No princípio criou Deus os céus e a Terra


Naturalismo – a muleta da ciência das origens (Parte 2)
Abril 30, 2008, 12:49 am
Filed under: Evolução/Big-Bang

Ver PARTE 1. [O destacado é meu]
_____________________________________________________________

DA EVOLUÇÃO ALEATÓRIA À ANTIGUIDADE DA TERRA

Mas as coisas não se ficam por aqui. É que, se a evolução aleatória é a única possibilidade compatível com a ciência definida em termos estritamente naturalistas, segue-se automaticamente que a antiguidade da Terra é a única conclusão igualmente possível a priori. Isto, porque uma Terra recente nunca poderia ser razoavelmente compatibilizada com a evolução aleatória. Esta necessita de tempo – provavelmente, até, de muito mais tempo do que o que se encontra disponível no Universo. Na verdade, de acordo com as premissas naturalistas e com a teoria da evolução aleatória a que as mesmas necessariamente conduzem, a Terra tem necessariamente que ser suficientemente antiga para que a vida tenha surgido por acaso a partir de químicos inorgânicos e que milhões de espécies possam ter evoluído de um ancestral comum, dando origem a múltiplas novas espécies plenamente funcionais.

Uma idade de 6 000 ou 10 000 anos, por exemplo, seria necessariamente impossível de compatibilizar com a teoria da evolução. Isto, note-se, mesmo antes de se fazer qualquer medição dos níveis de C-14, dos níveis de decaimento de isótopos radioactivos, das taxas de erosão dos continentes ou de deposição de sódio e sedimentos nos oceanos. Na verdade, antes mesmo de o cientista ligar a ignição do seu automóvel para se deslocar ao seu laboratório ou ao seu campo rochas sedimentares e fósseis, ele só pode esperar encontrar evidências de evolução aleatória e de uma Terra extremamente antiga, porque só isso é compatível com a ciência naturalista. Também aqui as conclusões precedem qualquer investigação científica, sendo que esta só pode confirmar essas conclusões, sob pena de deixar de ser científica à luz da definição naturalista do termo.

Com efeito, se um cientista viesse a concluir que as observações apontam para uma Terra recente, ele iria inevitavelmente pôr em causa a possibilidade de evolução aleatória, o que, por sua vez, iria comprometer as premissas naturalistas que estruturam o método científico e, por conseguinte, iria colocar-se do lado de fora do domínio da ciência. Daí que ele tenha forçosamente que concluir que qualquer observação empírica que aponte para um design inteligente ou possa pôr em causa a extrema antiguidade da Terra só pode estar errada.

______________________________________________________________________

Ver Parte 3

Anúncios

20 comentários so far
Deixe um comentário

Mais uma vez distorces a verdade. (Para ser bonzinho.-))

A Idade antiga da Terra é anterior à teoria da evolução. A datação correcta só foi possúivel após a descoberta da ferramenta necessária: o decaimento radioactivo.

A corrente uniformitarista (que inclui eventuias e localizados cenários catastrofistas: vulcões e sismos, por ex.) de Carles Lyell na sua obra de 1830 Principios de Geologia (e talvez o principio da geologia moderna) indica centenas de milhões de anos ou mais.
Influentes geologos que marcaram a geologia da epóca afirmam a idade antiga da Terra:

Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon (1707 – 1788) com base no arrefecimento de bolas de ferro atribui à terra 200.000 e fala já em privado de milhões de anos.

Diderot fala em milhões de anos

Hutton indica uma enorme idade para o planeta sem apontar números

Lyell como foi dito indica milhões de anos

Kelvin com base na temperatura da terra calcula 100 milhões de anos.

Como vês sem existir evolução já se indicava uma Terra muito antiga. A antiguidade da terra não é uma consequência da evolução, mas a análise de va´rios aspectos. A evolução confirma essa antiguidade e não o contrário.

É verdade que só em 1910 Ernest Rutherford, graças às descobertas de Bequerel e dos Curie pulveriza estes valores passando para a ordem dos mulhres de milhões de anos.
Em 1920 já se conheciam rochas com 2,5 mil milhões de anos.

Isto não aconteceu nessa altura para confirmar a teoria da evolução mas porque só então tinham o metodo necessário, A datação radiométrica.

Continuas a bater na datação por C14 no contexto da idade da terra.
O C14 não é usado em geologia nesse contexto(só vai até 60000 anos com segurança) e não se encontra em material não biológico.

Comentar por Joaquim Coelho

Outra confirmação para a idade da Terra é o facto de o Sol ter uma idade estimada em 4,5 mil milhões de anos (ou seja, há um limite superior na idade da Terra que terá de ser inferior a 4 mil milhões de anos)e está a meio da sua vida. Juntando as forças físicas, químicas, geológicas e biológicas, reparamos que a Terra terá aproximadamente o numero de anos que os INVESTIGADORES (especialistas nestas áreas)calculam. Um investigador não é uma pessoa que lê alguns artigos aqui e ali, normalmente artigos de pessoas com a mesma opinião.

Comentar por Dário Cardina

como se sabe que o sol tem uma idade de aproximadamente 4,5 milhões de anos?

Comentar por alogicadosabino

Sabino, mede-se assim:

“Em parte graças a um aparelho chamado Espectrofotômetro, que é capaz de detectar delicadas frequências de ondas, inclusive cores. Mediante experiências na Terra, descobriu-se que os elementos químicos quando a certas temperaturas emitem luz em certas cores, e a luz do Sol apresenta exatamente a frequência do Hidrogênio e do Hélio em certas condições de temperatura e reação química.

Com isso pode-se medir com precisão a temperatura da superfície do Sol em cerca de 6 mil graus centígrados, e com o conhecimento de Física Nuclear, estimar que ele é basicamente uma queima progressiva que transforma Hidrogênio em Hélio, Fusão Nuclear.

Conhecendo os parâmetros desta reação, e estimando-se a massa do Sol, que pode ser deduzida pelo seu tamanho e sua força gravitacional, é possível avaliar entre a proporção de Hidrogênio e Hélio que o Sol está brilhando há cerca de 5 mil milhões de anos.”

Complexo não é?
Muita gente trabalhou para ser possível isto.
E não há lógica qpara que reacções quimica na Terra sejam difrentes no Sol.

Nada dos tramados e “faliveis” metodos radiométricos nem do teu preferido carbono 14 que não serve quase para nada na geologia 🙂

Comentar por Joaquim Coelho

Lyell não iniciou a geologia moderna, mas sim o criacionista Nicolas Steno.

O catastrofismo é um dado científico, tanto assim, que os darwinistas tentam incorporá-lo na sua teoria.

Comentar por Mats

Joaquim:

queres que eu coloque aqui o que aqueles criacionistas malucos do Creationontheweb dizem sobre isso ou não vale a pena? O problema é que é em inglês porque eu prefiro ir a sites constituido de pessoas com conhecimento na área do que a sites brasileiros meio duvidosos.

Comentar por alogicadosabino

Tens razão quando dizes: Lyell não iniciou a geologia moderna, mas sim o criacionista Nicolas Steno.
Na realidade foi James Hutton ( 1726-1797 ), considerado o fundador da geologia moderna,mas Lyell sintetizou e desenvolveu estes os conceitos de Hutton de uma forma que quase se pode ndizer que foi Padrasto.

” James Hutton ( 1726-1797 ), considerado o fundador da geologia moderna, fazendo uso da observação de campo dos fenómenos actuais deduziu que as mesmas leis físicas actuais que os condicionam terão sido as mesmas que actuaram no passado. Formulou, deste modo, o princípio do Uniformitarismo: o presente é a chave da interpretação do passado. Mais tarde, Charles Lyell ( 1797-1875 ), ampliou este princípio aplicando-o a novas situações geológicas, traduzindo-se em novos progressos das ciências geológicas. De facto, as rochas formam-se na natureza actual, obedecendo às mesmas leis que presidiram à sua formação há centenas de milhões de anos”

A importância (e grande) de Nicolas Steno (filho de um Luterano converteu-se ao catolicismo romano, que tanto gostas de criticar) foi na área dos fósseis e não troxe nenhuam revolução à geologia do seu tempo.

Nicolau Steno ( 1638-1686 ), foi um dos primeiros investigadores a redescobrir a verdadeira natureza dos fósseis

Segundo a generalidade dos historiadores de ciência os Geologos que deixaram obras fundadoras da geologia moderna foram: Buffon, Hutton e Lyell.

“O catastrofismo é um dado científico, tanto assim, que os darwinistas tentam incorporá-lo na sua teoria.”

O catastrofismo pontual existe há muito na teoria geológica. É até um dado fundamental.
E já agora, já não existe darwinismo mas uma teoria da evolução que é muito mais avançada e difere em muito da proposta por darwin (nos mecanismos, claro).

Comentar por Joaquim Coelho

“queres que eu coloque aqui o que aqueles criacionistas malucos do Creationontheweb dizem sobre isso ou não vale a pena? O problema é que é em inglês porque eu prefiro ir a sites constituido de pessoas com conhecimento na área do que a sites brasileiros meio duvidosos.”

Só se eles demonstrarem que é mentira que aqueles cientistas anteriores a darwin e não evolucionistas avançaram idades antigas para a terra. O que está em causa é só isso.

Dizes:
“a antiguidade da Terra é a única conclusão igualmente possível a priori. Isto, porque uma Terra recente nunca poderia ser razoavelmente compatibilizada com a evolução aleatória.”

E eu digo que não é verdade porque já antes da evolução se apontava uma idade antiga para a terra. Assim não posso à priori criar uma idade antiga para satisfazer uma teoria que ainda não existe. Percebeste ?

Comentar por Joaquim Coelho

Errata: como é evidente onde digo:
Tens razão quando dizes: Lyell não iniciou a geologia moderna, mas sim o criacionista Nicolas Steno.
Quero dizer apenas:
Tens razão quando dizes: Lyell não iniciou a geologia moderna

Comentar por Joaquim Coelho

Percebi.

O problema é que a ideia de evolução das espécies não foi iniciada em Darwin. Os filósofos gregos já sugeriam a evolução das espécies. Por isso, a evolução não é um conceito que só começou em Darwin.

O que está em causa é isso.

Comentar por alogicadosabino

“O problema é que a ideia de evolução das espécies não foi iniciada em Darwin. Os filósofos gregos já sugeriam a evolução das espécies. Por isso, a evolução não é um conceito que só começou em Darwin”

O que está em causa é isso.”

Não sejas desonesto Sabino. Tenho.te como mais moderado que o Matts.
Não necessitas, como ele de ser antes quebrar que torcer. não é por reconhecer um erro que toda a vossa “lógica” cai por terra.

O conceito de evolução começou muito antes de Darwin (embora às vezes o neguem). Mas a teoria da evolução como teoria cientifica consistente e aceite pela comunidade cientifica só foi sitematizada por Darwin e seguidores.
Quando usas o argumento da : “antiguidade da Terra é a única conclusão igualmente possível a priori”, estás a pensar na datação moderna, senão não faz sentido.
Nem a ciência assumia a evoluição (que era vista como uma execentricidade antes de Darwin), nem os valores apontados tinham qualquer coisa a ver com a realidade (no máximo milhões de anos) que nada serviam á evolução. Nem estes cientistas defendiam a evolução da vida e das espécies.

Portanto o que está em causa á a datação moderna e a evolução moderna. Tudo o resto não faz sentido.

Não perecbo a necessidade de “ficar com a bicicleta”. O Matts vem dizer que o fundador da geologia moderna á alguém que não teve teve qualquer papel nas teorias modernas, em especial o gradualismo. Tu vens negar que na altura que eu apontei o conceito à posteriori era usado, quando não faz sentido.

Já te deixei ficar a bicicleta (no caso da fraude) e meia-bicicleta ao Matts no caso de Lyell, e não tenho qualquer problema.

Comentar por Joaquim Coelho

“Quando usas o argumento da : “antiguidade da Terra é a única conclusão igualmente possível a priori”, estás a pensar na datação moderna, senão não faz sentido.”

Não necessariamente. Tal como hoje, já os epicuristas viam que a actualmente designada “macroevolução” não acontecia. Não era visível à escala temporal humana um peixe transformar-se num sapo. Por isso, eram também necessários muitos e muitos anos para isso poder acontecer.

“nem os valores apontados tinham qualquer coisa a ver com a realidade (no máximo milhões de anos)”

Qual realidade? A realidade assente em pressupostos não susceptíveis de serem comprovados?

Comentar por alogicadosabino

Joaquim,
boa fotografia!

Comentar por Mats

“Qual realidade? A realidade assente em pressupostos não susceptíveis de serem comprovados?”

Marcos, está a falar de que pressupostos? É que não me parece especialmente versado em metafísica. Aliás, nem me parece que saiba o que é isso…

Comentar por Júlio China

Estou a falar no tipo de pressupostos que dizem que a taxa/índice/ritmo daquilo que vemos a acontecer hoje representa o que sempre aconteceu no passado não observável.

Comentar por alogicadosabino

Um exemplo mais concreto, por favor.

Comentar por Júlio China

Tem aí o seu exemplo mais concreto 7 maravilhas do monte de santa helena

Comentar por alogicadosabino

considerando o afastamento anual da lua, se a terra tivesse 4 mil milhões de anos, a lua teria se colidido com a terra há uns três mil milhões de anos atrás. o cientista Robert Gentry provou que a terra não era uma massa incandescente e se resfriou. analisando as rochas de granito em vários pontos da terra ele provou que a criação das mesmas foi instantânea (ver a verdadeira idade da terra 1-2º)e então não me diga que a terra e a lua eram massas fundidas. ele também mostrou como o carvão e o petróleo podem ser criados em pouquíssimo tempo, bastando terem condições ideais para isso. mostrou também como o dilúvio explica o que a ciência não consegue explicar, como grandes campos de carvão…

Comentar por washington

Washington,
Para o darwinista as evidências são irrelevantes. O que interessa é a filosofia.

Comentar por Mats

Criacionismo é arma distração massiva depredando mais ainda a Educação.

Esquema de degeneração social e subversão da democracia inclui: Arremêdo de líderes como fantoches de outdoor fazendo pulhítica; Desmantelamento social por apavoramento com apologia ao terrorismo; Assassinatos constantes de moços e moças para aniquilar emocionalmente as famílias; Infanticídios insuflados diariamente; Fraudes em documentos médicos para forjar milagres; E a bizarra sanção contra Físicos no ingresso à Petrobrás,etc, etc.

Vítimas de pastor denunciaram que foram usados óleo para indução letárgica e hipnotismo para cometerem crimes de máxima repugnância. Criminosos de hedionda índole estão subjugando famílias, escolas, empresas, etc. Esses canalhas estão infiltrando lacaios em tudo que é canto. As igrejas e os vigaristas-vagabundos comedores de dízimos são fabricantes desses criminosos (exemplo: numa hora ensinam dentro até de universidades que padrastos; que foram tirados de suas casas por esses mesmos pulhas; devem dar banho em meninas de até 11 anos para aquecer os vínculos familiares); os mentores das falácias religiosas tentam a qualquer custo impor na Sociedade suas inescrupulosas mentiras; estão dispostos a tudo para subverter e degenerar a mentalidade humana afim de continuarem e expandirem seus inúteis domínios de nababos.

Sendo assim, a paciência está esgotada; estamos lidando com assassinos sem escrúpulo algum que afirmam que pessoas se compram, que podem colocar qualquer palavra na boca de qualquer um, estamos lidando com desgraçadores da mentalidade humana:

O texto a seguir é um caso sério, mas em certa altura pessoas quase mijam de rir. Talvez seja porque alguns de nós riem para suplantar um problema num difícil momento de sobrevivência.

O Criacionismo na Fidelidade Rigorosa da Bíblia.

O que é intrigante é a posição da Terra em relação ao céu. Parece que o Muito Grande e poderoso sentado no Trono, quando dá uma descarga vem tudo direto pra cabeça de suas igrejas. E quando isso chega, a Terra fica com cheiro não muito bom. Talvez isso explique porque nos sentimos mal quando seus escolhidos superiores passam um mau-hálito quando falam tanto e tão perto de nossos ouvidos.
Parece que somos como que uma espécie de pano-de-chão lá de cima.
Rigorosamente pela escrita nosso pai, na melhor das hipóteses, é um assassino; o outro rapaz era bom; o poderoso não achou bom revivê-lo, e deixou o assassino se dar bem com as cabras. Daí que, uns de nós cismam, com certa razão, que são ovelhas; e os homens já têm assim coceira de chifres desde novos. Nosso avô é um mentiroso; nossa avó andava dando idéia às escondidas pra uma cobra. Como ela já gostava de cobra mentiu também pra ver se conseguia segurar no cipó do nosso avô.
É uma HESTÓRIA linda; e muito criativa; e explica pra nós direitinho nossa condição nesse reino. Pra azar de nosso avõ ele ainda teve também dois filhos, igualzinho ao poderoso Manda-Chuva. Nesse reino existe uma certa aversão por mulheres. E parece que pra piorar os dois playboys sem muito o que fazer em suas vidas eternas, vidraram o olho logo aqui pra esse planeta, com tantos por aí. Talvez seja porque é o único que fica embaixo deles; pois no Universo a idéia de em cima e embaixo é de mero contexto proximal e precisa, no mínimo, de referencial. Mas isso não é pra aqui. Isso é coisa de somenos. Como diria o do curso de mau-hálito.
O problema é que esses dois príncipes encantados parece que são muito espertos, apesar de ter um pai preguiçoso, que depende da gente pra fazer tudo, e só vive sentado e dando descarga, e cisma que temos que ficar gritando e batendo palmas pra ele, pra disfarçar o barulho que faz debaixo do trono; assim ele fica bem na fita. Ele é muito capacitado, por isso manda a gente fazer assim. E nos dá velas e cruzes e uma cartilha grossa que devemos ler todo dia de trás pra frente e de frente pra trás, pra decorarmos a estória desse reino maravilhoso, forte, e conselheiro.
Os príncipes encantados, por serem crias de uma obra perfeita, vivem brigando. Parece que um continua chegado nas cabritas daqui, e o outro se amarrou na idéia de ser suspendido no tronco.
A coisa desandou quando o outro, de sacanagem, chegou pro Tremendo e disse que o principezinho andava se amarrando em preferir só os jumentos; e tava com a idéia fixa de mandar todo mundo se entregar e entrar na onda dele. O negócio ficou feio lá por cima; e o monte de trovão e raio veio bater tudo em cima de quem? Dos filhos das cabras.
Aí é que fica o problema. Porque parece que nenhum dos dois gosta de estudar; mas o pai deles ao invés de resolver a picuinha deles (nessa eternidade), pra nossa sorte manda os dois virem cobrar de nós a leitura da malfadada cartilha.
É uma sina nossa, um karma; que será eterno enquanto dure.
Fim do final.

No fundo de toda essa angustiosa controvérsia está o boicote ao conhecimento público da teoria da Lógica Espacial. Desde 1985 boicotada, queimada, deturpadamente plagiada (antes mesmo de poder ser conhecida), reprimida com sanções severas ao autor e a amigos e a cientistas e estudantes e demais profissionais. É paulada sem dó nas pulhices e fantasias religiosas. É a linkagem conceitual para a Meritocracia.

Comentar por Haddammann




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: