No princípio criou Deus os céus e a Terra


De onde veio toda a água do Dilúvio de Noé?
Maio 15, 2008, 2:40 pm
Filed under: Convicções / Fé, Multimédia

Resumo da palestra de Adaúto Lourenço, licenciado em Física pela Bob Jones University e Mestre em Física Nuclear pela Clemson University, sobre o tema: De onde terá vindo a água do Dilúvio?

[Youtube=http://youtube.com/watch?v=e9uUr0MUFLI]

[Youtube=http://youtube.com/watch?v=_6LB3xwp59c]

Anúncios

38 comentários so far
Deixe um comentário

Muito fixe.

Comentar por Mats

Nunca ouvi tanto disparate junto!

Comentar por Beowulf

eu já… quando me ensinaram a evolução, no 5º ou 6º ano

Comentar por alogicadosabino

Pois, que o teu conhecimento de evolução se restringe ao nível do 5º e 6º ano já tinha percebido, mas fica-te bem admitir. O teu conhecimento de geologia também não é muito mais avançado. Talvez por isso gostes desse vídeo.

Comentar por Beowulf

eu disse que que já tinha visto maior quantidade de disparate do que aquele que dizes ter visto no video. Não que o meu conhecimento sobre a evolução se restrinja ao 5º ou 6º ano.

Vou orar para que Deus te dê maior capacidade de discernimento.

Comentar por alogicadosabino

Obrigado por obrares por mim, mas não precisas de te dar ao esforço… mesmo! De resto foi um comentário sarcástico, e pelos vistos tu não tens grande discernimento para essas coisas. Talvez por isso acredites nas histórias de fadas da bíblia e as uses como base moral para todo o mundo. Agora nada disto invalida o facto de os teus conhecimentos sobre evolução esteja ao nível de um 5º ano, porque estão. No máximo estão num nível abaixo, mas nunca num nível acima. E o mesmo acontece com esse videozinho pateta. Desde as animações da movimentação dos continentes que são simplesmente hilariantes (não faço mesmo ideia onde ele os foi buscar), passando por aqueles modelos de simulação em que esticam as montanhas até ao nível do mar, acabando nos fósseis criados pela lama, tornam este vídeo o recorde Guinness do maior número de disparates na menor quantidade de tempo. Nem o pior evolucionista da história conseguiria tal proeza.

Agora vai lá obrar que eu também tenho que ir!

Comentar por Beowulf

Eu pessoalmente não vi nada naquilo que o Dr disse que vá contra alguma observação.

Comentar por Mats

Mats, talvez o facto de um fenda gigantesca com 12 Km de profundidade se ter formado em todo o perímetro da terra em 2 horas e 10 minutos (que ele não explica como foi deduzido esse tempo); talvez o facto de o modelo que ele mostra para a deriva dos continentes simplesmente não ter nada a ver com o modelo actualmente aceite; talvez o facto de que os modelos de baixar a altura das montanhas simplesmente não fazerem sentido nenhum e não levarem a conclusão nenhuma; talvez pelo facto de que a deriva dos continentes ainda continua a existir e não se dever de forma alguma a uma camada de água; talvez pelo facto de ele nao referir quem fez os tais furos e onde foram publicadas as descobertas. Achas que já chega ou ainda precisas de mais alguma?

Comentar por Beowulf

EU VIM PESQUISAR E NAO ENCONTREI NADA !! SÓ O QUE ENCONTREI FOI BESTEIRA

Comentar por SUELLEN

Creio que toda água do “dilúvio”, não daria para cobrir sequer 20 cm, e que ‘quem acredita na arca, acredita também em mula sem cabeça, papai noel, saci-perere, caipora e etc.
Ora se Noé colocou um casal de cada animal na arca, esta arca deveria ser maior que os maiores navios hoje existentes, ou seja esta arca teria que ter mais de 350 m de comprimento para alocar todas as especies e alimento para 40 dias de chuva e mais uns dois anos de provisão de capim para alimentar os bichos e a família deles e quem acredita nesta historia da carochinha.
Nem sei por que ecrevi isto pois perdi meu tempo lendo esta baboseira toda eassistindo este débil mental

Comentar por Miranda

tambem não precisava ser tão grosso assim né se vc não acredita na palavra de Deus é outra coisa, o mesmo que mandou a chuvas, poderia multiplicar capim para alimantar o bichos não é. Isto não é boboseira como vc diz: mais pura realidade foi uma ordem de Deus.

Comentar por josue

de onde veio para onde foi a agua do diluvo

Comentar por guilherme

O vídeo é: “queremos que seja assim pois só assim é que está de acordo com a biblia. Mas como cientificamente não sabemos como. Então é fácil: A água foi criada ali!” LOLLOLOOL

faltam conceitos de química, ecologia, física, etc… sabes que a água a grandes alturas congela, que a alturas maiores evapora. Etc, etc, etc

Comentar por Dário Cardina

“A água foi criada ali”?

Comentar por alogicadosabino

Não viste o vídeo? “como foi a água ali parar? A ciência não tem resposta para isto..” é claro que não tem, não tem resposta para coisas que não acontecem, tal como a propagação do som no espaço ou a subida da água até ao espaço sideral e consequente descida da mesma. Continuando… “..a água foi ali criada”

Comentar por Dário Cardina

De onde veio e para onde foi a água do dilúvio?

Os oceanos contêm água suficiente para cobrir a Terra. Se a superfície da Terra fosse perfeitamente plana, sem montanhas ou bacias oceânicas, ela seria coberta por uma camada de água com 3 km de profundidade (1). Há água suficiente para inundar a Terra. Antes do dilúvio, certa quantidade de água estava provavelmente nos mares, certa quantidade na atmosfera e uma quantidade desconhecida de água poderia ser subterrânea. A maior parte da água está agora em bacias oceânicas. É possível que mais água tenha sido acrescentada durante o dilúvio pela colisão de um ou mais cometas, que podem ser compostos em grande parte de água.

1. Dubach H. W., Taber R. W. 1968. “Questions about the oceans”. Publication G13. Washington DC: U.S. Naval Oceanographic Office, p 35.

http://www.scb.org.br

Comentar por Fabricio Lovato

“Os oceanos contêm água suficiente para cobrir a Terra. Se a superfície da Terra fosse perfeitamente plana, sem montanhas ou bacias oceânicas, ela seria coberta por uma camada de água com 3 km de profundidade”

Dizes bem “se fosse”, mas não é. Se o mar tivesse água suficiente para inundar a terra porque não o faz?

“Antes do dilúvio, certa quantidade de água estava provavelmente nos mares, certa quantidade na atmosfera e uma quantidade desconhecida de água poderia ser subterrânea.”

Quanta quantidade? Dizer “certa quantidade” é a mesma coisa que dizer “a suficiente para que tal aconteça mas não sabemos quanta” = nada
E como aconteceu o dilúvio? A água saiu debaixo da Terra, e como é que a terra se manteve estável? ficou um vazio debaixo da terra?

“É possível que mais água tenha sido acrescentada durante o dilúvio pela colisão de um ou mais cometas, que podem ser compostos em grande parte de água.”

Teriam de ser cometas bem grandes e apenas daqueles com grande percentagem de água. Deves estar a imaginar o seguinte: O cometa embate na terra e desfaz-se em água e inunda parte da terra. Achas isto lógico?

Há perguntas que ainda não me responderam:
– O que ficou no lugar da água?
– De onde veio a água suficiente para inundar toda a terra?
– Que quantidade seria necessária?
– Que quantidade há actualmente?
– Onde está a água em falta?
– Que forças promoveram o dilúvio?

Comentar por Dário Cardina

Dário,

“- O que ficou no lugar da água?”

Como assim “o que ficou no lugar da água?”

“- De onde veio a água suficiente para inundar toda a terra?”

Debaixo da Terra (romperam-se as fontes do abismo”), camada de água que existia acima de céu que Deus criou no 2º dia e chuva.

“- Que quantidade seria necessária?”

Não sei. Mas ainda hoje os oceanos têm água suficiente para cobrir a terra, se a sua superfície fosse totalmente plana. Não só a água dos oceanos, mas também a água no interior da Terra. Instrui-te.

“- Que quantidade há actualmente?”

Muita mesmo.

“- Onde está a água em falta?”

Já experimentaste olhar para um globo da Terra?

“- Que forças promoveram o dilúvio?”

Actividade vulcânica e consequentes terramotos; chuva torrencial.

Comentar por alogicadosabino

Dário

O relevo da Terra antediluviana poderia ser muito menos acentuado do que é hoje.
(ver Salmo 104:6-9)

“- Que forças promoveram o dilúvio?”

Além das mencionadas pelo Sabino, o geólogo criacionista Nahor Neves, autor do livro Uma breve história da Tera também opina a respeito de im grande bombardeamento de meteoritos:

“Apenas um meteorito provavelmente não seria capaz da destruição causada na Terra e nem responderia pela existência de tantos fósseis no mundo inteiro (para um ser vivo ser fossilizado ele tem que ser rapidamente soterrado por lama). Mas pense numa enxurrada de meteoritos caindo em terra e mar. Os que caíram na terra acabaram rachando a crosta, dando origem aos deslocamentos de placas tectônicas (e fazendo jorrar as fontes do “abismo”), aos terremotos e aos derrames de lavas. Os que caíram em mar poderiam gerar tsunamis de centenas de metros de altura, varrendo os continentes e destruindo tudo pela frente, cobrindo as mais altas montanhas de então e sepultando quantidades incríveis de rochas, plantas e animais – talvez isso explique o evento bíblico do Dilúvio.”

Comentar por Fabricio Lovato

“- Que quantidade há actualmente?”

Algo em torno de 1.260.000.000.000.000.000.000 de litros.

Comentar por Fabricio Lovato

falta o resto

Comentar por Dário Cardina

O que o Sabino não te respondeu?

Comentar por Fabricio Lovato

Como assim “o que ficou no lugar da água?”
Quando um volume sai de uma zona, outro volume igual tem de o substituir, é física. A água saiu debaixo da terra? Então o que ficou no lugar dessa graaaande quantidade de água?

Debaixo da Terra (romperam-se as fontes do abismo”), camada de água que existia acima de céu que Deus criou no 2º dia e chuva.
Teria de ser mesmo muita água “lá em cima”. Tanta que os raios solares não chegavam com eficiência à terra. Então como sobreviviam as plantas?

Não sei. Mas ainda hoje os oceanos têm água suficiente para cobrir a terra, se a sua superfície fosse totalmente plana. Não só a água dos oceanos, mas também a água no interior da Terra. Instrui-te.
Dizes bem “se a sua superfície fosse totalmente plana”. Mas não é.

“- Onde está a água em falta?”
Já experimentaste olhar para um globo da Terra?
Não perguntei onde está a água. Pensa, havia água na terra, em baixo e em cima. Juntaram-se e inundaram a terra. Mas a terra não está inundada hoje. Tens de fazer cálculos: saber qual a altura média da crosta terrestre e tens de saber a água total. Tens de saber também qual a altura média da terra na altura do dilúvio e a água total nessa altura. Assim, as coisas poderão dar certas.

Comentar por Dário Cardina

“Quando um volume sai de uma zona, outro volume igual tem de o substituir, é física. A água saiu debaixo da terra? Então o que ficou no lugar dessa graaaande quantidade de água?”

Então se eu drenar um lago, outro volume de água igual tem de vir de algum lado para substituir a anterior?

“Teria de ser mesmo muita água “lá em cima”. Tanta que os raios solares não chegavam com eficiência à terra. Então como sobreviviam as plantas?”

Isto é um teu “supônhamos”. Teria de haver um volume sustentável. Chegaste a ler aquele link que diz que ainda hoje, debaixo da terra, existe água suficiente para substituir a agua dos oceanos 10 vezes?

“Não perguntei onde está a água. Pensa, havia água na terra, em baixo e em cima. Juntaram-se e inundaram a terra. Mas a terra não está inundada hoje. Tens de fazer cálculos: saber qual a altura média da crosta terrestre e tens de saber a água total. Tens de saber também qual a altura média da terra na altura do dilúvio e a água total nessa altura. Assim, as coisas poderão dar certas.”

E como é que tu queres que alguém te diga qual era a altura média da terra na altura do dilúvio e a água total nessa altura? A física já inventou uma máquina do tempo?

Há modelos criacionistas que abordam essa questão. Os Himalaias e o Evereste, onde eles estão hoje, não foram cobertos pelo dilúvio. Eles são o resultado do catastrofismo do diluvio. Aliás, a existencia de fosseis marinhos no cume dessas formações rochosas conta-nos que elas já estiveram debaixo de água.

Comentar por alogicadosabino

“Então se eu drenar um lago, outro volume de água igual tem de vir de algum lado para substituir a anterior?”

Não digo água, digo algo. Se tiras água debaixo da terra sabes o que acontece? O peso da terra por cima não é sustentado e cai.

“Há modelos criacionistas que abordam essa questão. Os Himalaias e o Evereste, onde eles estão hoje, não foram cobertos pelo dilúvio. Eles são o resultado do catastrofismo do diluvio. Aliás, a existencia de fosseis marinhos no cume dessas formações rochosas conta-nos que elas já estiveram debaixo de água.”

Há fósseis nos Himalaias? Quanto tempo é que os criacionistas dão para que um fóssil se forme?
Se as montanhas foram formadas por um terramoto como é que não vemos montanhas novas a formarem-se a cada novo terramoto?

Comentar por Dário Cardina

se houvesse descongelamento dos polos norte e sul,não haveria outro diluvio?

Comentar por vanderley

No mês de agosto de 2009 foi divulgado um estudo que sobre indícios da existência de enormes quantidades de água nas profundezas da Terra.

http://www.sciencedaily.com/releases/2009/08/090819153342.htm

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3931922-EI8147,00.html

Um dos pesquisadores, Adam Schultz, chega a conjecturar:
“Se a água não estiver sendo empurrada para baixo pelas placas, seria ela primordial? Estaria lá embaixo há bilhões de anos?”

Abraço!

Comentar por nilo

Outra coisa interessante na matéria:

“Na verdade, não sabemos realmente quanta água existe na Terra”, disse um outro especialista envolvido no estudo, o oceanógrafo Gary Egbert. “Existem alguns indícios de que haveria muitas vezes mais água sob o fundo do mar do que em todos os oceanos do mundo combinados.” Segundo o pesquisador, o novo estudo pode ajudar a esclarecer essas questões.

Comentar por nilo

Existem muitos eventos registrados na Bíblia que são sobrenaturais, ou seja, houve uma intervenção divina na natureza que provocou os fenômenos narrados. Por exemplos: Como explicar cientificamente o fato do rio nilo ter se tornado em sangue? Como explicar a abertura do mar vermelho em duas partes e povo hebreu ter passado a “pé enxuto” para o outro lado? Como a explicar o fato de um homem ter voltado a vida depois de 4 dias de morto, com o corpo em estado de putrefação? como explicar a multiplicação de dois peixes e poucos pães que alimentaram uma multidão? Estes e muitos outros eventos como o Dilúvio são uma ação sobrenatural do Deus sobrenatural que a Bíblia apresenta. Detalhe importante: O Monte Everest para chegar a altura em que encontra, soma-se um tempo geológico, ou seja, milhões de anos. A história do homem narrada na bíblia soma-se a aproximadamente 7 mil anos de Adão até os dias atuais.

Comentar por edivaldo

edivaldo:

“Como explicar cientificamente o fato do rio nilo ter se tornado em sangue? Como explicar a abertura do mar vermelho em duas partes e povo hebreu ter passado a “pé enxuto” para o outro lado?

Fácil de explicar: Nada disto aconteceu.

“Como a explicar o fato de um homem ter voltado a vida depois de 4 dias de morto, com o corpo em estado de putrefação?”

Se foi possível para Hórus, muitos ainda poderão fazer isto.

Comentar por Clayton Luciano

Há um ótimo estudo respondendo sobre as principais dúvidas e perguntas, sobre o dilúvio e a arca de Noé, abordando os seguintes assuntos:

Tópicos (assuntos) abordados:

• Catastrofismo e algumas evidências do dilúvio

• Relatos de povos e culturas diferentes sobre o dilúvio como “UM FATO” histórico

• Definições de Dilúvio

• Tamanho e dimensões da Arca de Noé

• De onde veio e para onde foi toda a água do dilúvio

• Água doce e água salgada

• Como caberiam tantos animais na arca de Noé?

• Haveria guerra entre carnívoros e herbívoros dentro da arca?

• Como animais específicos de cada região foram até a arca

• Como as plantas sobreviveram ao dilúvio?

• Micróbios

• Insetos e artrópodes

• Porque os cupins não devorariam a arca

• Sobrevivência após o dilúvio

• Variação após o dilúvio

• Teoria das Hidroplacas

• Poderia ter havido apenas um único continente no mundo antediluviano?

• Sete, ou um par de cada espécie?

• O que seriam as “águas acima do firmamento”, no período antediluviano?

• Baraminologia

• Madeira usada na construção da arca

Vejam em:http://www.scribd.com/doc/24504438/am-ate-Noe-e-a-arca-De-onde-vieram-e-para-onde-foram-as-aguas-do-diluvio-O-diluvio-foi-apenas-uma-inundacao-local-ou-GLOBAL-ENCONTRE-AQUI-SUAS-RE

Comentar por orelix

Top 5 dos Criacionistas MAIS DESONESTOS do Brasil.

http://www.elivieira.com/2009/10/5-criacionistas-desonestos-do-brasil.html

Top 1 : Enézio de Almeida
1 – Enézio de Almeida

Procure qualquer notícia sobre biologia evolutiva na internet. Qualquer uma mesmo. Para cada uma delas, na faixa cronológica dos últimos quatro anos, você provavelmente encontrará um relincho comentário correspondente num certo blog tocado por este homem que atende pelo nome de Enézio de Almeida Filho.

Meu problema com Enézio nem é tanto o fato de ele defender esse criacionismo versão cavalo-de-Troia cuja tradução correta do nome seria “Projeto Inteligente”. Muito pior que ele se agarrar com todas as forças de seu coraçãozinho a uma hipótese falida é sua absoluta incapacidade de realmente refutar um argumento alheio, e igualmente grande inanidade em defender seu próprio ponto de vista que tem óbvias raízes na religião.

Evidências para minhas acusações? Claro que tenho. Vejamos duas:

•A resposta de Enézio para o site da Ciência Hoje, quando este se recusou a publicar as chorumelas do criacionista Marcos Eberlin sobre o artigo de Sérgio Pena, foi uma barafunda de insinuações à moda das piores teorias da conspiração. Para ele a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) tem possibilidade de cortar as verbas do laboratório de Eberlin porque ele tentou publicar alguma besteirinha fundamentalista numa revista de divulgação científica. Evidências do Enézio? Bem… esta é a pergunta que mais dói nos calos dele. Detalhe: ele também quer a demissão do editor da CH online.
•Enézio parece achar que copiar e colar textos de evolução em seu blog e depois comentar alguns parágrafos é o suficiente para desacreditá-los, sendo esses parágrafos meras repetições de sua infindável agenda pseudocientífica, meras afirmações sem sustentação alguma em literatura científica. Exemplo: em resposta ao artigo de divulgação de Reinaldo José Lopes sobre o fóssil Ardi, publicado na Folha, Enézio fez uma série de perguntas e recomendou postagens de blogs como o de Casey Luskin, um apologeta para o já citado Discovery Institute (dedicado a chorar pitangas pelo fracasso do criacionismo há décadas). Enézio, tão preocupado em olhar as diretrizes de publicação da Ciência Hoje supostamente traídas pela recusa de publicação da réplica de Eberlin, diminui bastante seu zelo quando tenta refutar uma publicação científica mostrando o parentesco entre o Ardipithecus ramidus e o Homo sapiens. O que eu não engulo é que Enézio não saiba a diferença entre divulgação e publicação científica, e que uma publicação científica só pode ser refutada com outra publicação científica.
Mas, em meio a tantas críticas à pesquisa em biologia evolutiva, onde estão as evidências de Enézio para a criação?

Em sua defesa, Enézio poderia inventar que a tal “complexidade irredutível” é evidência positiva de criação, por isso tentou defendê-la desesperadamente nos comentários do blog RNAm. Como eu disse naqueles mesmos comentários, non sequitur é pensar que ainda que exista algo irredutivelmente complexo, só poderia ter vindo das mãos de um artífice inteligente fantasmagórico que tem como hobby mandar seus filhos semideuses para sangrar até a morte pregados em pedaços de pau na Terra.

E o maior defensor da ideia de complexidade irredutível, Michael Behe, reconheceu que ela não implica em criação (caso existisse complexidade irredutível, o que também não é o caso). E até hoje Behe está devendo uma reformulação do conceito de complexidade irredutível que ele prometeu em seu texto Reply to My Critics (Biology and Philosophy, 2001). Desnecessário dizer que a publicação em que Behe apresenta a ideia, o livro “A caixa preta de Darwin”, passa bem longe de ser uma publicação científica revista por pares.

“Behe teve de admitir que não havia uma única publicação revista por pares em ciência que apoiasse sua visão sobre sistemas biológicos irredutivelmente complexos que não pudessem ser possivelmente explicados pela evolução. Behe admitiu em sua “Réplica a Meus Críticos” (Reply to My Critics) que apontar para um sistema irredutivelmente complexo (onde uma parte faltante causaria o colapso do funcionamento do sistema) não era o mesmo que evidenciar que tal complexidade irredutível não pudesse emergir através da seleção natural. Na biologia evolutiva o conceito de exaptação é largamente usado para explicar a evolução de uma característica biológica que sirva uma função num ponto da evolução e muda para outra função depois devido a mudanças no sistema em questão.

(…)

Para piorar, Behe tinha descrito (1) o flagelo bacteriano, (2) a cascata de coagulação e (3) o sistema imunológico como três sistemas irredutivelmente complexos. Porém, Kenneth Miller, professor de biologia da Universidade Brown e especialista em biologia celular, mostrou evidências sólidas no julgamento [de Dover] de que foi mostrado em pesquisa científica revista por pares que cada um desses sistemas não eram irredutivelmente complexos.”

Fonte: Foster, Clark & York. Critique of Intelligent Design. Monthly Review Press, 2008. Página 15.

A sentença do juiz ao final do julgamento de Dover é que Design Inteligente é sim criacionismo disfarçado tentando mais uma vez, numa guerra de mais de 80 anos, se enfiar nas escolas públicas dos Estados Unidos, onde a constituição proíbe o proselitismo religioso no ensino público. As evidências analisadas pelo juiz incluíam o livro didático “Of Pandas and People” ligado ao Discovery Institute, que continha reaproveitamento de parágrafos inteiros de publicações criacionistas anteriores. Uma análise até mostrou que alguém de fato substituiu “criacionistas” por “proponentes do design inteligente” às pressas no texto para tentar mascará-lo como se fosse científico. (Isso na esperança vã de estabelecer DI como ciência.)

Enézio, à maneira como muitos criacionistas como Kirk Cameron alegam ter sido descrentes no passado, diz que foi um evolucionista de carteirinha. Que estranho um ex-evolucionista que não entende o conceito básico de exaptação (que explica justamente a suposta lacuna que Michael Behe tenta preencher com a complexidade irredutível), que não sabe que referência científica se refuta com referência científica, e ainda vive de colher proselitismo em blogs de fundamentalistas como Casey Luskin (procure este nome no YouTube para saber de quem se trata – é o Brasil importando porcaria enlatada dos EUA denovo).

Relinchos de um blog podem ser refutados por relinchos de outro blog, por isso, Enézio, sua desonestidade persistente nesse seu blog lotado de coisas que são boas e não são suas e coisas suas que são um lixo, você ganha a medalha de ouro da desonestidade criacionista tupiniquim.

Ainda que caia a teoria da evolução, Enézio, e Ardi seja um boneco fabricado durante uma noite, onde estão suas evidências para a criação? Por que você não se ocupa de fornecê-las em seu blog em vez de inventar conspirações em volta da SBPC e do mundo acadêmico?

Comentar por Ricardo Muradas

Ricardo,

Apesar de eu quase sempre discordar das teorias malucas do Sabino, desta vez eu sou compelido a escrever algo.

1) Eu conheço o Prof.Dr. Marcos Eberlin. É uma cara extremamente inteligente, de um currículo brilhante. Pouquíssimos cientistas no Brasil conseguiram tanto resultado quando ele.

Ele tem a sua religião? Sim, Qual é o problema? Agora ele não pode dizer o que pensa, por ser cientista e religioso? É inquisição sem fogueiras ?

Temos que atacar as idéias e não as pessoas, como vc esta fazendo com o Sabino. Qual é o problema dele ser jornalista e não ser da área de exatas? Isso aqui é um blog, não é uma revista de publicação científica.

Comentar por Icarus

Ricardo,

Já sabemos que tens internet e que conheces uns sites fixes e que não gostas dos cientistas criacionistas, mas o intuito do espaço de comentários é para as pessoas debaterem com argumentos próprios. Não tem mal linkar outros sites mas por favor não despejes mais copy pastes.

Atentamente

Comentar por Marcos Sabino

Ok, sem problemas Sabino, não farei mais isto. Me perdoe.

Porém, vamos ao seu texto ;

1o) Ele não tem um *curriculo brilhante”, assim
2o) Ele mente e mentiu em várias ocasiões.
3o) Eu não tenho problemas com Criacionistas, desde que, estes criacionistas não sejam pilantras.
4o) Há criacionistas que são CIENTISTAS inclusive da suar religião, que são, além de HOMENS, pessoas maravilhosas, não são pilantras, como este sujeito aí de cima, e o Adauto.
5o) Me dou bem com Criacionistas, desde que, não MINTAM e sejam DESONESTOS entendeu ?

Abração

Comentar por Ricardo Muradas

Gostei. Pareceu-me uma abordagem racional à possibilidade bíblica

– uma das evidência para a rotação das placas é a orientação de pedras magnéticas naturais que se encontra espalhadas pelo mundo. Aquando da solidificação do planeta algumas ficaram polarizadas.
– o movimento da Austrália. O terreno da Austrália deverá ser semelhante ao de África.
– os fósseis não se encontram todos na mesma camada. A água a lançar lama no dilúvio criaria uma única camada. O que se verifica é a existência de várias camadas, os tempos geológicos que indiciam milhões de anos.
– falta explicar o mecanismo que levantou os continentes, afinal, estava tudo debaixo de água…

E já agora, onde está o papel de Deus? ainda não interveio, está tudo muito natural, muito darwinista…

Comentar por Nuno Dias

oh pá! e chateia-me que há gajos que parece que não viram a explicação no vídeo!
O volume de água é igual! Dantes era tudo quase plano e agora é tudo aos altos e baixos. Portanto a água fica entre as montanhas e o fundo do mar!

Comentar por Nuno Dias

Parece-me que Deus arquitectou um plano de afogamento logo à partida na criação do planeta. Que estranho! Para quê? O ominitudo sabia à partida que iríamos falhar!
Estava tudo condenado desde o início! Que sádico.

Comentar por Nuno Dias




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: