No princípio criou Deus os céus e a Terra


Ideias têm consequências – A teoria racista de Darwin
Maio 10, 2008, 11:38 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang

Hoje “encalhei” com um facto incrível. Alguém conhece este homem?

nbvbmjk

Chama-se (chamava-se) Ota Benga. Este pigmeu veio do Congo Belga para a América aos 22 anos de idade. Aos 24 anos (em 1906) foi colocado no Bronx Zoo. A crença evolucionista esteve na base da motivação em lançar Ota Benga para uma jaula de macaco. Aliás, o seu companheiro de jaula era um orangotango com quem passava o tempo. Cerca de 40.000 pessoas por dia divertiam-se a ver o pigmeu a lutar wrestling com o orangotango. Segundo W. J. McGee, o antropólogo responsável pelo enclausuramento do pigmeu, a sua exibição num zoológico era de conteúdo “exaustivamente científico”, servindo para mostrar os estágios da evolução humana.

A exposição racista terminou após a revolta de um grupo de americanos protestantes. Ficou a viver em Lynchburg onde várias famílias lhe deram abrigo e o ajudaram a viver uma vida normal. Em 1916, Ota Benga suicidou-se com um tiro na testa.

Isto já aconteceu há mais de 100 anos. Por essa razão, poucos conhecem a história verídica onde um ser humano como eu e tu foi colocado numa jaula juntamente com um orangotango por acreditarem que ele representava um dos estágios da evolução humana. Para os evolucionistas, naquela jaula estaria um ser humano menos evoluído e de cultura inferior. Ideias têm consequências.

cvbcv

Anúncios

20 comentários so far
Deixe um comentário

Estórias antiiiiiiiiiiiigas… Entretanto evoluímos na nossa maneira de pensar. Isso acontece em todas as faces da sociede, sejam elas política, religião, ciência, ensino, etc.

Há que lamentar os erros do passado mas não vamos estar a vida toda a massacrar o presente e a condicionar o futuro pelo erros já passados. Temos é que andar para a frente!

Comentar por Dário Cardina

Caro Marcos, o seu post ou é demagógico ou ignorante. Presumo que será os dois. Mas vamos por pontos.

Aquilo que o Marcos chama de evolucionismo é uma ideia com consequências, mas o Marcos baralha as consequências e nem percebe as ideias. Pensar que a asserção «o homem descende do primata» equivale a dizer que «o homem deve ser tratado como um primata» é tão compreensível como defender que «levar um tiro na cabeça mata» equivale a «deve-se dar tiros na cabeça». Esta é a parte da ignorância.

Depois vem a parte da demagogia. Rapare que a ideia alternativa do Marcos inspira foi, ela sim, responsável por algumas das maiores barbaridades. Lembra-se das Cruzadas? Lembra-se da cristianização?

Chegado ao fim, não sei se o Marcos tenta só ser provocador – e aí é derrotado em toda a linha porque o que diz não tem ponta por onde pegar – ou se apenas se limita a fazer o papel do fiel mansinho, que repete a ladainha do Jónatas Machado do portal criacionista. Neste caso, é só um papagaio de imitação. E imita logo os piores exemplos.

Comentar por Pedro Guedes

Dário, mas quantas pessoas sabem deste horrível incidence, onde um ser humano criado à Imagem de Deus foi posto numa jaula porque alguem pensava que ele era um elo perdido?
Eventos como este fazem o meu sangue ferver de raiva.
Sim, a crença na evolução tem consequências grtavíssimas, e não nos podemos esquecer disso.

Comentar por Mats

Mais uma coisa:
ainda há pouco tempo um jovem finlandês usou de crenças evolucionistas para matar pessoas. Portanto, não são coisas do passado.

Comentar por Mats

Epah… Também houve massacres de milhares de pessoas por não acreditarem numa religião. E ainda acontece.

Comentar por Dário Cardina

Sabino

Os erros dos cientistas ao longo dos tempos foram enormes.
Neste caso dramático e estúpido o que esteve na origem foi o facto do antropologo classifica-lo numa espécie não humana.
Não foi a teoria da evolução que insinou que tal se fizesse.
Com ou sem evolução poderia ter acontecido.
Os cientistas são seres humanos e cometem muitas vezes atrocidades em nome da ciência.
Von Braun o génio da astronáutica não teve qualquer pejo em usar escravos judeus famintos como trabalhadores, mesmo sabendo que isso conduzia à morte.
A ciencia e as teorias cientificas não tomam decisões, constatam factos. Quem toma as decisões são os seres humanos.

A deturpação da evolução com base na ética e moral é estúpida e absurda.

Certamente que estiveram envovidas neste caso muitas pessoas e provavelmente alguns seriam cristãos.

Não te esqueças que os maiores racistas da história dos EUA foram e são protestantes e ram fortemente esclavagistas. Foram fundadores do Ku Klux Kla.
E ainda hoje têm uma absurda associação racista de nome White Anglo-Saxon Protestant.

Nem eles representam o protestantismo nem esse “cientista” representa a evolução.

Nem a religião é responsável pelas parvoíces cometidas por alguns protestantes, nem a teoria da evolução é responsével pelas parvoices feitas por evolucionistas.

A esmagadora maioria dos evolucionistas não aceita que em nome evolução se coemtam atrocidades. É uma questão moral transversal a todos, evolucionistas ou não.

Comentar por Joaquim Coelho

Mais uma coisa:
ainda há pouco tempo um jovem finlandês usou de crenças evolucionistas para matar pessoas. Portanto, não são coisas do passado.

Frequentemente jovens usam crenças religiosas para matar pessoas.
Os terroristas islâmicos, por exemplo.
A americana que matou os três filhos por Deus lhe ter dito para o fazer.
O padre Prostestante que matou um médico que fazia abortos.
Etc, etc

Comentar por Joaquim Coelho

Nesta história não sei quem é mais culpado. Mas a verdade é que ninguém está inocente (muito menos as dezenas de milhares de visitantes).
Mais vale colocar aqui toda a história e não apenas a versão tendenciosa aproveitada pelos criacionistas.

1. Ota Benga foi trazido pelo missionário protestante com a finalidade de ser exposto.
2. Ota Benga aparentemente concordou em ser exposto
3. Este tipo horrível de exposição não difere no “modus operandis” das imensas muito concorridas exposição de “monstruosidades humanas” (como eram chamadas as pessoas com profundas alterações do seu aspecto físico: como o homem elefante, ou os pés gigantescos) que eram comuns na época.

É absolutamente evidente que tais usos em nome da ciência são condenáveis e absurdos (hoje não seria possível), mas dizer que foi a evolução que levou a tal é um absurdo.
Tentar dizer que os bons da fita forma os protestantes (sem dúvida que foi o grupo que lutou contra a exposição que forma os bons da fita) é confrangedoramente tendencioso e simplista, pois estão envolvidos missionários protestantes na história que levou à absurda exposição.

Comentar por Joaquim Coelho

Quem trouxe este pigmeu foi um missionário protestante:

Samuel Phillips Verner, known as “Phillips” was born on the Conneross Plantation in Oconee County SC.
…..
Phillips graduated as the “first honor graduate” of the South Carolina College [now, University of South Carolina], Columbia SC in 1892. After graduation from college, for several years, he worked in various capacities for the Southern Railway Co. in Columbia SC. In 1894 he took a teaching position at the Stillman Institute in AL, a seminary for African-Americans, where a Verner cousin was the Principal. On Sept. 25, 1895 he was examined and ordained to the Ministry of the Southern Presbyterian Church by the Stillman Institute in Tuscaloosa AL.
After his first trip to Africa, in 1895-1899, he wrote a substantial book: Pioneering in Central Africa, published by the Presbyterian Committee of Publication in Richmond VA in 1903. From this, he was invited to present numerous lectures and authored many article on Central Africa, and became one of the founders of the American Anthropological Association
………..
Fair to commemorate the centennial of the Louisiana Purchase in 1803. Phillips was hired specifically as a special agent to bring African Pygmies and other indigenous people from their native homes in Africa to be put on display at the St. Louis Fair in 1904, along with thousands of people from all over the world. Much of this period of his life, 1903-1907, is described in Ota Benga – the Pygmy in the Zoo, published by St. Martin’s Press, 1992, paperback by Dell, 1994, by Phillips Verner Bradford and Harvey Blume.

Ota Benga, or Otabenga, pictured above, was an African Forest Person, said to be of the Bachichiri, a family of “Bushmen” originally living in the forests along the Kasai River in what is now the Democratic Republic of the Congo. He was captured in a raid by the Baschilele, who were said to have killed his family and burned his house, then turned him over to the Zappo-Zap, a tribe of African natives loyal to King Leopold II, of Belgium, absentee owner of the Congo Free State. He was held captive until acquired by Samuel Phillips Verner, a Missionary-Explorer from South Carolina who was looking for “Pygmies” who would come to be exhibited at the St. Louis Exposition of 1904.
Ota helped Verner convince other Africans, who lived in and around the village of Chief Ndombe to come to St. Louis and build a representative and “authentic” native African village for the World’s Fair visitors to see, alongside thousands of other native tribesmen from all over the World.
After they returned to Africa, Verner and Ota spent 18 months exploring and collecting artifacts in Central Africa. Once Verner was ready to return to America, Ota asked to join him on his trip to New York in the summer of 1906. Once in New York City, Verner was bankrupt and the Guardian Trust Company seized his collections, which Verner had hoped could be sold to the American Museum of Natural History. Verner left Ota in the care of the Museum while he went back to South Carolina seeking family support. Motivated by good intentions, Ota’s caretakers transferred him to the Bronx Zoo where he was made into a sensation as an exhibit of evolution, residing in the primate house with an Orangutan as a roommate.

The letter, shown above, was written to Ota (Otabenga) in an a phonetic transliteration of Ota’s language by Verner (known to Ota as “Fwela”), while Ota was at the Museum. The letter begins with the greeting “Moiyo”
Extricated by well-intended ministers of religion, Ota was transferred through several eleemosynary institutions of learning, while Verner was kept busy with new plans for African empire building with backing from New York millionaires.
Ota Benga died in Lynchburg, VA, of a self-inflicted gunshot wound on the vernal equinox of 1916, apparently despondant that he could not return to Africa.

Comentar por Joaquim Coelho

Joaquim,
O protestante que trouxe o pigmeu era um evolucionista? Trouxe-o para o pôr na feira?

Segundo, os maiores esclavagistas foram os protestantes? Talvez, mas há coisas que não disseste:
1. A abolição da escravatura foi muito influenciada pela teologia cristã, NAO por mitos ateus.
2. Enquanto que o Cristianismo não defende a superioridade racial, o próprio Darwin defndia que havia raças inferiores e superiores.
3. Ota Benga foi posto num jardmi zoológico porque, segundo a teoria da evolução, ele era um elo perdido.

4. Concordo que a religião islâmica suporta a matança, portanto dizeres que a “religião” suporta isto ou aquilo é muito vago. Tens que dizer QUAL é a religião que tens em mente.

Comentar por Mats

O protestante que trouxe o pigmeu era um evolucionista? Trouxe-o para o pôr na feira?
3. Ota Benga foi posto num jardmi zoológico porque, segundo a teoria da evolução, ele era um elo perdido.

Não sei se era ou não evolucionista. Trouxeo-a para a exposição pois foi essa a missão que lhe incubiram.
Ota Benga deu o seu acordo e tentou convencer outros pigmeus a virem para a exposição.
Apesar do drama deste caso, e do comportamento improprio de cientistas, expositores, visitantes, etc, etc, o caso não é bem como o pintam.

É similar no contexto com as “aberrações” expostas em feiras na altura nos USA. A motivação era diferente, era disfarçada de ciência, mas o “modus” era igual: expor o diferente e considerado aberrante.
E não é dispiciente a acitação de Ota Benga (provavelmente iludido, mas aceitou)
Tens aqui outro exemplo execravel e racista de exposição: http://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%A9nus_Hotentote

1. A abolição da escravatura foi muito influenciada pela teologia cristã, NAO por mitos ateus.
Estou-me nas tintas para ateus ou não. Foram humanistas, cristãos, ateus, judeus, etc que levaram ao fim da escravatura. Tal como foram cristãos, ateus, judeus, etc que toleraram a promoveram a escravatura durante séculos.

2. Enquanto que o Cristianismo não defende a superioridade racial, o próprio Darwin defndia que havia raças inferiores e superiores
Na bibliai está subjacente um povo eleito, conceito adoptado por Hitler, e que esse sim implica seres preferenciais sobre outros. Na biblia menciona-se que entre o povo eleito não podiam ser feitos escravos mas que tal era permitido com os outros povos.

Pela milésima vez na evolução não existe o conceito raça superior e inferior (nem sequer de raça da forma como aplicas), existe o ser mais adaptado para uma determinada situação.
Na evolução das espécies o ser humano praticamente não é considerado.
Mas nem na descêndencia esse conceito é formulado.
Se leres o livro na integra vês porquê.

Ponto 4. Todas as religiões
Dei exemplos também de católicos e de protestantes.
Mas o que quero dizer é que em todas as religiões, ideologias, teorias economicas ou cientificas, etc existem elementos “tresloucados” que em nome delas (mas não representado-as) cometem barabaridades que não lhe podem ser imputadas.

Comentar por Joaquim Coelho

ehpa eu ainda decidi se comentava ou não. Passaram dois dias desde este post mas tenho mesmo que comentar. O problema é que eu sei que se comentar vou ter de perder 15 minutos da minha vida… mas lá terá que ser.

Parece-me incrível que queiram tentar minimizar aquilo que se passou com este pigmeu.

Pedro Guedes:
“Rapare que a ideia alternativa do Marcos inspira foi, ela sim, responsável por algumas das maiores barbaridades. Lembra-se das Cruzadas? Lembra-se da cristianização? “

Sim, os fundamentalistas mataram outras pessoas em nome da sua religião. Não em nome do meu Jesus, que diz precisamente o contrário na bíblia. (Ver: Fundamentalistas reliogosos ou nada nada religiosos?

Joaquim:
“Com ou sem evolução poderia ter acontecido.

Como? Com ou sem evolução poderia ter acontecido? É dificil entender que esse pigmeu foi posto na jaula para demonstrar a nossa evolução? É dificil entender que o proprio homem que o colocou no zoo entendia aquela exposição como cientifica? Se não houvesse ideias evolutivas esse pigmeu não iria parar à jaula do zoo por se achar que ele era um humano menos evoluido.

“1. Ota Benga foi trazido pelo missionário protestante com a finalidade de ser exposto.
2. Ota Benga aparentemente concordou em ser exposto

Ele foi trazido para ser exposto numa feira. E ao contrario do que tu dizes, não se sabe se era uma feira de horrores ou “freak show”. Não foi o protestante que o meteu no zoo. Foi um evolucionista.

Eu só coloquei este post porque acredito que nenhum dos que comentou conhecia esta historia. Só quis mostrar que a teoria de Darwin, tal como ele proprio, tinha principios racistas. Não estou a dizer que agora os evolucionistas pensam da mesma maneira. Só quis apresentar um facto concreto. EM vez de andar aqui a citar frases de autores a dizerem que Darwin era racista e não sei quê preferi apresentar um exemplo concreto. Há melhor forma de demonstrar algo?

Para todos:
A religião é contaminada pela mão humana. Adoptam-se principios que mais tarde são abandonados. A religião pode fazer ferida. Mas se esses “religiosos” fizessem aquilo que Jesus diz sobre amar o próximo como a nós mesmos ou fizessem aos outros aquilo que eles gostariam que lhes fizessem a eles, não haveria nada disto.

Tal como isto, a crença na teoria da evolução fez com que se colocasse este homem numa jaula, por se pensar que ele representava um dos estagios menos evoluidos da especie humana. Não venham agora com tretas. Esta foi a consequeência da ideia. É a isso que me refiro no texto. A ideia de que o homem evoluiu a par do chimpanzé fez com que um ser humano fosse colocado num zoo. É a verdade.

Comentar por alogicadosabino

Matts, mais uma vez fazes confusão.

A questão moral central neste caso não é a evolução. É o facto de se expor um ser racional de uma forma completamente obscena.
A justificação foi a evolução, tal como a justificação para queimar seres vivos foi a religião.
A interpretação que certas pessoas fizeram é que está errada. Quer sobre Ota Benga quer sobre os queimados.

Como é evidente se não existisse religião Ota Benga não seria exposto como produto da evolução, mas seria exposto como pigmeu, selvagem e curiosidade ) na exposição. (Na realidade é tão condenável em termos ético/morais ser exposto numa exposição ou num zoo).
Da mesma forma se não existisse cristianismo não teriam sido queimados em nome da fé cristã (seriam queimados em nome de outra coisa qualquer provavelmente)

Não é o facto de sermos descendentes de um ramo comum aos primatas que leva a cometer esses actos, é a moral (ou falta dela) prevalecente na sociedade da altura (e muita dela cristã).

E de facto o missionário não teve qualquer preconceito em expor o pigmeu como representante de um raça selvagem. E também, nem ele nem a sociedade missionária

E Matts, é bom ver a motivação por detrás desta exposição: a bancarrota de Verner e uma forma de se fazer dinheiro:
“Verner was bankrupt and the Guardian Trust Company seized his collections, which Verner had hoped could be sold to the American Museum of Natural History. Verner left Ota in the care of the Museum while he went back to South Carolina seeking family support. Motivated by good intentions, Ota’s caretakers transferred him to the Bronx Zoo where he was made into a sensation as an exhibit of evolution, residing in the primate house with an Orangutan as a roommate.”

Resumindo: hoje todos achamos abominável este acto. Todos os envolvidos, evolucionistas ou não, estiverem mal. (Temos de descontar a moral da altura que acha normais tais exposições).
O caso da Vénus hotetote (“Saartjie Baartman” – http://pt.wikipedia.org/wiki/Saartjie_Baartman ) é mais um exemplo de aberração. Neste caso a motivação não foi a evolução mas as considerações morais são iguais.

O aproveitamento de uma teoria ou religião por indivíduos não responsabiliza nem desmente essa teoria ou religião.
Não há na teoria da evolução nada a promover o racismo. Há racistas que se aproveitam da evolução.
Como há racistas que se aproveitam da religião.
Os skinheads portugueses são católicos e entendem que foi Deus que fez as raças.
Terreblanche o racista bóer (condenado por tentativa de homicídio de um negro) afirma que para ser bóer tem de ser cristão, e que o racismo é natural na bíblia.

O que me lixa é a distorção na apresentação destes casos e o facciosismo extremo que vocês têm.

Quando um cristão comete em nome da religião atrocidades dizem: foi um ser humano, na bíblia não vem a dizer para fazer isso. (Concordo quase sempre)

Quando um evolucionista comete justificando-se com a evolução atrocidades dizem: a culpa foi da evolução, se não existisse não havia.
Ora porra, então já não foi um ser humano ? então vem a dizer na origem das espécies (a bíblia da evolução) que tal se deve fazer e que é aceitável ?

Mais coerência meus meninos, e já agora não distorçam as coisas.

PS: Só quis mostrar que a teoria de Darwin, tal como ele proprio, tinha principios racistas. . No que se refer à teoria isto é absolutamente falso. Em nenhum local da teoria há considerações sobre actuações humanas. Pelo contrário, só se fala de selecção natural.
PS. Eu já conhecia a história há muito.
E pelo menos o Matts também, já que tinha referido o caso nuns comentários do seu blog.

Se quiseres posso-te dar mais uns exemplos de aberrações cujos autores as justificaram com a ciência. mas em troca publicas outras tantas cometidas por evangélicos com a justificação da religião.

Comentar por Joaquim Coelho

Bolas, já é o segundo comentário que não é inserido, não faço ideia porquê.

Rebatiam o teu e o do matss e agora não estou com pachorra para os repetir, quero apenas salientar isto:
After they returned to Africa, Verner and Ota spent 18 months exploring and collecting artifacts in Central Africa. Once Verner was ready to return to America, Ota asked to join him on his trip to New York in the summer of 1906. Once in New York City, Verner was bankrupt and the Guardian Trust Company seized his collections, which Verner had hoped could be sold to the American Museum of Natural History. Verner left Ota in the care of the Museum while he went back to South Carolina seeking family support. Motivated by good intentions, Ota’s caretakers transferred him to the Bronx Zoo where he was made into a sensation as an exhibit of evolution, residing in the primate house with an Orangutan as a roommate.

Comentar por Joaquim Coelho

Seria bom se as escolas públicas contassem a trágica história de Ota Benga.

Comentar por Mats

q triteza ter pessoas tao maus por semelhança de DEUS com de animais bon seria q esse fato fosse mais divulgado ese era um ser 100 animal.

Comentar por geovane

W. J. McGee ese e animal

Comentar por geovane

Joaquim,
Se o missionário era um evolucionista, então percebe-se o porquê de ele pôr um ser humano, criado à Imagem de Deus, numa jaula com outros animais. Quem acredita que os seres humanos tem dignidade, tal como a Bíblia diz, nunca faria isso.
No entanto, quem acredita que a evolução aconteceu, e que os membros da raça africana são elos perdidos, então vai achar por bem pô-los numa jaula.

Comentar por Mats

O livro sagrado diz; livro de jo´salmo 38.2a7;ver2-quem e este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento?ver3-agora cinge os teus lombos como homem;e perguntar-te-ei,e,tu,responde-me.ver4-onde estavas tu quando eu fundava a terra? faze-mo saber,se tens inteligencia.ver5-quem lhe pos as medidas ,se o sabes?ou quem estendeu sobre ela o cordel?ver6-sobre que estao fundadas as suas bases ,ou quem assentou a sua pedra de esquina,ver7-quando as estrelas da alva juntas alegrementes cantavam,e todos os filhos de Deusrejubilavam? e pasei a ver que um povo desaparesera num piscar de olho.SHALOM HA LERNUM:

Comentar por onerazan josua

Sabino, se queres defender o criacionismo use argumentos cientificos e nao emocionais.
CALMA, agora devem estar pensando que sou evo racista ne?
mas vcs nao acham que usar argumentos sentimentalistas so atrai mais briga entre nós? a evo é um fato, e nao é so por causa duma barbaridade cometida por um evo sem coração que vai estar a teoria errada.
Ja sabemos pela analises de DNA que nativos africanos, europeus e asiaticos possuem 0,01 por cento de diferença genica. ou seja nada.
Mas e o racismo dos criacionistas?
Crux clan? O anti-semitismo?
Encarem os fatos, nao se pode associar uma teoria cientifica ao racismo.

Joaquim,
“Quem acredita que os seres humanos tem dignidade, tal como a Bíblia diz, nunca faria isso.”

MAS FIZERAM SIM, olha nos EUA onde os indices de racismo é comum no sul onde o indice de criacionismo é alto.

“No entanto, quem acredita que a evolução aconteceu, e que os membros da raça africana são elos perdidos, então vai achar por bem pô-los numa jaula.”

Elo perdido nunca existiu, nenhum evolucionista usa esse termo, so filmes e criacionistas gostam de usa-lo.
chamar um evolucionista de racista tambem é PRECONCEITO!!!
Vcs querem uma sociedade melhor ou só criticar. quem estava presente nos vazamentos de olho que matou milhares de animais marinhos?
Ou quem alertou sobre os desastres ambientais?
Quem sao os medicos evolucionistas que salvam milhoes de vidas todos os anos?
Todo mundo precisa de todo mundo, e todos precisam de Deus.

Comentar por Anderson du Lustoza




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: