disso, sempre que tem fome vai atrás de outros animais.

2) Quem iria acreditar se eu dissesse que um tigre fêmea alimenta porquitos e que as crias do tigre fêmea são alimentadas pela mamã porca? De facto, os tratadores dizem que agir desta maneira faz com que os tigres cresçam mais calmos do que se fossem amamentados pela mãe biológica. Porcos e tigres brincam e parecem gostar da companhia uns dos outros.

vqwetnmjuki

3) Em 2006, um leopardo trouxe um pequeno babuíno para cima de uma árvore, tirando-o do alcance do grupo de hienas que se encontrava em baixo, à espera de um pedaço. Dereck Joubert, um dos especialistas que observou o acontecimento lembrou que os babuínos são uma das principais fontes de alimento dos leopardos mas, neste caso, a cria foi protegida pelo seu inimigo.

bvcbewnbvnrter

4) Uma cadela de quatro anos alimentou três tigres após a sua mãe ter rejeitado as crias num jardim zoológico na China.

nhnf

Estes episódios parecem desafiar a ideia da “lei da selva”.

Apesar destes casos serem surpreendentes, a natureza toda já funcionou desta maneira. No princípio da Criação, os animais eram todos herbívoros (Génesis 1:29).

E tal como um dia foi assim, também um dia voltará a ser assim. Diz-nos Isaías 11:6-9: “E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar”.

luikyt

Anúncios

18 comentários so far
Deixe um comentário

Mais violações das “leis da natureza”.

São coisas como esats que mostras aqui que são um testemunho muito forte contra mitos naturalistas. Como é que possível que carnívoros ferozes possam cuidar daqueles animais dos quais eles se alimentam?
Mas sem dúvida que a teoria da evolução explica isto. Essa “teoria” explica tudo.

Comentar por Mats

Marcos, mais ignorância. A teoria da selecção natural explica comportamentos cooperativos e uma infinidade de outros comportamentos que o Marcos aqui ridiculariza. O Marcos, como o Mats, confunde a teoria da evolução com a lei da selva. Isso só mostra a mais completa ignorância a respeito das teorias que critica. Tenha lá paciência, mas vou ter de continuar a pedir-lhe para ler mais alguma coisa. É que até dói.

Comentar por Pedro Guedes

O que dói é a tua associação de ideias. Onde falo eu, no texto, da teoria de evolução? Eu até arquivei o texto como “Convicções/Fé”.

“A teoria da selecção natural explica comportamentos cooperativos e uma infinidade de outros comportamentos que o Marcos aqui ridiculariza.”

Antes da teoria da selecção natural explicar isso, já a bíblia explicava.

Segundo, a teoria da selecção natural não explica como predadores protegem as suas presas. Que vantagem iria ter a leoa ou o leopardo ao proteger as crias das suas habituais presas? Mistério

Comentar por alogicadosabino

«Segundo, a teoria da selecção natural não explica como predadores protegem as suas presas. Que vantagem iria ter a leoa ou o leopardo ao proteger as crias das suas habituais presas? Mistério».

Não é mistério, é ignorância. A selecção natural explica bem isso. O Marcos assume que não explica porque pensa que a selecção natural é a lei da selva. Se quiser, posso recomendar alguns livros para perceber como é que isso pode acontecer. Se quiser continuar a debitar dislates, lavo daí as minhas mãos e tiro daqui os meus comentários. Pior do que ser ignorante é ter prazer em permanecer nessa condição.

Comentar por Pedro Guedes

bla bla bla e não responde a nada. “se quiser recomendo-lhe livros”. Vou passar a dizer sempre isso toda vez que me perguntar algo.

Comentar por alogicadosabino

Caro Marcos,

A situação é caricata. O Marcos quer ostentar ignorância e não quer que lhe apontem os erros. E amua quando lhe estragam a fantasia. Lamento, mas a verdade, para mim, tem prioridade sobre a simpatia.

Entendo que não goste que lhe mandem ler livros. É um argumento de autoridade com que habitualmente também não me dou bem. Mas penso que o mínimo que se exige a quem debate um tema é que já o tenha estudado pelo menos a um nível residual. Caso contrário as suas opiniões têm o fundamento de uma conversa de café.

Por exemplo, o Marcos poderia ter-me respondido que já leu alguma coisa sobre evolução e que em lado nenhum a situação que refere aparece prevista. Podia ter dito que na bibliografia que tem a questão que enuncia aparece como uma pergunta em aberto. Preferiu dizer que não respondi a nada. Percebe-se: como de facto o Marcos nunca leu nada (apesar da propriedade com que fala sobre tudo…), tem dificuldade em responder desta forma.

Exemplifico de outra forma. Se o meu irmão mais velho (que estuda ciências humanas) me perguntar por que é que as linhas de tendência convergem para zero mas nunca alcançam esse valor, eu tento explicar. Se ele disser que é uma estupidez que isso seja possível porque nunca viu nenhuma linha de tendência, eu mando-o ler alguma coisa antes de dizer parvoíces.

Percebe a diferença? Não me importo de perder tempo com a ignorância. Com a ignorância travestida de arrogância é que já não perco o meu tempo. Se querem aprender, aprendam com o vosso esforço 🙂

Comentar por Pedro Guedes

A “teoria da selecção natural” não é o mesmo que “a teoria da evolução”. Uma é observável, e a outra é um mito.

Comentar por Mats

respeito a sua opinião, mas a verdade é que sempre que me perguntaram alguma coisa sobre a minha fé eu respondi, ou tentei responder, de acordo com aquilo que sei. Quando recomendo livros (raramente) é para complementar a informação que dei. Se fizesse o esforço de se colocar no lado de lá e me perguntasse algo como “Como todas as raças existentes hoje puderam ter origem num único homem?” e eu respondesse: “Tem aqui este, este e este livro, mande-o vir da América e leia, não seja preguiçoso. quer aprender, aprenda com o seu esforço” … certamente não ficaria satisfeito e até poderia dizer que eu fugi à pergunta.

Agora você limitou-se a dizer que eu era ignorante. É assim tão complicado explicar que vantagem iria ter uma leoa ou um leopardo ao proteger as crias das suas habituais presas? Tão complicado que não dê para sumarizar em 22 linhas? (pelo menos tantas como as do seu comentário anterior)

é que agora fiquei mesmo curioso. Vai-me mandar ler livros em vez de responder? Realmenté é mais cómodo… que eu saiba, não lhe perguntei nada sobre mecânica quântica, bem mais complexa. A selecção natural também mete muitas fórmulas químicas?

Comentar por alogicadosabino

Marcos, gostei mais desse comentário. Eu vou tentar explicar.

A selecção natural diz-nos que os mais aptos sobrevivem em detrimento dos menos aptos. A versão grosseira deste argumento diz que coelhos mais rápidos tenderão a escapar mais eficazmente dos predadores do que os coelhos mais lentos. Os mais aptos sobrevivem.

Mas a selecção natural não age sobre os indivíduos. Age sobre a unidade mínima replicadora: o gene. São os genes que são seleccionados, não os indivíduos. Um gene que codifique instruções que permitam ao indivíduo que o porta identificar quem na sua descendência porta esse mesmo gene e ajudar essa descendência tem mais tendência a replicar-se do que outro gene que apenas codifique instruções do género «salva-te a ti mesmo».

Este mecanismo explica bastantes comportamentos «sociais» dos animais (a teoria dos jogos e dos benefícios de iteração sucessiva explica muitos outros). A teoria do gene egoísta foi proposta nos anos 60 por alguns biólogos e desenvolvida pelo Dawkins (por favor, sem preconceitos; o tipo é um biólogo fenomenal). Deves encontrar informações no google (livro: «the selfish gene»).

Agora, para explicar comportamentos sociais em relação a outros animais (de outras espécies) basta recorrer à curva de gauss. Os instrumentos de reconhecimento de seres que ‘merecem’ altruísmo é relativamente fiável mas, ainda assim, falível. É natural que nalguns casos alguns animais não consigam fazer esta identificação de forma correcta.

Claro que são poucos animais, e é por isso que não vemos todos os dias macacos a amamentar leões. Mas acontecem, e quando acontecem dão azo aos casos que acabaste de referir. Mas estes casos não são inexplicáveis dentro da teoria da evolução. São a conjugação de dois factores: 1. a tendência para o altruísmo explicável à luz do gene egoísta e da teoria dos jogos; 2. os erros de reconhecimento, explicáveis à luz da provável ineficiência nos limites da curva de gauss.

Satisfeito? Quase sem livros 🙂

Comentar por Pedro Guedes

Agradeço o sumário.

As teorias são bonitas. A do gene egoísta já tinha lido um pouco no The god delusion, ele toca um pouco nisso.

Se calhar no seu ponto de vista respondeu à pergunta, mas, para mim, ela continua sem ter sido respondida: Que vantagem tem uma leoa ou um leopardo ao proteger as crias dos seus habituais pratos? Porque demonstram eles carinho por alguém que, normalmente, é colocado no prato da refeição?

Comentar por alogicadosabino

A leoa não tem nenhuma vantagem em proteger as crias dos seus habituais pratos. Essa é a perspectiva da selecção natural centrada no indivíduo. De acordo com essa perspectiva, qualquer comportamento tem de trazer alguma vantagem para o indivíduo que o realiza.

Mas aí é que entra o gene egoísta. De acordo com esta teoria, a pergunta correcta seria: será que um gene que codifica o comportamento «x» tem tendência para se reproduzir? De acordo com esta teoria, um gene que codifique comportamentos altruístas reproduz-se desde que saiba identificar os portadores do mesmo gene. Ou seja, quando o gene induz a comportamentos altruístas está, na verdade, a ajudar-se a si mesmo, dado que está a proteger quem já possui esse gene. (Aqui é a parte em que entram os modelos matemáticos).

Isto explica o aparecimento do altruísmo entre indivíduos da mesma espécie (e, particularmente, entre indivíduos da mesma família). O altruísmo inter-espécies é um erro do sistema de reconhecimento. É um subproduto do altruísmo: apenas «deu para o torto».

Comentar por Pedro Guedes

Pedro, aqui está o problema. Para estes “testemunhas de Jeová” a natureza é perfeita porque foi feita à imagem de Deus. Por isso,se uma leoa amamenta uma gazela, é porque é um restício de como as coisas eram no paraíso. Eles não concebem que a natureza não é perfeita, e que nem sempre leões dão origem a leões, e nem sempre leões comem todas as gazelas etc. Sendo assim, nunca ninguém adoptava filhos dos outros!

Comentar por Beowulf

são casos esporádicos, sem duvidas isso prova que eles podem viver com harmonia – pelo menos enquanto os carnívoros tiverem outra fonte de alimento – mas estes mesmos carnívoros não representam 0,1% de suas próprias populações
sem contar que, até onde eu percebi, a maioria deles nasceu em cativeiro, isso pode mudar completamente a idéia que eles têm do alimento

Comentar por W. Lazoti

beowulf,

um leão reproduz-se sempre segundo a sua espécie

Comentar por alogicadosabino

Ai é Sabino?! Então e o Ligre? Já alguma vez ouviste falar do Ligre? O que vale é que tu não sabes nada de biologia só porque és creacionista e não porque efectivamente tens conhecimentos bastante limitados sobre o assunto. Cada vez cais mais em ridículo!

Comentar por Beowulf

e já ouviste falar nos wolphins? e nos zonkeys?

Isso não é evolução de escamas para asas. Isso é o resultado de acção de cientistas que misturam caractérísticas de dois animais. o facto de dar para misturar certos animais mostra que a espécie (bara) que a biblia refere é muito mais abrangente do que a noção de espécie por nós adoptada.

Cada vez cais mais no ridículo Beowulf

Comentar por alogicadosabino

Sabino, falar do que não se sabe dá nisto. O ligre ocorre na natureza independentemente da acção do Homem. Na verdade, o que a acção do homem foi diminuir a ocorrência desse fenómeno ao diminuir a distribuição das duas espécies por caça excessiva, de tal forma que hoje em dia o leão e o tigre não se encontram na mesma região. Mas não é só o ligre, existem inúmeras espécies que se cruzam umas com as outras e até há casos de espécies que se originaram por hibridação de duas espécies diferentes. O que isto quer dizer é que a tua máxima de leões dão sempre leões, e zebras sempre zebras e o diabo a quatro está errada. É FALSO!!!! E ao continuares a insistir no contrário faz de ti um MENTIROSO!!! Principalmente quando as pessoas te esfregam os inúmeros casos na cara!

Já agora, diz lá que conceito de espécie é esse? E depois, mais uma vez distorces os conceitos a teu belo prazer:

“Isso não é evolução de escamas para asas. ”

Mas desde quando é que escamas evoluíram para asas? Talvez queiras dizer répteis para aves, mas aí também te lixas. Olhas para as patas de uma galinha. O que é que tu vês? Não são escamas? Então são o quê? Uma coisa qualquer que tu queres ler na bíblia mas que não são escamas é?

Comentar por Beowulf

Ora Beowulf. O que o cara tá falando não é isso caro adepto do velho careca com dor de estômago. Ele fala da fraude evolucionista dentre várias outras de um dito achado que seria a dita espécie de transição entre dinossauros e aves e foi provada para toda a comunidade científica, o que obviamente não te inclui, ser falsa. Que o seu descobridor fraudou o achado. É simples até para uma ameba como você.

Comentar por andradeplus




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: