No princípio criou Deus os céus e a Terra


Um pouco da minha lógica existencial
Outubro 27, 2007, 1:55 pm
Filed under: Evolução/Big-Bang


Entrei numa “discussão existencial” com o meu amigo Pedro Romano e como ele já deu o seu ponto de vista falta dar o meu. Um comentário ao post dele não seria suficiente para expor aquilo em que acredito. A questão básica é: Como surgiu o mundo em que vivemos? Mais… como surgiu o Universo? São perguntas que todos nós um dia fazemos a nós próprios ou alguém nos obriga a fazer. É legítimo e ainda bem que isso acontece. Queria também deixar claro que eu só estou a escrever este texto para explicar o porquê das minhas convicções. Na realidade, a fé chega-me para acreditar no que acredito mas como sei que para a maior parte das pessoas a fé não é suficiente vou expor outros factos.

 

BIG BANG E EVOLUÇÃO

O Romano disse sobre mim: “ele desafiou-me a explicar por que é que a teoria do Big Bang é mais credível do que a teoria da criação divina em seis dias.” – na verdade, eu desafiei-te foi a explicares-me aquilo em que tu acreditas no que concerne à criação do Mundo porque EU não preciso que me mostrem o porquê da teoria do Big Bang ser mais credível que a hipótese de Deus ter criado tudo. Eu tenho a certeza que foi Deus que criou o mundo onde nós vivemos!

Nem as afirmações da Evolução nem as da Bíblia, no que se refere ao aparecimento de todas as coisas, são passíveis de confirmação científica, porque elas não são observáveis nem repetitíveis. O que a Ciência tem feito é partir de situações existentes, utilizar modelos bem estudados e programados de modo a obter como produto final aquilo que deseja e pré-determinou.

A Ciência consiste num processo que se auto-corrige. Por isso, muitos princípios têm sido ultrapassados e antigas leis postas de lado ou melhoradas. A Bíblia por sua vez, a Palavra de Deus, desde que foi escrita nunca foi nem necessitará de ser alterada. A respeito da Criação diz a Bíblia que: “… n’Ele foram criadas todas as coisas que há, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele” (Colossenses 1:16).

Se o “acontecer” por acaso já é difícil, então o “surgir” ainda é mais difícil é improvável. Porque o “acontecer” pode significar desaparecer, destruir-se, deteriorar-se e isso poderá aproveitar a normal tendência das coisas. Agora surgir algo de novo, sem mais nem menos… é impossível.

O aparecimento espontâneo da vida e a evolução das espécies representa um suicídio para o bom nome da Ciência que se baseia em factos comprovados. Acreditar que tudo surgiu por acaso e desenvolveu-se por si só, representa um acto de fé. Todos aqueles que acreditam na evolução possuem, por vezes, mais fé no absurdo do que os cristãos na Palavra de Deus. Não devia ser mas é verdade!

ROCHAS E FÓSSEIS

Há fósseis de muitos animais, alguns dos quais ainda vivem nos nossos dias! Como é que existem fósseis de animais contemporâneos como cavalos, hipopótamos, elefantes e outros cujos fósseis foram avaliados em milhões de anos? Por exemplo, a tartaruga foi avaliada em milhões de anos. Todavia ainda continua a passo de tartaruga, sem qualquer evolução!

Por esta altura podemos consultar a Bíblia para confirmarmos que a Arca de Noé preservou um casal de cada espécie, pelo menos, para dar continuidade à vida animal depois do Dilúvio.

Os animais quando morrem, normalmente, apodrecem ou são comidos pelos outros, como acontece com os peixes. Ainda que alguns pudessem ficar à espera de sepultura natural, os de maior porte nunca iriam esperar milhares ou milhões de anos (dizem os entendidos) para serem sepultados.

Um Dilúvio Universal explica muito bem a existência dos fósseis. Woolley e Langdon, em 1922 e 1929, respectivamente, encontraram vestígios do Dilúvio em perfurações que efectuaram. (Werner Keller, “E A Bíblia Tinha Razão”, Circ. Leitores, 1980, Pgs. 31-35).
As perfurações efectuadas por Woolley encontraram, a certa altura, uma camada de lodo de dois metros e meio. Por baixo, utensílios rudimentares, fabricados à mão e por cima, cerâmica trabalhada ao torno.

MAIS EVOLUÇÃO…

Os evolucionistas necessitam de centenas de milhões de anos para realizar o impossível, ou seja, a evolução de uma espécie para outra. Reconheceram, no entanto, que alguns animais não evoluíram absolutamente nada durante esse tempo todo.

LAPSOS… (OU FRAUDES?)

Ao longo dos anos aconteceram curiosas “descobertas” que mais tarde se veio a descobrir que afinal foram grandes fraudes.

– De um crânio de um homem moderno e de uma mandíbula de um símio criou-se o “Homem de Piltdown” ou “Homem de Danson”, que esteve 41 anos no Museu Britânico, como sendo o antepassado comum do homem e do macaco.

– A partir de um dente imaginaram-se coisas espantosas surgindo assim o “Homem do Nebrasca”. A intrujice permaneceu credível durante dezenas de anos até que, em face do aparecimento de outros fósseis, verificou-se que, afinal, o dente pertencia a uma raça de porcos extintos.

Não critico o facto da Ciência se poder enganar nos seus juízos porque são humanos, e o ser humano erra. Só não aceito que tentem ridicularizar as crenças de algumas pessoas a todo custo. Vale tudo… forjar, enganar, mentir… só não vale arrancar olhos. O que é necessário é mostrar que a Bíblia não pode estar certa, desacreditar os cristãos e negar a existência de Deus. Para se tentar recriar o princípio de todas as coisas usa-se material sofisticado, que não havia no princípio e compostos químicos que não se sabe se existiam ou não.

Os entendidos preparam os modelos e os materiais para que surja, como produto final, aquilo que se pretende e que se pré-determinou.

Existem mais casos destes similares a estes, não sei se erros ou fraudes… Não obstante, pedem-nos que tenhamos fé no evolucionista que é, em geral, mais um filósofo do que um cientista e que algumas vezes se engana e outras é desonesto.

A Bíblia diz o seguinte: “Os homens, dizendo-se sábios, tornaram-se loucos” (Romanos 1:22)

Nunca foi encontrado qualquer homem-macaco, nem vivo, nem fossilizado. Encontram-se restos de macacos e restos de homens. “Mas havia uma enorme diferença entre os macacos encontrados!” dirão certamente alguns entendidos. Naturalmente que sim, pois constituem espécies diferentes que nada têm a ver umas com as outras.
___________________________________________________________

Ai que o texto já está tão extenso e não queria nada redigir um texto para depois não ser lido todo. Eu podia ainda falar de tantas outras coisas! E pum… fez-se o Universo! Depois de uma grande explosão haverá uma grande confusão, e não um Cosmos harmonioso e ordenado, tal como o conhecemos em parte. A típica piada seca: “Professor, se bem percebi, no início não havia nada. Depois explodiu tudo!” A Evolução vai contra a natural ordem das coisas. As coisas costumam passar de boas para más e de más para péssimas. Sempre no caminho negativo, se não houver uma intervenção humana.

A Bíblia já referia aspectos da astronomia muito antes da ciência se ter desenvolvido e debruçado sob o Cosmos: “Deus estendeu a abóbada celeste sobre o vazio, e suspendeu a Terra sobre o nada.” (Job 26:7)! Sobre a Ciência: “muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará”. (Daniel 12:4)!

 

 

Está por encontrar no espaço um planeta que reúna, como a Terra, as condições necessárias para a vida. Guillermo Gonzalez no seu livro “Home Alone in the Universe” chama a atenção para o facto de a Terra dar mostras de ter sido precisamente configurada para ter condições necessárias à vida, um pouco mais próxima do Sol, a água evaporaria, um pouco mais distante, a água congelava.

 

 

Para terminar mesmo… para que a vida surgisse por acaso, quantos factores se deveriam conjugar? Qual a probabilidade disso ocorrer? Na última aula de jornalismo, após ler um discurso, a minha professora disse: “Mãos à obra pessoal, em 10 anos de jornalismo nunca uma peça me apareceu feita sem eu fazer nada”! Engraçado como no aparecimento da Vida, correu tudo bem, conjugaram-se todos os factores de um modo positivo, sem ninguém fazer coisa alguma.

Anúncios

3 comentários so far
Deixe um comentário

Marcos, deu para ver que andas a ler alguns livros (ou a fazer uns copy-pastes). O problema é que leste os livros errados. Deixo só três pontinhos:

1. Muito do que dizes é factualmente incorrecto. A treta da ciência enquanto método do verificacionismo e etc. A treta dos fósseis. A treta do Big Bang. Se quiseres indico-te bibliografia, embora não tenha certeza de que é isso que desejas.

2. Já ninguém na Igreja Católica leva a interpretação da Bíblia à letra. Noventa por centor daquilo que escreveste é considerado pura ignorância pelos próprios teólogos da Igreja. E isto nem são os cientistas que o dizem, são os cristãos. Vai lá tratar disso com eles.

3. Escreveste este post num sábado. Vou relembrar-te um dos mandamentos: não trabalharás ao sábado. Acho que vais arder no inferno, meu rapaz… 😉

Comentar por pedroromano

Parabéns Marcos!
A ciência evolui tão rapidamente que…cada vez dá mais razão à Bíblia. Certamente que a Igreja Católica nem os seus teólogos são grande referência, pois basta lembrar a inquisição, o que fizeram a Galileu e etc. E o Papa, que é infalível, segundo eles dizem, já pediu perdão pelos erros da igreja….Quem realmente sabe de ciência, e não apenas ouve dizer umas cenas por aí, sabe que a Bíblia TEM RAZÃO! E INFALÍVEL SÓ A PALAVRA DE DEUS…..o resto, sejam romanos, americanos ou alentejanos, são apenas mentes finitas, erráticas e passageiras….

Comentar por paulo

Pedro ROmano disse:

Já ninguém na Igreja Católica leva a interpretação da Bíblia à letra.

Aquilo que a igreja católica diz ou deixa de dizer sobre a Biblia não invalida o seu conteúdo. Parece-me a mim que em vez de dizeres aquilo que (supostamente) a igreja católica diz, deverias fundamentar a tua crença na evolução.

Noventa por centor daquilo que escreveste é considerado pura ignorância pelos próprios teólogos da Igreja. E isto nem são os cientistas que o dizem, são os cristãos.

Note-se como o Pedro opõe “cientistas” contra “cristãos” como se uma pessoa não pudesse ser um cientista e um cristão.

É verdade que a maior parte dos biólogos são ateus, mas ainda há por aí muitos cientistas, biólogos em particular, que acreditam que o Senhor Jesus Cristo criou o universe em 6 dias (24 horas x 6), e que houve um dilúvio que cobriou toda a Terra, como diz o Livro do Génesis, capítulos 6 até ao 9.

Comentar por Mats




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: